Defesa & Geopolítica

Novo marco para a nova geração de radar naval da Raytheon

Posted by
amdr_ddg51_3_1021-1021x483 (1)

O Radar Air and Missile Defense oferece maiores alcances de detecção e maior precisão em relação ao / SPY-1D (V) dos Destroyers da Marinha dos EUA de hoje. Ilustração: Raytheon.

 

 

Tradução e adaptação: E.M.Pinto

O novo radar combina módulos S-band e X-band, O S-band designa-se a apoiar uma nova capacidade de defesa aérea e mísseis com tecnologia baseada na busca -horizonte do  X-band existente. O aplicativo também inclui o controlador Radar Suite (RSC) – um novo componente para gerenciar os recursos de radar e integrar com o sistema de gestão de combate do navio.

A Marinha dos EUA e a Raytheon Company estão completado a revisão crítica do projeto (CDR) do AN / SPY-6 (V) e Radar Air Missile Defense ( AMDR ). Este radar será instalado nos DDG Flight III, melhorando as suas capacidades de combate e auto-defesa. A empresa afirma que a fase de Desenvolvimento de Engenharia e Manufatura (EMD) do programa atingiu mais de 40% da sua maturidade e que os trabalhos continuam rumo a sua conclusão.

Um parcialmente preenchida, em tamanho real AMDR matriz instalada em um banco de ensaio ao ar livre. Foto: Raytheon

Um matriz parcialmente preenchida, em tamanho real  do AMDR  instalada em um navio de ensaio ao ar livre. Foto: Raytheon

Como um radar modular, construído a partir de Radar Modular Assemblies (RMA), os módulos em  blocos de construção do AMDR podem ser agrupados para formar radares de quaisquer dimensões, menores ou maiores do que os radares atualmente desenvolvidos.

Com matrizes muito maiores, o AMDR, diz-se ser pelo menos 30 vezes mais sensível do que radares configurados no DDG 51 destróieres da classe Arleigh Burke existente.

O novo radar pode lidar simultaneamente com mais de 30 vezes o número de alvos do AN / SPY-1D (V), capacitando-o a neutralizar ameaças de ataques em saturação. Utilizando-se de sistema digitais adaptável  e funcionalidade sinal / processamento de dados reprogramáveis, o radar permite que os usuários se adaptem rapidamente a novas missões ou ameaças emergentes.

Os RMAs usufruem da tecnologia Nitreto de Gálio (GaN) para otimizar o poder de detecção em um tamanho menor e utilizando menos espaço, consumindo menos energia e refrigeração que as tecnologias mais antigas. O primeiro Modelo de Desenvolvimento de Engenharia de produção do (RMA) está atualmente passando por testes na matriz piloto de redução de riscos na empresa Near Field Gama em Sudbury, Massachusetts.

“Com a validação do cliente na mão, vamos agora avançar para a fase de produção, dirigindo em direção ao final. A entrega desta capacidade é necessária para integrar os mísseis  aos radares de defesa dos DDG 51 III”,

Afirmou o vice presidente da área de negócios e sistemas  de poder naval integrados da Raytheon Kevin Peppe, vice-presidente  O sistema está programado para integrar os dois DDG  a ser financiados já em 2016.

A Raytheon está desenvolvendo o novo radar no âmbito de um contrato de US$ 385.7 milhões concedidos pela Marinha dos Estados Unidos em 2013.

Fonte: Defense-Update

 

 

 

 

 

shared on wplocker.com