Defesa & Geopolítica

Crimeia fará parte da Região Militar do Sul e será bem defendida

Posted by

Na reunião extraordinária do Ministério da Defesa da Federação Russa foram discutidas as perspectivas do desenvolvimento da infraestrutura militar da Crimeia. O plano prevê o equipamento das unidades estacionadas na península com armamento e material moderno.

Já se sabe que o agrupamento de tropas da Crimeia fará parte da Região Militar do Sul. A composição da Frota do Mar Negro será substancialmente renovada. Muitos peritos consideram que na prática a Frota do Mar Negro terá de ser criada de novo: nos mais de 20 anos que passaram desde o desmembramento da URSS ela praticamente não recebeu nem navios novos, nem novo armamento para as baterias de artilharia e mísseis de defesa costeira. Até agora não era possível transportar legalmente através da fronteira russo-ucraniana mesmo as peças necessárias para realizar trabalhos de manutenção periódica dos navios, refere o editor principal da revista Vozdushno-Kosmicheskaia Oborona (Defesa Aeroespacial) Mikhail Khodarenok:

“O lado ucraniano criava todo o tipo de obstáculos para que se mantivesse a Frota do Mar Negro em estado operacional. Ela deverá ser em grande medida reequipada. O comando da marinha tem um plano para a alteração do seu formato. Em primeiro lugar, será seriamente renovada a frota de navios de superfície. Isso será realizado através da formação de 30 novas divisões de navios de superfície. Elas irão incorporar fragatas da classe Admiral Grigorovich equipadas com sistemas de mísseis Kalibr.”

A frota de submarinos será significativamente reforçada, está em formação uma brigada composta por submarinos do projeto 636. A Frota não é apenas o conjunto dos navios que têm grande visibilidade. Ela inclui a esquadra de navios de guerra de minas, e também não há marinha que esteja em boas condições operacionais sem rebocadores e sem uma artilharia de costa equipada com armamento moderno. Portanto, se trata de uma estrutura muito complexa.

É completamente evidente que os céus da Crimeia devem ser protegidos com segurança. Para o reforço da defesa antiaérea das unidades e objetos militares da Crimeia serão, certamente, estacionados sistemas de mísseis antiaéreos de diversos tipos, diz Mikhail Khodarenok:

“Para a cobertura das infraestruturas navais, como os centros político-administrativos e das instalações do comando militar da península serão, possivelmente, estacionados várias baterias antiaéreas de mísseis S-400. Para a cobertura direta das unidades militares serão instalados sistemas de mísseis usados pela defesa antiaérea das tropas terrestres. É bastante provável o estacionamento de uma brigada de S-300V e de outros sistemas.”

Além da cobertura antiaérea para uma defesa aérea segura da península, será necessário desenvolver um sistema de cobertura com unidades aéreas e de radares de vigilância. Mas terá de se começar pela reparação dos aeródromos. Isso inclui o aeroporto militar de Belbek e do nó aeroportuário de Simferopol. Será necessário reparar as pistas de decolagem e equipá-las com equipamento moderno de controle de aterrissagens. Só depois se poderá estacionar os aviões nesses aeroportos. A Crimeia irá provavelmente receber modelos novos de caças e de bombardeiros. Hipoteticamente poderá se tratar de Su-30SM, Su-34 e, em perspectiva, de Su-35. A imprensa já falou de alguns tipos de bombardeiros que poderão ser instalados na Crimeia, incluído o avião Tu-22M3.

A sua missão principal não será contudo o ataque a alvos terrestres. Já o Su-34 tem um armamento poderoso de ataque ao solo. Esse aparelho combina as funções de bombardeiro tático e de caça. Essa combinação de características de combate permite-lhe efetuar missões de ataque a alvos navais, terrestres e aéreos.

 

Fonte: Voz da Rússia

4 Comments

shared on wplocker.com