Defesa & Geopolítica

G7 ameaça Rússia com mais sanções e apoia meta climática

Posted by

Ao fim da cúpula na Baviera, países convocam comunidade internacional a se manter firme perante Moscou. Merkel, Obama e outros líderes se comprometem a apoiar estabelecimento de limite de 2ºC para aquecimento global.

G7 Gipfel Schloss Elmau Outreach Konferenz Gruppenfoto

No segundo e último dia da cúpula do G7, na Baviera, os líderes das sete potências industrializadas concordaram em apoiar o estabelecimento de uma meta para limitar o aquecimento global e aumentaram a pressão sobre a Rússia, ameaçando reforçar ainda mais as sanções contra o país caso a situação se agrave no leste da Ucrânia.

No domingo, a cúpula já havia tido o conflito na Ucrânia como tema. O presidente americano, Barack Obama, e a anfitriã, a chanceler federal alemã, Angela Merkel, convocaram a comunidade internacional a se manter firme contra a Rússia, até que o Kremlin aja dentro dos parâmetros estabelecidos pelo acordo de Minsk, que prevê um cessar-fogo no leste ucraniano.

“As sanções só poderão ser removidas se as condições que levaram à imposição das mesmas não mais existirem, e se os problemas forem resolvidos”, declarou Merkel nesta segunda feira, durante entrevista coletiva ao final do encontro.

A chanceler afirmou que os líderes do G7 concordaram que as sanções impostas à Rússia pelo Ocidente devem continuar até que o acordo de cessar-fogo seja cumprido em sua totalidade. “Poderemos aumentar as sanções, se a situação assim exigir”, afirmou Merkel.

Apesar de Putin insistir que “não há motivos para temer a Rússia”, o recente acirramento do conflito na Ucrânia elevou os temores de um fracasso do frágil acordo de paz assinado há quatro meses.

G7 Gipfel Schloss Elmau Merkel ObamaMerkel e Obama defendem postura rígida contra a Rùssia, em relação à crise na Ucrânia

Mudanças climáticas

Merkel e o presidente francês, François Hollande, obtiveram um consenso com seus colegas sobre outro tema sensível na comunidade internacional: as mudanças climáticas.

Os líderes do G7 concordaram em apoiar o estabelecimento de uma meta para limitar o aquecimento global a 2ºC, além de fornecer ajuda no valor de 100 bilhões de dólares aos países em desenvolvimento para que possam lidar com as questões referentes ao tema.

O acordo foi uma vitória significativa para Merkel, que, juntamente com Hollande, pressionou os demais líderes do G7 a que apoiassem os esforços antes da Conferência do Clima de Paris, marcada para o fim de novembro. Na ocasião, um novo acordo para reduzir a emissão de gases do efeito estufa será discutido.

O objetivo de Merkel e Hollande é evitar a repetição do fiasco da conferência de 2009, quando a falta de acordo foi considerada um retrocesso, e enviar uma mensagem clara para que outras nações se comprometam a reduzir suas emissões e a frear o aquecimento global, que ameaça derreter as calotas polares, elevar o nível dos oceanos e agravar os fenômenos naturais extremos.

“Nos comprometemos a fazer nossa parte em atingir uma economia global de baixo carbono em longo prazo, incluindo o desenvolvimento e uso de tecnologias inovadoras. E vamos nos empenhar em uma reestruturação do setor energético até 2050”, disseram os líderes em comunicado final conjunto.

“Estado Islâmico” e Boko Haram

Os chefes de Estado e governo de Alemanha, Canadá, Estados Unidos, França, Itália, Japão e Reino Unido excluíram pela terceira vez consecutiva o presidente russo, Vladimir Putin, mas convidaram outros líderes de países fora do G7 a participar do encontro.

Um deles foi o primeiro-ministro do Iraque, Haider al-Abadi, que vai discutiu com os demais chefes de Estado a luta contra a organização terrorista “Estado Islâmico” (EI), que ocupa mais de um terço do território do país. Também esteve em debate o fluxo de jihadistas de várias partes do mundo que aderem ao EI e a ameaça que eles podem representar a seus países de origem.

Outro convidado da cúpula foi o recém-eleito presidente da Nigéria, Muhammadu Buhari, que busca apoio internacional para combater o grupo terrorista Boko Haram. Os extremistas realizaram 11 atentados – que deixaram 93 mortos – na primeira semana dele no poder.

RC/dpa/ap/afp

Fonte: DW

7 Comments

  1. Pingback: G7 ameaça Rússia com mais sanções e apoia meta climática | DFNS.net em Português

  2. Julio Brasileiro says:

    A tal comunidade internacional vai ficar cada vez menor. Rsrsrsrs. E também mais dividada. Os que recebem ordem yankes e os que não recebem. O War Bush já tinha dito, como bom cowboi texano, estão comigo ou estão contra nós, os capitães americas contra o eixo do mal. Rsrsrsrsrsrs.

    • PÉ DE CÃO says:

      correto julio também acho apenas falácias ,veja os poodles europeus o obamis foi la para falar da russia matéria indigesta para os europeus e os europeus fizeram os americanos falarem em aquecimento global uma matéria também indigesta para muitos setores industriais americanos

      rsrs

      e depois vem uma parte da matéria falando assim ,não levaram o putin ,mas levaram um presidente africano e outro iraquiano ,que estão sendo atacados por quem pelos grupos terroristas apoiados pela CIA americana

      então acho que quem esteve certo foi os milhares de alemães que marcharam contra essa cúpula dos kaozadas

      os gringos não tem mais todo aquele controle sobre os poodles mesmo les tendo em sua maioria governantes fantoches igual o presidente francês ,o povo já desmostra não estar interessado em mentiras de esquerda e direita e sim em governos de atitude com a pátria

      pode ver esse governo do François enrolande ele é a prova de um governo vassalo alinhado aos estados unidos em detrimento dos interesses da frança

  3. 1maluquinho says:

    Sanções a Russia,num curto prazo é perda de tempo e o medio prazo é a morte da Europa.
    Questão cli,atica : Não existe consenço so romantismo.Querem fazerem algo pela preservação ambiental impedindo ascendentes de ascemnderem enquanto eles poluem,enriquecem e prosperam.
    O Califado,monstro criado por eles conclamam o mundo para destrui-lo pois se borram de medo da cagada que criaram.

    “”PATRIOTA SERVE A PATRIA SEM SE SERVIR DELA””
    Nas palavras do velhinho muitas verdades hoje deturpadas.
    Castelo Branco mandou a Marinha Americana voltar e deu ordem para desmonte rapido de base.
    Hoje vivemos po mesmo cenario,o oportunismo ideologico de direita e de esquerda e a ganancia externa.
    Guerreiro do Brasil é aquele que não se deixa levar por romantismos,ideologismos.
    Não pensa com emoção e sim cvom incondicional amor em defesa da Patria.
    Então bandidos no poder e trairas vendidos oportunistas qual de voces sera o primeiro a pegar em armas e ir pra rua derramar o sangue Brasileiro.
    Em momento oportuno todo o bumbodromo vai de ralo pois o Brasil esta acoima de tudo e para o guerreiro acima ate mesmo de Deus.
    O nosso maior patrimonio é o nosso povo e a nossa liberdade.

    https://www.youtube.com/watch?v=qWIto5xQlak

  4. 1maluquinho says:

    O videozinho que o soldadinho Americano tem medo de ver.

    http://www.liveleak.com/view?i=69fe9ab458

    Tenho tentado encontrar o video que na epoca da queda do Chinok eu encontrei no Youtube o qual alem de mostrar a aeronave recem abatida ainda mostrava a comemoração dos guerreiros enaltecendo um companheiro e seu AK47 milagroso kkkk.
    Isso mesmo a poderosa aeronave foi abatida por um AK47 e veio a vitimar todos os Seals embarcados.
    Apenas um Seal que participava da operação por terra sobreviveu ferido graças a colaboração de locais e veio posteriormente ser resgatado.

  5. 1maluquinho says:

    Donetsk, Luhansk auto-proclamado repúblicas prontas para continuar a fazer parte da Ucrânia (?)

    imagem: http://edge.liveleak.com/80281E/u/u/ll2/attention.gif

    Origem: o representante da República de Luhansk http://tass.ru/en/world/799774 no grupo de contato na Ucrânia Vladislav Deinego comentou sobre novas propostas de repúblicas não reconhecidas sobre alterações à constituição ucraniana. Moscou, 9 de junho. TASS /. Repúblicas da auto-proclamada Luhansk e Donetsk do povo (LPR e DPR) estão prontas para continuar a fazer parte da Ucrânia por uma questão de acabar com as hostilidades no Donbas, representante plenipotenciário de LPR no grupo de contato na Ucrânia Vladislav Deinego disse terça-feira, ao comentar sobre novas propostas da LPR e DPR sobre alterações à constituição ucraniana.

    “O fato de que Luhansk e Donetsk estão prontos para atender as autoridades de Kiev na metade do caminho foi anunciado agora não por nossas propostas para a constituição e nem mesmo no inverno. Foi anunciado em setembro do ano passado, na primeira reunião em Minsk, pelas repúblicas”LuganskInformCenter Deinego citado como tendo dito.

    “Os documentos assinados 5 de setembro [no ano passado] estipulam movimento nessa direção. Naquela época, apesar dos sucessos militares da milícia, por uma questão de parar o derramamento de sangue, as repúblicas concordaram em tal um compromisso enorme e

    “Parece impensável, mas pessoas que tomaram o poder em Kiev não estão prontas atender no meio do caminho de nossa integração volta na Ucrânia através da descentralização. No entanto, estamos ainda prontos para o diálogo construtivo Pacífico e a continuação desse processo,”Deinego disse.

    Na segunda-feira, representantes do DPR e LPR enviaram coordenador do subgrupo de trabalho político do grupo de contacto das propostas adicionais da OSCE Pierre Morel sobre propostas de alteração à constituição ucraniana.

    Em particular, eles sugerem que estipula que a lei ucraniana “relativa a um procedimento especial de auto-governo local em certos distritos das regiões Donetsk e Luhansk” ser válido sem limites de tempo. Também sugere-se que a função de acabar com os poderes dos chefes executivos de certos bairros com um status especial em regiões de Donetsk e Luhansk ser exclusivamente na jurisdição dessas regiões.

    Também sugere-se que a função de acabar com os poderes dos chefes executivos de certos bairros com um status especial em regiões de Donetsk e Luhansk ser exclusivamente na jurisdição dessas regiões.

    O pacote (Minsk-2) foi assinado em 12 de fevereiro de 2015 na capital da Bielorrússia, Minsk, pelos participantes do grupo de contacto em liquidação no Donbas.

    O pacote, anteriormente acordado com os líderes da Normandia quatro (Rússia, Alemanha, França e Ucrânia) em primeiro lugar, prevê uma esmagadora cessação de fogo e a retirada do armamento pesado para criar uma área de segurança na região, pelo menos de 50 quilômetros de largura.

    A reforma constitucional e a descentralização do poder na Ucrânia também estão entre as principais disposições do documento. A lei fundamental renovada deve entrar em vigor até o final deste ano. O pacote de medidas prevê que a realização, em distritos com um estatuto especial, das eleições locais, de acordo com os representantes da região e correspondendo a normas da OSCE.

    Leia mais em http://www.liveleak.com/view?i=d76_1433863316#8m677heLue8SCIBx.99

  6. ,..São msm uns idiota, a melhor maneira de vigiar o inimigo e tendo ele por perto.E assim estão levando eles a formar um bloco c o Sinos…olhem o poder desta união…Os Urso entra c tecnologia, os Chineses c suas Hordas…tás ruim e tende a ficar pior…Espero estar errado.Quem viver verá.Sds. 😉

shared on wplocker.com