Defesa & Geopolítica

Japão cancela proibição de exportação de armas

Posted by

AtagoO Japão se prepara para cancelar as proibições há muito existentes de exportação de armamentos.

Esta decisão pode afetar seriamente o sistema atual de segurança na região de Ásia-Pacífico, bem como levar ao aumento da concorrência entre Tóquio e Pequim na luta por mercados de armas.

O Japão, apesar das restrições sobre exportações de armas e rearmamento, em vigor há muitos anos, tem uma indústria militar surpreendentemente forte. O país é capaz de produzir praticamente todo o espectro de armamentos para o Exército, inclusive veículos blindados, artilharia e mísseis táticos, vários sistemas de defesa aérea, aviões de combate, submarinos, navios de superfície e respectivos armamentos. A indústria japonesa é comparável ou mesmo excede em suas capacidades a indústria militar de grandes exportadores de armas como a França e o Reino Unido.

Ao mesmo tempo, devido ao elevado custo de mão-de-obra e recursos, bem como aos pequenos volumes de produção, as armas japonesas são extremamente caras. Por exemplo, o tanque japonês do tipo 10 custa mais de 11 milhões de dólares, quase duas vezes mais que o Leopard 2A6 alemão. Dada a falta de grande experiência do país em exportação de armas, não se espera um sucesso rápido das armas japonesas nos mercados mundiais. Ao mesmo tempo, o Japão terá novas oportunidades de participar em projetos multilaterais de desenvolvimento de novos tipos de armamentos, realizados pelos países ocidentais. Tendo uma indústria forte, o Japão pode se tornar um fornecedor de sistemas-chave, em particular de componentes eletrônicos e motores, bem como de alguns tipos de materiais para sistemas estrangeiros de armamentos.

Além disso, as novas regras permitirão ao Japão fornecer armas em forma de ajuda. Neste caso, o elevado custo das armas japonesas não fará grande diferença. O Japão poderá começar a fornecer aos seus potenciais parceiros na Ásia, como as Filipinas, armas e equipamentos de suas próprias reservas. Em princípio, uma tal cooperação poderá começar com fornecimentos de sistemas de armamentos relativamente simples para a Exército e guarda costeira, e depois passar para sistemas mais sensíveis, como mísseis anti-navio.

Como fornecedor de componentes, o Japão poderá participar ativamente na modernização militar da Índia. Isso serviria os objetivos japoneses de contenção da China. Tóquio já deu os primeiros passos para intensificar a cooperação técnico-militar com a Nova Deli: em janeiro, a empresa japonesa ShinMaywa Industries assinou com o governo indiano um acordo de trabalho conjunto sobre um projeto de hidroavião.

A exportação de armas e tecnologias militares pode se tornar um novo instrumento eficaz da política externa japonesa e irá facilitar o processo de formação na Ásia de sistemas de alianças em oposição. Podemos supor que a China, por seu lado, intensificará a ajuda militar a países em desenvolvimento para reduzir a atratividade das propostas japonesas.

Fonte: Voz da Rússia

12 Comments

  1. Lucas Senna says:

    É senhores, o mercado de armas do Sudeste Asiático está prestes a pegar fogo! E aproveitando a oportunidade será que seria possível num futuro uma nova série de matérias sobre o material bélico japonês?

  2. NovoBrazuk says:

    Taí un país com grande tradição na produção de armamentos que volta a tona.O Japão produziu excelentes aviões no período pre ll guerra e durante a guerra.Jiro horikoshi foi talvez um dos melhores engenheiros aeronauticos de todos os tempos produziu num curto espaço de tempo aviões que superavam os congêneres ocidentais em todos os aspectos e sua mais célebre obra o Mitsubishi A6M2 ou simplesmente ZERO mudou para sempre o combate aéreo.
    A Mitsubishi em questão é uma empresa (seria melhor dizer comglomerado) muito peculiar para os moldes ocidentais ele produz navios,aviões, foguetes espaciais,satélites,motores de aviação, um ampla gama de mísseis e uma interminável lista de equipamentos militares e civis.
    Poderíamos tentar estreitar laços militares com eles temos os recursos minerais que eles precisam e eles tem o Know-how e a tecnologia que precisamos.

  3. A exportação de armas e tecnologias militares pode se tornar um novo instrumento eficaz da política externa japonesa e irá facilitar o processo de formação na Ásia de sistemas de alianças em oposição. Podemos supor que a China, por seu lado, intensificará a ajuda militar a países em desenvolvimento para reduzir a atratividade das propostas japonesas.====== Bom p países = ao BRASIL, e ruim p o próprio Japão; vai acirrar a corrida armamentista, o q poderá levar a um incidente sério. Os Sinos na de hj são bem diferentes na China de agr.Mt calma nessa hora, ñ queremos repetir Hiroshima /Nagazaki…Sds

  4. A Máquina Troll says:

    os submarinos convencionais deles são os melhores junto com os Russos…São extremamente avançados e silenciosos……esta ai uma excelente oportunidade de parceria para países sérios…que se levam a serio…que se respeitam e se valorizam…

    • HMS_TIRELESS says:

      Estou contigo quanto à parceria com os japoneses Máquina, não apenas quanto ao subs convencionais mas também quanto ao novo projeto de caça de 5ª G.

      • William says:

        É uma opção. Mas acredito que os japoneses são muito (por enquanto) suscetíveis à humores estrangeiros. Isto me preocupa um pouco.

    • Blue Eyes, Na Resistência says:

      Acho difícil o Brasil, aliado dos euroasiáticos comprar material bélico dos japoneses… agora somos duzbrik… grande vantagem !!!… 🙂

  5. helveciofilho says:

    por LUCENA
    .
    .
    Japão durante a segunda guerra mundial,fez muitas pesquisas em armas químicas,aliás,muitas armas químicas que os EUA tem,são graças aos cientistas japoneses que foram trabalhar para os americanos depois da II GM,assim como foram os alemães.
    .
    Em uma dessas pesquisas, os cientistas japoneses trabalhando para o governo americano,,testaram em próprio território americano,na população americana,naquela regiões onde se encontravam mais negros e pobres, umas das armas químicas desenvolvidas pelos cientistas nipônicos.
    .
    Imagine só você, se eles também não teriam coragem em testar armas químicas nos outros ?

    • Edison says:

      Os americanos testaram nos Japoneses 2 bombas nucleares e juntos analisaram por muito tempo os efeitos nos sobreviventes, sem contar os testes com sífilis que os comedores de bacon fizeram em seu próprio povo, então eu acredito que não farão um absurdo desses pois já provaram que são muuuuito bonzinhos.

  6. NovoBrazuk says:

    Se não me engano está previsto para este ano o vôo do primeiro protótipo do ATD-X, que é o primeiro caça de 5 geração produzido no Japão com design 100% nipônico.
    Fico no aguardo e espero que não haja nenhum atraso no projeto.

  7. tassios says:

    lembrei do projeto de caça stealth japones…

  8. PÉ DE CÃO says:

    Japão vai poder vender armas ,os yankes deixaram ??? rs
    noticia apenas um concorrente no mercado
    que quer vender armas no mercado ,mas coitados com essas armas nao conseguem expulsar os americanos do seu território rsr
    mas sim é um passo para poderem algum dia serem livres novamente ,quanto tempo sera que vai demorar ‘??

shared on wplocker.com