Defesa & Geopolítica

Putin fala das relações Rússia-Brasil

Posted by

O presidente russo Vladimir Putin encontrará Dilma Rousseff no Rio de Janeiro, em Brasília e em Fortaleza

Às vésperas de sua visita ao Brasil, o presidente da Rússia, Vladimir Putin, em entrevista à agência de notícias ITAR-TASS, falou sobre a atual situação e as perspectivas para as relações entre os dois países.

A seguir, a íntegra da fala do presidente.

ITAR-TASS : Qual a sua avaliação da situação atual e as perspectivas para as relações de parceria estratégica entre Rússia e Brasil? Com quais questões-chave concretas o senhor está viajando para o Brasil?

Vladimir Putin : A nossa cooperação bilateral é de importância estratégica. Isto é devido ao fato de que o Brasil é um membro competente da comunidade internacional, tendo um peso político cada vez maior, além de ser o maior país da América Latina e uma das principais economias do mundo. Basta mencionar a participação ativa do Brasil no G20, no BRICS e numa série de organizações regionais latino-americanas (CELAC, Mercosul, Unasul).

A Rússia apoia o Brasil como candidato forte e merecedor de um assento permanente no Conselho de Segurança da ONU. Estou convencido de que este país forte, de economia em crescimento, vai desempenhar um papel importante na nova ordem mundial policêntrica emergente. O Brasil é dos maiores parceiros-chave da Rússia na América Latina. Temos relações de amizade, carinho e confiança mútua de longa data. Estamos desenvolvendo ativamente o diálogo político, a cooperação tecnológica, científica, humanitária e técnico-militar, intensificando os laços econômicos e de investimento. Assim, em dez anos, o comércio bilateral cresceu quase três vezes (em 2013, 5,5 bilhões de dólares). Empresas dos dois países mantêm estreito contato por meio do Conselho Empresarial Rússia-Brasil. Os nossos cidadãos não precisam mais obter um visto para viagens. Dez das melhores universidades russas assinam o programa educacional brasileiro Ciência sem Fronteiras, prontas para abrir suas portas para estudantes do Brasil. Os intercâmbios culturais se tornaram tradicionais.

Durante a visita, vamos discutir áreas para o desenvolvimento da cooperação. Identificar novos projetos conjuntos em energia, investimento, inovação, agricultura, ciência e tecnologia. É esperado que seja assinado um pacote sólido de documentos relativos a uma variedade de indústrias, incluindo, através de agências especializadas, entre empresas públicas e privadas, instituições de pesquisa e ensino.

I-T : O nível das relações comerciais entre Rússia e Brasil está longe do seu potencial, como é constatado pelos líderes dos dois países. O que é preciso fazer para que a realização desse potencial receba um impulso significativo? O que nos freia e não permite que alcancemos um novo nível no comércio bilateral?

VP : De fato, apesar dos bons resultados alcançados, o potencial de cooperação econômica e comercial com o Brasil não está realizado em 100%. Além disso, no contexto de instabilidade econômica global, há alguma diminuição no comércio bilateral (3,3% em 2013). Para remediar esta situação, é necessário diversificar as relações comerciais, aumentar a oferta de produtos de alta tecnologia, produtos de engenharia mecânica, desenvolver a cooperação nos setores de aviação e de energia, e na agricultura.

Os inúmeros desafios e ameaças da contemporaneidade exigem uma renúncia das tentativas de impor a outros povos um modelo de desenvolvimento.

Foi lançada uma série de projetos de investimento de sucesso envolvendo empresas de nossos países em energia, engenharia, produtos farmacêuticos. Assim, a corporação Rosneft e a empresa de petróleo e gás no Brasil HRT realizam em conjunto a exploração e produção de hidrocarbonetos nas bacias de Solimões. A corporação Silovye Machinyestá trabalhando no estabelecimento de produção de equipamento de turbinas hidráulicas de até 100MW no Estado de Santa Catarina para a sua posterior entrega aos mercados do Brasil e de outros países do Mercosul. A companhia Biocad está criando no Brasil um centro de pesquisa educacional e governamental de produção de medicamentos inovadores e modernos para o tratamento de câncer.

Estou convencido de que esses projetos vão ajudar a levar o comércio bilateral e a cooperação econômica a um nível mais maduro, que atenda às capacidades atuais e futuras de nossos países em desenvolvimento.

I-T : A Rússia vai receber no Brasil o bastão de organizador da Copa do Mundo de futebol. O senhor acompanha o andamento da Copa do Mundo da FIFA? O que da experiência brasileira de preparação desse evento atraiu sua atenção e pode ser levado em conta na organização da Copa do Mundo de 2018?

VP:  Quando a agenda de trabalho permite, eu tento seguir o andamento da Copa do Mundo. As seleções da América Latina mostraram um futebol alegre. Infelizmente, a nossa equipe terminou a sua participação no grupo de qualificação, mas, na minha opinião, procuraram jogar decentemente, dignamente.

A convite da presidente do Brasil e do presidente da FIFA, estarei na partida final para participar da cerimônia de transmissão do bastão de organizador do Brasil para a Rússia. Em 2018, a Rússia pela primeira vez em sua história será o país anfitrião do evento esportivo mais popular globalmente.

Em fevereiro e março, em Sochi, realizamos com sucesso os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de Inverno, e temos uma boa ideia dos esforços necessários para organizar um evento tão grande. Estudamos com muito cuidado a experiência do Brasil, que ainda tem que organizar os Jogos Olímpicos de 2016. Representantes de vários ministérios e organizações, incluindo o Ministério dos Esportes da Rússia e o Comitê Organizador Rússia 2018, estão em constante contato com os colegas brasileiros. Eles já visitaram o Brasil e tenho certeza de que ainda vão fazer mais de uma viagem.

Em geral, eu tenho certeza de que a Copa do Mundo no Brasil será uma página brilhante na história do futebol. Desejo que os organizadores brasileiros concluam o evento com sucesso. Nós, por nossa vez, vamos fazer de tudo para em 2018 alegrar o mundo com uma festa do futebol inesquecível e com a verdadeira hospitalidade russa.

Fonte: Diário da Rússia

Putin apoia o Brasil no Conselho de Segurança da ONU

Vladimir Putin, que estará no Brasil na próxima semana para participar da reunião de Cúpula do Brics (grupo formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul), considera o Brasil um dos parceiros-chave da Rússia na América Latina. Ele disse que apoia o Brasil como como “um candidato digno e forte” para ocupar um assento permanente do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU).

“Estou convencido de que esse país potente, crescendo de forma dinâmica, é destinado a desempenhar um papel importante na nova ordem mundial policêntrica que está em formação”, disse Putin, em entrevista à agência de notícias russa Itar-Tass. A Rússia é um dos cinco membros permanentes do Conselho de Segurança das Nações Unidas, que tem como objetivo garantir a manutenção da paz e segurança internacional. O Brasil defende a reforma do conselho.

Putin também ressaltou que o intercâmbio comercial entre Brasil e Rússia deve ser incrementado, com a diversificação dos laços comerciais e o aumento do fornecimento de produtos. Ele citou projetos de investimentos que já estão sendo realizados entre os dois países com participação de empresas nas áreas de energia, maquinário e farmacêutica. “Estou convencido de que a realização de tais projetos pode levar a cooperação econômica e comercial bilateral ao nível mais maduro, que corresponda às capacidades existentes e futuras dos nossos países em desenvolvimento”, disse Putin.

Além do intercâmbio comercial, que nos últimos dez anos aumentou quase três vezes, Putin destacou a integração dos dois países por meio da liberação de vistos e o intercâmbio cultural por meio do programa brasileiro Ciência sem Fronteiras. Segundo ele, em sua visita ao Brasil os governantes dos dois países devem traçar novos projetos conjuntos nas áreas de energia, investimentos, tecnologias inovadoras, agricultura, ciência e tecnologia. “Planejamos assinar um pacote impressionante de documentos em vários setores, inclusive entre os ministérios, empresas estatais e privadas, instituições de pesquisa e ensino”, disse Putin.

Outro assunto abordado durante a entrevista com o presidente russo foi a ciberespionagem, classificada por ele como “um ataque direto à soberania estatal e violação dos direitos humanos”. Ele disse que a Rússia está disposta a elaborar junto com outros países um sistema de medidas para garantir a segurança internacional de informação. “Hoje em dia é de importância especial juntar os esforços de toda a comunidade internacional para garantir segurança igual e indivisível, resolver quaisquer assuntos controversos à base dos princípios do direito internacional e com o papel central coordenador da ONU.”

A reunião da Cúpula do Brics ocorre na próxima terça-feira (15), em Fortaleza. No dia seguinte, os presidentes dos cinco países se reunirão com os presidentes dos países da América do Sul, em Brasília.

Agência Brasil

Fonte: Terra

6 Comments

shared on wplocker.com