Defesa & Geopolítica

Caça russo de quinta geração será produzido a partir do próximo ano

Posted by

O caça russo de quinta geração Sukhoi PAK FA, também conhecido como T50, está próximo de entrar em produção. Na reta final da fase de testes, a aeronave, que incorpora elementos de automação que a tornam mais um robô do que um avião de combate, deverá ser fabricada a partir de 2016.

O T-50 possui uma tecnologia inovadora que torna o piloto uma parte de todo o sistema de controle do avião. “O PAK FA já é em algum grau um robô voador, onde o aviador cumpre a função não só de piloto, mas de um dos elementos constitutivos do aparelho de voar”, explicou o vice-chefe da Concern Radioelectronicos Tecnologias (Kret) Unidade da Rostech, Vladimir Miheev.

Ele afirma que outra das características do jato é o seu “painel inteligente”, que conta com dispositivos e blocos adicionais. “Se olharmos para a ponta da asa, de um lado, à asa do outro, há um terminal do sistema de defesa ativa Himalaya.” Em outubro a Kret declarou que havia entregue o primeiro lote deste equipamento para a aeronave, tendo sido desenvolvido por uma subsidiária em Kaluga e construído no Radioplant Signal Stavropol.

“O exclusivo sistema de radares ativos e passivos e telêmetro ópticos está integrado no corpo da aeronave e age como uma pele inteligente. A sua utilização não só melhora a proteção da aeronave contra esmagamento e sua capacidade de sobrevivência, mas também contraria, em grande medida, os efeitos da baixa observabilidade pela tecnologia das aeronaves inimigas”, explicou Kret.

Em janeiro, a Kret divulgou uma série de capacidades do T-50, anunciando que “a Sukhoi conseguiu reduzir significativamente a superfície de dispersão eficaz do PAK FA, que é o elemento básico para a visibilidade em radares de aeronaves”. “Para alcançar este nível de discrição, os designers moveram todas as armas para o interior do caça e também alinhando seus revestimentos com um material que absorve ondas de rádio.”

“Graças a estas novas soluções de design, o T-50 está agora à frente não só de todos os outros aviões de combate do Exército russo, mas também de modelos estrangeiros. Por exemplo, a visibilidade do jato de quinta geração norte-americano F-22 é 0,3–0,4 metros quadrados”, explicou a Kret, enquanto o valor para o T-50 é entre 0,1 e 1 metro quadrado.

“O T-50 é a primeira aeronave de combate russo feita a partir de uma proporção elevada de materiais compostos, constituindo 25% da massa da aeronave e cobrindo 70% da sua superfície,” explicou kret. Este caça foi escolhido para substituir o avião de combate de quarta geração Sukhoi Su-27, conhecido pela OTAN como Flanker B e que entrou em serviço com as forças aéreas soviéticas em 1985, e os Mig-29, Fulcrum segundo a aliança do Norte, que entrou em serviço em 1983.

O trabalho para a concepção de aviões de combate de quinta geração começou no final de 1980 nos EUA e na URSS. Embora não haja consenso universal sobre as funcionalidades para o título de jato de quinta geração, muitos sustentam que o único caça de quinta geração pronto para o combate é o Lockheed F-22 Raptor, da Força Aérea dos EUA, introduzido em 2005.

Em dezembro, a United Aircraft Corporation anunciou que a produção do lutador começará em 2016, após a conclusão da fase de testes. De acordo com o porta-voz da empresa, Vladislav Goncharenko, 55 jatos PAK FA serão entregues para a Força Aérea da Rússia em 2020.

Fonte: Sputniknews

68 Comments

  1. A Máquina Troll says:

    o programa abacaxi começou a mais tempo que este e ainda nem resolveram os erros de projeto do motor…pfff…

    • A Máquina Troll says:

      vão lançar os caças de sexta geração e ainda este programa abacaxi não terá chegado a fase de produção em serie…… 😉

      • teropode says:

        O fim da picata, um terceiro mundista ,filho da corrupçao ,criticando e defecando asneiras sobre as capacidades do IMPERIO pela boca,kkkkkk, deixe essas criticas e observaçoes para CHINESES,RUSSOS ,JAPONESES e ALEMAES fazerem , vc sendo filho de uma naçao vadia e vira-lata deve se calar e assistir os grandes se movimentarem , pode rasgar calcinha ,mas nao professe sobre algo que sua essencia viralata nao tem conhecimento de causa !!!!!

      • A Máquina Troll says:

        “teropode
        27 de maio de 2015 at 21:07”

        https://www.youtube.com/watch?v=kR6FLL-eZfc

      • A Máquina Troll says:

        “teropode

        27 de maio de 2015 at 21:07

        O fim da picata, um terceiro mundista ,filho da corrupçao”

        https://www.youtube.com/watch?v=JUAQap00f44

      • A Máquina Troll says:

        hi…..hi…hihihihi… 😀

      • A Máquina Troll says:

        ““teropode

        27 de maio de 2015 at 21:07

        O fim da picata, um terceiro mundista ,filho da corrupçao”

        KKKKKKKKKK….é por isso que adoro este blog….eu adoro todos vcs….todos vcs moram no meu coração meus fãs…..hihihihi… 😀

    • Deagol says:

      Mas o PAK-FA começou em 2003 e vai entrar em serviço em 2020.
      Por lá já vai ter uns 150 F-35.

      Sem contar que o motor final não está pronto e a furtividade também não.
      No PAK-FA também não resolveram os problemas.

      • A Máquina Troll says:

        “Deagol
        26 de maio de 2015 at 0:00

        Mas o PAK-FA começou em 2003 e vai entrar em serviço em 2020.
        Por lá já vai ter uns 150 F-35.”

        não interessa quantos produziram ou quantos produzirão….pois o programa esta cheio de erros de projetos….alguns graves como o do motor…a verba deste programa já sepultou ou paralisou vários outros programas militares estadunidenses….os gastos estão quebrando ainda mais a economia em crise/depressão daquele pais…….

      • A Máquina Troll says:

        o programa Pak Fa não é nenhuma reinvenção da roda…é um fato observável seu DNA da família Flanker….

      • Deagol says:

        Então o DNA é da década 70???
        E mesmo assim está com dificuldades?

        Isso se chama fazer menos com menos.

        Pela sua lógica, não pela minha.

      • A Máquina Troll says:

        agora se vc acredita como o senhor RR aqui que a economia daquela gente vai de vento em popa…que não existe e nunca existiu esse negocio de crise….de que o holocausto Judeu foi uma invenção/conspiração sionista….de que a Rússia nunca teve participação ou papel importante algum em eventos decisivos da segunda guerra mundial então tudo bem….quem duvida é sábio…quem acredita é feliz…

      • Deagol says:

        “”quem duvida é sábio…”””

        Quem sabe você duvida um pouco das suas afirmações e da propaganda russa?

        Tudo o que é russo é melhor!
        Só que nunca ninguém vê.

      • _RR_ says:

        Maquina,

        O holocausto aconteceu… Existem provas incontestáveis disso… Jamais disse o contrário… Aliás, quando foi que falei o alguma coisa acerca desse assunto aqui…?

        Também nunca disse que não havia crise econômica… Afinal de contas, ela é evidente… Contudo, também é um fato que os EUA se recuperam. Aliás, até hoje, vi apenas você usar o termo “depressão” para se referir as dificuldades recentes da economia americana.

      • Deagol says:

        PAK_FA também tem vários problemas, né?

        1-O motor é da geração passada.
        2-teve que voar com restrições de força G
        3-recebeu remendo nas asas
        4-fala-se em projetar outro radar
        5-faltou furtividade.
        6-atrasaram o programa em 5 anos
        7-pegou fogo 2 vezes
        8- teve vários voos suspensos

        Sem contar o que os russos escondem.

        Melhor esperar ficar pronto antes comparar.
        E o texto é sobre o PAK-FA.

      • Deagol says:

        Os russos negam e escondem os problemas deles e você acredita, caro máquina.

    • Deagol says:

      Colocar avião em serviço com tecnologia e motores da geração anterior é mais fácil, e mesmo assim tá difícil.

      • Warpath says:

        Esse PAK-FA lhe tira o sono em parceiro!! Meu Deus é muito amor!! 😀

        Aliás, já se recuperou da carcadinha q levou lá no DAN? Então vai a dica pra vc do titio Warpath: desarme-se contra o PAK-FA, pois com ou sem as suas críticas o PAK-FA será produzido, com ou sem as suas críticas, nem OTANzinha e nem EUA peitarão a Rússia e com ou sem as suas críticas, o PAK-FA será melhor que seus concorrentes americanos.

        Agora se quiser chorar, o inverno está aí e a caminha tá quentinha… rsrsrsrs

      • _RR_ says:

        Warpath,

        Queira desculpar, mas o que lhe dá tamanha certeza de que o PAK será melhor que os similares americanos…?

        Que eu saiba, os próprios russos admitem que não conseguiram avançar para além do nível de furtividade do Raptor. E não há qualquer indício de que ele irá superar a furtividade do F-35…

      • Deagol says:

        Para ele isso é um sofrimento imenso, RR.

        Por isso que ele está sempre dedicando sua vida e seu tempo a opinião dos outros.

        Pobreza social e sentimental.
        Só isso.

        Resumindo, arruma uma namorada que a raiva passa.

      • Deagol says:

        Por que um avião inferior, cheio de problemas e atrasado iria tirar o sono de alguém?

        Vai arrumar uma namorada.
        Ninguém está interessado nas suas briguinhas sociais.

        Você precisa ter amigos e namoradas, vai viver porque a vida é curta.

        Eu não sou o centro do mundo, Carolzita.

        Seja feliz! pois parece que você sofre muito quando a verdade aparece.

        Para de me seguir pela internet, tá vergonhoso isso.
        Você tá mal.

      • Deagol says:

        Na boa, essa sua obsessão por mim e pelo tireless está doentia.

        Você não tem dignidade, não tem orgulho e não se dá valor?
        Você está se rebaixando muito em nos perseguir.

        No DAN, o editor já concordou com alguns comentários meus?

        E os seus?

        Vai comer um bigmac e assistir Star Wars, eu que você adora.

      • A Máquina Troll says:

        “Deagol
        26 de maio de 2015 at 13:21

        arruma uma namorada que a raiva passa.”

        hummmm…isto é alguma proposta?!…. 😀

    • helveciofilho says:

      Sr Troll
      .
      Se você já deve percebido no Google a celebração do 3° lugar e com ouro !! ..rsrsrsr ..paradoxo igual a isso só aqueles bravatas de spefxialista que vive aqui mentido sobre a tecnologia russa.
      .
      .
      .
      (…) Sally Kristen Ride foi uma astronauta dos Estados Unidos e a primeira mulher norte-americana a ir ao espaço ….. após as soviéticas Valentina Tereshkova e Svetlana Savitskaya (…)

      • Deagol says:

        Alguma coisa do que eu disse não é verdade???

      • helveciofilho says:

        Aqui tem coisa … Hahahah …

    • _RR_ says:

      Maquina…

      Quais os projetos que os americanos já cessaram por causa do F-35…?

      Todos os projetos verdadeiramente importantes estão sendo levados a cabo, que vão desde o próprio caça F-35 até a nova classe de porta-aviões, passando pela nova atualização dos Burkes e a concepção de novos armamentos guiados…

      Quanto aos problemas de motores do F-35, o mais recente deveu-se a estrutura das pás dos rotores no terceiro estágio, cuja solução já foi encontrada na forma de um conjunto de titânio maciço para aquele estágio em particular.

      Aliás, é curioso como os americanos levam esse programa com tanta transparência, permitindo que esses problemas venham a público, o que nos possibilita ter uma ideia melhor das dificuldades em levar adiante um projeto tão complexo…

      Por fim, se for considerar os trabalhos no Su-47 Berkut, o PAK FA consumiu mais tempo que o F-35 e será posto em operação em uma versão ainda incompleta… Não que isso não seja algo mais pragmático, dadas as dificuldades técnicas, mas fatos são fatos…

  2. Pingback: Caça russo de quinta geração será produzido a partir do próximo ano | DFNS.net em Português

  3. Guga says:

    Como desenvolver uma aeronave de quinta geração com eletrônica e motorização nacional? Tá difícil de resolver uma série de problemas técnicos, o motor é de geração passada, problemas com a furtividade, problemas de software e eletrônica embarcada, etc…

    Adoraria que o Brasil tivesse este tipo de problema.

  4. ,..Vamos ver se na produção se resolve os problemas pontual/..Sds. 😉

  5. _RR_ says:

    Pessoal,

    Esses valores de RCS na reportagem corresponderiam a caças de geração 4.5… Aeronaves classificadas como furtivas, tem um RCS abaixo de 0,01m2.

    • A Máquina Troll says:

      “_RR_
      26 de maio de 2015 at 12:32

      Pessoal,

      Esses valores de RCS na reportagem corresponderiam a caças de geração 4.5… Aeronaves classificadas como furtivas, tem um RCS abaixo de 0,01m2.”

      The F-117 has a Radar cross-section of about 0.025 m2 (0.269 sq ft).

      http://en.wikipedia.org/wiki/Lockheed_F-117_Nighthawk

      • _RR_ says:

        Máquina…

        F-117A Nighthawk

        RCS (Generalized): 0.001 to 0.01 m2 (-30 to -20 dBsm)

        http://www.alternatewars.com/BBOW/Radar/Radar_Targets.htm

      • A Máquina Troll says:

        “_RR_
        28 de maio de 2015 at 18:12”

        valores superestimados por pura e simples propaganda….os valores exatos são segredo…suas informações não passam de meras especulações….tanto é que as informações liberadas ao publico são sempre valores aproximados(“cross-section of about”) e não exatos…….

      • _RR_ says:

        Sim… Os valores reais são segredos…

        Logo, quaisquer estimativas podem estar erradas… Inclusive as suas…

        Assim sendo, você não está em posição de dizer que é mera propaganda, posto que não há como ter qualquer informação verdadeiramente acurada; apenas estimativas…

        O que se sabe, e isso não é propaganda, é que o stealth funciona…

        No mais, o RCS muda, dependendo do angulo de visada, estado da cobertura RAM, etc… Portanto, os valores não tendem a serem fixos…

      • A Máquina Troll says:

        “_RR_
        29 de maio de 2015 at 9:34

        Sim… Os valores reais são segredos…

        Logo, quaisquer estimativas podem estar erradas… Inclusive as suas…”

        então o que o senhor esta querendo discutir/debater aqui?!…a tecnologia ajuda e da vantagem…mas não é esta coca cola toda que o senhor propagandeia tanto aqui…tanto é que não funciona em chuva ou neve….

      • _RR_ says:

        Maquina,

        “então o que o senhor esta querendo discutir/debater aqui?!”

        Mesmo que os dados possam não ser acurados, merecem ser debatidos, de uma forma ou de outra… Aliás, é através do debate; da troca de informações, é que se chega a alguma conclusão…

        “tanto é que não funciona em chuva ou neve”

        Que evidências reais existem disso…? A única coisa que pode ser fato nisso tudo é as intempéries desgastarem o material RAM, o que pode gerar alguma debilidade com o tempo. Agora, dizer que a furtividade não funciona na chuva… Isso não encontra qualquer sustentabilidade… Até porque, a furtividade não depende somente do material RAM, mas também das técnicas de forma…

      • Deagol says:

        Chuva e neve?

        Se você não tem um argumento sério que justifique então nem escreve.

        Por isso que não dá para te levar a sério, cara.

        Depois reclama que a gente considera troll.

      • A Máquina Troll says:

        senhores RR e Deagol não sou eu que afirmo ou atesto…são eles próprios lá que expõem/discutem estes problemas destes programas militares….

      • A Máquina Troll says:

        “RR_
        29 de maio de 2015 at 17:20

        Maquina,

        “então o que o senhor esta querendo discutir/debater aqui?!”

        Mesmo que os dados possam não ser acurados, merecem ser debatidos, de uma forma ou de outra… Aliás, é através do debate; da troca de informações, é que se chega a alguma conclusão…”

        senhor RR….o senhor mesmo desacredita/refuta seus próprios argumentos…começa a discussão afirmando uma coisa e no final o senhor mesmo acaba desacreditando seu próprio argumento…então afinal…o que o senhor quer discutir?! ?!… 😀

      • _RR_ says:

        Maquina,

        Não foi eu quem começou a discussão… Foi o senhor, quando se interpôs ao meu comentário lá em cima…

        Já postei uma resposta lá embaixo, mas vou posta-la aqui de novo, complementando-a melhor…

        Nada é passível de duvida, senhor Maquina… Ainda mais na área que estamos discutindo, onde as informações são classificadas, e tudo a que temos acesso é aquilo que está disponível para o público, que são, em essência, informações incompletas. Logo, quaisquer fontes que presumimos estar certas, podem estar erradas… Isso é óbvio…!

        Mas ao mesmo tempo podemos pesquisar por nossa conta os resultados que acreditamos estar mais próximos da verdade e tecer nossas próprias conclusões, e pondo-as em questionamento para chegar ainda mais próximo da verdade através da analise lógica de fatos e outras teses para dar suporte aquelas que defendemos.

        Enfim, essa é a essência do debate, senhor Maquina; questionar para chegar a uma conclusão… Ou o senhor nega que o debate seja essencial…? Se é assim, sou eu quem deve perguntar o que o senhor quer debater…

        Ora pois… Se não me engano, foi senhor mesmo que disse que quem duvida é sábio…

        Não existe verdade absoluta que parta de dados incompletos.

  6. ARC says:

    Muita falácia em relação ao T-50, maas o que vejo em relatórios que são divulgados é que está tudo conforme o cronograma, é perda de tempo querer comparar um caça com outro, parece até que guerra se faz com caças somente, ficam exaltando a máquina de outra nação em detrimento desta…ridículo.
    O T-50 segue o cronograma original, avançando segundo as propostas russas para sua aviação, que visa primariamente um caça stealth e que agregasse todos os avanços tecnológicos já alcançados em eletrônica, compósitos, etc, e com sucesso conseguiram alcançar muitos avanços, dentre eles o conceito de material inteligente na estrutura do caça (compósitos interligados) que em comunhão com a nova eletrônica do caça o tornam um vetor que surpreenderá em contra medidas e visibilidade em radares. Motorização NUNCA esteve na prancheta inicial, era previsto a implantação de um novo tipo de motor para os caças russos, e iniciaram o processo de pesquisas sobre qual seriam as necessidades desse novo motor e afins, e ficou previsto a sua conclusão de projeto para 2017 e produção a partir de 2018, enfim, segue o cronograma.
    Admiro muito o F-22, acho o Rafale o caça 4.5G o mais avançado, porém isso não me faz um bitolado que fica desmerecendo a enorme capacidade russa de produzir vetores de excelência.

    • Deagol says:

      Caro ARC.

      Como está tudo no cronograma se foi anunciado que a entrada em serviço ficará para 2020, e não para 2015 como havia sido anunciado poucos anos atrás.
      Antes da crise era uma prioridade da força aérea russa, agora não é mais?

      Mas também pergunto, porque cada matéria sobre o PAK-FA é motivo para essas comparações?
      Os colegas não tem nada de útil para falar sobre o PAK-FA, não tem capacidade de explorar as qualidades do avião e não tem nada a dizer.

      Por isso vem falar nos problemas do F-35 e F-22.
      O prezado MT ainda está na fase e decorar o que lê na internet e achar que por isso é “entendido”.

    • Deagol says:

      Grande ARC.

      “”ficam exaltando a máquina de outra nação em detrimento desta””

      Não acho estejam exaltando outra máquina, o que foi dito acima é basicamente a verdade. A conversa de “melhor ou pior” como de costume partiu dos fãs que nada de útil tem para dizer.

      Dizer que é menos furtivo é repetir o que os próprios disseram desde o início.

      Grande abraço!

      • ARC says:

        Saudações caro Deagol
        Acredito que houve um problema sim no planejamento do PAK FA e foi o motor que os russos haviam visto que seria necessaria uma jova categoria de motores para diminuir o consumo e assinatura termica do caça ( ps atuais são super potentes, mas super latentes) e isso fez a concepção e projeção do T-50 mudar, tanto que decidiram usar motores usuais até a chegada de um novo, mas no geral nada fora comum, até porque falhas e explosões são comuns no caminho doa progresso, só que quando se trata de EUA e Russia sempre vem a tona por questões de visibilidade e concorrencia, no demais ainda sou frustrado por nosso país não ter escolhido o T-50 rs. Abç

      • Deagol says:

        Também não identifico nenhum problema sério.

        Se estão tendo dificuldades técnicas é sinal que estão rompendo barreiras e inovando. Mais problemas que o F-35 certamente não tem.

        Mas é difícil comparar um programa praticamente ( ou parcialmente ) aberto ao público com outro fechado.

        Saudações

      • A Máquina Troll says:

        “Deagol
        26 de maio de 2015 at 13:31

        O prezado MT ainda está na fase e decorar o que lê na internet e achar que por isso é “entendido”.”

        “_RR_
        26 de maio de 2015 at 12:32

        Pessoal,

        Esses valores de RCS na reportagem corresponderiam a caças de geração 4.5… Aeronaves classificadas como furtivas, tem um RCS abaixo de 0,01m2.”

        vcs veem aqui desqualificam a participação Russa em eventos decisivos da segunda guerra mundial e até o F-117 Nighthawk como uma aeronave Stealth …e ainda querem atestar que eu é que sou Troll?!…..senhores Deagol e RR…vcs são umas figuras….vcs são um espetáculo….palmas para eles senhores:

        https://www.youtube.com/watch?v=IxAKFlpdcfc

        😀

      • Deagol says:

        Você mesmo diz que é troll.

        E às vezes da umas troladas mesmo, não pode negar.

        Sds.

      • _RR_ says:

        Máquina…

        F-117A Nighthawk

        RCS (Generalized): 0.001 to 0.01 m2 (-30 to -20 dBsm)

        http://www.alternatewars.com/BBOW/Radar/Radar_Targets.htm

        Desqualificar a participação russa na Segunda Guerra…? Quando isso…? Eu jamais a subestimei… O que eu não faço, isso sim, é superestima-la, como se só os russos tivessem vencido a guerra ou como se só eles tivessem lutado contra os alemães…

      • A Máquina Troll says:

        “_RR_
        28 de maio de 2015 at 18:12

        _RR_
        28 de maio de 2015 at 18:14”

        http://defenceforumindia.com/forum/threads/stealth-fighters-and-bombers.48973/

        The Lockheed F-117 Nighthawk is a single-seat, twin-engine stealth ground-attack aircraft formerly operated by the United States Air Force (USAF). Its first flight was in 1981, and it achieved initial operating capability status in October 1983.[1] The F-117 was “acknowledged” and revealed to the world in November 1988.[4]
        A product of Lockheed Skunk Works and a development of the Have Blue technology demonstrator, it became the first operational aircraft initially designed around stealth technology. The F-117A was widely publicized during the Persian Gulf War of 1991. It was commonly called the “Stealth Fighter” although it was a ground-attack aircraft.
        The Air Force retired the F-117 on 22 April 2008,[2] primarily because of the fielding of the F-22 Raptor[5] and the impending introduction of the F-35 Lightning II.[6] Sixty-four F-117s were built, 59 of which were production versions with five demonstrators/prototypes.
        Design:-
        The F-117 is shaped to deflect radar signals and is about the size of an F-15 Eagle. The single-seat Nighthawk is powered by two non-afterburning General Electric F404 turbofan engines, and has quadruple-redundant fly-by-wire flight controls. It is air refuelable. To lower development costs, the avionics, fly-by-wire systems, and other parts are derived from the General Dynamics F-16 Fighting Falcon, McDonnell Douglas F/A-18 Hornet and McDonnell Douglas F-15E Strike Eagle. The parts were originally described as spares on budgets for these aircraft, to keep the F-117 project secret.
        The F-117 Nighthawk has a radar signature of about 0.025 m2 (0.269 sq ft).[32] Among the penalties for stealth are lower engine power thrust, due to losses in the inlet and outlet, a very low wing aspect ratio, and a high sweep angle (50°) needed to deflect incoming radar waves to the sides.[33] With these design considerations and no afterburner, the F-117 is limited to subsonic speeds.
        The F-117A is equipped with sophisticated navigation and attack systems integrated into a digital avionics suite. It carries no radar, which lowers emissions and cross-section. It navigates primarily by GPS and high-accuracy inertial navigation. Missions are coordinated by an automated planning system that can automatically perform all aspects of an attack mission, including weapons release. Targets are acquired by a thermal imaging infrared system, slaved to a laser that finds the range and designates targets for laser-guided bombs. The F-117A’s split internal bay can carry 5,000 lb (2,300 kg) of ordnance. Typical weapons are a pair of GBU-10, GBU-12, or GBU-27 laser-guided bombs, two BLU-109 penetration bombs, or two Joint Direct Attack Munitions (JDAMs), a GPS/INS guided stand-off bomb.
        The F-117A’s faceted shape (made from 2-dimensional flat surfaces) resulted from the limitations of the 1970s-era computer technology used to calculate its radar cross-section. Later supercomputers made it possible for subsequent planes like the B-2 bomber to use curved surfaces while staying stealthy, through the use of far more computational resources to do the additional calculations needed.

        References:

        “Lockheed F-117A Nighthawk fact sheet.” National Museum of the United States Air Force. Retrieved: 1 August 2011.
        Pae, Peter. “Stealth fighters fly off the radar”. Los Angeles Times, 23 April 2008. Retrieved 27 April 2008.
        Aronstein and Piccirillo 1997, p. 267.
        Cunningham, Jim. “Cracks in the Black Dike, Secrecy, the Media and the F-117A.” Air & Space Power Journal, Fall 1991. Retrieved 19 March 2008.
        Eden 2004, p. 240.
        Ufimtsev, P.Ya. “Method of Edge Waves in the Physical Theory of Diffraction.” oai.dtic.mil. Retrieved 12 June 2010.
        Day, Dwayne A. “Stealth Technology.” Centennial of Flight, 2003. Retrieved 13 November 2010.
        UCI Ufimtsev, Pyotr Ya. “Method of Edge Waves in the Physical Theory of Diffraction.” Journal of the Moscow Institute for Radio Engineering, 1964.
        Ireton, Major Colin T. “Filling the Stealth Gap.” Air and Space Power Journal, Fall 2006.
        “The Advent, Evolution, and New Horizons of United States Stealth Aircraft.” ics.purdue.edu. Retrieved 12 June 2010.
        “F-117A Nighthawk.” Air-Attack.com. Retrieved 12 June 2010.
        “Top Gun – the F-117 Stealth Fighter.” BBC. Retrieved: 10 May 2011.
        Rich 1994, pp. 26–27.
        “F-117 History”. F-117 Stealth Fighter Association. Retrieved 20 January 2007.
        Goodall 1992, p. 19.
        Eden 2004, pp. 242–243.
        Goodall 1992, p. 24.
        F-117A “Senior Trend.” f-117a.com. Retrieved 12 June 2010.
        Rich 1994, p. 71.
        https://www.youtube.com/watch?v=mzQPIlXe2H0
        “The Secrets of Stealth”. Discovery Military Channel.
        “F-117A Nighthawk.” AirAttack.com.
        Goodall 1992, p. 27.
        Goodall 1992, p. 29.
        Holder, Bill; Wallace, Mike (2000). Lockheed F-117 Nighthawk: An Illustrated History of the Stealth Fighter. Atglen, PA: Schiffer Publishing, Ltd. ISBN 978-0-76430-067-7.
        Crickmore, Paul (2003). Combat Legend: F-117 Nighthawk. Airlife. pp. 33, 48–49, 60. ISBN 1 84037 394 6.
        Gregos, J. “First Public Display of the F-117 at Nellis AFB April 21, 1990.” dreamlandresort.com. Retrieved: 27 April 2012.
        “DOD 4120.15-L – Addendum.” United States Department of Defense, December 2007. Retrieved 12 June 2010.
        Donald 2003, p. 98.
        “DOD 4120.15-L: Model Designation of Military Aerospace Vehicles.”[dead link] United States Department of Defense, 12 May 2004, p. 38. Retrieved 20 January 2007.
        Grier. Peter. “Constant Peg.” airforce-magazine.com, Vol. 90, no. 4, April 2007. Retrieved 10 May 2011.
        Peter W. Merlin (2011). Images of Aviation: Area 51. Boston: Arcadia Publishing. p. 32. ISBN 978-0738576206.
        Miller 1990
        “Stealth and Beyond: Air Stealth (TV-series)”. The History Channel, 2006. Retrieved 19 March 2008.
        Crickmore, Paul and Alison J. (2003) [1999]. Nighthawk F-117 Stealth Fighter. Zenith Imprint. pp. 85–86. ISBN 1610607376.
        Rich and Janos, Skunk Works, pgs 30-31, 46.
        Richardson 2001, p. 57.
        Sweetman, Bill. “Unconventional Weapon.” Air & Space, December 2007/January 2008. Retrieved 1 July 2011.
        Rich 1994, p. 21.
        “Bistatic Radar Sets”. Radartutorial.eu. Retrieved 2010-12-16.
        Topolsky, Joshua. “Air Force’s stealth fighters making final flights.” CNN.com, 11 March 2008. Retrieved 11 March 2009.
        Crocker 2006, p. 382.
        “Weapons: F-117A Stealth.” PBS Frontline. Retrieved 12 June 2010.
        Schmitt, Eric. “Navy Looks On with Envy at Air Force Stealth Display.” The New York Times, 17 June 1991. Retrieved 24 April 2010.
        “OPERATION DESERT STORM Evaluation of the Air Campaign GAO/NSIAD-97-134” (PDF). General Accounting Office. 12 June 1997. pp. 73–74.
        GAO/NSIAD-97-134 p132
        GAO/NSIAD-97-134 pp. 136–37
        GAO/NSIAD-97-134 pp. 137–38. Dozens of F-16’s were routinely tasked to attack Baghdad in the first few days of the war.
        GAO/NSIAD-97-134 p. 105

        Logan, Don. Lockheed F-117 Nighthawks: A Stealth Fighter Roll Call. Atglen, Pennsylvania: Schiffer Publishing, 2009. ISBN 978-0-7643-3242-5.[page needed]
        “How to Take Down an F-117.” Strategy Page, 21 November 2005. Retrieved 12 June 2010.
        “Serb discusses 1999 downing of stealth.” USAToday.com, 26 October 2005. Retrieved 1 July 2009.
        Dsouza, Larkins. “Who shot down F-117?” Defence Aviation, 8 February 2007. Retrieved 1 August 2011.
        “Colonel Dani.” Defence Aviation, 8 February 2007. Retrieved 1 August 2011.
        Whitcomb, Darrel. “The Night They Saved Vega 31”. airforcemag.com. Air Force Association. Archived from the original on 22 April 2013. Retrieved 12 July 2014.
        Smith, Charles R. “Russia Offers India $8 billion Weapons Deal”. NewsMax.com 12 December 2001. Retrieved 20 January 2007.
        Dorr, Robert F. “USAF Fighter Force at 60”. AirForces Monthly magazine, October 2007.
        “Pilot recognizes crashed F-117A.” usatoday.com. Retrieved 24 April 2010.
        Stojanovic, Dusan. “China’s new stealth fighter may use US technology.” AP, 23 January 2011.
        “Damage said attributed to full moon.” Nl.newsbank.com, 6 May 1999. Retrieved 19 February 2012.
        Riccioni, Col. Everest E. “Description of our Failing Defence Acquisition System.” Project on government oversight, 8 March 2005. Quote: “This event, which occurred during the Kosovo conflict on 27 March, was a major blow to the US Air Force. The aircraft was special: an F-117 Nighthawk stealth bomber that should have been all but invisible to the Serbian air defences. And this certainly wasn’t a fluke—a few nights later, Serb missiles damaged a second F-117.”
        Nixon, Mark. “Gallant Knights, MiG-29 in Action during Allied Force.” AirForces Monthly magazine, January 2002.
        Miller, Jay. Lockheed Martin F/A-22 Raptor, Stealth Fighter, p. 44. Aerofax, 2005. ISBN 1-85780-158-X.
        Tiron, Roxana. “New Mexico Air Force base at crossroads.” The Hill, 22 February 2006. Retrieved 11 March 2009.
        “Program Budget Decision 720.” Department of Defense.
        Shea, Christopher. “Now you see it…” Boston Globe, 4 February 2007. Retrieved 11 March 2009.
        “F-117 pilot school closes.” Air Force Times. Retrieved 20 January 2007.
        Bates, Staff Sergeant Matthew. “F-117: A long, storied history that is about to end.” US Air Force, 28 October 2006.
        Barrier, Terri. “F-117A retirement bittersweet occasion.” Aerotech News and Review, 16 March 2007.
        Radecki, Alan. “F-117’s final formation fling”. Flight International, 8 August 2008. Retrieved 11 March 2009.
        “410th FLTS ‘Baja Scorpions’ closes historic chapter.” U.S. Air Force, Edwards AFB, 5 August 2008.
        “F-117 Flying 2013” 1 May 2013. Retrieved 21 December 2013.
        “Why Is The ‘Retired’ F-117 Nighthawk Still Flying?”. Foxtrotalpha.jalopnik.com. 2014-03-16. Retrieved 2014-04-21.
        “Navy still not interested in F-117N; JAST plan due tomorrow.” Aerospace Daily, Vol. 167, No. 52, 1993, p. 426.
        “Variant Aircraft.” f-117a.com, 14 July 2003. Retrieved 7 November 2010.
        Morocco, John D. “Lockheed Returns to Navy with new F-117N Design.” ‘’Aviation Week & Space Technology, Vol. 140, No. 10, 1994, p. 26.
        “Lockheed Martin targets RAF and USN for F-117.” Flight International, 28 June 1995.
        “Skunk Works official touts A/F-117X as Navy stealth option.” Aerospace Daily, Vol. 171, No. 56, 1994, p. 446.
        “F-117 History.” globalsecurity.org. Retrieved: 22 September 2010.
        “F-117 Nighthawk/79-10781.” National Museum of the USAF. Retrieved: 5 April 2013.
        “One of only four existing F-117s returns to Edwards.” Edwards Air Force Base. 13 June 2012.
        Daly, M. “Tape Reveals Stealth of Our Ukrainian Pal.”[dead link] Daily News. Retrieved 2 January 2008.
        “DOD 4120.15-L: Model Designation of Military Aerospace Vehicles”, p. 18. United States Department of Defense, 12 May 2004. Retrieved 20 January 2007.
        Rhodes, Jeffrey P. “The Black Jet.” Air Force Magazine, Air Force Association, Volume 73, Issue 7, July 1990. Retrieved 20 January 2007.
        Gresham, John D. “Gulf War 20th: Emerging from the Shadows.” defensemedianetwork.com, 21 January 2011. Retrieved 1 August 2011.
        “F-117A Nighthawk.” U.S. Air Force history. Retrieved 10 May 2011.
        “F-117A Nighthawk.” Federation of American Scientists. Retrieved: 13 November 2010.
        “Omaha Nighthawks official page.” ufl-football.com. Retrieved 6 June 2010.

        Bibliography:

        Aronstein, David C. and Albert C. Piccirillo. HAVE BLUE and the F-117A. Reston, Virginia: AIAA, 1997. ISBN 1-56347-245-7.
        Crocker, H.W. III. Don’t Tread on Me. New York: Crown Forum, 2006. ISBN 978-1-4000-5363-6.
        Donald, David (ed.). Black Jets: The Development and Operation of America’s Most Secret Warplanes. Norwalk, Connecticut: AIRtime Publishing Inc., 2003. ISBN 1-880588-67-6.
        Eden, Paul (ed.). The Encyclopedia of Modern Military Aircraft. London, UK: Amber Books, 2004. ISBN 1-904687-84-9.
        Goodall, James C. “The Lockheed F-117A Stealth Fighter”. America’s Stealth Fighters and Bombers: B-2, F-117, YF-22 and YF-23. St. Paul, Minnesota: Motorbooks International, 1992. ISBN 0-87938-609-6.
        Logan, Don. Lockheed F-117 Nighthawks: A Stealth Fighter Roll Call. Atglen, Pennsylvania: Schiffer Publishing, 2009. ISBN 978-0-7643-3242-5.
        Miller, Jay. Lockheed F-117 Stealth Fighter. Arlington, Texas: Aerofax Extra, 1990. ISBN 0-942548-48-5.
        Rich, Ben. Skunk Works. New York: Back Bay Books, 1994. ISBN 0-316-74330-5.
        Richardson, Doug. Stealth Warplanes. New York: Salamander Books Ltd, 2001. ISBN 0-7603-1051-3.

      • _RR_ says:

        Considerando que as informações são apenas estimativas, suas fontes são tão fidedignas quanto as minhas…

      • A Máquina Troll says:

        “_RR_
        29 de maio de 2015 at 9:35

        Considerando que as informações são apenas estimativas, suas fontes são tão fidedignas quanto as minhas…”

        então senhor RR….o senhor mesmo desacredita/refuta seus argumentos…afinal o que o senhor quer discuti aqui?!…

      • _RR_ says:

        Maquina,

        Já respondi lá em cima… Mas vou complementar aqui…

        Nada é passível de duvida, senhor Maquina… Ainda mais na área que estamos discutindo, onde as informações são classificadas, e tudo a que temos acesso é aquilo que está disponível para o público, que são, em essência, informações incompletas.

        Mas ao mesmo tempo podemos pesquisar por nossa conta os resultados que acreditamos estar mais próximos da verdade e tecer nossas próprias conclusões, e pondo-as em questionamento para chegar ainda mais próximo da verdade através da analise lógica de fatos e teses para comprovar as aquelas que defendemos. Essa é a essência do debate, senhor Maquina; questionar para chegar a uma conclusão… Ou o senhor nega que o debate seja essencial…? Se é assim, sou eu quem deve perguntar o que o senhor quer debater…

        Ora pois… Se não me engano, foi senhor mesmo que disse que quem duvida é sábio…

  7. PÉ DE CÃO says:

    então para quem falou qu ele ficaria a anos ate começar a produção já perdeu

    sobre os caças os dois americanos e russos o que existe além de tudo é muito roliudiano rsrs

    para vender e ao preço que se pede principalmente o americano você tem que dizer que o caça faz ate café expresso

    e o que eu acho mais interessante mas as noticias são muito menores são os radares que já conseguem enxergar essa tecnologia e os misseis esses sim podem acabar com a furtividade de todos

    tecnologia em misseis essa é a meta

    tanto que as duas potencias sabem disso e começam a investir em caças de sexta pois assim seria mais fácil com pilotos controlando a quilômetros de distancia por satélites

    mas ai os chinas na tecnologias de destiçao de satélites ,rsrs tudo esta em aberto

    o que não podemos é enquanto uns estão pensando em destuir satélites dos outros o brasil pensando em não começar a fazer esse tipo de experiência ou trabalhando para entender melhor esses meios

    já falei aqui o futuro é misseis e drones e meios para derrubar satélites o resto sem maldade é ostentação militar

    mas firma a cadencia !!!!!

    • Deagol says:

      “quem falou qu ele ficaria a anos ate começar a produção já perdeu”

      Mas ninguém falou isso.
      O que disseram é que a produção ficaria reduzida até 2020 e o texto confirma, pode ser que amanhã mudem de ideia.

      11 aviões por ano é mais ou menos o mínimo necessario para manter a linha de produção saudável.

      E cada um desenvolve seu caças de acordo com suas necessidades e sua doutrina.
      Melhor ou pior depende da necessidade de quem compra os aviões.

      • PÉ DE CÃO says:

        deagol não estava falando de agora desse texto mas de varias outras passagens
        que alguns falaram que não iria ter produção alguma durante milhões de anos rsrs

        e o que se prova nessa matéria é que isso caiu por terra
        sobre a quantidade ai já é outra historia mesmo assim não acho que ficara apenas em 11 por ano ,pois eles como os chinas fazem com uma vontade tremenda

        no caso russo submarinos saem como pão quente do forno rs

        então… SIM falaram isso e não foi apenas uma vez foram varias

        e mais uma vez caiu por terra a argumentação dessas pessoas .

  8. ,..Sputnik,: Exército russo receberá 100 mil equipamentos ‘Soldado do Futuro’
    © Sputnik/ Host Photo Agency / Dmitry Feoktistov
    Defesa
    16:34 26.05.2015(atualizado 17:59 26.05.2015) URL curta
    573181
    As Forças Armadas da Rússia receberão nos próximos dois anos 100 mil equipamentos Ratnik do “soldado do futuro”, informou o vice-presidente da Comissão Industrial Militar russa, Oleg Bochkariov.

    Autoridades da Jordânia destacaram confiabilidade e eficiência dos produtos da Rosatom (Росатом, em russo)
    © Sputnik/ Pavel Lisitsyn
    Rússia é líder em tecnologias para energia nuclear do futuro
    “Para 2015 está prevista a compra de 50 mil equipamentos. Em 2016, serão entregues às Forças Armadas outros 50 mil”, disse em uma conferência sobre tecnologias da informação a serviço do complexo industrial militar que está sendo realizada na cidade de Kazan.

    Nesta terça-feira, Bochkariov deu por finalizada a criação do equipamento para o “soldado do futuro”.

    “Todas as questões estão resolvidas. Os resultados do trabalho estão aprovados pelo ministro da Defesa, Serguey Shoygu, e pelo presidente do país”, afirmou.

    O equipamento Ratnik é composto por cerca de 50 elementos, entre armamentos, dispositivos de comunicação, designação de alvos, visão noturna e geolocalização, assim como sistemas de proteção individual contra armas de destruição em massa e não-letais.

    E às verbas p reequipar mínima/ n FAs estão contingenciadas…afinal, temos capaci// bélica, de revidar, diante de alguma agressão de outro país?!?! Estamos de mau a mt pior.. Terrível. Sds. 🙁

  9. rprosa says:

    Senhores façamos uma breve retrospectiva dos programas de 5º geração russo e americano.

    Desta forma, temos que no final da década de 80, início da década de 90, as autoridades militares da União Soviética começaram a sentir a necessidade do desenvolvimento de uma novo modelo de caça, como forma de se contrapor ao programa ATF americano que já esta em desenvolvimento desde o início da década de 80, sendo que pelos planos preliminares a nova aeronave deveria entrar em operação em meados da década de 90.

    O avião deveria ter como características preliminares a capacidade de ataque ao solo, bem como deveria ser um interceptador nato, já que o novo modelo deveria substituir os MIG 23, MIG, 27, SU 22, MiG-29 e Su-27., como resultado desta investida soviétia, o Bureau MIG apresentou o protótipo do MiG 1,44, enquanto a Sukhoi apresentou o SU 45 Berkut, sendo que o programa Berkut iniciou-se apenas no início da década de 90, posto que a Sukhoi não tencionava particiapr dos requerimentos efetuados pelas autoridades militares.

    Ocorre que com o colapso da URSS, os programas militares foram os mais afetados e o MIG 1.44 somente voou no início dos anos 2000, sendo que foram construídos apenas 2 prototipos um pare ensaio em voo e outro apra ensaios estáticos, apesar de promissor o programa MiG 1.44 foi cancelado em meados do ano 2002, enquanto que o SU-47 permaneceu como plataforma de demonstração de tecnologia e ensaios em voos. .

    Em 2002 as autoridades russas, promoveram novos requerimentos de uma caça avançado (PAK-FA), como forma de concorrer aos avanços obtidos com os novos modelos de caça ocidental, como o Eurofighter Typhoon, F-22 Raptor e Rafale, sendo que a Sukhoi saiu-se vencedora deste certamente com seu projeto, o qual denominou-se T-50, sendo que uma das premissa básicas foi ao aproveitamento das tecnologias já desenvolvidas no programas MIG 1.44 e SU-47.

    Por outro lado, e de sabença de todos aqui neste blog que o programa ATF iniciou-se em 1981, coma apresentação dos aprametros do novo caça pela USAF, sendo a LM declarada vencedora em 1991, após exaustivos teste que se iniciaram em 1986 entre os prototipos YF-22 da LM e YF-23 do consórcio liderado pela Boeing, sendo que como todos nós sabemos o novo caça deveria substituir os F-16, F-15, e F-18 da USAF, bem como, se contrapor de forma efetiva aos “novos” Su-27 “Flanker” e MiG-29 “Fulcrum” soviéticos.

    Assim, na mais pessimista das hipóteses os soviéticos/russos começaram o desenvolvimento de seu vetor de superioridade aérea de 5º geração no mínimo 10 anos atrasados em relação aos americanos, fato este devido principalmente a crise financeira e não por incapacidade tecnológica, até por que o desenvolvimento do ATF foi uma resposta americana as novas dos SU-27 e MiG-29.

    No que tange o programa JSF, pode-se afirmar que sua gênese se dá em 1993 coma criação pelo DOD americano do JAST (Joint Strike Advance Tecnology), como fruto do desenvolvimento do programa ATF, sendo que em 1995 foi aberto um concurso para se escolher a proposta de desenvolvimento do novo vetor de combate, onde concorreram um consórcio liderado pela LM e um consórcio liderado pela Boeing, concurso este vencido pela LM.

    Desta forma, na mais otimista das hipóteses o programa JSF, do qual nasceu o F-35 já encontra-se em desenvolvimento a mais de 20 anos, sem conseguir fazer com que o pato que eles projetaram, voe como uma águia, nade como um tubarão e ande em terra com um cavalo árabe, e isso sem enfrentar crises econômicas ou redução de valores para investimento.

    Ouso afirmar que se não fosse a teimosia do DOd em desenvolver um pato, o programa F-35 já estaria concluído a muito tempo, mas infelizmente está difícil compatibilizar na mesma aeronave as diversas capacidades que o DOD exige, ou seja se fosse desenvolvida uma versão bimotora para USNAVY e USAF e uma STOL para os Marines o F-35 já estaria operacional a muito tempo, podendo aos poucos ser implementado ao programa os avanços da tecnologia.

    Porém ao passo que o DOD deseja possuir a máquina suprema de guerra, uma verdadeira Estrela da Morte, fica difícil compatibilizar tanto requerimento e exigências num único projeto, sendo que a LM agradece estas exigências e requerimentos, pois as falhas no projeto e no processo de desenvolvimento são suportados exclusivamente pelos investidores extranacionais e pelos contribuintes americanos.

    PS- Desculpem os erros de digitação nos meus post, pois por ordem médica estou proibido de usar lentes de contato até o final do mês de maio.

    • _RR_ says:

      rprosa,

      Uma variante bimotora do F-35 seria algo ainda mais complexo… Dois motores iriam requerer uma fuselagem muito maior, posto as exigências de alcance e autonomia… Se já está caro agora, imagine maior e mais pesado… O desenvolvimento de versões tão distintas, bimotoras e uma STOL, poderia deixar tudo ainda mais caro do que já é…

      Aliás, entendo que o que mais “emperra” o programa é justamente desenvolver as três versões distintas, exigindo-se o máximo possível de compatibilidade… Houvesse somente uma versão “A” e uma “C” levemente modificada, poderia já estar operacional…

      No mais, basta observar o perfil do F-35 para se entender que a prioridade daquela aeronave é levar combustível e armas, além dos seus sensores. No mais, com relação a performance, buscou-se apenas cobrir o mínimo necessário ( e isso, o básico, ele faz )…

      • _RR_ says:

        correção:

        no lugar de: “…versões distintas, exigindo-se o máximo possível de compatibilidade…”

        lê-se: “…versões distintas, mesmo exigindo-se o máximo possível de compatibilidade…”

      • rprosa says:

        _RR_ ouso discordar, pois os EUA possuem excelentes turbinas, como por exemplo as que equipam os F-18 H, e estas não demandam uma fuselagem muito maior, ao contrário a enorme fuselagem do F-35, deriva exatamente da única turbina instalada que foi maximizada para possibilitar ao F-35 o empuxo necessário, além de ser a mesma turbina que movimenta o F-35 B.

        Assim se fosse usado uma versão atualizada das turbinas do F-18 H, teríamos uma economia de escala e o uso de uma turbina já provada em combate, ao contrário optou-se pelo desenvolvimento de uma novo motor muito mais complexo e mais dispendioso, o resultado ai está, um caça que erra para estar operacional em 2010, segundo os cronogramas e custar cerca de 90 milhões de dólares, somente entrará em uso operacional em 2017 a um custo unitário de mais de 190 milhões.

        Mas os EUA são ricos eles podem jogar dinheiro fora

    • A Máquina Troll says:

      “rprosa
      26 de maio de 2015 at 21:19”

      http://en.wikipedia.org/wiki/Mikoyan_LMFS

      • rprosa says:

        A Máquina Troll, notícias vindas da Rússia sobre o desenvolvimento de novos vetores são muitas, por exemplo já foi veiculada que o a RAK-MIG staria desenvolvendo uma novo MIG-31 Fox Bat, sendo este vetor capaz de voar em velocidade hipersônica, assim como foi noticiado que a RAK-MIG estariua desenvolvendo um caça leve de 5ª geração para formar um Hi-Lo mix com os T-50, isso sem contar as fotos que circulam na net sobre os ensaios do Skat.

        Desta forma, projetos os russos tem aos montes vamos ver se há condições financeiras de desenvolve-los.

      • A Máquina Troll says:

        😉

  10. ,..Sputnik.\; Helicópteros russos são igualados aos principais modelos internacionais
    © Sputnik/ Anton Denisov
    Defesa
    11:52 27.05.2015URL curta
    17570
    A indústria de helicópteros russa pode competir com sucesso com rivais estrangeiros, incluindo os EUA. A opinião é do diretor Adjunto da Russian Helicpters, Andrei Shibitov, em uma conferência no Tartaristão.

    Helicóptero Robinson R66 turbine chega para a HeliRussia 2015
    © Sputnik/ Mikhail Voskresenskiy
    Brasil e Rússia poderiam trabalhar no desenvolvimento de helicóptero de nova geração
    Segundo o executivo, os modernos helicópteros de ataque russo Mi-28 e Ka-52 são comparáveis com o Apache AH-64, dos EUA, em seus sistemas eletrônicos de bordo. “Dez anos atrás, alguns dos nossos sistemas estavam atrasados de 10 a 15 anos, mas agora eu posso dizer que os nossos projetos mais recentes são praticamente comparáveis com os concorrentes estrangeiros.”

    Shibitov também observou que o Mi-28 e o Ka-52 são mais do que apenas helicópteros, podendo ser descritos como “complexos de helicóptero”.

    O helicóptero Ka-52 no aeroporto militar de Kubinka.
    © Sputnik/ Vladimir Astapkovich
    Empresa russa diz que helicópteros Ka-52 são ideais para América Latina
    Fundada em 2007, a Russian Helicopters é um dos líderes mundiais na indústria de fabricação de helicópteros. A holding é composta por cinco unidades de fabricação, duas agências de design, instalações de reparação e uma empresa de serviços. A companhia vende helicópteros para ministérios russos, companhias aéreas e grandes empresas nacionais e estrangeiras.

    Em 2014, as receitas da Russian Helicopters aumentaram 22,8%, para 169,8 bilhões de rublos, aproximadamente US$ 3,3 bilhões. Um total de 271 helicópteros foram entregues.
    70

    Leia mais: http://br.sputniknews.com/defesa/20150527/1137300.html#ixzz3bM3WGpOd
    Sds, 🙂

  11. teropode says:

    Ateh que enfim um pato alvo para justificar a existencia do vitaminado RAPTOR ( Velociraptor ,raptor veloz, o mais mortal e capaz dos teropodes dotados de penugens),assim tiram a augustia que assola o IMPERIO e ao mesmo tempo abrem-se os cofres para o X WING sexta geraçao , chuuuuupa bolsistas petralhas, parasitas da naçao,kkkkkkk !

  12. rprosa says:

    teropode, pena que os “teropodes dotados de penugens” se transformaram nas galinha, patos e marrecos de hoje (modo irônico off)

    • A Máquina Troll says:

      “rprosa
      29 de maio de 2015 at 13:23

      teropode, pena que os “teropodes dotados de penugens” se transformaram nas galinha, patos e marrecos de hoje (modo irônico off)”

      hihihihihi…..comentário com selo Máquina Troll de qualidade….. 😉

shared on wplocker.com