Defesa & Geopolítica

Tony Blair defende intervenção militar em países islâmicos

Posted by

Ex-premiê britânico, Tony Blair, fez um discurso nesta quarta-feira em Londres, no qual defendeu a união de países ocidentais para uma intervenção militar em países islâmicos do Oriente Médio. As informações são do The Guardian.

Blair afirmou que o radicalismo da política muçulmana poderá gerar uma “catástrofe global” por ser totalmente contrário à modernidade.

Tony Blair disse que países democráticos estão agindo de forma “deliberadamente cega”, e que é necessário que as nações ocidentais “tomem uma posição” e ajudem na intervenção militar.

“É preciso uma causa comum entre G20, Rússia e China para combater o extremismo islâmico”, dizze Blair. Para ele, há uma relutância em olhar com firmeza para o extremismo islâmico, pois o mundo ocidental se sente “desconfortável em falar sobre religião”.

Ele admitiu ser necessária a clareza dos resultados sangrentos das intervenções no Iraque, Síria, Líbia e no Afeganistão, mas disse que o extremismo ainda representa a maior ameaça à segurança global do século 21, dizendo que apoia o desenvolvimento na África e no extremo Oriente.

Blair sugeriu que o Ocidente deve, mais uma vez, considerar zonas de exclusão aérea (forma de sanção em que voos são proibidos em área de determinado país) a países como o Irã.

Quando ainda era premiê do Reino Unido, Tony Blair causou polêmcia, ao ficar do lado da derrubada do governo militar egípcio da Irmandade Muçulmana (embora tenha sido ehttp://www.planobrazil.com/wp-admin/post.php?post=88407&action=editleito democraticamente), e promover uma intervenção no Iraque, em 2003, o que tem sido citado como uma das razões pela qual o Ocidente se recusou a intervir mais na guerra da Síria, que já dura três anos.

Ele alegou que alguns países do Oriente Médio queiram romper com essa ideologia muçulmana, e que precisam do Ocidente para ser intercessor de um diálogo internacional, a fim de forçar a mudança necessária nessas sociedades.

Fonte: Terra

Ocidente deve desistir de divergências com a Rússia – Tony Blair

Ao Ocidente convém esquecer discordâncias com a Rússia no tocante à Ucrânia e proceder à solução do problema do extremismo islâmico, sustenta o antigo premiê da Grã-Bretanha, representante especial para o Oriente Médio, Tony Blair.

Para hoje está marcado seu discurso no escritório londrino da agência Bloomberg, que será dedicado, no essencial, a esta temática.

“A ameaça do islã radical tem vindo crescendo, se alastrando pelo mundo inteiro”, salientou, apontando a necessidade de “reconhecer a existência deste problema que implica uma aproximação da Rússia e da China”.

Fonte: Voz da Rússia

 

35 Comments

shared on wplocker.com