Defesa & Geopolítica

Kiev viola cessar-fogo com bombardeios e artilharia de foguetes na linha de contato

Posted by

© REUTERS/ Alexei Chernyshev

O Exército ucraniano continua a bombardear o território da autoproclamada República Popular de Donetsk (RPD) e trouxe de volta equipamentos de artilharia pesada para a linha de contato em Donbass, segundo informou o porta-voz do Ministério da Defesa da região independentista, Eduard Basurin, em briefing nesta quinta-feira (30).

Ao longo das últimas 24 horas, segundo ele, as forças ucranianas bombardearam Donetsk 34 vezes, incluindo quatro vezes com artilharia pesada e 15 vezes com morteiros.

“As forças ucranianas também continuam abrindo fogo contra nossos assentamentos perto da linha de contato a partir de tanques e veículos de combate de infantaria, bem como com armas de fogo. Os comandantes ucranianos continuam secretamente trazendo sistemas de artilharia de foguetes para posições ao longo da linha de contato”, acrescentou.

A vigilância da RPD registrou seis sistemas de lançadores múltiplos de foguetes Grad perto do assentamento de Semigorye, 50 km a nordeste de Donetsk, e quatro sistemas Uragan perto da cidade de Yasnoborodovka, 10 km a noroeste de Donetsk.

“Esses tipos de equipamentos estão sujeitos à retirada da linha de contato, e posicioná-los nos locais anteriormente mencionados contradiz os acordos de Minsk”, ressaltou Basurin.

O cessar-fogo no leste da Ucrânia é um dos pontos-chave dos acordos de Minsk para a resolução da crise. Outros pontos incluem a retirada do armamento pesado da linha de contato entre as forças independentistas e as tropas de Kiev, troca de prisioneiros, eleições locais em Donbass e reforma constitucional na Ucrânia.

Os acordos foram assinados em Minsk em 12 de fevereiro, após quase 14 horas de negociações no chamado formato da Normandia. Participaram das conversações o presidente russo, Vladimir Putin, o presidente francês, François Hollande, a chanceler alemã, Angela Merkel, e o presidente ucraniano, Pyotr Poroshenko. Simultaneamente, uma reunião do Grupo de Contato para a resolução da crise ucraniana também foi realizada na capital bielorrussa.

Apesar das acusações mútuas de violação, o instável cessar-fogo continua vigente, sendo amplamente considerado pelas partes envolvidas e pelos mediadores internacionais como indispensável para apaziguar a região. Segundo dados da ONU, mais de 6 mil pessoas já morreram em decorrência do conflito no leste da Ucrânia desde que Kiev deu início à operação militar para sufocar os movimentos de independência de Donbass, que não reconhecem a legitimidade do governo que subiu ao poder após um golpe de Estado em fevereiro de 2014.

Fonte: Sputnik News Brasil

Poroshenko: Guerra continuará até a Ucrânia recuperar Crimeia e Donbass

O presidente ucraniano, Pyotr Poroshenko, declarou nesta quinta-feira que a guerra no leste do país vai continuar até que Kiev recupere a Crimeia e Donbass.

“A guerra só terminará quando a Ucrânia recuperar Donbass e a Crimeia. E se prolongará pelo tempo que for necessário”, disse o líder ucraniano, segundo a agência de notícias do país UNN.

Poroshenko disse ainda que alguns países passam muito tempo vivendo em clima de guerra, mas ao mesmo tempo reconheceu que a solução ideal para a Ucrânia é dar fim às hostilidades e recuperar Donbass por meios pacíficos.

Os habitantes das províncias de Donetsk e Lugansk, descontentes com a mudança de governo efetuada em Kiev, em fevereiro de 2014, promoveram protestos e ocuparam edifícios governamentais em abril. Em seguida, se autoproclamaram repúblicas populares que decretaram sua secessão do território ucraniano.

Kiev, que não reconhece as repúblicas autoproclamadas,iniciou, então,uma operação militar que provocou o conflito armado no leste da Ucrânia. Mais de 6.100 pessoas já morreram nos combates, segundo a ONU.

Em fevereiro deste ano, o Quarteto da Normandia, formado pelos líderes de Rússia, Alemanha, França e Ucrânia, se reuniu em Minsk, na Bielorrússia, e chegou a um acordo por um cessar-fogo entre Kiev e as repúblicas de Donetsk e Lugansk.

Fonte: Sputnik Sews Brasil

 

8 Comments

  1. ,..Era previsível essa atitude do Quieve, afinal acabou o inverno, logo, operações por terra são agr viáveis…e c a otan apoiando…vai correr mt sangue…trágico.Sds. 😉

  2. PÉ DE CÃO says:

    vai tomar é outro sacode esses nazistinhas financiados por sionistas !!

    ou algum estrategista dos ucranianos do leste acharam que seria diferente

    ao contrario se reagruparam novamente ,cada vez que Kiev ataca perde mais território .

  3. 1maluquinho says:

    O líder Ucraniano já declarou publicamente que a guerra só termina com a reintegração da Crime ia e a rendição das províncias rebeldes.
    Toda vez que a guerra está desfavorável a eles pedem agrego com cessar fogo que apenas serve para se rearmamento e reinvestir.
    Então que o caldo engrosse e que vença quem sobreviver.
    A hipocrisia Ocidental compactua e quando os rebeldes recrudescer acusam os Russos.

  4. JOJO says:

    Os “parceiros” de Putin vao continuar com essa Guerra na Ucrania ate assassinarem o proprio Putin, ou lutar ate o ultima pessoa ucraniana e depois europeia conseguir se manter de pe, ou se deitado, conseguir manusear um rifle ou pistola.Coitados sao os novos russos do Leste Ucranianos. Ate quando conseguiram lutar e destruir o exercito de Kiev e depois abandoner a Vitoria, e ceder o terreno conquistados aos derrotados, dando-lhes treguas para eles se reorganizarem. Com oligarcas tipo Putin atras deles, estao numa situacao periclitosa, para nao dizer estao fdd.

  5. helveciofilho says:

    Da ultima vez que fizeram isso, levaram o maior pau sobrou até para os estrageiros que falam influentemente o inglês com sotaque texano .. rsrsr .. que estavam treinado o exercito ucranazista . 😉
    .
    E depois o chocolateiro quer uma força de paz para aquela região …Hahaha …até parece que está recebendo conselhos de outro neo-nazista cujo o apelide é BiBi …pode ?

  6. Nascimento says:

    Quem governa a Ucrânia na realidade são os EUA. E sua política atual é transformar a mesma em terra devastada por fome e armas.Fazendo com russos e europeus gastem seus recurssos para conter milhões de famintos e ex-combatentes.

  7. Alvez8O says:

    “O presidente ucraniano, Pyotr Poroshenko, declarou nesta quinta-feira que a guerra no leste do país vai continuar até que Kiev recupere a Crimeia e Donbass.”
    ——————————

    Tal declaração, mais os bombardeios com artilharia pesada e foguetes, não deixam dúvidas sobre as intenções “de Kiev”. Entre aspas mesmo, porque são forças externas que querem que o conflito continue.

    As palavras de Poroshenko refletem a postura semelhante de seus “patrocinadores estrangeiros” que não estão interessados em soluções pacíficas para a região do Donbass.


    “O Comitê de Serviços Armados da Câmara dos Estados Unidos, aprovou na quinta-feira um projeto de lei prevendo $ 200 milhões para fornecer Ucrânia com armas e treinar seu exército . É esperado que a Câmara dos Representantes analise a questão em breve.”

    Isto, mais uma vez…Demonstra que os patrocinadores externos de Kiev estão se preparando para uma nova guerra e não estão planejando agir em conformidade com os acordos de Minsk e Minsk-2.

    A paz na Ucrânia traz prejuízos a plutocracia anglo/sionista, guerra e carnificina: Vantagens.
    Hienas e abutres necessitam de cadáveres para se alimentar….

  8. Alvez8O says:

    O jogo anglo/sionista na Ucrânia é construir e manter um muro entre Europa e Rússia e China, impedindo ou dificultando e atrasando ao máximo, a integração econômica entre Oriente (especialmente Rússia e China) e o Ocidente europeu.

    Para tal objetivo, manter as chamas de uma guerra ardendo na Ucrânia é algo muito valioso…

    Através de governantes capachos e da colonizada e aparelhada burocracia de Bruxelas, a “killercleptocracia anglo/sionista” possui grande poder sobre a UE, mesmo assim, sem criar novos fatos (e factoides) em campo, torna-se difícil manter o muro de sanções e a pretendida divisão entre leste e oeste…Como demonstra esta noticia:


    “Ministério russo dos Negócios Estrangeiros : Áustria Interessada em uma rápida normalização das relações com a Rússia”

    http://russian.rt.com/article/89362

    Por isto, a paz serve aos interesses da Rússia e da Europa. Más para o EUA, que busca transformar a Europa em mercado cativo e exclusivo, só a guerra satisfaz!

shared on wplocker.com