Defesa & Geopolítica

Brasil: “Burocracia é o nome do inimigo interno”

Posted by

burocraciaNOTA DO PLANO BRASIL:  O título da matéria do Estadão,  Avibrás entrega Astros 2020 para o Comando do Exército, ora alterado para “Brasil: Burocracia é o nome do inimigo interno”, deve-se ao fato do que realmente ocorre quando se trata de apreço por parte de Brasília às FFAA.

Segundo a matéria em questão, “embora atravesse um bom momento em suas operações, a Avibrás Aeroespacial de São José dos Campos enfrenta o fogo amigo da burocracia (desde) agosto de 2013 para obter no Banco do Brasil (BB) dois documentos, garantidores-Performance Bond e Refundment Bond, para executar a venda. Cada garantia vale US$ 2,93 milhões, o equivalente a 5% do contrato. Segundo a reportagem “o BB não se manifestou (pois devido às) normas internas, a instituição não trata de operações em andamento.”

Para ler toda a matéria acesse a fonte.

Avibrás entrega Astros 2020 para o Comando do Exército

O Astros 2020 é a sexta geração do sistema exportado regularmente para a Ásia e o Oriente Médio desde os anos 80. O projeto do Exército está incluído no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). O Exército já investiu no sistema R$ 350 milhões. O custo final é estima do é de R$ 1,1 bilhão até 2017.

A Avibrás é certificada como Empresa Estratégica de Defesa. O presidente da empresa, Sami Hassuani, acredita que a demanda internacional para novo Astros 2020 “possa gerar negócios no valor de US$ 5,5 bilhões até 2022 – US$ 2,2 bilhões em encomendas dos clientes atuais mais US$ 3bilhões em novos pedidos”.

Embora atravesse um bom momento em suas operações, a Avibrás Aeroespacial, de São José dos Campos, enfrenta o fogo amigo da burocracia. Cumprindo contrato de US$ 400 milhões com a Indonésia e mantendo em carteira o pedido firme de US$ 58,6 milhões da Arábia Saudita para revitalização e suprimento de munição da configuração mais antiga do Astros, a corporação luta desde agosto de 2013 para obter no Banco do Brasil dois documentos garantidores-Performance Bond e Refundment Bond – para executar a venda. Cada garantia vale US$ 2,93 milhões, o equivalente a 5% do contrato.

Há mais: o governo de Riad discute com a Avibrás a compra de um regimento completo da arma por US$ 373 milhões. Na mesma região, o emirado do Catar vai incorporar uma bateria do Astros mais munições – um pacote de US$ 120 milhões.

Hassuani não comenta o episódio, invocando a confidencialidade da transação. O BB não se manifestou. Por normas internas, a instituição não trata de operações em andamento.

Fonte: O Estado de São Paulo (OESP) via webkits

32 Comments

shared on wplocker.com