Defesa & Geopolítica

Exército Ucraniano prepara-se para uma grande ofensiva ainda neste inverno

Posted by

E.M.Pinto

Segundo informações de dois leitores do Plano Brasil residentes na Ucrânia, uma grande mobilização militar está em curso pelo governo de Kiev.  Acredita-se que se prepara uma grande ofensiva militar com diversas unidades militares iniciando treinamento e convocação para entrar em estado de prontidão, nas próximas 48h.

Por diversas cidades segundo os relatos dos leitores, são vistas divisões de carro de combate e infantaria deslocando-se de seus quarteis. Para eles o Governo central pode estar preparando uma grande ofensiva contra as forças separatistas ainda neste inverno.

Os leitores, dois brasileiros residentes no país, afirmam que a escalada de violência tem sido tratada como “o princípio de um conflito que pode arrastar outros países da Europa e até mesmo do resto do mundo”, segundo o relato de um deles, por vezes, os noticiários falam dos preparativos para uma invasão em larga escala por parte do Exército Russo, que segundo as fontes da inteligência Ucraniana, desencadeariam uma segunda fase no conflito.ucraine

A primeira teria sido a desestabilização do governo de Kiev com o reforço as regiões separatistas e fortificação do aparato militar, já a segunda fase se daria por meio de uma grande ofensiva e ocupação por tropas no terreno, seguindo o preceito de apoio as regiões declaradas “independentes”. Se tal fato se confirmar, acredita-se que haverá reação dos estados membros da União Européia.

Entretanto, sem o apoio das potências europeias, Kiev busca nos Estados Unidos a força para continuar a sua luta contra a separação dos estados ditos “Federalistas”, recebendo inclusive o aval dos EUA para liberação de recursos destinados a manutenção do Exército Ucraniano. Em um recente pronunciamento a nação, Poroshenko  líder da nação declarou:

“Estou convencido de que 2015 será o ano da nossa vitória”, disse Petro Poroshenko, na cerimônia de entrega de novos tanques e aviões, perto de Zhytomyr, no norte do país. “Para isso, precisamos de um Exército forte, patriota e bem equipado.”

Os confrontos no leste da Ucrânia se intensificaram nas últimas 24 horas, segundo as informações das redes de notícia internacionais, pelo menos 11  pessoas, incluindo seis soldados, morreram nas últimas 24 horas no leste,  onde a violência aumenta há quase uma semana.

Os combates se intensificaram na região de Donetsk e impediram até mesmo a chegada ao aeroporto dos observadores da Organização para a Segurança e a Cooperação na Europa (OSCE) que fariam uma visita a infraestrutura aeroportuária. Ao mesmo tempo, as forças separatistas de Lugansk, informam que este Aeroporto Internacional ou pelo menos, o que restou dele, está totalmente em poder das Forças Armadas Unidas da recém declarada Novorossiya. Segundo as fontes, em Donbass os conflitos são menos intensos o foco dos combates estão na região central de Donetsk.

Veja imagens do aeroporto de Donetsk clicando nas imagens

O objetivo das forças separatistas é tomar de vez o terminal aeroportuário de Donetsk, considerado uma região estratégica para o Exército Ucraniano, pois pode servir de ponta de lança para uma ofensiva terrestre em apoio de suprimentos e lançamento de tropas paraquedistas.

Numa declaração feita ontem a tarde, 17.01, o serviço de informação do exército Ucraniano declarou que uma ofensiva militar foi lançada na região de modo a  sufocar as forças separatistas,  já capital ucraniana, segundo a Reuters, o secretário do Conselho de Segurança Ucraniano, Olexandre Turchinov, reiterou que a Rússia conta com soldados de seu Exército regular nas fileiras separatistas e que cerca de 8.500 dos 38 mil homens do recém proclamado “Exército da Novorossiya” seriam de fato soldados Russos que lutam pela separação destas regiões para uma possível anexação futura a Rússia, aos moldes do que o correu com a península da Crimeia. Numa declaração em resposta, Moscou negou tais acusações.

Entretanto, vídeos recentes divulgados na internet, mostram treinamentos de soldados do “Exército da Novorossiya” exibindo aparato militar novo, veículos e combate mais modernos e até mesmo veículos especiais de fabricação Russa, em uma clara confrontação as declarações de neutralidade de Moscou.

Confirmando as informações dos leitores, o Parlamento Ucraniano aprovou uma lei que prevê três ondas de mobilização para o ano de 2015. A primeira poderá começar em 20 de janeiro (48 h dada a urgência de prontidão) e convocará cerca de 50 mil homens.

As reações à escalada foram imediatas, segundo informaram a  Reuters as fontes diplomáticas em Nova York anunciaram uma urgente convocação do Conselho de Segurança da ONU que se reunirá na próxima quarta-feira, a pedido da Lituânia e que deve iniciar uma avaliação da situação.

Nesta última sexta-feira 16.01, em Washington, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama e o primeiro-ministro britânico, David Cameron, defenderam a manutenção das sanções contra a Rússia por seu apoio aos rebeldes separatistas ucranianos. Para alguns analistas, as sanções não tem surtido efeito e o poder dos rebeldes tem sido crescente assim como de Moscou, que parece não se abalar com as declarações de Obama.

shared on wplocker.com