Categories
Defesa Negócios e serviços Sistemas de Armas

Seul equipará seus novos helicópteros navais com mísseis israelense SPIKE

aw159_onboard

Tradução e adaptação: E.M.Pinto

A  South Korean Defense Acquisition Program Administration anunciou nesta última sexta-feira que os novos helicópteros AW Wildcat adquiridos para a Marinha da República da Coreia  serão equipados com mísseis Rafael Spike NLOS , marcando a primeira implantação deste míssil avançado em uma plataforma marítima.

 O Spike NLOS  já está operacional no Exército da Coréia. O míssil pode atingir alvos pontuais com a máxima precisão, a partir de um alcance máximo de 25 km , usando a orientação eletro-óptica  autônoma ou mesmo guiada do tipo  man-in-the-loop. Seul está à espera dos oito AW159 Wildcat Marítimos para 2015. Estes novos helicópteros substituirão os atuais  AugustaWestland  Super Lynx MK99 atualmente em uso com a Marinha da Coreia.

Clique aqui para saber mais sobre o míssil Spike NLOS 

aw159_armed-300x266
Seul planeja equipar os helicópteros AW159 navais com 08 mísseis Rafael SPIKE NLOS, para ser usado contra alvos marítimos e terrestres. (Os mísseis mostrados neste desenho são os norte americanos Hellfire, transportadas em contentores retângulos) Foto: AgustaWestland

Equipar estes helicópteros com mísseis stand-off Spike NLOS, permitirá a Marinha a capacidade de atacar alvos a partir de uma segura. Seul está contando com as armas israelenses para engajar e eliminar lançadores de foguetes, tubos de artilharia ou até hovercrafts e lanchas de desembarque que  tentem conduzir desembarques rápidos e de surpresa  no território da  Coréia do Sul.

Seul está investindo cerca de US$  560 milhões  na aquisição dos 08 helicópteros. Cada um deles será equipado com torpedos anti-submarino e um sonar de imersão “flash”, fornecido pela Thales. O helicóptero será equipado para a guerra anti-submarino, ataque de superfície, vigilância marítima e missões de busca e salvamento.

Além do sonar, torpedos e mísseis os helicópteros serão equipados com um radar de vigilância marítima  e sistemas electro-ópticos, que também apoiarão os sistemas de armas. As entregas ocorrerão entre 2015 e 2016.

Além do SPIKE NLOS, Seul também está considerando outras variantes da família Spike, como o   Spike ER, considerada como uma das opções para uma arma guiada primária para o futuro helicóptero de combate a ser desenvolvido e produzido pela Korean Aerospace Industries (KAI). 

Outras opções incluem várias armas guiadas a laser, como o míssil israelense Lahat da IAI MBT, BAE Systems APKWS  e o Hellfire da Lockheed Martin /Raytheon . Enquanto os coreanos ainda não decidiram qual o parceiro  entrará no programa,   estima-se que só o segmento de sistemas de armas vai elevar os valores a mais de um US$ 1,0 bilhão.

south-korea-spike

Fonte: Defense-Update

 

4 replies on “Seul equipará seus novos helicópteros navais com mísseis israelense SPIKE”

HMS_TIRELESSsays:

A MB deveria observar esse movimento com bastante atenção visto que os Sea Skua não irão durar mais muito. o SPIKE pode ser uma excelente opção para os nossos Lynx

Sem dúvida são bons mísseis, más a questão é o uso que a marinha da Coreia do Sul deve dar para estes mísseis Spike, que provavelmente deva ser muito diferente da missão dos Sea Skua da MB.

A família de mísseis Spike, em todas as suas variantes, são fundamentalmente mísseis anti-tanque.

O “SPIKE NLOS” pesa 71 kg e tem um alcance máximo de 25 km , uma proeza para o seu peso…Porém a questão é a potencia de sua cabeça de guerra , posto que a maior parte do pequeno peso do míssil dever ser fuselagem, combustível e componentes mecânicos/eletrônicos, deve sobrar pouco peso para compor a munição do míssil.

Os já antigos (seu projeto remonta a 1972) Sea Skua pesam 145 kg e tem velocidade máxima de aproximadamente 980 km h, com o alcance máximo de 25 km (o mesmo dos modernos Spike NLOS), com uma cabeça de guerra com 37 kg de peso.–> 25% do peso total do míssil.

No chutometro: pegando esta proporção de 25% do peso do míssil para a cabeça de guerra do Sea Skua, o peso da munição do Spike NLOS seria de 17,5 kg…

Claro que outros fatores como o tipo de explosivo também influenciam na capacidade destrutiva.

E no caso do Spike NLOS, acredito que seja um míssil de baixa velocidade, lento…Porque seu relativo grande alcance combinado com o seu pequeno peso de 71kg, sugere isto fortemente e isto é reforçado pelo fato do fabricante não divulgar sua velocidade…Por exemplo: Uma variante,o Spike-ER, tem uma velocidade em torno de uns 560 km h ou um pouco mais…

Resumindo minha opinião:

Acredito que estes misseis Spike seriam mais apropriados para os fuzileiros navais ou para o exército.

Más não para substituir os Sea Skua dos Lynx da MB…

Comments are closed.