Defesa & Geopolítica

Irã faz manobras navais no Estreito de Ormuz

Posted by

Foto – © AFP 2015/ AFP

A Guarda Revolucionária do Irã está realizando a partir desta quarta-feira, 25 de fevereiro, exercícios navais no Estreito de Ormuz, a poucas centenas de quilômetros de distância de embarcações ocidentais empenhadas na luta contra o grupo Estado Islâmico.

As três forças militares iranianas participam das manobras regulares, apelidadas de “Grande Profeta”.

Não ficou claro como acontecerão os treinos. A televisão estatal mostrou um ataque de mísseis de alta precisão sendo disparado da costa e um helicóptero sobrevoando uma réplica de um porta-aviões norte-americano. Embarcações de ataque rápido participaram também dos exercícios militares, que visam “demonstrar o poder” da Marinha na proteção dos interesses iranianos no golfo, de acordo com o canal estatal.

Os oficiais da Guarda Revolucionária são responsáveis pelas forças navais do Irã no golfo, composta principalmente de centenas de lanchas equipadas com diversos tipos de mísseis de curto e médio alcance, bem como minissubmarinos. A estimativa dos especialistas ocidentais é de que estas unidades contem com, aproximadamente, 20 mil soldados. Caso o país seja atacado, eles têm a tarefa de bloquear o Estreito de Hormuz, através do qual um terço de tráfego de petróleo marítimo mundial passa.

O Irã diz que sua doutrina militar é baseada na inteira dissuasão. Os exercícios começaram dois dias após o porta-aviões francês Charles de Gaulle iniciou suas operações no golfo como parte da coalizão internacional que luta o grupo Estado Islâmico no Iraque e na Síria. O navio ficará na região por oito semanas e trabalhará ao lado do porta-aviões americano USS Carl Vinson.

Fonte: Sputnik

Irã destrói réplica de porta-aviões americano em manobra militar

Réplica de um porta-aviões americano é destruída em manobra militar no Golfo Pérsico

Guarda Revolucionária lança exercício naval e aéreo de grande escala nas águas do Golfo Pérsico, pelas quais um quinto do petróleo mundial é transportado. Estados Unidos dizem não estar preocupados com a simulação.

A Guarda Revolucionária do Irã realizou nesta quarta-feira (25/02) um exercício militar de grande escala nas águas estratégicas do Golfo Pérsico, em que dezenas de lanchas armadas invadiram uma réplica de um porta-aviões dos Estados Unidos, que foi atingido por mísseis.

A manobra militar, nomeada “Grande Profeta 9”, foi realizada perto do Estreito de Ormuz, importante via para navios petroleiros e por onde é transportado um quinto de todo o petróleo mundial.

O exercício foi realizado dois dias depois de o porta-aviões francês Charles de Gaulle ter lançado operações militares no Golfo. Em dezembro, o Exército regular iraniano já havia realizado treinamentos navais na região.

A televisão estatal do país mostrou imagens de mísseis sendo disparados a partir da costa e de pequenas embarcações atingindo a réplica de um porta-aviões americano. O exercício militar, que também incluiu abater um drone e colocar minas submarinas, foi o primeiro a envolver uma réplica de uma embarcação dos EUA.

“Porta-aviões americanos são grandes depósitos de munições, abrigando muitos mísseis, foguetes, torpedos, entre outros”, disse o chefe da Marinha, almirante Ali Fadavi, à televisão estatal.

No mês passado, Fadavi já havia declarado que as forças da Guarda Revolucionária do Irã são capazes de afundar um porta-aviões americano em caso de guerra.

O líder da Guarda Revolucionária, general Mohammad Ali Jafari, disse que o exercício manda “uma mensagem do Irã aos poderes extraterritoriais”, numa referência aos EUA.

“Tentaram destruir o equivalente a um cenário de Hollywood”

O porta-voz do 5º batalhão da Marinha dos Estados Unidos no Bahrein, comandante Kevin Stephens, disse que o exercício naval iraniano começou há alguns dias e que não teve efeito nenhum sobre o tráfego marítimo na região.

Stephens afirmou que os americanos estariam monitorando as manobras, mas minimizou o ataque simulado, dizendo que o Exército americano “não está preocupado com o exercício”.

“Estamos bastante confiantes sobre a capacidade de nossas forças navais de se defenderem”, disse o comandante. “Parece que eles [os iranianos] tentaram destruir o equivalente a um cenário de filme de Hollywood.”

O Irã está atualmente negociando um acordo com os Estados Unidos e outras cinco potências mundiais sobre o seu programa nuclear. A expectativa ocidental é de que se chegue a um acordo no fim de março, e a uma decisão em julho.

PV/ap/afp

Fonte: DW.DE

 

11 Comments

shared on wplocker.com