Defesa & Geopolítica

Sword 90 a nova fera dos mares da CMN

Posted by

COmbatant

Tradução e adaptação:E.M.Pinto

Esta é uma das grandes surpresas do maior evento naval do mundo, a  Euronaval, o qual revelado exclusivamente hoje. Trata-se do maior navio de guerra desenvolvido até agora pelo CMN, o C Sword 90, que além de tudo é também um dos mais inovadores de sempre.

Gozando de estudos extensivos sobre a corveta furtiva de 95 metros de comprimento e 15,7 metros de largura, o projeto que adota um desenho do casco muito trabalhado para fornecer um excelente seakeeping e alto desempenho em termos de velocidade e autonomia.

C Sword 90 (© CMN)

“A proa  incorpora formas clássicas com grande inclinação e deu um passo para o convés principal para quebrar as ondas e evitar o carregamento e uma seção frontal estreita para uma entrada de água beneficiando o desempenho. Acima do convés principal, a estrutura têm um design que combina estética e discrição. Nada foi deixado ao acaso, e cada curva de volume é ajustado para não permitir qualquer compromisso entre navegação e desempenho realizada no mar. Esta corveta, moderna, não deixa nada a desejar à tendências ou efeitos de estilo, ela é simplesmente projetada para operar de forma segura e eficiente “, disse um representante da CMN- e com razão estamos muito orgulhosos deste novo produto. Em relação à arquitetura e formas do navio, deve-se notar que o estaleiro de Cherbourg tem trabalhado em estreita colaboração com o arquiteto Naval Thierry Verhaaren .

C Sword 90 (© CMN)

Um radar fixo com quatro faces planas

A C Sword 90 destaca-se como o primeiro navio de guerra francês com uma proposta de seções planas de radar. Com quatro antenas, mastros dianteiro e traseiro (este último incorporando o escape do motor), esta nova geração de radar fornece monitoramento contínuo do ambiente marítimo e aéreo em 360º, melhorando a plataforma integrada à discrição do navio . Nenhum modelo de radar é especificado pelo fabricante, mas na visão das imagens,pode-se supor que o navio foi projetado para ser capaz de integrar os TRS-4D da Cassidian (Airbus Defesa e espaço), os primeiros exemplares saíram da fábrica para ser incorporados nas novos fragatas alemãs Type 125.

C Sword 90 (© CMN)

Armas são gerenciadas por meios eletrônicos, tais como, por um sistema de combate com a operação central que pode incluir uma dúzia de consoles multifuncionais. Altamente automatizada a corveta também tem uma plataforma de sistema de gestão para contribuir para a redução da tripulação, que é de apenas 65 marinheiros.

Multi-missão e construídos para alta intensidade de combate

As principais tarefas do C Sword 90 são Inteligência, Vigilância e combate de superfície com o compromisso de Reconhecimento (ISR) operações de dissuasão, Anti aérea e guerra submarina, além de apoio para forças de operações especiais em terra. O navio é interoperável e pode integrar uma força naval para combater em missões anti-superfície ou de guerra anti-submarina.

Projetado para o combate de alta intensidade, o novo carro-chefe da CMN tanto pode intervir em alto mar como nas zonas costeiras. Rápido e com um alto grau de autonomia, ou seja,  7.000 milhas à 12 nós (ou 5.000 milhas à 14 nós). A corveta pode atingir velocidade de 28 nós e apesar de compacta, tem um arsenal muito poderoso que lhe permite enfrentar qualquer tipo de ameaça, incluindo armas submersas. Os navios foram desenvolvidos para terem um sonar de casco, mas também a capacidade de transportar um sonar rebocado, o comandante pode, a critério do cliente, integrar vários equipamentos eletrônicos, como Thales e Atlas Elektronik.

C Sword 90 (© CMN)

Armas poderosas

O armamento é composto por 8 mísseis anti-navio, Exocet MM40 Block3, um sistema de mísseis supefície-ar de lançamento vertical com  (16 células para o míssil VL Mica), dois sistemas superfície-ar do tipo Simbad RC, duas armas de tubos de 20 ou 30mm-teleperado e seis torpedos em dois lançadores triplos. Além disso há lançadores de iscas, o sistema é chamado de SYLENA Mk2 Lacroix, que oferece tanto um radar anti-míssil ou orientação infravermelha, como também uma proteção electro-acústica contra torpedos.

Relativamente às instalações aeronáuticas, a plataforma é capaz de acomodar um helicóptero de 10 toneladas e possui um elevador para um pequeno hangar capaz de abrigar dois drones aéreos.

C Sword 90 (© CMN)

Dedicado ao controle exclusivo e perfeitamente adaptado para o compartilhamento de zonas econômicas costeiras o CSword 90 pode ser usado para missões de inteligência, para isto, possui uma gama completa de meios eletrônicos de guerra (R-ESM, C-ESM) que completam sua suite de equipamentos de monitoramento, o qual utiliza o radar principal ou um sistema eletro-óptico  no controle do fogo.

C Sword 90 (© CMN)

Forças Especiais

A CMN também desenhou a sua nova Corveta para a projeção de forças especiais, helicópteros, lanchas e veículos submarinos. Para isto o navio pode acomodar 20 comandos para além da tripulação, e para isto pode acomodar nos lados da popa um total de duas grandes embarcações RHIB 11 metros (ou ainda veículos não tripulados de superfície). Estes locais também podem ser utilizados para a operações de aeronaves e veículos e até mesmo submarinos. O design modular da plataforma também permite acomodar um helicóptero 10 tonelada.

C Sword 90 (© CMN)

A corveta possui na proa, um espaço modular onde é possível acomodar dois contentores de 20 pés. Esta configuração permite adaptar a capacidade das missões. Este espaço modular pode, por exemplo, permitir o lançamento de um sonar rebocado para reforçar as capacidades anti-submarinos da corveta .

C Sword 90 (© CMN)

Fonte: Mer et Marine

16 Comments

shared on wplocker.com