Defesa & Geopolítica

Mortos e bombas em região vizinha a Sochi fazem Rússia acionar alerta antiterrorista

Posted by

 SOCHI-RUSSIA-JANUARY-07-Number_54398941033_54115221154_600_396

DAS AGÊNCIAS DE NOTÍCIAS

As forças de segurança russas foram postas em alerta antiterrorista nesta quinta-feira, 09/01/2014,  na região de Stavropol (a 300 quilômetros de Sochi, sede das Olimpíadas de Inverno que começam em 7 de fevereiro) depois da descoberta de cinco corpos abandonados em quatro carros com ferimentos a bala, ontem.

“Em 8 de janeiro, entre as 0h30 e 19h30 locais, em duas cidades [de Stávropol] foram localizados quatro automóveis com cinco corpos com marcas de bala. Nas proximidades de um desses veículos foi ativada uma bomba caseira, mas ninguém ficou ferido”, informou o Serviço Federal de Segurança (FSB, antiga KGB).

Outra bomba foi desativada com a ajuda de um robô, detalhou o FSB. As autoridades russas declararam o regime de operação antiterrorista nos distritos afetados da região, uma das sete do conflito Cáucaso do Norte.

09sochi-rn

“Uma operação antiterrorista foi lançada à meia noite de 9 de janeiro nos distritos de Predgorny e Kirov”, indicou a administração regional de de Stavropol.

De acordo com a legislação russa, uma operação antiterrorista permite às forças de ordem evacuar os moradores temporariamente, ou parar veículos e pessoas sem motivo aparente.
A região de Stavropol faz fronteira com Krasnodar, à qual pertence Sochi, estação balneária às margens do Mar Negro e as montanhas do Cáucaso.

A quatro semanas dos Jogos Olímpicos de Inverno em Sochi, a Rússia se concentra na segurança do evento, sobretudo depois que dois atentados suicidas sacudiram em menos de 24 horas e a dois dias do ano novo a cidade russa de Volgogrado, também no sul do país.

O atentado suicida na estação de trem de Volgogrado, seguido de outro em um trólebus do transporte municipal da mesma cidade, matou 34 pessoas.

Dezenas de feridos nos dois atentados, perpetrados supostamente pela guerrilha islamita do Cáucaso Norte, continuam hospitalizados tanto em Volgogrado como em Moscou, para onde se transferiu a maioria dos feridos mais graves.

O presidente russo, Vladimir Putin, prometeu em 1º de janeiro de Volgogrado que as autoridades continuarão a luta contra os terroristas até “sua completa eliminação”.

REBELIÃO ISLAMITA

A região de Stavropol faz fronteira com várias repúblicas instáveis do norte do Cáucaso, como Daguestão, Inguchétia e Chechênia.

Frente a uma rebelião islamita, essas repúblicas são palco de explosões ou ataques quase diárias, visando principalmente membros das forças de ordem, mas também líderes políticos e religiosos.

Estes ataques são muitas vezes reivindicados pela rebelião islamita, que se estendeu além das fronteiras da Chechênia após a primeira guerra entre separatistas e forças federais russas nesta pequena república (1994-1996), seguida por um segundo conflito mais mortífero no início década de 2000, e que evoluiu para um movimento armado ativo em todo o norte do Cáucaso.

Os temores de que militantes islâmicos lancem ataques durante os Jogos Olímpicos de Inverno, de 7 a 23 de fevereiro, foram reforçados por dois ataques suicidas atribuídos a homens-bomba, que fizeram um total de 34 mortos nos dias 29 e 30 de dezembro, em Volgogrado, uma cidade no sul da Rússia.

Um forte esquema de segurança entrou em vigor na terça-feira em Sochi, a um mês da cerimônia de abertura.

Fonte: Agências de Notícias via Folha de São Paulo 

2 Comments

shared on wplocker.com