Defesa & Geopolítica

Malvinas: Argentina denuncia manobras militares britânicas

Posted by

Imagem meramente ilustrativa

O governo da Argentina denunciou nesta sexta-feira como “um novo ato de agressão colonial” os exercícios militares do Exército britânico nas Ilhas Malvinas, que têm sua soberania reivindicada por Buenos Aires.

Os exercícios militares programados para acontecer entre 14 e 27 de abril são “provocações e atos hostis contra a Argentina por parte de uma potência nuclear”, declarou o chanceler argentino, Héctor Timerman.

O vice-chanceler argentino, Eduardo Zuain, convocou o embaixador britânico em Buenos Aires para entregar “uma nota de forte protesto contra esta nova demonstração de força em uma zona de paz”, segundo declaração lida por Timerman.

As autoridades argentinas compararam os mísseis que serão lançados a partir das Ilhas Malvinas durante os exercícios com aqueles usados pelas forças britânicas no Afeganistão.

Em 2010, a Argentina já havia protestado contra exercícios militares britânicos nas águas territoriais do arquipélago das Malvinas.

De acordo com a declaração, nas Malvinas, onde a população é de 2.500 habitantes, há um militar para cada dois civis.

Na semana passada, a presidente argentina, Cristina Kirchner, denunciou a existência de uma base nuclear britânica nas ilhas, em ocasião do 32º aniversário da Guerra das Malvinas.

O Reino Unido rejeitou as acusações como “totalmente falsas” e garantiu que a sua presença militar na área havia sido reduzida ao “mínimo necessário para defender as ilhas”, localizadas a mais de 13.000 km de Londres.

A Argentina, derrotada militarmente pelo Reino Unido em 1982, ainda reivindica a soberania sobre estas ilhas localizadas a 500 km da sua costa e ocupadas pelos britânicos desde 1833.

A Guerra das Malvinas, declarada pelo governo da Argentina, provocou a morte de 649 argentinos e de 255 britânicos. A derrota da Argentina precipitou a queda da ditadura no país.

AFP

 

Fonte: Terra

Governo britânico nega estar militarizando as Malvinas

Complexo militar britânico Mount Pleasant nas Malvinas

Grã-Bretanha negou neste sábado que está militarizando a zona das Malvinas e assegurou que os exercícios militares programados entre 14 e 27 de abril são de rotina, um dia depois que a Argentina denunciou um “novo ato de agressão colonial”. “As afirmações da Argentina de que estamos ‘militarizando’ o Atlântico Sul são completamente falsas”, dissse porta-voz do ministério das Relações Exteriores.

“O número das forcas britânicas diminuiu ao mínimo necessário para defender as ilhas”, assegurou o funcionário da chancelaria britânica. “A insinuação argentina de que o Reino Unido está tentando ameaçar militarmente Argentina ou a região em seu conjunto são totalmente sem fundamento, assim como a insinuação de que colocamos armas nucleares na região”, acrescentou.

Na véspera, o governo da Argentina denunciou como “um novo ato de agressão colonial” os exercícios militares do Exército britânico nas Ilhas Malvinas, que têm sua soberania reivindicada por Buenos Aires. “Os exercícios militares são “provocações e atos hostis contra a Argentina por parte de uma potência nuclear”, declarou o chanceler argentino, Héctor Timerman.

O vice-chanceler argentino, Eduardo Zuain, convocou o embaixador britânico em Buenos Aires para entregar “uma nota de forte protesto contra esta nova demonstração de força em uma zona de paz”, segundo declaração lida por Timerman.

As autoridades argentinas compararam os mísseis que serão lançados a partir das Ilhas Malvinas durante os exercícios com aqueles usados pelas forças britânicas no Afeganistão. Em 2010, a Argentina já havia protestado contra exercícios militares britânicos nas águas territoriais do arquipélago das Malvinas.

De acordo com a declaração, nas Malvinas, onde a população é de 2,5 mil habitantes, há um militar para cada dois civis. Na semana passada, a presidente argentina, Cristina Kirchner, denunciou a existência de uma base nuclear britânica nas ilhas, em ocasião do aniversário de 32 anos da Guerra das Malvinas.

A Argentina, derrotada militarmente pelo Reino Unido em 1982, ainda reivindica a soberania sobre estas ilhas localizadas a 500 km da sua costa e ocupadas pelos britânicos desde 1833.

A Guerra das Malvinas, declarada pelo governo da Argentina, provocou a morte de 649 argentinos e de 255 britânicos. A derrota da Argentina precipitou a queda da ditadura no país.

AFP

 

Fonte: Terra

10 Comments

  1. Andre Bacha says:

    “O governo da Argentina denunciou nesta sexta-feira como “um novo ato de agressão colonial” os exercícios militares do Exército britânico nas Ilhas Malvinas”…

    E enquanto isso, na Argentina….

  2. HMS_TIRELESS says:

    Pobre senhora, não cansa de se humilhar. E ainda tem quem defenda as estultices da Rainha louca e embotocada dos Pampas.

  3. stadeu says:

    Não é à toa que a Argentina é sabotada na sua aquisição de materiais, também não é à toa que ela acaba de fazer acordos militares com o Chile, também não é atoa que o Uruguai está a procura de caças (russos) , não é toa que o Brasil está em ritmo acelerado em suas aquisições … o futuro dirá …

  4. A Argentina tem de se armar, caso contrario ñ terá nunca apoio militar p se impor.Qto ao BRASIL. os gripen NG(nova gozação)…Sds.

    • teropode says:

      As tropas estao passando fome meu caro, rios de dinheiro estao sendo usados para manter os MILICOS quietinhos (oficiais), dependem da venefavela para rodar com seus carros de combate , em um futuro medios ,ou seja 25 anos,eles terao que enfrentar uma guerra contra a desindustrializaçao e contra invasao de produtos SINO-AMERICANOS ,nao resta nada mais doque chorar e chorar !

      • Blue Eyes, Na Resistência says:

        Vc tá falando da argentina ou do Brasil ???… rsrsrsrsrss… percebeu que sua fala encaixa exatamente em nosso perfil ???… estamos caminhando a passos largos para essa triste realidade…

  5. PÉ DE CÃO says:

    a argentina esta correta e qualquer militar brasileiro sabe que é verdade alias qualquer militar latino
    hoje todos nos percebemos que a otan e os estados unidos dao a volta ao mundo matando democracias para colocar fantoches de todos os tipos nos países atacados militarmente economicamente e usando a mídia sionista
    a russia a china se armam de uma forma para sim enfrentar de uma vez esse problema , só não ve quem é cego ou apenas mais, um menos que majoração que fica comprando revistinha da frustração ,
    chupa mais essa entreguistas !!!
    o mundo esta se caminhando para mais uma guerra !!!
    pois a cobiça americana é enorme pois mesmo com três planetas terra não são capaz de sustentar aquele capitalismo dos infernos !!!

  6. teropode says:

    Esta senhora ,uma representante da beleza da mulher portenha (vejam fotos dela novinha, uma joia,tive o prazer de ve-la de pertinho em 1996,era uma deusa ),compre o seu papel arrotando bravatas ,mas os hermanos merecem,espero que seja substituida por outro politico com a mesma linha ideologica ,alias, os EUA ,IMPERIO DOS QUATRO ELEMENTOS , se sente avontade com a esquerda ameba latina , os genios conseguem piorar o cheiro da merda ,conseguem levar a falencia empresas lucrativas , tudo isto acaba prestando um serviço valoroso ao imperio ,os abestados cavao suas proprias covas, se a isquerda portenha fosse mais esperta e competente, poderiam estar hoje (apos 16 anos na mao de iluminados, kkkkkk) em uma situaçao confortavel ,mas preferiram caçar bruxas , agora so lhes resta LAMBER sal e chutar a canela do gigante bobao , os macaquitos nao passam para eles de imbecis uteis , a sorte do gigantao eque a esquerda portenha consegue ser mais AMADORA doque a sua ,kkkkkkkkk

  7. NovoBrazuk says:

    A Argentina tem que resolver seus problemas internos e parar de mimi, já deu esse chororô cotidiano, toma vergonha na cara conserte a economia se arma e toma aquela bosta na marra.O resto e conversa pra boi dormir.

    • Blue Eyes, Na Resistência says:

      Igual a um país governado por bananas ao sul do equador… 🙂

shared on wplocker.com