Defesa & Geopolítica

USCG receberá 14 aeronaves C27J para Vigilância e salvamento

Posted by

USCG C 27J

Tradução e adaptação: E.M.Pinto

fabricante de aeronaves  Alenia North America, anunciou que Guarda Costeira dos EUA ( USCG ) vai adquirir 14 aeronaves Alenia Aermacchi C-27J Spartan como parte de uma transferência interna da Força Aérea dos Estados Unidos (USAF). 

A transferência foi aprovada em 19 de dezembro através da passagem pelo Congresso da National Defense Authorization Act de 2014 e formalmente assinado em lei pelo presidente Barack Obama em 26 de dezembro. Essas aeronaves foram originalmente encomendadas para a Força Aérea da Guarda Aérea Nacional dos EUA, substituindo os já cansados C-130 Hércules, mas foram colocados em armazenamento logo após a sua entrega, após a decisão da Força Aérea de cancelar o programa.

Os termos comerciais e acordos pelo governo e a fabricante impediram a venda ou transferência da aeronave para países estrangeiros, mas não impedem a sua utilização por outras agências governamentais.

A lei permite que 14 aeronaves C-27J sejam imediatamente transferidos para a USCG para operações de voo já no prazo de 6-12 meses. A aeronave será utilizada para missões vigilância de médio alcance, patrulha marítima, combate as drogas, controle de  imigração, resposta a desastres, busca e salvamento.

A empresa disse a pouco que está antecipando os trabalhos exigidos pela USCG e que começará imediatamente o processo de expansão dos C-27J para as capacidades exigidas, acrescentando kits de missão sob medida para as suas missões específicas. Esses kits podem incluir radares de busca de superfície, sensores eletro-ópticos e suítes de missão a serem instalados em todos os 14 aviões.

De acordo com Benjamin Stone, presidente e executivo-chefe da unidade de negócios da Alenia Aermacchi norte-americana, o C-27J será capaz de suportar as capacidades de vigilância de médio e longo alcance, aumentando a capacidade da Guarda Costeira em  cobrir áreas específicas de interesse. 

O guarda opera  para essa missão atualmente a aeronave  ‘Ocean Sentry, aeronaves CASA CN-235,  HC-144 da EADS. A primeira aeronave foi entregue em 2006, o USCG opera atualmente 15 HC144 e planejava adquirir outros 20 mais. Com a disponibilidade destes 14 C-27J, obviamente os planos vão mudar.

No entanto, esta opção fornecerá a proteção a oportunidade de comparar os custos operacionais e determinar qual aeronave fornece mais econômica para o seu perfil de missão. A EADS afirma ter uma vantagem sobre o Spartan em termos de manutenção direta e consumo de combustível. Por outro lado, o Alenia C-27J possui a maior relação potência-peso de sua categoria, proporcionando assim USCG um maior alcance, resistência, velocidade e capacidade de carga.

Segundo Stone, C-27J pode efetuar manobras como um caça atingindo forças de  3,0 , o que lhe permite fazer curvas apertadas, subir e descer rapidamente. Ele pode voar mais longe, mais rápido e mais alto do que qualquer outra aeronave de transporte militar bimotor em sua classe.

Fonte: Defense-Update

2 Comments

  1. E os caras estão duros…parabéns,q n “ortori//” se mirem nos iankss e cuidem melhor da segurança do n país…Sds.

  2. stadeu says:

    Deveríamos ter Guarda Costeira ???

    Sim, na minha opinião cada Estado da Federação deveria se responsabilizar pela sua área de Oceano : Verba , pessoal e equipamentos .

    Tudo nas mãos da FAB e da Marinha não é suficiente para cobrir tanta área ,enquanto isso os caras fazem o que pode.

    http://www.defesanet.com.br/aviacao/noticia/13779/FAB-em-Acao-mostra-o-preparo-do-PARA-SAR–a-unidade-de-elite-da-Forca-Aerea/

    Perdi o curso SAR na minha época, tinha passado em outro concurso público e tive que dar baixa… mas acabei sendo designado para o antigo Terceiro Grupamento de Busca e Salvamento da PM SP e depois … bom … bons tempos , grandes tempos.

shared on wplocker.com