Defesa & Geopolítica

O pesadelo da perda da Amazônia existe, e agora tem mapa, programa e justificativa

Posted by

Por Rogério Maestri

Quando alguém fala da pretensão de países do primeiro mundo através de causas ambientais em se apropriar da Amazônia é chamado de paranoico, psicótico e defensor de fazendeiros e madeireiros. Falava-se muito de um mapa norte-americano em que a Amazônia já era considerada uma grande reserva ambiental, porém dados reais sobre esta ameaça eram quase uma lenda urbana do que qualquer outra coisa, porém nos dias atuais chega uma proposta de internacionalização da Amazônia com mapa, proponente e superfície, o chamado Corredor Ecológico Triplo A.

O presidente colombiano Juan Manuel Santos, presidente do único país da América do Sul que possui bases das forças armadas norte-americanas (sete ao todo, Palanquero, Apiay, Malambo, Cartagena, Tolemaida, Larandia y Bahía Málaga) e recebe de ajuda militar dos Estados Unidos simplesmente para combater as drogas propôs um “ambicioso programa” de criar o chamado Corredor Ambiental Triplo A na América do Sul.

O que significa este Corredor Ambiental Triplo A? Simplesmente um corredor que daria continuidade entre os Andes até o Atlântico passando pela Amazônia. Certo, segundo definição da Wikipédia um “Corredor ecológico ou corredor de biodiversidade é o nome dado à faixa de vegetação, que podem ter por objetivo ligar grandes fragmentos florestais ou unidades de conservação separados pela atividade humana (estradas, agricultura, clareiras abertas pela atividade madeireira, etc.), possibilitando o deslocamento da fauna entre as áreas isoladas e, consequentemente, a troca genética entre as espécies e a dispersão de sementes.”

Da definição de corredor tem-se: Passagem estreita e alongada; galeria; caminho coberto. Ou seja, um corredor é uma passagem estreita não LARGA para a passagem. O corredor proposto pelo Presidente Santos teria a largura dentro do Brasil variando de 50 km junto a Venezuela que neste caso cederia do seu lado mais 50 km, e nas partes mais largas no Brasil teria 500 km, ou seja, seria mais largo do que os mais compridos corredores ambientais do mundo.

É importante ressaltar que a expressão Corredor Ambiental não se aplica a esta área, pois corredores ambientais são, como induz o nome, áreas compridas e estreitas que ligam duas ou mais áreas de preservação que estão separadas e as espécies que estão restritas nestas áreas por endogamia poderiam sofrer processos de degradação. No caso da Amazônia os parques e as reservas ambientais são tão extensos que geralmente não necessitam corredores interligando-as.

A ideia deste corredor monstro partiu da ONG Gaia Amazônia, (http://gaiaamazonas.org/) que apresenta um belo site em inglês e espanhol, português parece que não é muito necessário pois somente 61% do corredor ficará dentro do Brasil, numa área equivalente a 3,7 vezes o estado de São Paulo!

Esta Fundação Gaia Amazônia é uma filial da Gaia Foundation, estreitamente vinculada à Casa de Windsor, a família real britânica, tendo no seu conselho de curadores de quatro membros, Jules Cashford escritora, palestrante e autora de livros sobre mitologia, Edward Posey ex-piloto da RAF trabalhou para o National Service inglês (órgão responsável pelo recrutamento militar) e um tempo depois se viu emocionado com a situação do mundo que dedica os últimos trinta anos de sua vida a atividades filantrópicas como a de imiscuir nos países do terceiro mundo, recebeu a Ordem do Império Britânico (OBE) por serviços ao governo inglês na Gaia Fondation (está assim no seu currículo no site!), além de um engenheiro norte-americano ainda temos a Marquesa de Worcester, a conhecida Marquesa Verde. Ativista social e ambiental e a última causa que ela abraçou em 2013 é a de que as nobres inglesas possam guardar os seus títulos de nobreza através da linha feminina, algo extremamente importante para o movimento feminista internacional.

A ideia deste projeto é unificar todas as áreas indígenas para que nelas sejam introduzidas o conceito de AATIs – Associations of indigenous Tradicional Authorities, um conceito de autogovernação das tribos indígenas sob a orientação da Gaia Fondation (fica implícito), pois segundo “É um único modelo de responsabilidade compartilhada para a proteção da floresta amazônica.” (Só não dizem com quem que será compartilhada esta responsabilidade).

Esta sugestão vai ser levada pelo Presidente Santos para COP 21 em Paris, objetivo, salvar o mundo do aquecimento climático.

Este plano já é divulgado em toda a imprensa internacional e aqui no Brasil a repercussão não existe.

Mais informações em:

http://wp.presidencia.gov.co/Noticias/2015/Febrero/Paginas/20150216_02-C…

http://www.gaiafoundation.org/news/gaia-amazonas-inspires-climate-change…

http://www.dw.de/planning-the-worlds-largest-protected-area/a-18271572

http://latino.foxnews.com/latino/news/2015/02/14/colombia-proposes-world…

http://www.wildlifearticles.co.uk/colombia-plans-ambitious-worlds-larges…

Fonte: GGN

62 Comments

  1. Pingback: O pesadelo da perda da Amazônia existe, e agora tem mapa, programa e justificativa | DFNS.net em Português

  2. ,..Ee e mt outros estamos há anos falando dessa possibli// real de invasão…e só olhar os fatos no passado ñ tão distante p vermos q esse perigo é real e verdadeiro…estamos em guerra há mt anos o inimigo está prestes a mostrar a cara…se cuida BRASIL e na pax q se prepara a guerra….Contingência/ TrágicoSds. 🙁

    • A Máquina Troll says:

      a décadas se há uma preparação para o cenário/terreno senhor giancarlos….é um trabalho extensivo e metódico de longo prazo…cujo o objetivo é o convencimento das massas(inclusive as daqui deste pais, que diga-se de passagem veem apresentando ótimos resultados entre as militâncias de direita/classes medias) e da comunidade internacional…por em ação o famoso dividir para conquistar…colocar os povos indígenas contra o pais/povo daqui e vice versa semeando a discórdia….. o sentimento de hostilidade e separatismo entre ambos…movimentos “anti índio” são constantemente e sutilmente incentivadas entre a população daqui….o mesmo é feito entre os índios para incutir o separatismo…então as movimentações se dão tanto dentro daqui como fora…

    • helveciofilho says:

      Sr.giancarlos argus
      .
      .
      Muitos grupelhos que hoje procuram sabotar este pais com o intuito de paralisá-lo, os mesmo que inundam o email da embaixada americana pedindo a intervenção militar deles neste pais; fazem peregrinação em Miami ou em Nova Iorque para falar mau do pais nas lojas de grife e nos simpósios … se depender desse exército de paneleiros com ideias de um subserviente de um canídeo, este pais vira uma imensa Ucrânia comandada por uma elite proto fascista do jeito que os coXinhas gostam.

      • helveciofilho says:

        OBS :
        .
        No mapa, a Venezuela bolivariana fica quase ilesa ..rsrsrsr .. bem diferente da Colômbia uribevariana … hahahahah ….. 😉

  3. ARC says:

    Estava demorando, mas pelo menos isso podemos esperar de bom do governo petista, não jogarão a toalha quanto a isso, mas tbm espero mudanças reais no cuidado com a Amazonia.

    • A Máquina Troll says:

      Estado de São Paulo – 25 de maio de 2008

      A Amazônia Tem Dono

      “A Amazônia não está à venda”, disse o ministro de Relações Exteriores, Celso Amorim, numa reação às investidas cada vez mais freqüentes e mais abusadas de quem questiona os direitos do Estado brasileiro sobre seu território. “Queremos preservar nossa soberania”, acrescentou, recorrendo a uma noção usada há poucas semanas pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva durante a visita da primeira-ministra alemã, Angela Merkel.

      A preservação da floresta, afirmou o presidente naquela ocasião, é uma responsabilidade soberana do Brasil. As palavras de Lula passaram quase despercebidas, assim como o absurdo da situação: por que deveria um presidente brasileiro dar satisfações a uma autoridade estrangeira sobre a política nacional para a Amazônia ou para qualquer outra região?

      A “elite oligárquica” internacional está incomodada com a ascensão do Brasil como ator relevante, disse o chanceler brasileiro numa exposição a representantes do País no Parlamento do Mercosul. “Há resistências e vamos ter de nos acostumar com isso”, acrescentou. Mas a tese do ministro não dá conta de todo o problema.

      A emergência do Brasil, como a da Índia e a da China, pode provocar reações adversas, mas o debate sobre a Amazônia vai muito além disso. Começou bem antes de surgir a sigla Bric (Brasil, Rússia, Índia e China), inventada por um economista para designar quatro países destinados, segundo seus cálculos, a ocupar posições de extrema relevância no século 21.

      A conversa sobre internacionalização da Amazônia começou há décadas. No Brasil, poucos a levaram a sério até há pouco tempo e muitos ainda não lhe dão importância.

      No dia 18 de maio, o New York Times publicou reportagem com o título Afinal, de quem é esta floresta tropical? O texto é basicamente descritivo, mas aponta como “bem estabelecida” a tese da “importância global” da Amazônia como reguladora do clima.

      O autor lembra um comentário feito em 1989 pelo senador Al Gore, depois vice-presidente dos Estados Unidos e ganhador, em 2007, do Prêmio Nobel da Paz: “Ao contrário do que pensam os brasileiros, a Amazônia não é sua propriedade, mas pertence a todos nós.” Gore visitou o Brasil no ano passado e ninguém lhe cobrou as palavras ditas quase 20 anos antes.

      Tomada pelo valor de face, aquela declaração não é só uma insolência, mas um gesto hostil. No mesmo ano o presidente da França, François Mitterrand, tirou uma conclusão famosa de sua tese sobre o “direito de ingerência”: “O Brasil precisa aceitar uma soberania relativa sobre a Amazônia.”

      Descartados como irrelevantes pelas autoridades brasileiras, abusos desse tipo multiplicaram-se. Há dias, o jornal britânico The Independent comentou num editorial a renúncia da ministra Marina Silva, propôs um programa conjunto de preservação da floresta e concluiu: “Essa parte do Brasil é importante demais para ser deixada aos brasileiros.”

      Ninguém se iluda: não faltarão governos, políticos, organizações não-governamentais (ONGs) e grupos de comunicação dispostos a apoiar de forma cada vez mais aberta e mais articulada a interferência no território brasileiro. Muitos desses grupos já atuam no Brasil e agem sem o mínimo controle na Amazônia, como já foi indicado por testemunhos de militares, técnicos e políticos, como o deputado Aldo Rebelo.

      Ninguém sabe com segurança a quem servem as ONGs, missões de igrejas e outros grupos atuantes na região. Há evidências de sobra para justificar, sem qualquer fantasia conspiratória, as mais sérias preocupações.

      A preservação da Amazônia, como a de todos os demais ecossistemas brasileiros, tem de ser uma preocupação de primeira ordem para todos neste país, mas não é assunto para interferência de grupos privados internacionais ou de potências estrangeiras.

      Para deixar bem claro esse ponto, o governo deveria, desde logo, abandonar qualquer conversa sobre financiamento de outros países para políticas de conservação. Aceitar financiamentos de governos ou de grupos estrangeiros é uma forma de encorajar a interferência. O Brasil pode e deve assumir compromissos multilaterais de preservação ambiental. Isso vale para todos.

      Mas o governo dos Estados Unidos, a potência mais poluidora do planeta, rejeitou o Protocolo de Kyoto. Alguém falou em internacionalizar alguma fração do território americano?

  4. Guga says:

    Parece que incluíram uns 40% do território colombiano, pode isso?

    • luiz anselmo pias perlin says:

      Guga isto é jogada SE NÓS PODEMOS CEDER 40% DO NOSSO TERRITÓRIO PORQUE VOCES ( BRASIL) NÃO PODEM CEDER 5% do teritorio de voces pelo bem do planeta SÓ QUE NÓS SABEMOS QUE NÃO É BEM PARA O BEM DO PLANETA E SIM DE MEIA DUZIA DE PAISES GANANCIOSOS.

      • A Máquina Troll says:

        pois é senhores…todos nós sabemos aqui que aquela Colômbia é um fantoche de “forças ocultas”…..onde até bases tem por lá….bem do lado da nossa Amazônia…é um pais completamente tomado como a Ucrânia hoje…

  5. Evandro sousa says:

    não podemos permitir que isso aconteça a cobiça estrangeira em nosso território
    é antiga e devemos dar um basta nisso de uma vez por todas

    • A Máquina Troll says:

      “Ao contrário do que os brasileiros pensam, a Amazônia não é deles, mas de todos nós. Oferecemos o perdão da dívida externa em troca da floresta”. Al Gore (Vice-Presidente dos EUA, 1989)

      “O Brasil precisa aceitar uma soberania relativa sobre a Amazônia”. François Mitterrand (Presidente da França, 1989)

      • A Máquina Troll says:

        “Caso o Brasil resolva fazer uso da Amazônia, pondo em risco o meio ambiente nos Estados Unidos, temos que estar prontos para interromper este processo imediatamente”. General Patrick Hugles (Diretor da Agência de Inteligência de Defesa dos EUA, 1998)

      • A Máquina Troll says:

        “A floresta amazônica e as demais florestas tropicais do planeta deveriam ser consideradas “bens públicos mundiais” e submetidas a uma gestão coletiva pela comunidade internacional”. Pascal Lamy (Comissário de Comércio da União Européia, 2005).

        “Obviamente, existem problemas de soberania, mas o desmatamento é um assunto enorme… e qualquer plano, mesmo que seja radical, é digno de ser avaliado”. David Miliband (Ministro do Meio Ambiente do Reino Unido, 2006)

  6. luiz anselmo pias perlin says:

    Eu sempre alertei sobre este fato e tambem sempre falei do porque sou a favor do Brasil construir armas nucleares E SOBRE O AZAR DO MAIS FRACO QUE CONSISTE NA UNIÃO DOS MAIS FORTES CONTRA ELE,mas isto é um problema de facil solução construir e detonar uma ogiva nuclear o recado sera dado e os zoiudos retrocederam e se comesarmos a fuzilar os politicos coruptos e traidores vai sobrar dinheiro para nos prepararmos MAS ALERTO TEM QUE SER O QUANTO ANTES ESTAMOS ATRASADOS.

    • A Máquina Troll says:

      Se demonstras força, todos
      querem ser teus aliados.

      Ao contrário, se mostras fraqueza,
      ninguém te dará importância.

      E, se tendo riquezas, não demonstras
      força, atrairás sobre tua cabeça
      todas as ambições do mundo.

      (Ciro, Rei da Pérsia)

      • 1maluquinho says:

        Prefiro a citação de Leonidas,rei de Esparta : ” Sem prisioneiros,sem sobreviventes.Um bom começo.”

  7. Alisson Silva says:

    Pois é senhores, um assunto que não houvia-mos a muito tempo, e que também não descartáva-mos as hipóteses. Sabemos muito bem que o Brasil não consegue administrar a região norte, e muito mais defende-lo. Se for acontecer uma ação militar na região, não vai adiantar de nada termos os melhores combatentes de selva mundo, basta colocar os aviões na região que os caças da F.A.B já ficam pra trás.

    Segue um texto de http://www.defesabr.com/MD/md_amazonia.htm
    “Se os países subdesenvolvidos não conseguem pagar suas dívidas externos, que vendam suas riquezas, seus territórios e suas fábricas”. Margareth Thatcher (Primeira-Ministra do Reino Unido, 1983)

    “Ao contrário do que os brasileiros pensam, a Amazônia não é deles, mas de todos nós. Oferecemos o perdão da dívida externa em troca da floresta”. Al Gore (Vice-Presidente dos EUA, 1989)

    “O Brasil precisa aceitar uma soberania relativa sobre a Amazônia”. François Mitterrand (Presidente da França, 1989)

    “O Brasil deve delegar parte dos seus direitos sobre a Amazônia aos organismos internacionais competentes”. Gorbachev (Último Presidente da URSS, 1992)

    “Caso o Brasil resolva fazer uso da Amazônia, pondo em risco o meio ambiente nos Estados Unidos, temos que estar prontos para interromper este processo imediatamente”. General Patrick Hugles (Diretor da Agência de Inteligência de Defesa dos EUA, 1998)

    “A floresta amazônica e as demais florestas tropicais do planeta deveriam ser consideradas “bens públicos mundiais” e submetidas a uma gestão coletiva pela comunidade internacional”. Pascal Lamy (Comissário de Comércio da União Européia, 2005).

    “Obviamente, existem problemas de soberania, mas o desmatamento é um assunto enorme… e qualquer plano, mesmo que seja radical, é digno de ser avaliado”. David Miliband (Ministro do Meio Ambiente do Reino Unido, 2006)

    Que esta Nação acorde realmente!

  8. luiz anselmo pias perlin says:

    Há mais uma coisinha em caso de um conflito acreditem os EUA estam planejando isto faz tempo e a Colombia vai entrar nesta jogada pensando em lucrar MAS ACREDITEM NO FINAL ELES PERDERAM E A COLOMBIA PERDERA METADE OU MAIS DE SEU TERRITÓRIO PARA O BRASIL SÓ QUE CUSTARA 3/4 DA POPULAÇÃO COLOMBIANA ISTO JÁ É HISTORIA.

  9. luiz anselmo pias perlin says:

    Não se asustem caso a França recue no projeto do sub Nuclear se isto acontecer teremos de acelerar o passo para defender o Brasil

  10. Araujo says:

    Já estána doutrina militar da Russia a estratégia de desestabilizar o país de dentro pra fora, através de ideias implantadas por ONGs e veiculos de mídia.

    http://www.publico.pt/mundo/noticia/putin-promulga-lei-que-proibe-a-presenca-de-ong-indesejaveis-na-russia-1696728

    No contexto brasileiro é obvio que está sendo implantado na Amazonia, e o governo brasileiro tem grande contribuição nisso. Por termos abandonado a Amazonia, nós foi quem deixamos o vacuo para as ONGs internacionais preencherem.

  11. Pantaneiro says:

    Começa a movimentação contra a ferrovia ligando o Atlântico ao Pacífico
    25.05.2015
    Começa a movimentação contra a ferrovia ligando o Atlântico ao Pacífico. 22233.jpeg
    Os diversos grupos ambientalistas espalhados estrategicamente pelo mundo já começaram a se movimentar. Todas elas ligadas aos grupos econômicos internacionais que as mantem com ajuda financeira, para criar entraves em lugares onde tais desenvolvimentos vão de encontro aos seus interesses.
    Saiu na BBC (que já foi uma empresa seria), uma extensa matéria sobre os danos que causará ao meio ambiente a ferrovia que o governo brasileiro quer construir com dinheiro chinês.
    Os diversos grupos ambientalistas espalhados estrategicamente pelo mundo já começaram a se movimentar. Todas elas ligadas aos grupos econômicos internacionais que as mantem com ajuda financeira, para criar entraves em lugares onde tais desenvolvimentos vão de encontro aos seus interesses.
    O Brasil quer construir uma estrada, eles gritam. O Brasil quer um porto, é a mesma ladainha.
    Agora já estão treinando nossos índios e entidades ambientalistas para se posicionarem contra a ferrovia.
    O agronegócio desmata e a chiadeira não é ouvida, pois a Bunge, Cargill e mais outras duas, são os principais doadores dessas ONGs malditas.
    A mesma coisa já esta acontecendo com o canal interoceânico que liga o Atlântico ao Pacífico pelo território da Nicarágua, uma construção bancada pela China e pela Rússia.
    Governo norte americano já entrou em ação temendo que o novo canal, mais largo e profundo, deixe obsoleto o canal do Panamá e os amestrados da mídia já começaram com a “ladainha” do impacto ambiental e ai entram elas, as ONGs de fachadas que atuam junto aos nativos nicaraguenses para barrar ou dificultar a execução da obra.
    Nos anos 70 as florestas do sudoeste da Ásia (Laos, Camboja e Vietnã) foram dizimadas pelos EUA com o agente laranja, cuja população, principalmente a do Vietnã sofre ate hoje as consequências.
    O vazamento de petróleo no Golfo do México, que causou um dos maiores danos ao meio ambiente e aquele outro no Alasca, não se ouviu nenhum gritinho dessas tais ONGS que infestam o continente sul-americano e ate mesmo do Greenpeace que recebe abertamente doações das Fundações Ford e Rockfeller, cujo grupo é um dos maiores acionistas de empresas poluentes.
    Bem feito fez Hugo Chávez na Venezuela quando expulsou todas as ONGS que atuava no país e ai o mundo através da mídia de esgotos estrilou e carimbou o presidente venezuelano de ditador e os imbecis de cá aplaudiram.
    Mas não se engane caro leitor.
    Se os grupos ambientalistas não conseguirem barrar a obra, a briosa bancada de parlamentares, aquela que a troco de $$$$$$ é capaz de endeusar o diabo e demonizar cristo, e que foram para o parlamento, muito mais interessados em engordar se patrimônio, estão muito mais interessados em negociatas que no desenvolvimento do País, ela entrará em ação e fara toda merda de postergação desde quando os interessados lá fora lhes paguem bem e que se dane o País.
    *Valter Xéu é editor de Pátria Latina e Irã News.
    – See more at: http://port.pravda.ru/busines/25-05-2015/38741-ferroviaria_atlantico_pacifico-0/#sthash.1ozK4NKS.dpuf

  12. A Máquina Troll says:

    Países desenvolvidos são responsáveis pela emissão de 70 % do gás carbônico no planeta enquanto tentam incriminar o Brasil pela destruição da Amazônia….. Isso ocorre sabendo-se que a europa inteira tem hoje apenas 0,3 % da mata que tinha há 8 mil anos atrás enquanto o Brasil tem 69 %…. A América do Norte toda tem 32 % somente por causa do reflorestamento do Canadá para produzir enormes quantidades de papel e celulose…..

    Hipóteses de intervenções contra o Brasil para “salvar a floresta devastada e os nativos oprimidos” podem ser usadas por muitos cobiçosos para modelar e influenciar as mentes e os corações das massas e da comunidade internacional incutindo uma “compreensão” de que uma Guerra Santa contra o Brasil pela posse da Amazônia é algo inevitável e necessário….Seus heróis invasores estariam defendendo até mesmo a futura sobrevivência da espécie humana com fé na afirmação de que a Amazônia é “o pulmão do mundo” e deverá mudar para melhores mãos só que para as conhecidas mãos disfarçadas e gananciosas….

    Modelar e influenciar as mentes e os corações do publico alvo…Manipular o discurso público através das grandes mídias e meios de comunicação se constitui de fato atualmente, o principal meio empregado para se projetar poder global…A informação é um elemento chave em qualquer estratégia atual de projeção de poder global…

    Organizações de fachada:

    Organizações de fachada é qualquer entidade criada e controlada por outra organização, seja uma agência de inteligência, grupo de crime organizado, grupos religiosos ou políticos, grupos de advocacia, ou corporações.

    Uma organizações de fachada vai poder atuar pelos interesses do grupo que a criou sem que as ações deste sejam atribuídos ao grupo, escondendo portanto o verdadeiro agente interessado nas atividades.

    Organizações de fachada que se apresentam como associações voluntárias independentes, grupos de advocacia ou organizações de caridade são chamados grupos de fachada. No mundo dos negócios, organizações de fachada tais como empresas de fachada ou corporações de fachada são usadas para proteger a empresa-mãe de responsabilidade legal.

    Ocorrem também casos de Estados que atuam como uma frente (ou substituto) para outro estado. O Estado atuante e o chamado Estado fantoche. As agências de inteligência usam organizações de fachada para fornecer “cobertura”, cargos e ocupações aceitáveis como sendo o meio de renda de seus agentes secretos. As organizações usadas pelas agências de inteligência podem ser organizações legítimas de caridade, organizações religiosas ou de jornalismo, empresas legítimas ou “empresas de fachada”, criadas ou controladas pelas agências de inteligência para criar empregos que justifiquem meios de renda e ocupação para seus agentes sem identifica-los como funcionários das agencias de inteligência.

    Vários grupos de fachada têm sido financiados pela pela CIA para serem usados ​​para divulgar propaganda e influência estadunidense no Terceiro Mundo. Organizações legitimas são usadas como fachada e outras são criadas também para promover eventos profissionais como Congressos e Convenções, nos quais a participação de profissionais estrangeiros facilita tanto a coleta de informações como o recrutamento de profissionais para atuarem como agentes das agencias estrangeiras em seus países de origem.

    A companhia aérea Air America, uma companhia de transporte aéreo civil da década de 1940, e a Southern Air Transport, eram empresas de fretamento aéreo civil que foram operados e integralmente financiadas pela CIA, supostamente para prestar ajuda humanitária. Mas, na verdade, eram usadas em missões de operações secretas no Sudeste Asiático durante a Guerra do Vietnã.
    Em entrevista ao Jornal do Brasil em de 7 de outubro de 2001, o agente da CIA Robert M. Hayes, conta como atuou no Brasil através da companhia de engenharia que criou , a companhia de engenharia Hayes-Bosworth.
    O grupo estadunidense chamado “Associação dos com mais de 60” (60 Plus Association, em inglês), se diz um grupo não partidário dedicado a promover os interesses das pessoas com mais de 60 anos. Em 2014 foi revelado que o grupo na verdade e um grupo de fachada para a indústria farmacêutica que mobiliza os participantes do grupo, por exemplo, quando tem interesse na aprovação de legislação que interesse à indústria farmacêutica….

    • A Máquina Troll says:

      Está chegando o dia em que a humanidade terá tudo…menos comida e água….E dinheiro nenhum no mundo vai poder comprar comida e água…..E ninguém vai poder comer bombas pra matar a fome……Segundo avaliações da ONU o século 21 será marcado por graves conflitos entre as Nações com origem numa única causa…a escassez de água potável….são coisas como estas que tornam a nossa Amazônia ainda mais estratégica pois em seus rios estão 21 % da água doce mundial sendo a maior reserva hídrica do mundo o que já lhe confere valor incalculável….Somente o Rio Amazonas despeja diariamente mais de 10 % de toda a escassa água doce do planeta no Oceano Atlântico….

      Mas o mundo não está de olho apenas sobre as águas da Amazônia….Ela também é uma reconhecida fonte de minérios a qual é estimada em mais de US$ 50 trilhões com depósitos de ouro, estanho, cobre, bauxita, urânio, potássio, terras raras, nióbio, enxofre, manganês, diamantes e outras pedras preciosas, e petróleo….Muitos depósitos de minério ferrosos (minério de ferro e suas pelotas, e manganês, entre outros) e não-ferrosos (níquel e cobre, entre outros) de toda monta ainda serão descobertos….

      O Brasil é detentor de 98 % das reservas mundiais de NIÓBIO para não dizer que é o seu dono exclusivo….se o Brasil possui praticamente todas as reservas de Nióbio do mundo sendo que a maior parte delas está na Amazônia como se explica ser o País exportador de apenas 40 % desse minério circulando pelo mundo e ganhar tão pouco com a sua comercialização ?…será que o Brasil vai tratar para sempre o Nióbio da mesma forma que hoje exporta minérios, ou seja, da forma como exporta bananas… sem qualquer visão estratégica do seu próprio futuro ?… será que o Brasil vai entregar de graça a Amazônia para longe de sua soberania e perder o futuro da humanidade com o Nióbio?…

      • A Máquina Troll says:

        O GLOBO – 05 de junho de 2005
        Avião Dos EUA Sobrevoou Reserva Irregularmente
        Rodrigo Rangel

        BRASÍLIA. O governo brasileiro guarda a sete chaves um incidente registrado na passagem de um avião-radar americano pelos céus da Amazônia, numa operação ousada que incluiu sobrevôos na reserva Raposa Serra do Sol, área de grande importância estratégica para o Brasil por ter reservas de minerais como urânio.

        O Itamaraty não confirma o incidente. A Força Aérea Brasileira (FAB) nega. Mas O GLOBO teve acesso a informações de um relatório reservado do serviço de inteligência do governo brasileiro que esmiuça a peripécia do avião americano pela Região Norte. Fontes civis e militares também confirmaram o episódio.

        O avião, modelo P-3, prefixo VVR-2674, tinha autorização para cruzar o espaço aéreo brasileiro no dia 9 de outubro do ano passado, rumo a Buenos Aires, com escala em Manaus. A chancela fora publicada na véspera no Diário Oficial da União. Dizia que a aeronave seguiria para Buenos Aires, na Argentina, em missão de “pesquisa científica”.

        O avião, entretanto, acabou subvertendo o que estava no papel. O P-3 passou pelo Brasil apenas no dia 10. E a escala que seria em Manaus acabou transferida para Boa Vista. Na capital de Roraima, nem toda a tripulação desceu. Nenhuma autoridade brasileira teria entrado no avião, segundo consta do documento reservado.

        Avião voou baixo e dificultou a detecção por radares

        O relatório a que O GLOBO teve acesso informa ainda que, após entrar no espaço aéreo do Brasil, o avião variou altitude e chegou a voar abaixo de três mil pés, supostamente para dificultar sua detecção pelos radares.

        Durante o vôo, os equipamentos do Sistema de Vigilância da Amazônia (Sivam) suspeitaram da irregularidade. Militares do Centro Amazônico, a torre de controle do sistema em Manaus, tentaram fazer contato com a tripulação. Não obtiveram êxito. Os americanos não respondiam aos chamados pelo rádio.

        As tentativas de comunicação foram ouvidas por pilotos de aviões civis que voavam na região. A tripulação do P-3 só viria a responder mais tarde. O comandante informou que não respondera antes porque a cabine do avião sofrera “pane de rádio” (o sistema comunicação teria parado de funcionar). “O P-3P Orion foi várias vezes assinalado nos radares de tráfego aéreo, mas não foi possível nenhuma interceptação de vôo porque estava voando abaixo de 3 mil pés”, registra o documento.

        — Foi um claro golpe — disse ao GLOBO um oficial da Força Aérea Brasileira que acompanhou o episódio.

        A terra indígena Raposa Serra do Sol não teria sido a única sobrevoada pelo avião americano. O aparelho teria passado também, a baixa altitude, na reserva Waimiri-Atroari, localizada entre os estados de Roraima e Amazonas.

        O avião, de quatro motores e quase do tamanho de um Boeing 737-400, tem sensores eletrônicos que permitem, por exemplo, fazer mapeamento geológico das áreas que sobrevoa. Uma fonte da Aeronáutica informou que autoridades aéreas brasileiras teriam reclamado junto ao Comando Sul, unidade do Pentágono sediada em Miami que coordena as operações militares dos Estados Unidos na América Latina.

        Especialista diz que governo deve advertir

        BRASÍLIA. Especialista em assuntos militares, o professor da Unicamp Geraldo Cavagnari diz ver com normalidade o fato de o governo brasileiro não admitir oficialmente o incidente, já que nenhuma providência mais enérgica foi adotada à época. Ele diz que, em casos semelhantes, o Brasil deveria marcar posição.

        — O governo tem que advertir e deixar claro que, se acontecer de novo, vai abater o avião — afirmou.

        Um mês antes do incidente com o avião, um modelo semelhante de aparelho havia passado pelo Brasil em condições turbulentas. Era 9 de setembro do ano passado. Uma aparelho VP-3A, também da Marinha americana, seguiu rota diferente daquela previamente autorizada. Desta vez, porém, o motivo era o mau tempo. Ainda assim, a passagem do avião mobilizou o Sistema de Defesa Aeroespacial Brasileiro, que segundo a própria Aeronáutica monitorou o vôo durante todo o tempo, até que a aparelho deixasse o espaço aéreo do país. O VP-3A estava transportando o comandante das frotas da Marinha dos Estados Unidos, conforme foi informado às autoridades brasileiras.

        De patrulhamento marítimo a missões de espionagem

        Os aviões da linhagem P-3 Orion são velhas máquinas de guerra e vigilância que vêm servindo aos Estados Unidos há mais de 40 anos. De performance elogiável, foram sendo remodelados ao longo do tempo e deixaram de ser usados exclusivamente no patrulhamento marítimo para ganhar outras missões, inclusive a de espionagem, com a instalação de sensores capazes de fazer prospecção de superfície e de captar imagens e sinais eletrônicos.

        Até o ano passado, a Marinha dos Estados Unidos possuía cerca de 230 unidades do P-3 em operação, em diferentes frentes. Os quatro motores do velho avião são impulsionados por hélices. De asa reta, a aparelho tem praticamente o mesmo desenho dos antigos Electra, do mesmo fabricante, também americano. Ao redor do mundo, há atualmente cerca de 450 exemplares deste tipo de avião em uso.

        Embaixada dos Estados Unidos nega qualquer anormalidade no episódio

        BRASÍLIA. A Embaixada dos Estados Unidos em Brasília nega que o avião militar americano tenha cometido qualquer irregularidade durante sua passagem pelo espaço aéreo brasileiro. Um porta-voz da representação diplomática informou que o país serviu apenas de caminho para uma viagem rumo à Antártica. Segundo ele, a aparelho estava numa missão para a Nasa, a agência espacial americana, com o objetivo de medir a profundidade do gelo antártico.

        O GLOBO enviou à embaixada americana uma lista de oito perguntas. Nem todas foram respondidas no texto de oito linhas enviado ao jornal. A nota garante que o P-3 seguiu o plano de vôo autorizado pelas autoridades brasileiras. “O avião não desviou da rota ou altitude previamente aprovadas e nenhuma reclamação foi recebida de autoridades brasileiras”, diz o comunicado.

        Em duas notas, a FAB segue na mesma linha. Diz que o pedido do governo americano para que o avião cruzasse o céu do Brasil foi oficializado no dia 8 de outubro e que havia previsão de pouso em Manaus. O destino informado era Buenos Aires.

        FAB diz que americanos modificaram pedido

        Segundo os textos da FAB, no mesmo dia os americanos modificaram o pedido e a escala foi transferida para Boa Vista, onde um militar brasileiro, especialista em eletrônica, teria embarcado como “parte de uma rotina de procedimentos internacionalmente usados, no caso da circulação de aviões com sensores”. O militar teria seguido até Foz do Iguaçu, onde o P-3 teria feito a última escala. A informação da FAB é repetida na declaração da embaixada americana.

        “O ingresso (da aeronave) em território nacional aconteceu no dia 10, com pouso em Boa Vista, conforme autorização do governo brasileiro, por ser esse o primeiro aeródromo internacional no país dentro da rota que seria seguida. Nessa cidade, um militar especialista da Força Aérea Brasileira embarcou como observador e seguiu com o avião até Foz do Iguaçu, no sul do país, última escala do P-3 no país”, diz a nota mais recente da FAB, divulgada na sexta-feira.

        As manifestações oficiais não conferem com o que está no documento reservado a que O GLOBO teve acesso. Consta do relatório que em Boa Vista nenhuma autoridade brasileira entrou no avião e que apenas uma parte da tripulação americana teria desembarcado. Outras fontes da própria FAB disseram que, logo após o episódio, o centro de controle de Manaus enviou comunicação ao Comando de Defesa Aeroespacial Brasileiro (Comdabra), em Brasília, que por sua vez teria acionado as autoridades diplomáticas. O Itamaraty, entretanto, não confirma. Afirma não possuir registros do assunto.

  13. Pantaneiro says:

    EUA ESCOLHEM O PARAGUAI COMO PONTO DE PARTIDA PARA ESTENDER SEU IMPÉRIO NA AMÉRICA.
    Os Estados Unidos apostam no Paraguai como lugar chave para seu império.
    Resumen Latinoamericano/Sebastián Polischuk, 16 de março de 2015 – Os últimos anúncios do presidente Horacio Cartes e as reuniões que seu governo vem realizando com funcionários do governo estadunidense desde fins de janeiro até a presença data, indicam uma maior presença de Washington sobre o norte do Paraguai, para controlar melhor aqueles que se opõem ao modelo neoliberal. Também se pretende continuar arrasando toda resistência possível e fortalecer o predomínio imperialista na região, como já vem fazendo com a Colômbia, Peru e México, ao mesmo tempo em que a Casa Branca considera a Venezuela como um país perigoso para Estados Unidos.
    Estes acordos foram planejados após o anúncio do governo paraguaio, que declarou o “estado de emergência” nos departamentos de Canindeyú, San Pedro e Concepción, regiões onde operam o Exército do Povo Paraguaio (EPP) e a Associação Campesina Armada (ACA). Os acordos são apresentados com o objetivo de melhorar a produção agrícola e supostamente reduzir a pobreza através de maiores investimentos da parte dos programas da Agência do Governo dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (USAID), além da capacitação de tropas paraguaias por parte do exército estadunidense para combater o EPP e o narcotráfico. Assim, é provável que os Estados Unidos instalem uma segunda base militar, já que a primeira foi instalada sob os mesmos argumentos.
    Há poucos dias, Cartes reafirmava, assim como fizeram vários de seus funcionários, que o Estado deve ter mais presença nesses departamentos, fazendo eco às demandas das próprias câmaras e organizações empresariais agrícolas que vêm pressionando cada vez mais para que o governo reforce militarmente a zona contra o EPP e o ACA. Recentemente, Pío Ramírez, presidente da Associação de Produtores Agropecuários de Canindeyú, disse: “Temos problemas que nos preocupam, o fracasso do ministro do Interior, que falta ao cuidado com a segurança, e essa cultura de populismo, que vem ampliando as fileiras do EPP. Não podemos permitir”.
    Desde a década de 1990, estes mesmos empresários vêm aumentando seus patrimônios à custa do empobrecimento de camponeses e povos originários que sofrem o despojo das terras e as consequências dos agrotóxicos utilizados pelos latifundiários, os quais não pagam grandes impostos, diferentemente de outros setores.
    Em finais de janeiro, o Secretário da Marinha dos Estados Unidos, Ray Mabus, e a embaixadora estadunidense Leslie Ann Basset se reuniram com o ministro de Defesa Nacional do Paraguai, Bernardino Estigarribia, para afiançar as relações de confiança com o governo de Cartes, sob o suposto compromisso de paz, segurança, estabilidade e fortalecimento dos “valores democráticos”.
    Nessa reunião, Mabus manifestou sua ideia de expandir ainda mais as relações históricas entre ambos os países e jogou peso na cooperação em matéria de defesa, que segundo ele é excelente. Também propôs que se continue com o intercâmbio, capacitação de oficias e suboficiais e o equipamento tecnológico para as Forças Armadas paraguaias.
    Nestas capacitações, encontram-se os membros da inteligência militar e as tropas que integram o Centro de Treinamento Conjunto de Operações de Paz (CECOPAZ), que geralmente são usadas para combater o EPP e o ACA (1). A embaixadora estadunidense comentou que a ideia de fortalecer estes programas – principalmente na cibernética militar – visa a combater diversos delitos, entre eles o narcotráfico e a luta contra a insurgência. Não parece coincidência a ideia falida do governo de Cartes de que o parlamento paraguaio termine por incentivar o projeto “Pyraweb”, que pretendia controlar os movimentos de todos os usuários de internet dentro do Paraguai para a suposta luta contra o narcotráfico.
    Segundo Pablo Ruíz, integrante dos Observadores da Escola das Américas, os Estados Unidos, com estas medidas, estariam preparando o terreno para instalar uma segunda base militar. O Paraguai conta com uma base militar estrangeira no departamento de San Pedro, conhecida como Centro de Operações de Emergências (COE), justificada pelo argumento de ajudar a população paraguaia frente às emergências ou desastres naturais.
    Estas bases militares ou centros de operações permitem aumentar a vigilância e o controle das populações, além de contribuir com o treinamento sistemático de soldados estadunidenses em territórios latino-americanos, tal como manifestou Sandy E. Ramírez Gutiérrez, do Observatório Latino-americano de Geopolítica (2).
    Cada vez mais, e em conjunto com a militarização especializada no Paraguai, aumentam os investimentos aos programas da USAID, organismo dos Estados Unidos criado em 1961. Esta instituição impulsiona supostos projetos sociais, pelos quais mobiliza várias organizações não governamentais. Porém, na verdade, esse dinheiro é utilizado para espionar os governos e financiar golpes de estado na América Latina, como no período do Plano Condor.
    Na atualidade, o dinheiro da USAID é usado para contribuir com grupos de direita, como os que tentaram derrotar o ex-presidente venezuelano Hugo Chávez, ou formular uma falsa ajuda humanitária no Haiti para militarizar esse país. (3). Por sua vez, este organismo é o encarregado de implementar programas que fomentam os agronegócios e contribuem com as grandes agroindústrias em vastas áreas da América Latina, como acontece com o programa “Paraguai Verde”, entre outros.
    Em 30 de janeiro passado, o ministro da Secretaria de Ação Social (SAS), Héctor Cárdenas, afirmou que nesses departamentos estão duplicando os esforços do Estado para ter maior presença na zona onde operam as guerrilhas, com programas patrocinados pela USAID, como é o Tekoporã (programa de subsídios para paliar a pobreza). O governo paraguaio assinalou que “desde o ano passado intensificamos nossa presença nesta zona. Por exemplo, Horqueta praticamente duplicou a presença do programa Tekoporá” (4).
    Na sexta-feira, a embaixadora estadunidense Bassett confirmou que a USAID investirá 20 milhões de dólares em programas para promover o desenvolvimento econômico sustentável e, inclusive, em pequenas comunidades dessa região. Soma-se a isto o que, em fins de fevereiro, o diretor desse organismo no Paraguai, Fernando Cossich, explicou. Estão apoiando um programa de cooperação de cadeia de valor inclusivo. O projeto demanda um investimento de 10 milhões de dólares com a Federação de Cooperativas de Produção, que beneficia 20.000 pequenos produtores de Concepción, Canindeyú, San Pedro e Amambay (5).
    Estes programas fazem parte das políticas de expansão do agronegócio, que tendem a impulsionar projetos a favor dos interesses internacionais e do mercado global. Enquanto isso, empresários agrícolas despojam cada vez mais camponeses e povos originários de suas terras e, inclusive, incentivam a quebra de suas economias, como o gergelim e a chía, conforme proposto pela própria USAID (6).
    Tampouco parece fora de lugar que hoje em dia se decida colocar mais peso estatal e de presença estadunidense no norte paraguaio, onde os camponeses e povos originários lutam para sobreviver e resistir, e lutam por uma economia autônoma, que se contrapõe aos grandes projetos agroindustriais que enfraquecem suas economias e favorecem as demandas dos grandes empresários.
    Dada a resistência que existe nessa zona, não é por acaso que lá estejam instaladas bases militares e se aumentem em maior medida as capacitações das Forças Armadas paraguaias para controlar não apenas a grande parte da população local, sob a cara lavada de ofertar supostos programas sociais e econômicos.
    Em termos regionais, a presença estadunidense é uma das maiores apostas que o imperialismo tem para quebrar ainda mais a unidade dos países latino-americanos. Isto vai ao encontro da consolidação cada vez maior das relações entre o presidente Cartes, o grande empresário agrícola (dono de 26 empresas) e o governo estadunidense. O próprio Cartes acaba apoiando declarações contrárias à Venezuela. Por sua vez, o parlamento paraguaio decidiu enviar uma comissão para avaliar a situação particular da Venezuela, acusando esse país de violador de direitos humanos. Nada disseram sobre a tentativa de golpe de Estado contra o governo do presidente Nicolás Maduro e o assédio constante sofrido pelo país, proveniente de grupos de direita apoiados pelos Estados Unidos.
    Não podemos esquecer que o Estado paraguaio é um dos maiores países latino-americanos em violação dos direitos humanos, segundo diversos informes e sanções da Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH). Nem o titular das Nações Unidas, Ban Ki Moon (que visitou o país recentemente), nem Barack Obama se queixaram disto, pelo contrário, avalizam tal postura.
    Traduzido para publicação em dinamicaglobal.wordpress.com
    Fonte: http://port.pravda.ru/cplp/portugal/21-03-2015/38331-estados_unidos-0/

    • Guga says:

      Esse Mabus é o mesmo da profecia do Nostradamus?

      Sou cético, só que é muito divertido perceber que o nome do Secretário da marinha americana é o mesmo do Anticristo. Mera coincidência?! Vocês sabiam que ele já foi governador do Mississipi (um estado fundamentalista cristão) e Embaixador dos EUA na Arábia Saudita?!

      Siiiiinistro, kkkkkkk

    • 1maluquinho says:

      Quanto ao Paraguai meu caro basta regionais fecharem-lhes acesso ao mar que teriam de dependerem de aviões cargueiros Ynkes para escoarem suas produções.
      O Paraguai depende em tudo do estado Brasileiro e se buscar um posicionamento hostil contra nós estão ferrados nem Argentina e nem Bolivia fariam o jogo deles.

  14. Pantaneiro says:

    Militares dos EUA chegarão este mês ao Paraguai
    23.05.2015 | Fonte de informações: Pravda.ru

    Instrutores militares norte-americanos pertencentes ao Grupo de Forças Especiais chegarão este mês ao Paraguai como parte da cooperação estabelecida entre os dois países, confirmou-se sexta-feira 22.
    A Câmara de Senadores aprovou a entrada dos mencionados instrutores, procedentes da Guarda Nacional da Carolina do Norte, com suas respectivas equipes, armas e munições no país, que serão utilizados em exercícios conjuntos.
    Os militares chegarão em dois voos da Força Aérea estadunidense em 31 de maio e 1° de junho e sua estadia no território paraguaio se estenderá até 30 de junho próximo.
    A Câmara Alta, além disso, autorizou por tabela a passagem de dois navios da Marinha do Brasil, composta pela Flotilha de Mato Grosso “Monitor Parnaíba” e pelo navio logístico “Potengi”, com uma aeronave embarcada e pessoal militar, pelo território nacional, que irão a Corrientes (Argentina) em junho próximo para “estreitar laços de amizade” com a Armada Argentina.
    Colômbia
    Por outro lado, um total de 80 militares paraguaios viajou para a Colômbia para receber, desde ontem, um curso de instrução com duração de três meses. A autorização da viagem dos soldados foi aprovada por unanimidade no Senado.
    A delegação está integrada por três oficiais subalternos e 77 suboficiais do Exército, Armada, Aviação e Comando Logístico, tudo também como parte dos acordos assinados pelas Forças Armadas das duas nações.
    Segundo as fontes militares, nesses cursos a serem realizados na Escola de Soldados Profissionais da Colômbia, serão ministradas aulas relacionadas à luta contra “estruturas narco-terroristas”.
    As instruções recebidas pelos militares paraguaios na Colômbia são graças a um convênio de cooperação entre os dois países. O novo grupo de soldados começa de hoje até 14 de agosto próximo as instruções do curso.
    Fonte: http://www.resumenlatinoamericano.org/2015/05/13/militares-de-eeuu-llegaran-este-mes-a-paraguay/
    Tradução: Partido Comunista Brasileiro (PCB)
    – See more at: http://port.pravda.ru/news/science/23-05-2015/38731-militares_eua-0/#sthash.k45wvTxT.dpuf

    • 1maluquinho says:

      Meu caro toda essa fanfarronagem de aumento de tropas Americanas em nossas fronteiras so faz o Brasil cada vez se achegar mais com Russia e Chona.
      Nossos militares a tudo observam e não servem a ideologias nenhuma e sim ao interesse nacional.
      Não se preocupe,fique tranquilo.

  15. A Máquina Troll says:

    O DIA Online – 08 de junho de 2008

    As ONGs São Estado Paralelo na Amazônia

    Luiz Gonzaga Schroeder Lessa: ‘as Ongs são estado paralelo na Amazônia’

    Com a experiência de quem já esteve à frente do Comando Militar da Amazônia, o general Lessa se tornou coferencista sobre a floresta e denuncia: devido à ausência do Estado, mais de 100 mil ONGs se julgam as donas daquele território

    Márcia Brasil

    Rio – A existência de um ‘Estado paralelo’ na Região Norte do País, dominado informalmente por Organizações Não-Governamentais (ONGs), que controlam a entrada e a saída de pessoas na Amazônia, sem a chancela do governo brasileiro, é uma das principais preocupações do general Luiz Gonzaga Schroeder Lessa. Só na região da Amazônia, seriam mais de 100 mil ONGs. A maioria não é fiscalizada e atuaria livremente na região. Especialista em assuntos da Amazônia desde que entrou para a reserva, em 2001, o general Lessa já esteve à frente do Comando Militar da Amazônia (CMA), do Comando Militar do Leste (CML) e foi presidente do Clube Militar. Hoje, Lessa é conferencista sobre assuntos da Amazônia e faz um alerta sobre a ausência do Estado na região e o avanço das ONGs. Ele recebeu equipe de O DIA para falar sobre o tema.

    Qual o principal problema da Amazônia hoje?

    —É o vazio de poder motivado pela ausência do Estado. O Estado brasileiro não se faz presente na Amazônia. Naquela área enorme, as fronteiras são muito permeáveis, e o dispositivo militar que existe nas fronteiras é fraco — de vigilância, apenas. A Polícia Federal na área é muito fraca, e o Estado não se faz presente na suas funções básicas, como promover educação, saúde, e políticas de desenvolvimento sustentável. Como o Estado está ausente, outros querem tomar o poder do Estado. E quem quer tomar esse poder? As ONGs. E querem já há muito tempo.

    Quantas ONGs existem na Amazônia hoje?

    —Estima-se que o Brasil tenha 276 mil ONGs. Na Amazônia, são mais de cem mil. Mas essas cem mil ONGs atuam sozinhas. Elas atuam livremente, sem fiscalização. O governo não sabe quem as apóia nem como elas são orçamentadas. Elas não prestam contas para ninguém. E dominam territórios fisicamente.

    Como assim?

    —É outro Estado paralelo. É o Estado paralelo da Região Norte. Tem parte da Amazônia que você só entra se a ONG deixar. Eu só entrei em algumas áreas controladas por ONGs fardado. Parte dessas terras elas compraram, parte elas controlam a população, particularmente os índios. E controlam até o fluxo nos rios. O Rio Negro é um exemplo. Nem como turista você entra nessas áreas. Não entra!

    O senhor poderia explicar melhor esse controle?

    —Você pode chegar como cidadã brasileira e navegar para alcançar o alto do Rio Negro. Chegando lá, em determinado ponto tem um tipo de posto de controle dessa ONG. Ela pergunta onde a senhora vai. Então você responde: vou subir um pouco mais o rio. Eles insistem e perguntam: quer falar com quem? Eles respondem: não, a senhora não pode passar daqui não. E não vão lhe deixar entrar.

    O senhor quer dizer que existem áreas na Amazônia que não são reservas indígenas, bases militares, nem grandes propriedades privadas, mas que são restritas ao cidadão comum?

    —Sim. São restritas. Mamirauá (reserva florestal entre os rios Solimões e Japurá, no Amazonas), região que é muito apreciada pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e pelo atual, Lula, é uma delas, só para dar um exemplo. O ex e o atual chefe da República estiveram lá em navios da Marinha. Ali você não entra. É cheia de estrangeiros lá dentro, a título de pesquisadores. E quem não é da área não entra. Mas muitas outras áreas da Amazônia também são restritas. E eu estou falando em áreas de reservas florestal. Quando você fala em reservas indígenas, a restrição é pior. Porque, pelas regras da Funai, o não-índio não pode entrar em terras indígenas.

    Então isso pode indicar que quem atua no tráfico de armas, de munição e de drogas pode se aproveitar dessa situação?

    —A Amazônia é uma área ainda hoje praticamente fora de controle. Pode entrar de tudo nessas áreas. Com a chegada do Sivam (Sistema de Vigilância da Amazônia), houve uma redução expressiva do tráfico de entorpecentes pelo ar. Porque há o receio da Lei do Abate. Mas aumentou muito o tráfico de drogas terrestre e fluvial, pelos rios. Junto com isso, vão as armas. Porque se você leva tóxico, você pode levar armas e munição. E também não podemos esquecer a proximidade dos acampamentos das Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia).

    Qual a influência da guerrilha colombiana na Amazônia brasileira hoje?

    —Ainda que as Farc estejam enfrentando um problema bastante difícil agora, o que mantém a sua sustentação basicamente é o narcotráfico. Eles estão assaltando pouco, seqüestrando pouco. Essas são as grandes fontes de renda das Farc, junto com o narcotráfico. Como esses crimes estão sendo pouco praticados em razão da pressão das Forças Armadas colombianas, o narcotráfico é o que garante o sustento dos guerrilheiros. A proximidade com as nossas fronteiras facilita a entrada da cocaína que eles produzem. No retorno, eles levam suprimentos em geral, como alimentos e remédios, cimento para misturar com a cocaína e, muitas vezes, munição brasileira. Agora, indício de movimentação de guerrilheiros colombianos em solo brasileiro só existe em dois locais: São Gabriel da Cachoeira e Santa Isabel do Rio Negro, no Amazonas.

    Qual a situação dessas 276 mil ONGs que existem em território brasileiro?

    —Desse total, 29 mil recebem recursos federais. Das 100 mil localizadas na Amazônia, apenas 320 estão cadastradas pelo governo federal. É um quadro de total descontrole. Vale destacar também que, em 2002, o número dessas organizações no País era de 22 mil. Já em 2006, pulou para 260 mil. Um aumento de 1.181% em apenas dois anos. E todos esses dados são públicos. Estão no site do Siaf (Sistemas Integrados de Acompanhamento Financeiro).

    • 1maluquinho says:

      Desde 2013 eu afirmo que não somente as ONGs e seitas Protestantes na Amazonia mas tambem o pseudo ativismo travestido de ambiental e humanitario não passa de ferramenta do interesse Yanke.
      Nossas frças armadas,nossas forças de segurança e a informação de estado ja sabem disso e a tudo e a todos observam.

  16. Lucas Senna says:

    Os Colombianos perderam a sanidade de vez? Ou foram emasculados como os poodles europeus?

    • A Máquina Troll says:

      senhor Lucas Senna….a Colômbia é um pais completamente fantoche hoje como aquele Paraguai e Chile….ali é terra de ninguém faz tempo…

      • A Máquina Troll says:

        agora entendem porque que não querem programas militares estratégicos como o Prosub e o VLS por aqui senhores?!…porque que sabotam ou promovem guerras de propagandas contra?!…..

        https://www.youtube.com/watch?v=tChKvcvaWDE

  17. ,..O n VLS, o amarrado, nem saí do chão, por …assim como poderemos entregar as n (sic) nuck’s e ou bombas termobáricas?!?! Como se nem um foguete, o foguete de hj é o míssil de amanhã, conseguimos lançar? Ñ estamos ekipados p fazer frente por meses a uma potencia como os iankss, de causar serias baixas aos mesmos, em fim , estamos nas mãos de Deus..n dirigentes ñ enxergam e nem vê o futuro..são geopolitica; falando uns cegos…Trágico.Sds. 🙁

  18. Julio Brasileiro says:

    Pior que esse tipo de informação é saber que aqui dentro tem gente que concorda, e até compactua ajudando com iniciativas em apoio.
    Os trairas são mestres na camuflagem, agem como se estivessem a favor do país, mas na verdade atuam para enfraquecê-lo. Pena que traição no Brasil e ao Brasil é tratado muitas vezes como mero assunto de opção politica, onde ninguém é rigorosamente criminalizado.

  19. PÉ DE CÃO says:

    esse assunto de internacionalizar a amazonia já vem a muitos anos no desgoverno do noia entrega tudo do Fernando Henrique eles falavam ate em acabar com o exercito

    e o que aconteceu desde aquela época ate agora ,,nos mudamos o partido entreguista e privateiro para um mais focado ao nacional
    nos fizemos o livro branco a end

    nos afastamos dos estados unidos pois antes os estados unidos pegava uma gripe e o brasil ficava tuberculoso

    hoje estamos nos brics e fmi somos credores ,e em vários outros setores mundiais
    hoje investimos mais nas forças armadas ,nunca antes na historia desse pais se investiu tanto nas forças armadas e nas industrias militares

    hoje em dia esta mais difícil do que na época do Fernando Henrique podem ver que essas declarações de presidentes ocidentais foram feitas somente nessa época ,hoje em dia estão cometidos pois na verdade essas declarações dessa época acordou já uma parte da nação falta a outra parte acostumada a holiudiii

    outra questão é que a américa latina se uniu

    em celac , em merco sul e outros mecanismos pois perceberam a cobiça internacional

    a américa latina única fica muito difícil eles tomarem algum território por esse continente

    então vieram desestabilizar nossos países ,hoje eles que usaram a DEA americana para essa guerra interminável contra as drogas legalizaram nos países deles mas nos nossos eles financiam essa guerra a guerra para eles e lucro

    gostaria de saber o porque do plano brasil não publicar o percentual o verdadeiro percentual do que foi contingenciado pois a MENTIRA DE DIZER QUE ERAM cinquenta POR CENTO FOI COLOCADA

    MAS NOS TRABALHAMOS COM FATOS E O FATO É QUE APENAS 27 POR CENTO FOI COMPROMETIDO SENDO QUE PODE ATE SER AUMENTADO SE O BRASIL FIZER AS REFORMAS

    mas voltando ao assunto a gaf de falar em 50 por cento ficou e a verdade que 17 bilhões estão livres para continuar o projeto ficou esquecida

    VERDADE É QUE TEM QUE SER COLOCADA

    voltando ao assunto amazonia muitos acham que ela não tem ninguém ,mentira ate eu tenho parentes la
    segundo as doenças que existem na amazonia não é para qualquer um boizinho que foi criado no carpete

    um mosquito mata mais que um fuzileiro

    para eles tomarem qualquer coisa no nosso pais eles precisam nos DIVIDIR ENTRE ESQUERDA E DIREITA ENTRE BRANCOS E PRETOS ,ENTRE PLAYBOIS E MALOQUEIROS ,ENTRE INDIOS E MAMELUCOS

    entendeu somos 200 milhões e mesmo as forças armadas não sendo do tamanho que o brasil mereça ela nunca foi uma nanica igual alguns acham
    não conquistamos o quinto maior pais do mundo sem exercito

    e o brasil para esss que nunca estudaram historia foi invadido ou tentado ser derrubado algumas vezes e todos que tentaram perderam

    para se tomar qualquer espaço nosso aqui e no mundo eles precisam nos dividir sem isso eles não tem a mínima chance pode ser qualquer um

    e o brasil se arrumar com um se alia com outro ,por isso para nos enquanto a russia e estados unidos forem e manterem inimizades para o mundo muito melhor

    se apertar para um lado vamos para o outro o que importa é o território nacional

    eu vi alguns falando em Paraguai ,mas percebam o Paraguai para obrasil é a ucrania para a russia

    nos temos muitos brasiguaios e uma cultura extremamente irmanada com o Paraguai o tiro pode sair pela culatra novamente se os estados unidos acham que podem usar latinos para matar latinos

    os cães ladram mas a caravana não para .

    liberação das armas aumento do efetivo nos quarteis cada quartel já chegou a ter 2mil soldados continuar levando quarteis para a região norte vamos militarizar ao máximo a amazonia
    todo militar ter treinamento de selva pelo menos alguns meses

    mudar esse jeito de uns entrarem por um lado e outros por outro voltar a ser meritocracia apenas os melhores sem pular estágios e por ai vai

    o plano brasil já que postou essa matéria poderia colocar o que esta sendo feito na região norte do pais como o cabo de comunicação de internet que pode levar a uma conexão com o resto do brasil em pouquíssimo tempo e varias outras no âmbito civil e militar

    meu parente foi para a amazonia pois fez concurso publico em são Paulo e foi para ser policia na região leste da amazonia

    hoje não existe mais isso acho que o governo poderia abrir concurso publico novamente igual se fazia na época em todos estados brasileiros para estados amazônicos

    e para quem falou que iria ser cinquenta por cento de corte não a mentira não durou uma semana novamente

    pode passar batido mas não desapercebido !!!!

  20. rprosa says:

    Senhores ouso mais uma vez destoar do enorme coro que se forma, colocando a culpa de nossos flagelos em função de articulações externas.

    A responsabilidade de nossos problemas decorrem unica e exclusivamente em função da total incapacidade do nosso governo federal de gerir com dignidade a coisa pública. é antes que alguns direitistas levantem a bandeira demonizando a sigla do PT, lembro que todos os partidos políticos brasileiros nunca tiveram a menor dignidade em gerir a cosia pública, sempre conduziram os assuntos de estado como se conduzissem uma reunião partidária ou uma assembleia de clube, ou seja oferecendo favores em, troca de apoio.

    Nosso país infelizmente esta ladeira abaixo em sua auto estima, ninguém mais confia nas nossas instituições, nosso governo, e quando digo nosso governo falo em todos aqueles que se elegeram para defender nossos interesses independentemente de siglas, ou de pertencerem a oposição ou situação, estão chafurdando no mesmo mar de lama, não há um nome em nosso cenário político que seja capaz de resgatar nossa dignidade como povo e como nação.

    Deixamos de sr uma terra abençoada, para nos transformarmos em paraíso de ladrões, o desvio, a desfaçatez, o mau caratismo e falta de zelo pela coisa pública condena nosso povo ao ostracismo da cidadania, enquanto nossos representantes políticos recebem bilhões de dólares em suborno e propina, nosso povo morre nas rus em função da violência ou falecem nas eternas filas de hospitais.

    Não vemos uma lei que vise garantir os interesses de nossa sociedade a defesa de nossa integridade popular, de nossas aspirações como nação, ao contrário nossas leis ultimamente somente tem protegido minorias, e infelizmente estas leis somente tem possibilitado a ruptura do nosso tênue contrato social, alargando diferenças, criando novos focos de conflito, desestabilizando a família como célula mater da sociedade.

    Se nós não temos condições morais e administrativas de defender o mais precioso bem de uma país que é seu povo, suas tradições, sua história, como podemos desejar que outras nações nos respeitem como um país livre e capaz de se fazer representar no universo de nações.

    Se não temos capacidade moral e intelectual pára defender nossos interesses como povo contra uma corja de ladrões, como podemos querer que outras nações também não desejem espoliar nosso patrimônio, quando a cosia pública e dividida pela malta que nos governa.

    Enquanto nós, e quando digo nós, digo ao povo brasileiro em gral, não conseguirmos passar este país a limpo, criar uma reestruturação politico administrativa, econômica e social, continuaremos a ser subjugados, espoliados, furtados, roubados por aqueles que deveriam defender nossos interesses, enquanto nos comportarmos como gado e permanecermos deitado em berço esplendido continuaremos a ser o que somos no cenário mundial ou seja um zero a esquerda que é menos do que nada.

    A luta pelo controle das fontes de matéria prima sempre será assunto de estrema importância para qualquer nação que deseje ter um futuro brilhante, a capacidade de se defender é o primeiro alicerce para uma diplomacia eficaz, a existência de uma plano de estado que possibilite a nação de se desenvolver de forma igualitária e equitativa é premissa básica para se buscar o desenvolvimento sustentável e o fortalecimento de nossas instituições.

    Porém infelizmente não existe uma instituição brasileira que objetive a defesa dos interesses republicanos e nacionais, posto que estão todas direta ou indiretamente envolvidas em esquemas de corrupção, ou no máximo buscam a defesa de suas prerrogativas, ex vi nosso Ministério Público e nossa Defensoria.

    Hoje sequer podemos acreditar em nossa instituições militares, posto que esta aprecem ter cedido apressão dos grupos dominantes, ou estarem satisfeitas coma situação que se desenvolve em nosso país, pois ate mesmo nosso militares estão envolvidos em esquemas de superfaturamento e propinas, como exemplo cito os esquemas nos carros pipas no nordeste e as obras superfaturadas de engenharia a cargo do Exército, ou os escândalos de suborno na Aeronáutica.

    Vivemos o pior momento de nossa história, vez que a crise hoje e sistêmica e enraizada em nossa cultura e nossos sistemas de gestão, a propina deixou de ser oferecida pelas empresas particulares para ser cobrada pelos nosso entes representativos, ou seja, conseguimos institucionalizar a corrupção e o pior não há nada em nosso cenário político que nós façam acreditar numa mudança de rumo, pois num país onde até o Judiciário e corrupto, fica difícil acreditar no império da lei.

    Assim, antes de criticarmos a conduta de estrangeiros que cobiçam as nossa riquezas devemos lembrar que nunca tivemos condições de transformar esta riqueza em benefício ao povo brasileiro, então nada mais normal que os estrangeiros vejam na nossa incapacidade de gestão a excelente possibilidade deles transformar esta riqueza num patrimônio que possa gerar benefícios para uma grande maioria, ainda que esta maioria seja exógena ao povo brasileiro

    Desta forma se nossa unica competência e eleger e dar suporte a uma bando de ladrões que se ocultam por detrás de siglas políticas, não temos a menor condição de se opor a cobiça externa, pois só pode defender aquele que zela, só pode se objetar aquele que administra, só pode ser dono aquele que possuí, só pode exercer o direito aquele que domina, só pode dominar aquele que ocupa, só pode ocupar aquele que tem condições de garantir a posse.

    Infelizmente nosso país se transformou num enorme Carandirú, pois infelizmente aquele que não esta nos esquemas de corrupção, desejaria estar, e para piorar ainda mais a cosia a cultura da corrupção esta enraizada em nossa cultura.

    Lembro que o macaco antes de criticar o rabo dos outros deve olhar par ao seu próprio, e nos ainda sob reflexo do paradigma de que Deus é brasileiro acreditamos que tudo um dia vai dar certo, porém não fazemos nada para modificar o rumo desta nau que esta indo pique e esperamos que alguém o faça por nós.

    • Deagol says:

      Ainda bem que a você eles escutam rprosa.
      Bom comentário.

    • 1maluquinho says:

      Meu caro RPROSA.
      Mais uma vez um comentario teu farto de romantismo mas culpar ao governo federal e que governo federal voce se refere ao atual kkkkkk.
      A quanto tempo nossa diplomacia vem dando tiros nas costas do Brasil ?
      Não é somente o despreparo diplomatico mas tambem a cadelice ideologica e a oportunidade de momento vislumbrada por muitos de diversos segmentos de nossa sociedade.
      Este maravilhoso pais é habitado por um POVO DE MERDA prostituido,corruptivel,sem cultura alguma,sem educação inclusive moral e doutrinado pelo jeitinho,pela ganancia,pelo oportunismo e pela falta de vergonha na cara.
      Nem preciso citar um povo mais radical.Mas se o povo Argentino habita-se o Brasil o bicho ja tinha pegado aqui a muito tempo.
      O que falta é amor pelo Brasil.O que falta é patriotismo.O que falta é comprometimento.
      So tem filhas das putas de todos os tipos.
      O que falta é aço quente por dentro da cara pois um puteiro so prospera se tiver um austero cafetão.

    • 1maluquinho says:

      O General Heleno quando ainda comandante da Amazonia disse : “Se nós plantarmos 30 % de nossa Amazonia com Dendezeiros que é uma arvore nativa seremos o maior produtor e exportador de biocombustivel do mundo.
      Ele entendia muito bem não so da defesa da nossa Amazonia mas tambem de seus assuntos diplomaticos.
      Ja cansei de citar aqui que do alto Rio Negro ate a fronteira com a Venezuela é petroleo puro que sabemos disso a muito tempo que mantinhamos isso em segredo e que quando tocavam nesse assunto alegavamos que o oleo era de baixa qualidade.
      La existe oleo de baixa e de alta qualidade e tambem muito xisto.
      A exploração la é pequena e inclusive com parceria com empresa Russa e ja de algum tempo.
      Todos sabemos da ganancia externa que usa do ambientalismo para travestir a ganancia por nossas riquesas.
      No caso do petroleo a cada ano a Europa e os EUA pedem mais em cotas de petroleo oriundo do Oriente Medio que cada vez mais vende petroleo para a China e a India.
      O alvo de cobiça deles agora é a Venezuela e o Brasil.
      Do que adianta o governo Colombiano fazer o jogo Americano se suas forças armadas e seu povo se sentem incomodados com a presença Yanke em seu territorio.Inclusive as forças armadas da Colombia ja cansou de demonstrar a seu governo de não aceitar isolar-se de amigos latinos principalmete do Brasil.
      A amizade e o comprometimento do Exercito Colombiano com o Brasileiro sempre foi o melhor possivel.
      Então que venham os corsarios e tudo pode ter um desfecho muito diferente do que imaginam.
      Mesmo no governo Lula e mesmo com um MD serviçal a chancelaria Yanke como Jobim,bastou o Brasil dizer que o exercito Colombiano ficaria isolado dos demais Sulamericanos que eles precionaram seu governo.
      Eu não gosto de Americanos enem de Bolivarianos mas uma união e amizade entre as forças armadas regionais é essencial para a defesa do interesse mutuo regional.

  21. Luiz Oliveira says:

    Excelentes comentários do rprosa.

  22. tiosam says:

    Esse papo dos países de primeiro, de ocupar para preservar é brincadeira.
    Acabaram com biodiversidade em seus quintais, agora querem acabar com a biodiversidade em outros países.
    Se vierem ocupar a Amazônia, em 30 anos teremos um deserto no norte do Brasil.

  23. FRC says:

    Perfeito o comentário do rprosa.

  24. luiz anselmo pias perlin says:

    Concordo com os amigos quando dizem que a cituação chegou a este ponto por culpa nossa sim nós permitimos entam quem tem que resolver o problema somos nós e devemos comesar com punições rigorosas contra os politicos e envolvidos em corupção e super faturamento, desvios de verbas publicas,estes atos devem ser conciderados como traição em tempo de guerra e não preciso lembralos de que em tempo de guerra a pena para traição é a morte,ALGUNS DIAS ATRAS UM INDIVIDOU ME FALOU QUE DEVIAMOS PRIVATIZAR A PETROBRAS PERGUNTEI PORQUE ELE ME RESPONDEU PORQUE O GOVERNO SÓ SABE ROUBAR ENTÃO LHE FALEI ESTA ME DIZENDO QUE É MELHOR SE PRIVAR DE TER UM BEM PARA NÃO CORRER O RISCO DE SER ROUBADO EU PENSO DIFERENTE PREFIRO TER O BEM, USALO COMO ISCA PARA O LADRÃO PEGALO E MATALO CLARO QUE NÃO VAMOS USAR A AMOZONIA COMO ISCA MAS PODEMOS USAR A IDEIA PARA PEGAR OS TRAIDORES DESTE PAIS A COMESAR PELO FERNANDO HENRIQUE E FERNANDO COLLOR.

    • 1maluquinho says:

      Culpa nossa não meu caro.
      Culpa da prostituida politica externa Brasileira.
      Sempre o meio militar alertou a nossa diplomacia que assinavam acordos se deixando levar pelo romantismo ativista e preservacional sem observarem entrelinhas.
      O capeta esta feliz e a pira da depuração ja crepta a alguns anos sedenta por sangue imundo.
      Que os machos peguem em armas e que as femeas cacarejem e botem ovos porque ovo vai entrar.

  25. Henrique says:

    Enquanto tivermos uma maioria de políticos apátridas, corruptos e principalmente incompetentes que não estão nem aí para este país, teremos sempre alguém cutucando nossa soberania com ideias deste tipo.
    Porque ninguém sugere este tipo de coisa para certas potências?.. algumas inclusive que dizimaram seus índios e florestas por conta do “progresso”… são as mesmas que hoje querem “preservar” o planeta.
    Se o Brasil continuar neste calibre político (e isso vem desde as capitanias hereditárias que só mudaram de nome mas continuam a existir neste país) estaremos fadados a uma divisão territorial…. o Brasil se dividirá em 4 ou 5 países… aguardem!
    E o pior inimigo não está lá fora…
    Abraço,

  26. 1maluquinho says:

    Primeiro : O tamanho (comprimento largura ) é proporcional ao tamanho da fonte e nesse caso a Wikipedia serve pra nada.
    Segundo : Não existe nenhuma possibilidade nem manipuleira externa e nem capaxa interna de INTERNACIONALIZAÇÃO DA NOSSA AMAZONIA.
    Para nos tirarem um centimetro de nosso territorio terão que primeiro exterminarem nossos soldados e nosso povo.
    Se eles não soubessem que o Brasileiro quando enraivecido é o pior de todos os demonios eles ja teriam tomado a NOSSA AMAZONIA a muito tempo.Por isso articulam em forus internacionais e contam com o envolvimento do “PSEUDO ATIVISMO”
    So vão sossegarem as hemorroidas quando começar a morrer muita gente.
    Então venham,estamos os esperando.

    • Henrique says:

      Carol 1maluqinho, quem dera tivéssemos um povo realmente assim. Os caras roubam o país na cara de pau, aumentam seus gastos em plena crise, determinam aumentos abusivos para o Judiciário, passagens para esposas, colocam verdadeiros bandidos condenados no congresso para gerir nossas leis, aumentam a luz em 100% além de todos os impostos para reparar toda a farra e incompetência que fizeram e o povo continua passivo !!
      Vc acha mesmo que se venderem a Amazônia (que já não é nossa de fato) vai haver um levante popular? Desculpe meu amigo mas é só aparecer um populista distribuindo bolsas, cargos políticos, telha, cimento, cesta básica etc.. e dizer que é pelo bem do planeta que haverão legiões de ineptos apoiando esta M..
      Abraço,

      • 1maluquinho says:

        Henrique.
        A grande maioria do povo desconhece tudo isso pois vive anestesiado pela midia manipuleira.
        Quando o povo desse pais se conscientizar de tudo se revoltara sim pois se sentira não so traido e enganado mas roubado.
        Somos nós que desenvolvemos,consumimos e pagamos impostos para tudo o que existe nesse pais existir.
        Meu caro durante muito tempo chamaram e achavam ser o rasileiro covarde.O perfil psicologico do brasileiro é de um psicopata,violeno e sanguinario.La fora muitos sabem disso.
        Mesmo sem armas uma turba enraivecida é capaz de vencer moderno exercito bem armado.
        destruir e arrasar tudo o que é vital e essencial e nossas grandes metropoles é facil.O dificil é ficar aqui dentro pois ate o sorriso de nossas crianças é mortifero.
        Eles se cagam de medo de nossa violencia,apenas os ratos internos desdenham.Que pena eles não terão tempo de descobrirem isso pois vão todos de ralo.
        Te afirmo que é um consenso da maioria de que quando o bicho pegar no Brasil antes de nos batermos com externos vamos passar o rodo geral em toda a imundice e em tudo e em todos que não se afinam.
        Espere para ver.
        O Diabo esta sorrindo.

      • 1maluquinho says:

        O DNA Brasileiro prefere ser extinto do que ser escravo.
        Assim eram nossos antepassados que deixaram civilizações mais evoluidas aterrorizadas,enclausuladas em fortificações na montanha olhando aterrorizadas para a planicie.
        Mesmo com toda a manipulação que vem desde a colonização e a total destruição de nossa historia anterior e a manipulação de nossa historia posterior,todo Brasileiro tem mais DNA nativo do que imagina.
        Ate mesmo um padre Espanhol foi a pouco canonizado como o primeiro santo Brasileiro e potetor dos póvos indigenas kkkkk logo ele um filho da puta que atraiu os Tamuyas que eram a liderança dos Tupinambas e da confederação dos Tamoios para a localidade de Iperoig apos os nativos terem derrotado vergonhosamente os Portugueses no interior de São Paulo.Pediram a paz,convenceram os Indios.Os Tamuyas deporam as armas e retornaram pacificos a Guanabara e forram trucidados,exterminados covardemente pelos Portugueses que so assim conseguiram colonizarem o Brasil.
        Pesquise meu caro sobre o tratado de Iperoig,o primeiro tratado de paz da historia do continente Americano.
        Tudo o que aprendemos é a historia do Brasil republicana,manipulada e mentirosa.
        Viva José de Anchieta,viva padre Nobrega exterminadores de nossos povos nativos eles são santos e nós continuamos demonios.

  27. Pingback: O pesadelo da perda da Amazônia existe, e agora tem mapa, programa e justificativa (*) | Ecoamazônia

  28. rprosa says:

    1maluquinho, infelizmente a culpa não é do governo seja este federal, estadual ou municipal a culpa pelos descaminhos que nossa política trilha e leva junto as nossas instituições e do nosso povo que continua deitado em berço esplendido e prefere falar de futebol, carnaval, novela e mulher pelada, ao contrario de se discutir e a participar ativamente dos assuntos políticos.

    A culpa é de nossa história tão plúrima em falsos ídolos e falsos lideres, que ao contrário de defender ois interesses do povo defendiam interesses particulares e ou de grupos, porém passaram para a história como heróis.

    A culpa e de nossa imprensa tão vinculada aos interesses de outros e não aos interesses da informação e da verdade.

    A culpa e de nosso péssimo nível escolar, onde criamos gerações e gerações de analfabetos informais.

    A culpa e da igreja, seja ela evangélica, messiânica ou católica por dar esperanças ao pobre e aos infelizes, pregando que Deus ou Jeová proverá o seu sustento que basta ter fé para alcançar tudo, quando na realidade só conquista aquele que luta, só possuí aquele que batalha.

    A culpa é de Deus por ter criado uma país tão abundante de riquezas e tão despreparado de vergonha e pudor.

    Colocar a culpa em armações estrangeiras e em nosso governantes e simples por demais, pois nós povo brasileiro não fazemos por merecer uma pís melhor, vez que não lutamos por nossos direitos e pelo direitos de nossos filhos e netos, assim este país sempre será uma banda podre, governado por matilhas de ladrões e abençoado pelo sol dos trópicos.

    Só há uma caminho e este caminho é o caminho da revolução, mas sequer um líder nós temos, pois como diria Cazuza meus heróis morreram de overdose, meus inimigos estão no poder.

    • 1maluquinho says:

      Meu caro esse argumento tambem não condiz com a realidade.
      Fomos acostumados e doutrinados a sermos escravos e nos contentarmos com agrados que hoje são bolsismos.
      Se voce implanta um sistema filha da puta sobre um povo pacifico e trabalhador ele se subjuga não por falta de carater mas por necessidade.
      Tem muito filho da puta que aprendeu a tirar vantagem de tudo isso sim mas a grande maioria é humilde e excluida.
      Nossas redes de comunicações e midias fazem o jogo do sistema e fazem tambem o jogo dos corsarios externos.
      São mais de 100 anos assim e quantas gerações nasceram,cresceram e viveram assim ?
      O Brasileiro tem capacidade de adaptar=se,de inovar,de criar,mas esse sistema desumano,covarde e escravagista não aposta,não investe,não capacita nosso maior patrimonio que é o nosso povo.
      Para todos eles nosso maior patrimonio são nossas riquesas.
      Não existe nenhuma forma possivel de mudar a tudo isso pois é na verdade um conjunto que mesmo indiretamente é interligado a ordenação externa.
      Não tem jeito so tem filhos da puta.Somos governados,administrados POR BANDIDOS.
      É mesmo uma organização criminosa que encloba o poder,o serviço publico e a maquina privada.
      Então meu caro se tudo isso é uma oreganização criminosa a rapinar o Brasil e a escravizar nosso povo TEMOS UM ADVERSO não é mesmo e dentro da nossa propria casa.
      Eu amo meu pais e meu povo e jamais queria ve-lo destruido e em escombros mas sera mesmo necessario uma sangrenta guerra civil que produza profundas sequelas necessaria para trazer HUMILDADE que se traduza em unidade e não mais em individualismos e egoismos.

  29. 1maluquinho says:

    Esta entrevista vale muito apena ser observada.
    Mas não so pelas afirmações declaradas mas por tudo aquilo que ele não revelou,não pode revelar e apenas mostrou ao governo Russo que mantem sob segredo.

    https://www.youtube.com/watch?v=dJQi8sufzv0

    O brasil é a verdadeira liderança emergente e a voz dos excluidos.
    Desarticular o Brasil é deter o avanço emergente e calar as vozes dos que anseiam.

    • rprosa says:

      Concordo com tudo que vc disse porém é o povo brasileiro que direta ou indiretamente da suporte a existência deste sistema falido, é este povo que elege seus representantes e este povo que da suporte a um sindicalismo pelego, é este povo que se cala frente a as maiores bandidagens praticados por políticos, é este povo que se contenta com salário de fome e bolsa esmola e vende o futuro de seus filhos por míseros trocados, é este povo que infelizmente vai eleger Lulla em 2018, assim como elegeu Renans, Sarneys, ACMs e muitas outras raposas durante décadas seguidas.

      Infelizmente o povo brasileiro não defende suas aspirações, seus direitos, não defende e sequer conhece o que é ser cidadão, e quando alguém se levanta na multidão e grita pelos seus direitos e visto como louco, lunático ou pior como um anarquista.

      Assim enquanto nosso povo se comportar como gado, as raposas continuaram a dominar o cenário político e institucional e nosso futuro será cada vez mais sombrio.

  30. ,..A verdade q estamos cercados de hermanos traíras…fato,,lamenntável. Sds. 😉

    • Josias says:

      verdade!

  31. Pingback: O pesadelo da perda da Amazônia existe, e agora tem mapa, programa e justificativa . | DFNS.net em Português

  32. RatusNatus says:

    Vejo que alguns setores da oposição dão suporte no Brasil a estes projetos.
    Quem são eles?

    Depois…adianta falar que não sabia?

  33. Josias says:

    Faz tempo que sei que os Estados Unidos estão por traz disso tudo, verdadeiros ambiciosos nas por território e riquezas naturais. O Brasil deve estar sempre preparado para o pior, mesmo que não tenhamos inimigos na atualidade! Os Norte-americanos já acabaram com as floresta deles por ganância na exploração das riquezas que lá existia, agora inventam essa historia de corredor” Aff! Por isso que sou a favor que o Brasil se una cada vez mais com a Rússia.

shared on wplocker.com