Categories
Aviação China Conflitos Defesa Defesa Anti Aérea Destaques Geopolítica Inteligência Tecnologia

China tenta jammear Global Hawk para aperfeiçoar seu próprio UAV

Tradução e adaptação: Plano Brasil

Do original por: Tyler Rogoway

Supostamente a China tem tentando jammear voos do Air Force US RQ-4 Global Hawk voando sobre o Mar do Sul da China. Enquanto isso surgem novas imagens de seu próprio UAV de High Altitude longo Endurance (Hale) uma aeronave não-tripulada de fuselagem em dupla empenagem.

Global Hawk funciona tanto em UHF line-of-sight e UHF em banda Ku do satélite através de links de dados para se comunicar com a sua estação de controle em terra, que pode ser na outra metade do mundo. Por causa da grande autonomia da aeronave, e com equipes utilizando um ponto do tipo desktop e clique interface, um possível bloqueio não seria tão catastrófica quanto poderia ser para alguns tipos de aviões não tripulados. Grande parte da missão do Global Hawk pode realmente ser voada sem comandos a partir do seu elemento de controle, se necessário a aeronave pode ser programada para voltar para casa, ou demorar-se por um período de tempo (stand by) antes de retornar para a base se a comunicação de comando e controle é perdida.

A tentativa de interferir nos comandos remotos de aeronaves não tripuladas e na comunicação é uma coisa, mas empastelamento via GPS é outra questão que qualquer aeronave pode ser sofrer. Ainda assim, os aviões militares dos EUA têm alguns sistemas que protegem contra esse tipo de ameaça, incluindo sistemas de navegação inercial sensíveis que tenham o software para detectar discrepâncias de posição dentro de suas unidades de GPS embutidos e desconsiderar as leituras errôneas como programado.

Como as potenciais capacidades inimigas evoluem, como o empastelamento e os sinais de GPS spoofing, uma melhor lógica de filtragem foi aplicada para neutralizar estas medidas inimigas, embora alguns sistemas continuam a ser mais suscetível a pequenas mudanças na coordenadas GPS ao longo do tempo do que outros.

A tentativa de jammear Global’s Hawks voando alto sobre as construções de ilhas no Mar da China do Sul é apenas mais uma escalada no que se tornou um “problema”, previsível e que em pouco tempo pode deteriorar as relações americano-chinesas.

Recentemente uma aeronave da US NAVY foi alertada por militares chineses de que estariam voando sobre uma zona de identificação arbitrária perto de seu crescente império ilhas feitas que estão em construção. A Marinha Chinesa é muito ativa em torno destas ilhas e apesar de não terem mísseis anti-aéreos ou caças mobilizados na área a força de superfície garante que está pronta para se defender.

Tudo isso levou as autoridades norte-americanas a finalmente falarem abertamente e sem rodeios sobre as reivindicações extra-territoriais da China. Isso criou uma nova era de influências na região, e poderá sem dúvida empurrar poderes regionais menores a se alinhar mais estreitamente com os EUA ou a China. Esses movimentos só vão aumentar ainda mais as tensões se alguns esforços diplomáticos sérios não foram postos em prática para conter ambos os lados nesta escalada militar.

Sobre o caso em questão, o próximo chefe do Comando do Pacífico dos EUA, o almirante Harry Harris, foi direto e tendo inclusive chamado as ambições extra-territorial da China de “absurdo” e “escandaloso” em uma entrevista recente para o Times :

“Eu tenho sido crítico a China para um padrão de ações provocativas que eles começaram no passado recente. Como declarar unilateralmente uma zona de identificação de defesa aérea sobre o Mar da China Oriental, o estacionamento de um plataforma de petróleo móvel ao largo da costa do Vietnã, e sua falta de clareza sobre sua reivindicação ultrajante – afirmação absurda, realmente – a de requerer 90% do Mar da China do Sul . Todos esses exemplos, penso eu, são inconsistentes com as leis e normas internacionais. Eles fazem com que os vizinhos da China fiquem nervosos, aumentam as tensões na região, e acho que eles estão desestabilizando a paz na região … Eles têm fabricado ilhas lá em um ritmo alucinante apenas nos últimos meses. Eles criaram cerca de 2.000 hectares dessas ilhas artificiais. Isso é equivalente a cerca de 1.500 campos de futebol, e eles ainda estão indo … Eles também fez enormes projetos de construção em ilhas artificiais para o que são claramente, em meu ponto de vista, fins militares, incluindo, grandes pistas de pouso e portos. “

Ao que parece, a China já começou a militarizar suas novas ilhas, com peças de artilharia motorizadas que estão presente em pelo menos uma delas. Este é apenas o começo do que quase certamente irá tornar-se uma série de fortalezas para o mar. Espera-se complexos de bases aéreas, sistemas de mísseis superfície-ar, sistemas de mísseis anti-navio e mísseis de ataque de cruzeiro. É por isso que confrontar a China agora sobre este tema tumultuado faz muito mais sentido do que quando eles já tenham endurecido a área com armamentos que impeçam o acesso.

Enquanto isso, a China continua a trabalhar em seus próprios sistemas de aeronaves não tripuladas de longa resistência a alta altitude. Estes sistemas foram desenvolvidos com melhor tecnologia da década, com características exóticas como o diamante / tandem-wing “Soaring Dragon” que foi testado no passado. No entanto, o maior e mais recente projeto da China, supostamente construído pela Shenyang Aircraft Corporation e apelidado de “Eagle Divine”, apresenta enorme fuselagens e um canard a frente. Isto indica que a aeronave terá mais volume de sensores e sistemas de comunicações do que o que um único desenho fuselagem poderia acomodar.

A Eagle Divine (Águia Divina) ao que indicam os primeiros rumores dão conta de ser uma plataforma multi-função, capaz de Ampla Área de Vigilância Marítima (Broad Area Maritime Surveillance – BAMS) em papel semelhante como o novo drone da Marinha MQ-4C Triton, bem como atuando como um nó de rede, plataforma radar ar-ar .

Vendo como o espaço é um campo de batalha emergente em si, com as comunicações via satélite sendo potencialmente vulneráveis ​​durante um conflito nas proximidades, um esquadrão de High-Flying Eagles Divines poderiam estabelecer comunicações ’em cadeia’ em torno de um teatro e, possivelmente, de volta para o continente chinês. Isto seria bastante degradante, um comando de longa distância e capacidade de controle da China e interromper o seu ciclo de decisões seria uma tarefa mais desafiadora do que cegar seus satélites, além de ser um recurso especialmente útil, porém complicado, considerando as extensões enormes de Teatro do Pacífico.

Acima de tudo, uma aeronave não tripulada chinesa a operar no papel BAMS é crítico para a China pois ele funcionaria como um capacitador de longo alcance para os principais sistemas anti-acesso, como o míssil balístico antinavio DF-21D. Radares estratégicos (Over-the-horizon) poderiam ser destruídos e/ou terem funcionamento interrompido sob certas condições. No entanto, uma aeronave de resistência a longo voando alto e portando um radar poderoso poderia representar uma ameaça muito maior do que é hoje.

Como os EUA continuam sua tentativa de serem “pivot no Pacífico” e agora que a roupa suja está sobre a mesa, por assim dizer, vai ser interessante ver ambos os lados se posicionam pela supremacia naval. Quanto à possibilidade de um conflito entre os dois gigantes econômicos? É possível. Aqueles que pensam que os conflitos convencionais limitados entre grandes potências nunca vão acontecer por causa da chance de tropeçar uma guerra nuclear ou por causa da ideia de destruição econômica mutuamente assegurada pode muito bem ser provado errado nas próximas décadas, embora vamos esperar que elas não sejam.

Fonte: Foxtrot Alpha

21 replies on “China tenta jammear Global Hawk para aperfeiçoar seu próprio UAV”

helveciofilhosays:

Essas ilhotas artificiais que a China cria da noite para o dia, deve ter uma estupenda engenharia, envolvendo a engenharia ambiental, civil pois se não, a força das correntes marítimas e do vento vai tragá-la em pouco tempo más até lá, a China finca de uma vez e de goela a baixo nos países a sua volta, a sua projeção marítima no mar da China e nem os popeys por mais pretensos que sejam conseguirão evitar.
.
Já a tecnologia para jamear as vants americana bem, isso já está mais do que comprovado que os chinese tem assim como os russos, um bom exemplo disso foi com o RQ-170 Sentinel , onde na época muitos americanófilo diziam que eram mentira até que um belo dia viram o Obama com os olhos cheios d’água implorando aos iranianos o aviãozinho de volta . 😉
.
E com relação ao Hale chinê realmente é magnífico e assim como a sua capacidade de neutralizar os satélites americano, a espinha dorsal de toda a força armada americana.
.
A dobradinha entre os chineses e russo nem de longe, em qualquer tipo de operação bélica que se tenha, em especial a convencional, essa dubla é imbatível, se os EUA e a OTAN podiam fazer o que queriam no mundo, hoje acabou com a aliança estratégica entre a Russia e a China.
.
. E por falar na Rússia.
.
********************
.

MILITAR PRESIDENTE DA COMISSÃO OTAN ADVERTE :: _ Rússia poderá ocupar os países bálticos em 2 dias caso ela queira
.
(*) fonte: [ noticia-final.blogspot.com.br/2015/05/militar-presidente-da-comissao-otan.html ]
.
.
(…) Gen. Checo Petr Pavel, que está programado para se tornar presidente em junho, alertou em 27 de maio que Moscou será capaz de conquistar os três Estados Bálticos da Estónia, Letónia, Lituânia e num prazo de dois dias, mesmo apesar de a adesão à OTAN dos ex-repúblicas soviéticas, de acordo para o site de notícias CTK Checa.
.
Esta é em grande parte devido à complexidade do processo de tomada de decisões da OTAN, juntamente com a pequena área geográfica dos países bálticos. Rússia poderia tirar proveito de estrutura de comando relativamente lento da OTAN guerra relâmpago entre os três países em questão de horas.<i."Por um lado, uma das [NATO's] desvantagens é o seu complexo processo de tomada de decisão.(…)
.
.
*****************
.
.
A Rússia e a sua tecnologia ultrapassada do século passado da década de 60 parece que ainda causa arrepios nos generais americanos. 😉
.
.

helveciofilhosays:

VEM AÍ O NOVO ” INCIDENTE NO GOLFO DE TONKIN” ?
.
Incidente do Golfo de Tonkin é o nome dado a dois incidentes separados por dois dias envolvendo as forças navais dos Estados Unidos e possivelmente da República Democrática do Vietnã (Vietnã do Norte) nas águas do Golfo de Tonkin, costa vietnamita, em agosto de 1964.
.
Este incidente foi usado como pretexto pelo governo norte-americano para iniciar ações militares contra os norte-vietnamitas e marca o começo do envolvimento dos Estados Unidos na Guerra do Vietnã.

.
(*) fonte: [ anovaordemmundial.com/2015/05/vem-ai-o-novo-incidente-no-golfo-de-tonkin.html ]
.
(…) Em 1964, Johnson usou essa ficção e grave distorção da verdade, para conduzir a opinião pública a favor de o Congresso aprovar a “Resolução do Golfo de Tonkin”. Essa resolução serviu às mesmas finalidades, para as guerras dos EUA no sudeste da Ásia, a que servem hoje as Autorizações para Uso de Força Militar que Obama pede ao Congresso.(…)
.
.
********************
.
Na guerra espanhola-americana o governo usou um incidente de um navio americano que afundou, muito mal explicado na época, para declarar guerra a Espanha … isso sem falar do fatídico 11 de setembro de 2001 das torres gêmeas e quem pagou o pato até hoje foi os iraquianos … também até hoje muito mau explicado. 😉

“”Estados Bálticos da Estónia, Letónia, Lituânia “””

Típicos adversários da Mãe Rússia.
Só os poderosos…

PÉ DE CÃOsays:

deagol esses países são a linha de frente apenas isso

se a otanzinha falou que dura dois dias das duas uma ou eles querem reforçar e por isso estão falando isso ou é a realidade mesmo e eles querem reforçar de qualquer jeito

rsrs dois dias e nenhum oficial de dez estrelas desses países se manifestaram contra esse pronunciamento ridículo desse porcaria da otan ,então para mim eles não duram é duas horas

essa é a real

sobre se achina consegue ou não raketar o drone americano acho que eles já fizeram isso faz algum tempo já

Agora que Putin inventou uma lei para esconder o número de soldados russos mortos em combate (Ucrânia) talvez eles até possam invadir a lituânia ou alguma outra superpotência.

Podem invadir, sabemos como isso termina, mas dessa vez será banco com o banco da China e não pedindo dinheiro emprestado para o FMI como fizeram antes

PÉ DE CÃOsays:

é mesmo e você acha que quando um laranjeira morre nos rincões da amazonia o eb solta alguma notinha

rsrs sabe de nada inocente !!!!

precisa a família ir atrás e sumariar senão some na neblina ,isso se tiver

Por que escreve se não tem nada para dizer?

Todas as discussões leva a um ponto, a próxima guerra entre potências será espacial, neutralizou os satélites, pode se render.

PÉ DE CÃOsays:

eu vou mais além e gostei do seu comentário percebeu o que vai acontecer em um futuro próximo sobre forças armadas

o futuro sera como antigamente ,no peito a peito depois de essas potencias se anularem entre si

veja os três já estão com tecnologia para silenciar os satélites um do outro

eu digo isso pois se essas noticias estão repercutindo então eles já fazem isso a anos

no final o fuzil o fogo da metralha vai ser a arma ideal ,

,..O Chinese vão conseguir jamemar um UAV ianks…então, vão dominar os céus do sul da China…quem viver verá. .questão de tempo…p amanhã.Quem viver verá. Sds. 😉

Julio Brasileirosays:

A China faz o que os States fizeram e fazem, o que os Russos fizeram e fazem, o que os Ingleses fizeram e fazem, o que os Alemães fizeram e fazem, o que os Franceses fizeram e fazem, o que os japoneses fizeram e fazem, enfim todos os paises com estofo tecnologico e ambição fizeram e fazem. O Brasil, por seu capachismo e covardia associada é um que prefere entregar seus parcos conhecimentos e aceitar a imposição de contratos pensados por uma coalizão de desonestos com poder de ditar normas para os fracos, omissos e covardes.

Seria mais barato e seguro o BRASIL, por meio da EMBRAER, desenvolver uma linnha de drones para patrulhar as águas da costa, pelo ar, em tempo integral. Esses com capacidade busca e de lançar botes infláveis em alguns casos e de ataque lançando misseis, minas e torpedos. Ao invés de queimar grana em porta-aviões sucata, pragmatismo…

Julio Brasileirosays:

A Embraer não é mais uma empresa brasileira. Se aproveita sim de um logo criado no tempo que foi constituida como estatal. Mas hoje não responde e não co-responde quando se trata de interesses nacionais. É mais uma multinacional que responde a interesses de fora do Brasil, uma dessas que reforçam nosso estigma de ser quintal.

O que temos mais próximo de empesa brasileira no ramo é a EMBRAR e a culpa não é dela de não ser mais brasileira ainda, poderia ser se recebesse mais contratos no BRASIL , mas ela não vive de intenções e procura os contratos onde é mais promissor nos EUA que compram metade da produção, além disso eles cobram menos impostos e tem mão de obra sobrando. Isso em geral, o que seria companhias russas, europeias, chinesas, japonesas se os governos locais não contratassem seus serviços e comprassem seus produtos. Nosso problema é local também.

Julio Brasileirosays:

Não me referi a serviços me referi a propria formação acionária. Empresas estrangeiras detêm hoje, aqui no Brasil, o poder de decidir as questões de interesse nacional. Infelizamente até as empresas brasileiras, diferentes das emresas estrangeiras, se acham sem compromissso com o estado brasileiro. Nos States, por exemplo, apesar de toda a propaganda vendida de liberdade comercial, o estado americano impõe restrições as suas empresas para sigam em conformidade com seus interesses estratégicos. Lá apesar dos tontos nacionais não enxergarem, o estado americano faz valer cada centavo dos impostos de seu povo na proteção de seus interesses, apesar de venderem a balela protecionista, de forma matreiramente politica, nos outros. É um dos estados mais protecionistas do mundo e que fazem politicas protecionistas. Por isso acredito que não tenha entendido o teor de minha critica, que posiciona minha incomprenssão com um grupo que não tem qualquer empatia ou solidariedade a nós brasileiros, que apenas mantem relação de interesse estratégico. Certo está o estado brasileiro quando não se deixa levar por um sentimentalismo unilateral. Sds.

Nesse caso os acionistas estão de mãos atadas também. Se o BRASIL fosse um grande mercado absorvendo a maior parte da produção e a EMBRAER usasse aviônica e motores nacionais desagradando europeus e americanos, um acionista, americano, brasileiro ou inglês por exemplo, estaria bastante feliz se seus ganhos fossem bem positivos e nem ligaria. O problema é que o maior mercado da EMBRAER é na América e a aviônica e motores vêm de lá ou de seus aliados e um acionista não vai querer ver desagradado seu principal cliente e fornecedor de partes. E como meu pequeno comércio, não quero desagradar meu cliente e nem meu fornecedor porque fico sem vender e sem mercadoria pra vender. Pra reverter isso e ter uma empresa aeronáutica voltada para os interesses nacionais, prioritariamente, o mercado interno deve absorver uma parte significativamente grande da produção, suficiente para manter a empresa por si só. Isso incluindo compras governamentais para defesa. Assim se pode investir com segurança no país e ir nacionalizando os componentes como motores e aviônica criando empresas complementares ou incentivando seu surgimento para fornecer ao mercado interno e até exportar em uma segunda etapa. É uma escalada ode você vence uma dificuldade por vez. Assim os acionistas riem atoa e não vão querer desagradar seus clientes brasileiros.

helveciofilhosays:

Senhor jnpnhr,
.
Os Drone é uma mina de ouro … já imaginou em presas de transporte aéreo de carga fazer isso com Drones ?
.
Empresas que dariam o suporte como em receber esses Drones, retirar a sua carga, dá suporte técnico como combustível e verificação, assim como aquelas empresas que jameariam tais Drones da sua origem até ao seu destino … como o senhor pode vê, há um grande mercado promissor por trás dos Drones … que penas que a maioria dos empresários tupiniquins ( a nossa elite ) não tem uma visão estadista.

Qunto aos drones, jammear é gerar interferência, o que pode ser superado técnicas anti-jamming. Aliás jammear pode ser qualquer ruido que prejudique uma troca de informações, uma britadeira jammea uma conversa, o motor da moto jammea o sinal de rádio por exemplo. Mas esses drones já são sucesso e nos EUA tem ganhado aprovação do público, só falta resolver o nosso problema local, os contratos, porque como disse as demandas que eles geraram provem grandes oportunidades, economicamente e tecnologicamente falando.

1maluquinhosays:

Senhoras e senhores.
Eu temo que aconteça u8m novo Pearl Harbor – Panetta
kkkkkkkk
Panetta o cagão kkkk Kerry o panaca kkkk
Os caras estão se virando do jeito que podem para esplharem alvoroços,disseminarem intrigas e discirdias e nada disso esta surtindo efeito nenhum.
Enquanto isso do outro lado estão se ajeitando no sapatinho kkkk
Comprem pipocas de microndas,refrigerantes,laxantes,penicos e preparem-se,porque o melhor ainda eta por vir.
Vejmos então quando a China começar a se movimentar e usar não somente seu poderio belico mas tambem economico kkkk aiaiai falido vai pedir penico kkkk e a Russia vem so descendo a borduna kkkk
Incapazes de aceitarem diferenças e intolerantes esqueceram-se que Deus odeia o soberbo e por isso estão na merda.
Quando o caldo realmente engrossar e quiserem pedir penico ja era porque o tempo do entendimento eles jogaram fora.
Depois chamem o mundo de barbaro,de comunista.
São seculos e seculos de corasrismo desenfreado contra nações e póvos desfavorecidos por eles perseguidos.
Não restara um milionésimo de espaço monde assente-se uma molecula de poeira.

Comments are closed.