Defesa & Geopolítica

Forças especiais de nações parceiras competem no exercício Fuerzas Comando Peru 2016

Posted by

Equipes das Forças Especiais de países aliados das Américas do Norte, Central e do Sul competem na Copa Fuerzas Comando 2016, na Base de Infantaria da Marinha em Ancón, Peru, de 2 a 12 de maio de 2016. [Foto: Claudia Sánchez-Bustamante/Diálogo]

Por Claudia Sánchez-Bustamante/Diálogo

Na margem do Pacífico, na Base de Infantaria da Marinha em Ancon, o General de Brigada Moisés del Castillo, Comandante Geral do Comando de Inteligência e Operações Especiais Conjuntas das Forças Armadas do Peru, presidiu em 2 de maio o ato de abertura da 14a edição do exercício multinacional Fuerzas Comando 2016. “Esses encontros competitivos nos permitem testar o trabalho árduo de preparação [dos soldados das Forças Especiais], o trabalho que dá vigor ao músculo, ritmo ao pensamento, firmeza ao pulso, fortaleza ao caráter, calor ao coração e energia ao nosso corpo.”

O Peru sedia o evento pela primeira vez, por meio do Estado-Maior Conjunto de suas Forças Armadas, mas o torneio amistoso é realizado anualmente, desde 2004, com o patrocínio do Comando Sul dos Estados Unidos (SOUTHCOM). O evento é organizado pelo Comando de Operações Especiais Sul (SOCSOUTH), em conjunto com um país amigo que serve de anfitrião em cada ano do evento. É também uma oportunidade para que os participantes melhorem suas habilidades em treinamento de operações especiais, aumentem seus conhecimentos e aprofundem a interoperabilidade e as relações entre si, especialmente para combater ameaças comuns de maneira unificada.

O Fuerzas Comando 2016 reúne membros de forças especiais militares e policiais de 20 países das Américas: Argentina, Belize, Colômbia, Costa Rica, Chile, El Salvador, EUA, Guatemala, Guiana, Haiti, Honduras, Jamaica, México, Panamá, Paraguai, Peru, República Dominicana, Suriname, Trinidad e Tobago e Uruguai. Cada equipe tem sete soldados, em alguns casos de forças conjuntas, além de um juiz imparcial que comparecerá ao torneio. Vencedora da edição anterior, a Colômbia traz uma equipe conjunta de membros de Forças Especiais do Exército e da Força Aérea.

O General de Brigada Moisés del Castillo, Comandante Geral do Comando de Inteligência e Operações Especiais das Forças Armadas do Peru, abriu a 14a edição do exercício multinacional Fuerzas Comando em 2 de maio na Base de Infantaria da Marinha em Ancón, no Peru. [Foto: Claudia Sánchez-Bustamante/Diálogo]

Esperança, camaradagem e irmandade

“Aproveitamos essa convergência de soldados das Forças Especiais de muitos países amigos para pintar nossos rostos, mas não com tinta de guerra”, disse o Gen Brig Del Castillo no discurso de abertura. “Fazemos isto usando tinta de esperança, paz, amizade, camaradagem e irmandade.”

O Peru recebe durante 10 dias as equipes de cada país amigo, que competem por um dos troféus mais apreciados do continente. “O Fuerzas Comando Peru 2016 é uma oportunidade única que as Forças Armadas de 20 países irmãos têm para demonstrar preparação, capacidade e profissionalismo de seus membros de elite, levando-os ao extremo em cada uma das provas realizadas”, diz o mestre de cerimônias, membro das Forças Armadas do Peru.

Após o ato de abertura, os quase 700 participantes iniciaram o primeiro evento da competição, a prova de resistência física em equipes combinadas. Incluiu agachamentos por dois minutos, barras paralelas por um minuto, flexões em barra fixa por um minuto e uma corrida de 6,4 quilômetros sob o forte sol peruano.

Nos outros dias do exercício, os participantes competiram em três categorias: equipes de assalto, equipes de franco-atiradores e equipes combinadas. As equipes de assalto participaram de uma avaliação de tarefas críticas, combate urbano, tiro de fuzil, seleção de alvos e teste de estresse.

Enquanto isso, as equipes de franco-atiradores competiram em campo de tiro, alvos em movimento, tiro a distâncias conhecidas e posição de perseguição. Finalmente, além da prova física, as equipes combinadas competiram em testes de assalto combinado, evento aquático, marcha forçada e pista de obstáculos.

“A natureza transnacional dos desafios de segurança do século 21 exige uma cooperação multinacional, regional e transfronteiriça mais forte”, diz o Segundo Sargento Osvaldo Equite, Oficial de Relações Públicas do SOCSOUTH e porta-voz do torneio. “Eventos como o Fuerzas Comando fortalecem a cooperação militar e promovem a interoperabilidade entre os países participantes das Américas.”

O Peru, país anfitrião, e a Colômbia, vencedora da última edição do torneio, exibem suas bandeiras em formação perto da taça do compeonato e da equipe de Forças Especiais dos EUA durante a cerimônia de abertura do Fuerzas Comando Peru 2016. [Foto: Claudia Sánchez-Bustamante/Diálogo]

Fonte: Diálogo

shared on wplocker.com