Defesa & Geopolítica

Holandês devolve prêmio a Israel

Posted by

O material jornalístico produzido pelo Estadão é protegido por lei. Para compartilhar este conteúdo, utilize o link:http://internacional.estadao.com.br/noticias/geral,holandes-que-salvou-menino-do-nazismo-devolve-premio-apos-perder-familia-em-gaza,1544337O material jornalístico produzido pelo Estadão é protegido por lei. Para compartilhar este conteúdo, utilize o link:http://internacional.estadao.com.br/noticias/geral,holandes-que-salvou-menino-do-nazismo-devolve-premio-apos-perder-familia-em-gaza,1544337

O idoso foi homenageado em 2011 por esconder a criança do nazismo

O advogado afirmou que a invasão israelense à Faixa de Gaza resultou em graves acusações de crimes contra a humanidade / ROBERTO SCHMIDT/AFP

Um holandês, 91 anos, salvou um menino judeu durante a Segunda Guerra Mundial e foi premiado por Israel no ano de 2011 por isso. Segundo o jornal de Israel Haaretz, o idoso devolveu o prêmio depois de perder seis parentes em um bombardeio israelense na Faixa de Gaza no mês de julho.

Henk Zanoli, advogado, e sua mãe, Johana Zanoli-Smit, esconderam Elhanan Pinto, uma criança de 11 anos, dos nazistas. O pai de Henk já havia sido enviado ao campo de concentração de Dachau por se opor à ocupação da Holanda pela Alemanha de Hitler.

O idoso teve seus parentes mortos, porque Angelique Eijpe, sobrinha neta de Henk, era diplomata holandesa e casada com o economista palestino Isma’il Ziadah, nascido no campo de refugiados de al-Bureij, Gaza. Um bombardeio israelense atingiu a casa da mãe de Ziadah no dia 20 de julho. Ela, três irmãos de seu marido, uma cunhada e um primo morreram no ataque. Zanoli, então, resolveu devolver seu prêmio.

O advogado afirmou que a invasão israelense à Faixa de Gaza resultou em graves acusações de crimes contra a humanidade e, caso fosse julgada por um tribunal isento, levaria a condenações.

Em carta ao embaixador israelense na Holanda, Haim Davon, Henk descreveu que sua decisão de devolver o prêmio foi motivada pelo seu histórico. Continuar com a medalha de honra concedida pelo Estado de Israel seria um insulto à memória de sua mãe, que arriscou a vida dela e dos filhos contra a opressão e pela preservação da vida humana, ele disse.

Fonte: Band

34 Comments

shared on wplocker.com