Irã anuncia conclusão de sistema antiaéreo baseado no S-300

bavar373
Mock-up do Sistema Bavar 373

Militares iranianos declararam o fim do desenvolvimento do sistema antiaéreo Bavar 373, idêntico ao sistema antiaéreo russo S-300.

bavar-737

Os iranianos se viram obrigados a realizarem o desenvolvimento desse sistema depois de a Rússia ter se recusado (obedecendo a uma resolução do CS da ONU) a cumprir o acordo sobre o fornecimento do S-300 ao Irã.

Plataforma do Bavar 373
Plataforma do Bavar 373

O porta-voz iraniano declarou em entrevista ao telecanal Al-Alam: “Bavar 373 não só substitui S-300. Este sistema possui capacidades que a variante original do S-300 não tem. Trata-se de um sistema dos mais perfeito”.

Fonte: Voz da Rússia

9 Comentários

  1. E o tal Pantsir que o Brasil ia adquirir em 2013, e que ficou para o início de 2014?
    Nosso MD e FA estão esperando o quê com mais essa enrolação em cima do povo ignorante?
    Pois se a desculpa era a negociação complexa de transferência de tecnologia, aí está o Irã provando que quando se quer se faz com os próprios recursos.

    Então por que até hoje nosso país continua sem nenhuma defesa contra modernos ataques aéreos?
    Para quem estamos deixando nossas portas totalmente abertas?

    • Colaga Viventt, não quero defender ou ofender o projeto, mas existem ‘detalhes’ no acerto desta transferência de tot e a própria compra do Pantsir que levarão um determinado tempo, podemos estar falando de mais de um ano. Conforme texto da TCU o grupo de trabalho que iri iniciar os trabalhos neste sentido iria à Rússia em janeiro deste ano para “”avaliar”” Pantsir-S1. Sendo assim ainda passará muita água por debaixo desta ponte colega:

      http://pesquisa.in.gov.br/imprensa/jsp/visualiza/index.jsp?data=28/11/2013&jornal=2&pagina=5&totalArquivos=56

      O MINISTRO DE ESTADO DA DEFESA, no uso das atribuições
      que lhe são conferidas pelos incisos I e II do parágrafo único
      do art. 87 da Constituição e considerando as conclusões do Grupo de
      Trabalho Interministerial instituído pela Portaria Interministerial nº
      1.808/MD/MCT/MDIC/MF/MP/MRE, de 12 de junho de 2013, resolve:
      No 3.231 – Art. 1º DESIGNAR, o Grupo de Trabalho para a Avaliação
      do Sistema de Artilharia Antiaérea de Média Altura – PANTSIS-
      S1, sob a ótica dos Requisitos Operacionais Conjuntos (ROC)
      40/2013 (GTA-ROC), na Rússia, estabelecidos pela Portaria Normativa
      nº 1.984/MD, de 3 de julho de 2013, e compô-lo com os
      seguintes integrantes:
      – Gen Bda MARCIO ROLAND HEISE, coordenador do grupo;
      – Cel QEM Elo ROBERTO CASTELO BRANCO JORGE;
      – CMG (RM1-FN) JOSÉ ROBERTO SANTOS;
      – CF (FN) ODIMAR GOMES LEITE;
      – Ten Cel Art EDSON RIBEIRO DOS SANTOS JUNIOR;

      []s.

      • Que a coisa toda dê certo bem que eu torço, tenha certeza caro Willian.
        Porém, esse jeito de agir, burocrático e moroso (a tal portaria mostra bem) de nossos governantes já provou que é time perdedor.
        Estamos entregando para nossos filhos o mesmo Brasil que recebemos de nossos pais e avós… uma nação grande, atrasada, e refém de decisões e ações de várias outras, até muito menores que a nossa ( a compra de caças de uma nanica Suécia é um exemplo).

        Independente de transferência de tecnologia, coisa caríssima (vale sempre a pena?) e que se sujeita a validade e, ou, quebra de patentes, já há vinte anos, pelo menos, deveríamos ter algo semelhante aos sistemas S300 por compra de prateleira dando algo de proteção para…

        Bacia de Campos;
        Porto de Angra dos Reis (Rio de Janeiro)
        Porto de Aratu (Bahia)
        Porto de Belém (Pará)
        Porto de Itaguaí (Rio de Janeiro)
        Porto de Itajaí (Santa Catarina)
        Porto do Itaqui (Maranhão)
        Porto de Jaraguá (Alagoas)
        Porto de Navegantes (Santa Catarina)
        Porto de Natal (Rio Grande do Norte)
        Porto de Niterói (Rio de Janeiro)
        Porto de Paranaguá (Paraná)
        Terminal de Pecem (Ceará)
        Porto do Recife (Pernambuco)
        Porto do Rio de Janeiro (Rio de Janeiro)
        Porto de Rio Grande (Rio Grande do Sul)
        Porto de Salvador (Bahia)
        Porto de Santos (São Paulo)
        Porto de São Francisco do Sul (Santa Catarina)
        Porto de Itaguaí (Rio de Janeiro)
        Porto de Suape (Pernambuco)
        Terminal de Tubarão (Espírito Santo)
        Porto de Vitória (Espírito Santo)
        Usina Hidrelétrica de Itaipu – Rio Paraná, 14.000 MW – Paraná
        Usina Hidrelétrica de Tucuruí – Rio Tocantins, 8.370 MW – Pará
        Usina Hidrelétrica de Ilha Solteira – Rio Paraná, 3.444 MW – São Paulo e Mato Grosso do Sul
        Usina Hidrelétrica de Xingó – Rio São Francisco, 3.162 MW – Alagoas e Sergipe
        Usina Hidrelétrica Paulo Afonso IV – Rio São Francisco, 2.462 MW – Bahia
        Bases aéreas da FAB;
        Refinarias de petróleo;
        Siderúrgicas;
        Usina Atômica de Angla I e II
        Manaus;
        etc
        Cerca de 100 sistemas de prateleira para ontem já incomodaria o inimigo.
        Só de S300 os russos possuem cerca de 3000 sistemas.
        Logo, não há nada de fantástico em apenas 100 bons e atualizados sistemas de defesa aérea espalhados por aí.

        Contudo não temos nada. Apenas e tão somente um jeito perdedor e disfarçadamente entreguista de se comportar.
        Basta que se abra bem os olhos para se ver muita coisa…
        O desarmamento e a política de sociabilização inconsequente de criminosos homicidas, em nosso país, é a maior prova da sujeição a dominadores de fora.

        E o blábláblá “está td bem, vivemos em paz” apenas vem se repetindo eternamente para o nós. Mesmo quando são cerca 50.000 brasileiros assassinados todos os anos. E milhões assaltados e agredidos de toda maneira.

        Cabe a nós, pelo menos, mostrar que estamos sabendo de toda essa eterna articulação desconstrutivista e enfraquecedora da grande nação brasileira muito bem financiada e articulada por terras nórdicas friamente malfeitoras. O fato de não termos defesa aérea é um grande trunfo deles.
        Imagine propor a um General americano que sua defesa aérea pode ser feita com armas de mão e com 36 caças para todo o país. Ele ia morrer de tanto rir.

        Sds!

  2. Olha, não sei é blef. Mas se for é coisa de idiota… os países belicistas não acreditam em blefs. Se for sério mesmo eles só teriam esta capacidade se obtivessem os dados para desenvolvimento do equipamento… e como não existe almoço de graça pode ter certeza que acesso a alguma coisa eles tiveram.

    Eu gostaria, mas eu não entendo os iranianos… mas admiro o empenho deles em provar alguma coisa….

    • Será que se pode admirar o “empenho” quando dele se resultam peças dignas de ópera bufa como o “istelfi” Qaher 313 meu nobre Willian?

  3. Não sei muito do parque industrial iraniano, sabe la se eles conseguem fabricar o caminhão que leva essa “montueira” de tambor. Digo isso porque quem tem capacidade para fazer um sistema desses não estaria passando dificuldades em refinar petróleo.

  4. Eu li num fórum iraniano, que esse sistema só vai ficar pronto em meados de 2016.
    Esse prazo é muito mais realista do que esse.
    E os iranianos, de fato estão desenvolvendo uma cópia do S-300.

  5. Para um país, que, desde o ano passado seria invadido umas 4 ou cinco vezes segundo a imprensa….

    Até que não está mal!

Comentários não permitidos.