Stédile anuncia ‘urbanização’ do MST: ‘Não adianta só ocupar terras’

Líder do movimento admite que a reforma agrária clássica, baseada em invasões, acampamentos e distribuição de terras, está ultrapassada e é preciso disputar as cidades

A nova fase do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) é mais urbana e traz mudanças nas táticas e no espaço onde se dará a luta pela terra nos próximos anos, segundo o economista João Pedro Stédile, princípal dirigente do movimento, em entrevista exclusiva ao iG: “Se na periferia de São Paulo for preciso hortigranjeiros mais baratos, então vamos fazer desapropriações, inclusive no perímetro urbano, e entregar um ou dois hectares para as pessoas produzirem alimentos.”

Dezembro: ‘Agora estão tentando privatizar inclusive o ar’, diz João Pedro Stédile

MST: Cerca de 20 mil manifestantes sem-terra protestam em Brasília

A “urbanização” do MST, conta o dirigente, vem sendo construída com um projeto de alianças com os jovens que encabeçaram a jornada de manifestações de junho do ano passado, os movimentos sociais que lutam por moradia nas grandes cidades e as centrais sindicais. “Só ocupar terras não muda mais a correlação de forças. O MST precisa das alianças com a cidade”, afirma Stédile ao admitir que a reforma agrária clássica, baseada em invasões, acampamentos e distribuição de terras, pela qual o movimento lutou por três décadas, está ultrapassada e perdeu a oportunidade histórica.

Segundo Stédile, ancorada no projeto de uma “reforma agrária popular”, a nova fase será de intensas mobilizações para derrubar o atual modelo político e forçar o governo a promover reformas na economia. “Precisamos mudar os parâmetros da agricultura brasileira. O objetivo principal deve ser produzir alimentos”, afirma.

Novos caminhos: Com agricultura familiar, MST adere a estratégias capitalistas

Leia mais: MST resgata pauta das ruas, mas fica de fora dos protestos contra a Copa

O MST quer colocar na agenda oficial um projeto de agricultura familiar baseado na agroecologia e na agroindústria para produzir, em grande escala, alimentos saudáveis e sem os agrotóxicos que fizeram a pujança do agronegócio, mas deixaram pesado saldo de prejuízos à saúde pública.

Na entrevista ao iG, Stédile anuncia a concentração de esforços para o plebiscito pela convocação da Constituinte, critica os números “patéticos” do governo Dilma Rousseff na distribuição de terras e diz que, se não houver mudanças, o país entrará num período de crise prolongada. “As ruas vão gritar com mais força”, alerta.

Na semana passada, o movimento deu uma demonstração de força. Cerca de 20 mil sem-terra ocuparam as ruas de Brasília para reivindicar ações do governo a favor da reforma agrária e enfrentaram a polícia. E, no dia seguinte à manifestação, foram recebidos por Dilma no Palácio do Planalto.

Fonte: Último Segundo

10 Comentários

  1. MST..(cada ano q passa vai se tornando uma problema cada x maior .. ate o dia q resolverem criar uma ”Pais” próprio e partirem pra uma confronto armado .. afinal o q o MST prega pra seus ”afiliados” e q o Estado ..o governo brasileiro e um inimigo … basta presenciar alguns das praticas e ”estudos” q o movimento prega em seus assentamentos … )… . Black Blocks…CUT …PSTU . ONGs (causas indígenas..pedidos impossíveis ) … PCC (terror em SP .. e em outros Estados da federação ..PA..BA… SC.. etc ) ..”revolta” contras a UPPs no RJ (tb influenciadas por ONGs ).direitos Humanos.(so pra bandido e vandalo ) . OAB (ao meu ver .. se perdeu no ”politicamente correto ”) .. n sei pq mais noto uma clara ”aliança”’ entre esses ”movimentos”…. sempre em prol do caos ..da bagunça …. pregando ate a divisão do pais em alguns casos … e meus amigos a bola de neve cresce a cada dia … temo pelo futuro do Pais … uma ha essa ”bomba” vai explodir … e quando acontecer e um salve-se quem puder …. nossa classe politica precisa acordar e entender o momento e preciso agir e combater esses ”movimentos” com firmeza e coragem … sair do ”politicamente correto” do comodismo e por de lado ideologias partidárias e ”trabalhar” …um TIC TAC….uma grande parte da midia e pop no geral acredita e uma fase e q isso q estamos vendo e meramente passageiro …e q ja ja acaba .. q e mera ”modinha” … vamos ver … uma pena o Brasil estar numa situ dessas … nosso problema n e economico ( ainda) .. muito menos religioso … ou territorial … e um problema de gestão e política …

  2. MST que só invade (e destrói) terra produtiva quer agora ir para as cidades, .. parece piada isso!
    Este cidadão deveria estar preso e sob trabalhos forçados, talvez assim conheceria de fato uma enxada e o que realmente é o trabalho no campo!
    E o pior de tudo é que estas pragas são financiadas pelo governo com o dinheiro DE NOSSOS IMPOSTOS !!

  3. Se preparem, a quadrilha do MST, pretende sair do campo e invadir sua casa.
    Eles já mostraram a cara esta semana na praça dos três poderes DF, quando foram fazer ameças veladas ao supremo,em defesa dos mensaleiros, e depois trocar presentinhos com a gerentona.
    Só não entendeu quem não quis

  4. “O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra, que tem em Stédile um líder, é, não raras vezes, acusado de não ter como meta principal o bem estar dos camponeses, e sim, utilizar a reforma agrária apenas como pretexto para promover uma revolução socialista. Um trecho da cartilha de lutas do MST diz: “Os dirigentes possuem um sonho revolucionário que é construir sobre os escombros do capitalismo uma sociedade socialista. Muitas vezes as aspirações dos dirigentes não são as mesmas da massa. Nesse caso é preciso desenvolver um trabalho ideológico para fazer com que as aspirações da massa adquiram caráter político e revolucionário”.”… Fonte: Wikipédia… ou seja, dá-lhe lavagem cerebral nos desmiolados… todos bucha de canhão para os anseios dos “dirigentes” que se locupletam às custas de dinheiro público, como podemos depreender dessa fala: “Todavia, o MST tem seu nome cada vez mais envolvido em denúncias de repasses irregulares de verbas públicas, desde a gestão do presidente Lula”… desde o governo do luladrão que essa gentalha mama nas tetas do estado…

  5. “mobilizações para derrubar o atual modelo político ” Leia: conflitos violentos para tentar implantar o comunismo. Esse Stédile deveria estar preso há muito tempo, junto com seus cupinchas.

    Essa estória de que o MST quer reforma agrária é conversa furada. O MST é um exército revolucionário do PT e da Nova Ordem Mundial que pretende implantar um regime ditatorial de esquerda no Brasil. Agora a estratégia é produzir conflitos nas cidades. O conflito no campo já não produz visibilidade para o MST. Essa gente é financiada pelo governo sob as ordens de entidades ligadas à Nova Ordem Mundial, como o Diálogo Interamericano (que recebe recursos de banqueiros como Rockefeller), e da CNBB. É claro que se a questão fosse apenas fazer a reforma agrária, isso poderia ser resolvido utilizando-se as terras de propriedade do próprio governo federal, o maior latifundiário do país. Mas o objetivo é destruir a tão odiada economia de mercado, implantando o socialismo.
    Por trás de tudo, está a determinação de impedir de todos os modos que o Brasil se desenvolva e se torne uma nação próspera. Se quiserem saber mais detalhes sobre isso leiam O Complô Para Aniquilar as Forças Armadas e as Nações da Ibero América, de Dennis e Gretchen Small. Boa parte do que está acontecendo no Brasil e no mundo, ecologismo radical, movimento indigenista, agitações, tumultos, lutas de classe, guerra do Golfo, guerrilhas de esquerda como Farc, narcotráfico e lavagem de dinheiro das drogas pelos banqueiros, está tudo explicado nesse livro.

    • Para mim, para você e para qualquer pessoa de bom senso e que enxerga a realidade é terrorismo sim. Mas para o governo do PT, Lula, Dilma, Gilbertinho Carvalho, para o pessoal da Teologia da Libertação, para o Diálogo Interamericano, para a ONU e os globalistas da oligarquia financeira internacional e da Nova Ordem Mundial, não é terrorismo. Apenas uma estratégia para tentar dividir o Brasil, promover a luta de classes, gerar conflitos e manter o Brasil um país atrasado.

      • PERFEITAS CONSIDERAÇÕES… aplausos… raramente se vê tamanha síntese da realidade política nacional da esquerdopatia burra… os néscios esquerdistas fazem exatamente o que os senhores do primeiro mundo querem… conseguem manter a AL no eterno atraso… falou tudo…

      • De acordo! Essa trupe que está cega em seus próprios interesses não está percebendo (ou está..) que estão criando o perfeito cenário para a futura divisão do Brasil em três ou quatro países (traidores). Com o potencial e recursos naturais que o Brasil tem poderá se tornar uma superpotência (industrial, econômica e bélica) se for de fato administrado com zelo,competência e principalmente patriotismo… mas isso não é de interesse de países como EUA, China e UE que não querem mais um peso na hegemonia internacional tampouco perder seu eterno provedor de matéria-prima e insumos básicos.
        Abraços,

Comentários não permitidos.