Defesa & Geopolítica

Presidentes da Argentina e Rússia discutirão Ucrânia e blocos internacionais

Posted by

A Ucrânia e a parceria no quadro de blocos internacionais estão na pauta do encontro de quinta-feira (23) entre os presidentes da Rússia e da Argentina, Vladimir Putin e Cristina Fernández de Kirchner.

De acordo com Yury Ushakov, assessor do presidente russo, a declaração conjunta dos presidentes sobre a parceria estratégica aumenta o nível das relações bilaterais.
“Anteriormente, elas [as relações russo-argentinas] eram qualificadas como parceria estratégica, e a partir de agora passam a ser uma parceria estratégica total”, especificou Ushakov.

O documento, que Cristina Kirchner, junto com Vladimir Putin, assinará na quinta-feira, tocará uma série de assuntos internacionais, frisa o assessor presidencial:

“Além do ângulo bilateral, este documento contém as posições dos dois países sobre os assuntos regionais e internacionais mais relevantes, inclusive a parceria no quadro da ONU, do G20, a situação na Ucrânia e o litígio das ilhas Malvinas”.

No entanto, Ushakov não comentou se as relações com os EUA, Cuba e Venezuela vão formar parte da agenda da reunião presidencial.

Vários especialistas argentinos, consultados pela Sputnik Brasil e Sputnik Mundo, esperam que o tema dos BRICS também seja tratado durante a visita. No ano passado, aquando da cúpula do grupo em Fortaleza, o presidente russo e chinês fizeram visitas (separadas) a Buenos Aires para encontrar-se com Cristina Fernández de Kirchner. As visitas foram consideradas por muitos observadores como um possível início do processo de aceitação da Argentina no seio dos BRICS.

Para o deputado Edgardo Form, do partido argentino Nuevo Encuentro, o estreitamento da parceria com a Rússia significa maior independência da ditadura econômica dos Estados Unidos. O intercâmbio comercial em moedas locais, sem o uso do dólar, é um tema que está se discutindo na América Latina:

“Eu acredito que a parceria estratégica com a Rússia é de uma grande importância, já que as economias dos nossos países se complementam. A Argentina é um grande produtor de produtos alimentícios, e a Rússia oferece tecnologias modernas em áreas vitais. Por isso, é desejável que os nossos países realizem o intercâmbio comercial sem usar o dólar”.

Nesta quarta-feira, no primeiro dia depois da chegada de Cristina Kirchner a Moscou, acontece na capital da Rússia o Fórum Científico Técnico, com a participação de dezenas de empresários e representantes do governo argentino.

A presidente Kirchner disse durante o evento que a Argentina está vivendo um momento de recuperação do setor técnico e científico e que a parceria com a Rússia é muito oportuna.

Fonte: Sputnik News Brasil 

Companhia russa construirá usina hidrelétrica na Argentina

Um consórcio de empresas com a participação da empresa russa Inter RAO – Export ganhou o concurso para a construção da usina hidrelétrica de Chihuido-1 na Argentina e está interessado em participar de um concurso semelhante (Chihuido-2), informou o assessor do presidente russo, Yury Ushakov.

“O consórcio de empresas com a participação da RAO – Export ganhou o concurso para a construção da Chihuido-1 com capacidade de 637 MW. Os investimentos russos são cerca 2 bilhões de dólares”, disse Ushakov aos jornalistas.

A Inter RAO – Export exporta equipamentos para usinas hidrelétricas. De acordo com os materiais da empresa, a companhia está envolvida em projetos na Venezuela, Equador, Cuba e negocia com Iraque, Etiópia e outros países. De acordo com o assessor do presidente, a empresa também está interessada em participar no concurso da Chihuido-2 (296 MW), na província argentina de Neuquén.

De acordo com o cientista político argentino e professor da Universidade de Buenos Aires Atilio Boron, os dois países têm muitos interesses comuns, e eles poderiam se complementar na esfera científica e técnica.

“A Argentina tem cientistas e especialistas de nível muito alto, que poderão aplicar as tecnologias russas no domínio da energia nuclear e extração de gás e petróleo”, disse.

Por sua vez, a Argentina poderia beneficiar a Rússia no domínio da produção de alimentos e também em algumas áreas da indústria e da tecnologia (satélites, software e muito mais).

Fonte: Dputnik News Brasil

 

 

shared on wplocker.com