Defesa & Geopolítica

Primeiro-ministro da Crimeia república autônoma da Ucrânia pede ajuda a Rússia

Posted by

Sergei Aksenov primeiro-ministro da Crimeia

Sergei Aksenov, primeiro-ministro da Crimeia, república autônoma da Ucrânia, afirmou neste sábado que tem o controle de todo o aparato militar, policial e demais serviços de segurança na região, mas pediu para o presidente da Rússia, Vladimir Putin, ajuda para manter a paz na península, de acordo com informações da agência AP.

Em um comunicado divulgado pela mídia local e por agências russas, Aksenov declarou que os militares, policiais, serviço nacional de segurança e guardas de fronteira responderão apenas às suas ordens. O premiê regional disse que qualquer comandante que não concordará deverá perder seu posto.

“Entendendo minha responsabilidade pela paz e segurança dos cidadãos, eu apelo ao presidente da Rússia, Vladimir Putin, por assistência em garantir a paz e calma no território da República Autônoma da Crimeia”, afirmou.

Sergei Aksenov, líder do principal partido pró-Rússia na península, foi apontado primeiro-ministro pelo Parlamento da Crimeia na última quinta-feira, devido ao aumento da resistência na península diante das novas autoridades que tomaram o poder na capital ucraniana na semana passada.

Homens armados, supostamente ligados a grupos pró-Rússia, tomaram nessa sexta-feira controle de dois aeroportos da Crimeia, onde a Frota do Mar Negro da Rússia está estacionada.

A Crimeia foi presenteada à Ucrânia em 1954 pelo então líder soviético Nikita Khrushchev. A região continua sendo a única da Ucrânia onde a etnia russa é majoritária, e parte da frota russa do mar Negro fica estacionada no porto de Sevastopol.

Agora, a Crimeia, que conta com 2 milhões de habitantes, dos quais quase 60% são russos, 25% ucranianos e 12% tártaros, é o último reduto importante de oposição à nova ordem política pós-Yanukovich, e os novos líderes do país manifestam preocupação com os sinais de separatismo na península.

 

Fonte: Terra

Pedido de ajuda da Crimeia será atendido, diz fonte russa

A Rússia disse neste sábado que não deixará de atender ao pedido de ajuda feito pelo primeiro-ministro da república autônoma da Crimeia, Sergei Aksionov, ao presidente Vladimir Putin para pacificar a região.

A resposta de Moscou à solicitação das autoridades da Crimeia, região ucraniana cuja maioria da população é de origem russa, veio através de uma breve declaração divulgada pelas agências russas, que citam uma fonte do Kremlin.

Minutos antes, o chefe do executivo da Crimeia pediu ajuda a Putin para “restabelecer a paz e a tranquilidade” na região, em um comunicado no qual também anunciou sua decisão de pôr todas as forças de segurança locais sob seu controle pessoal.

Aksionov foi nomeado primeiro-ministro no último dia 27 pelo Parlamento da Crimeia, que destituiu o governo anterior e, além disso, aprovou a convocação de um referendo para ampliar a autonomia da região, que será realizado no dia 25 de maio.

“Como chefe do Conselho de Ministros da república autônoma da Crimeia, e no exercício dos poderes que me foram delegados pela Rada Suprema (legislativo) da Crimeia, tomei a decisão de pôr temporariamente sob meu controle as unidades e grupos militares do Ministério do Interior, do Serviço de Segurança, das Forças Armadas, do Ministério de Situações de Emergência, da Frota, do Ministério Público e da Guarda de Fronteiras”, afirmou Aksionov.

O chefe do Executivo autônomo justificou sua decisão dizendo que ocorreram distúrbios na região com o uso de armas de fogo e as estruturas de segurança são incapazes de restabelecer a ordem de maneira efetiva.

O primeiro-ministro também considerou ilegal a designação, por parte das autoridades centrais de Kiev, do novo chefe de polícia da Crimeia, Igor Avrutski, em um novo episódio da crescente tensão entre as autoridades pró-Rússia dessa região e o novo governo ucraniano.

EFE

 

Fonte: Terra

 

7 Comments

shared on wplocker.com