Caso Brown/Ferguson reabre debates nos EUA: Discriminação racial e violência policial

Manifestantes em Oakland/EUA – 14 de Julho 2013

Dois policiais são baleados em Ferguson

Após relatório denunciar práticas discriminatórias por parte das autoridades locais, renúncia de chefe de polícia provoca protesto. Há sete meses, morte de negro por policial branco acendeu os ânimos na cidade americana.

Dois policiais foram baleados na madrugada desta quinta-feira (12/03) na cidade de Ferguson, no estado americano do Missouri. O incidente ocorreu durante um protesto realizado horas depois da renúncia do chefe de polícia Thomas Jackson.

Sob pressão, Jackson deixa o cargo após um relatório do Departamento de Justiça dos EUA apontar práticas discriminatórias dos agentes e das autoridades de Ferguson.

No protesto diante do Departamento de Polícia, um policial de 32 anos sofreu ferimentos no rosto e o outro, de 41, no ombro. Os dois foram levados conscientes para o hospital, com “ferimentos graves”, segundo o chefe de polícia do condado de St. Louis, Jon Belmar. “Estes policiais estavam parados lá e foram alvejados só pelo fato de serem policiais”, afirmou Belmar.

Os protestos começaram de maneira pacífica, mas acabaram levando a um confronto entre policiais e manifestantes. Ao menos duas pessoas foram presas.

Jackson é a sexta autoridade local a deixar o cargo desde a morte de Michael Brown, de 18 anos, em agosto do ano passado. O jovem negro estava desarmado quando abordado e morto pelo policial branco Darren Wilson.

O relatório do Departamento de Justiça americano publicado na semana passada indica que a polícia local tem padrões racistas de comportamento. No entanto, o órgão decidiu não indiciar Wilson pelo assassinato de Brown.

O caso Brown desencadeou protestos e reabriu dois debates-chave nos Estados Unidos: discriminação racial e violência policial.

MSB/rtr/lusa/ap

Fonte: DW.DE

18 Comentários

  1. Até parece com as ruas de Caracas ..rsrsrsr
    .
    Com a palava os hipócritas e demagogos coXinhas … que adoram criticar a falta de direito Humano e de democracia na Venezuela …..Hahahah….
    .
    .
    Uma noite de Maidan em Ferguson .. hahahah …

    • Acho que serve melhor para os mortadelas amantes da cultura americana e macdonalds.

      Comparar o respeito com os direitos humanos na Venezuela e no Brasil com os Estados Unidos?

      Não só a polícia de lá mata 5 vezes menos que a nossa, como também a segurança pública é muito mais eficiente. Nos EUA pode-se andar rua com tranquilidade na maior parte do país.

      E, ao contrário do Brasil que, quando um negro é morto pela polícia ninguém dá bola, lá as pessoas se movimentam e protestam.

      Esse complexo de inferioridade latino americano não dá para entender.
      Você precisa ir para disney.

      • (…) Não só a polícia de lá mata 5 vezes menos que a nossa, como também a segurança pública é muito mais eficiente. Nos EUA pode-se andar rua com tranquilidade na maior parte do país. (…)
        .
        .
        OHH … ! … coitado … hahahah .. eles mascaram ests estatística …. criatura inocente … Hahahahah …assim como faz a polícia paulistana; por exemplo …rsrsrrs … muitos favelados( obamaville ), preto ou pobre que morre nas mão da polícia, não entram nessa estatística de confronto com a polícia …dizem que foi vítima de roubo ou troca de tiro com outro meliante más nuca como vítima da truculência policial
        .
        .
        Esse Jozinho. um pobre inconformado por ser desprezado ParTido realmente é um inocente … Hahahah…

      • Polícia dos EUA esconde em relatório oficial metade dos casos de morte de civis no país
        .
        (*)fonte: [ operamundi.uol.com.br ]
        .
        .
        (…)Um relatório do governo dos EUA apontou que o total de homicídios praticados pela polícia norte-americana é duas vezes maior do que o número de casos que são oficialmente relatados pelas forças de segurança ao governo. Isto é, em média dos 928 casos anuais de mortes civis por mãos policiais, apenas 383 eram reportados ao governo. (…)

      • E aqui no Brasil mais de 80% dos crimes violentos não são solucionados. Mas isso o “Opera Mundi” não mostra pois para esquerdistas e para o Pastel de Vento bovino e lobotomizado criminosos na verdade são ” vítimas da sociedade burguesa”.

      • Mas é o que eles querem.

        Querem que todo mundo que proteste e tenha opinião diferente deles seja morto e preso.
        Como os idiotas dizem passar o “fio da espada”, são essas pessoas que sabem o que é melhor para o Brasil e para o mundo.

        Maldita inclusão digital.

      • (…) Cabeça de vento…. se fosse na venezuela esse pessoal ai estariam presos, baleados ou mortos… simples assim. (…)
        .
        .

        Hahahah … realmente você não lê as noticias que vem de Ferguson ….. Hahahaha …e o cabeça de vento nesta história, quem é mesmo …. hahahah

      • Pastel de vento, como todo petralha bovino e lobotomizado, ignora que a polícia venezuelana está atirando para matar. E não são criminosos que estão sendo mortos como é o que está acontecendo nos EUA e sim manifestantes contra os descalabros e o autoritarismo do Maduro. Apenas esse fato mostra que o respeito aos direitos humanos nos EUA é maior que na Venefavela. Como de costume o Pastel de vento esquerdopata caiu com o rabo no chão…rs!

    • PRESO POLÍTICO : ” IGUALDADE NÃO EXISTE NOS EUA ”
      .
      Em entrevista à Sputnik International, o ativista da causa dos direitos dos afro-americanos e jornalista independente norte-americano Mumia Abu-Jamal declarou que nos EUA, os negros vivem “em um inferno”.

      (*) fonte: [ br.sputniknews.com ]
      .
      .
      (…) “Ferguson nos diz tudo: que para os negros pobres, a sua vida é um verdadeiro inferno, porque o estado (de Missouri) explora os pobres pelo seu dinheiro e prende os devedores.
      .
      Mike Brown nos mostrou que eles usam terror, assim, sem piscar os olhos, para manter os nativos em linha. As coisas estão infernais hoje em dia, apesar dessa fábula dos “direitos humanos” e suas vitórias”, disse Abu-Jamal. (…)
      .

    • Os Estado Unidos, com cerca de 2,3 milhões de presos. São a maior população carcerária do planeta.

      Isto sim é uma democracia vindo de um país de primeiro mundo.

    • DEPOIS DE DESTRUIR O NACIONALISMO ÁRABE, EUA PREPARA O BOTE NA AMÉRICA DO SUL.
      .
      A lista é impressionante: Iraque, Afeganistão, Líbia e Síria. Em menos de 15 anos, os quatro países se transformaram em Estados zumbis. É algo muito grave, a apontar a direção para onde aponta a política expansionista dos Estados Unidos no século XXI.
      .
      Vejo alguns analistas “liberais”, na imprensa brasileira, dizendo que Washington “fracassou” porque derrubou governos autoritários e, em vez de democracias, colheu o caos no Oriente Médio. Coitados. Tão ingênuos esses norte-americanos.
      .
      Ora, ora. Pode haver algo mais fácil de controlar do que populações desorganizadas, que se matam em guerras sem fim, sem a proteção de nada parecido com um Estado organizado?
      .
      (*)fonte : por Rodrigo Vianna / [ port.pravda.ru/news/russa/14-03-2015/38286-nacionalismo_arabe-0/ ]
      .
      .
      (…) Venezuela, Argentina e Brasil: aqui, agora, vemos avançar o projeto de criar novos Estados zumbis. Depois do nacionalismo árabe, chegou a hora de destruir o nacionalismo latino-americano.
      .
      Não é por outro motivo que “bolivarianismo” virou o anátema, o palavrão, o inimigo a ser derrotado – numa ofensiva que é política, econômica e sobretudo midiática.(…)

  2. Voltem para a AFRICA , deixaem de ser otarios ,estes idiotas lembram favelados brasileiros que vao para as ruas manifestar contra a morte de homicidas traficantes , oque nao falta na internet eh policiais negros atirando em bandidos ,em situaçao de legitima defesa ou para neutralizar as bestas , mas se um policial branco ou latino atirar em um negro , os oportunistas usam a massa burra para tumultuar e causar constrangimento na america , estes movimentos sao arquitetados por russos , por isso a america estah secretamente armando separatistas chechenos e asiaticos !

Comentários não permitidos.