Defesa & Geopolítica

Submarinos recebem novo míssil balístico

Posted by

Novo míssil balístico Liner incorporado à Marinha russa representa versão atualizada de seus antecessores.

Submarinos recebem novo míssil balístico
De acordo com os representantes da Marinha, os mísseis Liner são necessários para que as Forças Navais Estratégicas da Rússia mantenham-se no nível atual Foto: PhotoXPress

Os submarinos estratégicos do projeto “Delfin” (Golfinho) que integram a Frota Norte serão equipados com os mísseis Liner, o que permitirá ao Agrupamento Noroeste de Submarinos Nucleares manter um alto nível de prontidão de combate até, no mínimo, 2025.

 

Raio-X: Liner

Comprimento: 15 metros

Diâmetro: 1,9 metros

Massa de lançamento: superior a 40 toneladas.

Movimento em profundidade: até 55 metros

Velocidade: 7 nós

O programa de testes de voo do Liner foi concluído em outubro de 2011. No total, foram realizados dois lançamentos de teste do míssil. Espera-se que como parte integrante do armamento dos submarinos do projeto “Delfin”, os novos instrumentos sejam utilizados alternadamente com os mísseis balísticos modernizados Sineva.

Embora tenha se originado do Sineva e mantenha as mesmas características de voo, o Liner é dotado de sistemas mais avançados de superação das defesas antimísseis e maior alcance. Além disso, o novo míssil proporciona a possibilidade de combinar a carga útil e é capaz de transportar de 9 até 12 ogivas de baixa potência.

De acordo com os representantes da Marinha, os mísseis Liner são necessários para que as Forças Navais Estratégicas da Rússia mantenham-se no nível atual, enquanto os submarinos da próxima geração, que fazem parte do projeto 955 “Borei”, com mísseis Bulava, estão sendo construídos e integrados ao armamento. Até agora, dois submarinos do “Borei” foram incorporados, o terceiro está sendo submetidos a testes, e o quarto permanece em construção.

Apesar das vantagens oferecidas pelo Liner, as autoridades adiantam que futuramente não se planeja desenvolver mísseis do tipo Liner, já que o foco serão os mísseis balísticos marítimos que utilizam combustíveis sólidos, por serem menos perigosos no manuseio.

Fonte: Gazeta Russa

3 Comments

  1. Dá inveja, a n MB só terá um em 2025, talvez;e os caras tem e ainda virão mt outros…qual o problema do BRASIL, afinal?Sds

  2. Rafa_positron says:

    Eita, tio sam….. Prepara o c*****u

    • Deagol says:

      No mundo da fantasia!!!

shared on wplocker.com