Defesa & Geopolítica

É pouco, ou quer mais!

Posted by
 porto-mariel-cuba

É pouco, ou quer mais!

Breve introdução por, Gérsio Mutti

Pergunta: Qual seria a reação de um esquerdista brasileiro de carteirinha, se o Brasil tivesse investido em 2013 somente 7% (US$ 15,5 milhões de dólares) do seu orçamento anual na melhoria da infraestrutura dos portos brasileiros e ao mesmo tempo, uma segunda infraestrutura no montante de 71% (US$ 682 milhões de dólares) tivesse sido aplicada, ao longo de três anos, com uma média anual de US$ 227,4 milhões de dólares,  na construção de um novo porto, por exemplo, nos EUA e com a sua inauguração prevista para fins de janeiro de 2014. Além disso, digamos que o Presidente da República Federativa do Brasil estivesse por demais ansioso para estar presente na inauguração desse novo porto americano, quando a tantos gargalos na infraestrutura brasileira que estão, ou foram relegados ao “enésimo plano”?

Resposta: Seria de uma verborragia em coro, sem fim!  Correto? Correto!!!

Pasmem Caros Comentaristas do Blog Plano Brasil, isso de fato ocorrerá, mas não nos EUA, e sim, adivinhem onde? Quem arriscou a Cuba dos irmãos Castro acertou em cheio!  Mais! A nossa “Presidenta” está incontida em si mesma até a data da inauguração, talvez como um, ou o marco da sua realização à frente do Governo Brasileiro no seu primeiro mandato.

Nas páginas 70 e 71 da Revista Veja desta semana (*), podemos ler os seguintes parágrafos:

 “Em 2014, o Brasil vai perder 22% da riqueza gerada pela maior safra de soja da história, de 55 milhões de toneladas. A causa disso são os gargalos da infraestrutura portuária brasileira e da perda de carga em acidentes de caminhões nas péssimas estradas. Isso significa que o governo brasileiro dedicou a essa questão a prioridade máxima, investindo o máximo possível na melhoria das estradas e dos portos brasileiros? Não. Apenas 7% dos 218 milhões de dólares previstos para ser investidos nos terminais brasileiros em 2013, ou 15,5 milhões de dólares, foram aplicados. O maior investimento brasileiro em portos nos últimos anos foi feito onde? Em Cuba.

No fim de janeiro, a presidente Dilma Rousseff vai à ilha dos irmãos Castro inaugurar o Porto de Mariel. O governo brasileiro investiu 682 milhões de dólares nos últimos três anos na construção de um terminal em Cuba, onde a ditadura de Fidel e Raul Castro, perdoem a repetição, vive sua fase terminal. O Porto de Mariel terá capacidade 30% superior à do Porto de Suape, o principal do Nordeste brasileiro. O descalabro é obra de Lula. Foi no governo dele, em 2008, que o BNDES decidiu financiar 71% do orçamento da construção do porto. Para entendermos o senso de prioridade do governo do PT, o BNDES emprestou aos cubanos três vezes mais do que destinou a melhorias e ampliações no Porto de Suape desde a sua inauguração, em 1983. Cuba não pode esperar. O Brasil pode.”

Para uma análise mais acurada, favor ler toda a matéria abaixo. Obrigado!

Isso que é camaradagem!

(*) Veja, Edição 2355, 08/01/2014

Leonardo Coutinho

 Enquanto os portos brasileiros não atendem à demanda, Cuba vai inaugurar um, novinho, feito com investimento do BNDES que é mantido sob sigilo pelo governo petista

Uma potência agrícola com portos tão inadequados é uma Ferrari com um reles motor 1.0. A exuberância fica empacada. É o caso do Brasil. 0 principal porto brasileiro, o de Santos, está assoreado e isso impede que os cargueiros de última geração, que exigem profundidades superiores a 14 metros, atraquem no terminal. As obras de dragagem ali avançam, mas em ritmo cubano. Opa! Quem nos dera! Em Cuba, com dinheiro do povo brasileiro, as obras de infraestrutura progridem velozmente.

Em 2014, o Brasil vai perder 22% da riqueza gerada pela maior safra de soja da história, de 55 milhões de toneladas. A causa disso são os gargalos da infraestrutura portuária brasileira e da perda de carga em acidentes de caminhões nas péssimas estradas. Isso significa que o governo brasileiro dedicou a essa questão a prioridade máxima, investindo o máximo possível na melhoria das estradas e dos portos brasileiros? Não. Apenas 7% dos 218 milhões de dólares previstos para ser investidos nos terminais brasileiros em 2013, ou 15,5 milhões de dólares, foram aplicados. O maior investimento brasileiro em portos nos últimos anos foi feito onde? Em Cuba.

No fim de janeiro, a presidente Dilma Rousseff vai à ilha dos irmãos Castro inaugurar o Porto de Mariel. O governo brasileiro investiu 682 milhões de dólares nos últimos três anos na construção de um terminal em Cuba, onde a ditadura de Fidel e Raul Castro, perdoem a repetição, vive sua fase terminal. O Porto de Mariel terá capacidade 30% superior à do Porto de Suape, o principal do Nordeste brasileiro. O descalabro é obra de Lula. Foi no governo dele, em 2008, que o BNDES decidiu financiar 71% do orçamento da construção do porto. Para entendermos o senso de prioridade do governo do PT, o BNDES emprestou aos cubanos três vezes mais do que destinou a melhorias e ampliações no Porto de Suape desde a sua inauguração, em 1983. Cuba não pode esperar. O Brasil pode.

Acrescente-se aos dados acima o fato de que o negócio com a ditadura cubana transcorreu sob segredo de Estado. Em junho de 2012, o ministro Fernando Pimentel, do Desenvolvimento e Comércio Exterior, classificou o conteúdo do contrato como “secreto”, com validade até 2027. A justificativa foi proteger “informações estratégicas”. Acabava de entrar em vigor a Lei de Acesso à Informação quando Pimentel decidiu classificar o negócio com os cubanos como secreto.

O BNDES financia obras de infraestrutura em quinze países, mas apenas três contratos — dois com Cuba e um com Angola — são considerados secretos. Um documento arquivado na biblioteca do Senado antes da blindagem feita por Pimentel e o relato de um funcionário público familiarizado com as negociações em torno do empréstimo para o Porto de Mariel dão uma pista do tipo de informação que o governo tenta esconder. A única garantia exigida pelo empréstimo foi a abertura de uma conta em uma agência do Banco do Brasil nos Estados Unidos na qual Cuba se compromete a manter um saldo equivalente a três parcelas do pagamento da dívida com o Brasil, cujo desembolso começará apenas em 2017. Em caso de atraso no pagamento, o Brasil, teoricamente, poderia sacar os valores da conta de Havana no BB. Teoricamente, pois os termos do contrato secreto são desconhecidos e podem conter cláusulas ainda mais favoráveis aos ditadores de Cuba. Por exemplo, o valor das três parcelas pode ser irrisório.

A promessa dos cubanos é depositar na agência do BB nos Estados Unidos parte da receita de suas exportações de açúcar. Como Cuba produz hoje menos açúcar do que há 55 anos, quando os Castro substituíram a ditadura de Fulgencio Batista pela deles, não há nenhuma garantia. Havana pode simplesmente deixar de depositar o dinheiro. O porto estará prontinho. E estará dado o calote — aliás, recorrente nos negócios com Cuba. Nem ao falecido Hugo Chávez o Brasil ofereceu tanta facilidade. Uma das razões para não ter vingado a participação da petroleira PDVSA na construção da refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco, foi o fato de o BNDES ter exigido que o venezuelano buscasse junto a bancos privados as garantias necessárias para a liberação do crédito. Chávez queria a mesma mamata dada pelo PT aos cubanos. Ofereceu dar como garantia uma conta a ser abastecida com as divisas geradas pelas exportações de petróleo. Não funcionou.

“Cuba é conhecida pelos calotes. Os contribuintes brasileiros podem considerar esse dinheiro como uma doação de seu governo para a manutenção de uma ditadura”, diz José Azel, professor do Instituto de Estudos Cubano-Americanos da Universidade de Miami. Em 2004, o governo do México recorreu à Justiça italiana para embargar 40 milhões de dólares de uma conta da empresa de telefonia de Cuba, na tentativa de reaver parte de um empréstimo de 500 milhões de dólares. Em novembro passado, o México acabou perdoando 70% da dívida e parcelou o saldo de 150 milhões de dólares em dez anos. O mesmo foi feito pelo Japão, que abriu mão de 80% de uma divida de 1,4 bilhão de dólares.

Cuba já pleiteia um novo empréstimo do Brasil. Desta vez para construir uma zona industrial ao redor do Porto de Mariel. Em novembro passado, Rodrigo Malmierca, ministro do Comércio Exterior cubano, esteve no Brasil para convencer empresas brasileiras a se instalarem na ilha. Malmierca prometeu isenção fiscal e o fim do confisco de metade do salário pago aos trabalhadores — um dos itens da legislação escravocrata implantada pelos comunistas. Nenhuma empresa brasileira topou. Vai ver, Malmierca já acertou tudo em segredo com o governo brasileiro.

O monopólio dos militares

Em 2006, o total de empresas registradas em Cuba era de 3519. Em setembro passado, quando o Escritório Nacional de Estatísticas e Informação de Cuba divulgou o mais atual levantamento empresarial da ilha, apenas 2491 empreendimentos estavam com as portas abertas. Uma redução de 29%. 0 fracasso da indústria, do comércio e do setor de serviços nada tem a ver com o embargo americano, até porque nada impede Cuba de fazer negócios com o restante do mundo. Trata-se, isso sim, do resultado da crescente concentração das atividades econômicas nas mãos de oficiais das Forças Armadas, um processo que começou em 1994, quando o país comunista “se abriu” a investimentos externos. Como as empresas estrangeiras não podiam ser 100% donas do negócio, associaram-se aos militares. Em 2012, as empresas das quais eles eram sócios ou únicos donos – desde lojas de roupas e sapatarias até a Almacenes Universales S.A., que controla toda a importação e exportação de produtos – movimentaram 80% do PIB do país. A administração do Porto de Mariel será feita pela Almacenes, que também será a sócia compulsória de quem se aventurar a investir no parque industrial previsto para as proximidades. No Brasil, a filial da empresa foi aberta em 2010 por Fidel Castro Puebla, que vive no bairro dos Jardins, em São Paulo, e cujo nome é uma homenagem da mãe, a general Esther Puebla, ao ditador cubano e ex-companheiro de guerrilha. Sob o nome de Comercial Brasraf Importação e Exportação Ltda., a filial da Almacenes faz a intermediação do comércio entre Brasil e Cuba.

Fonte: Veja, Edição 2355, 08/01/2014 via Ministério do Orçamento, Planejamento e Gestão (MPOG)

Leia também:

 Cuba_Porto_Mariel04

Cuba solicita ao Brasil (mais!) crédito para Porto de Mariel

Cuba solicita ao Brasil crédito para Porto de Mariel

Governo cubano solicitou um novo crédito para construção de infraestruturas na Zona de Desenvolvimento Especial da ilha

 

EFE

São Paulo – O governo cubano solicitou um novo crédito ao Brasil para a construção de infraestruturas na Zona de Desenvolvimento Especial da ilha, uma área dedicada a fomentar os investimentos estrangeiros para impulsionar sua economia, informou nesta quinta-feira o ministro de Comércio Exterior cubano, Rodrigo Malmierca.

Malmierca se reuniu hoje com um grupo de empresários em São Paulo para buscar investidores interessados em seu “megaprojeto” do porto de Mariel, onde será instalada a primeira Zona de Desenvolvimento Especial.

“O porto de Mariel já recebeu um importante volume de recursos que estão bem investidos. Nos reunimos na segunda-feira e na terça-feira e a parte cubana pediu crédito, não para o porto, mas para a Zona de Desenvolvimento Especial”, destacou o ministro na sua visita à Federação de Indústrias de São Paulo (Fiesp).

Malmierca afirmou que o crédito, que não teve o seu valor revelado, já foi solicitado, porém ainda não foi concedido.

“Agora as autoridades analisarão o assunto e nos comunicarão no momento adequado a decisão. Temos uma relação muito bem-sucedida e pensamos que continuará sendo assim no futuro”, acrescentou Malmierca, que adiantou que é muito provável que sejam empresas brasileiras as encarregadas de executar as obras previstas.

De acordo com a diretora do escritório regulador da Zona de Desenvolvimento Especial, Ana Teresa Igarza, encarregada de analisar as propostas de investimento, mais de 50 empresas de Espanha, França, Itália e Brasil fizeram contato com o órgão para manifestar seu interesse em investir na área.

Segundo explicou a Fiesp, o Brasil é um dos principais investidores do projeto cubano para ampliar o porto de Mariel, com uma contribuição de US$ 682 milhões (cerca de R$ 1,57 bilhão).

A 45 quilômetros ao oeste de Havana, a região oferece maiores facilidades que o restante da ilha para o estabelecimento de empresas estrangeiras. Entre as vantagens estão isenções tributárias e alfandegárias e mais agilidade no trâmite e avaliação dos projetos que se apresentem.

A região de Mariel ocupará uma extensão total de 465,4 quilômetros quadrados. A previsão é de que as obras sejam concluídas em meados de 2014 graças a um investimento de US$ 900 milhões (cerca de R$ 2 bilhões), vindos da iniciativas privada e pública.

Fonte: EFE via Exame, 21/11/2013 

81 Comments

  1. caio says:

    parabéns ao PT por jogar mais bilhões do contribuinte no ralo.

    faço as palavras de rodrigo constantino as minhas:

    “Sem falar que, no Brasil, reina o culto do pobrismo. As esquerdas amam a miséria, não os pobres. E odeiam os ricos mais do que “amam” os necessitados. Não existem abutres sem carniça, não é mesmo?
    O Brasil realmente testa nossa paciência. A impressão digital do governo inchado está em todas as cenas do crime, mas eis que boa parte da população pede, como solução para nossos males, mais governo! Seria cômico, não fosse trágico.”

    • Alvez8O says:

      “Qual seria a reação de um esquerdista brasileiro de carteirinha, se o Brasil tivesse investido em 2013 somente 7% (US$ 15,5 milhões de dólares) do seu orçamento anual na melhoria da infraestrutura dos portos brasileiros…”

      Parasafreando o Gérsio Mutti:

      ISTO QUE É PILANTRAGEM!
      ——————————–

      A reação de UM BRASILEIRO, NÃO UM “ESQUERDISTA” OU “DIREITISTA”…Como cidadão que não se deixa pautar por publicações sem nenhuma credibilidade, (porque comprovadamente,mentem e desinformam de forma contumaz) é de INDIGNAÇÃO, indignação com o amontoado de desinformação manipuladora e decepção com a inteligência do comentarista Gérsio, más o que esperar de alguém que lê Veja…?

      E não preciso me extender muito!

      Basta conferir a (des)”informação” inicial, de que o governo teria investido somente US$ 15,5 milhões de dólares do seu orçamento anual na melhoria da infraestrutura dos portos brasileiros e contrastar com o conteúdo do link abaixo:

      http://www.pac.gov.br/i/1cad68a5

      A realidade é que em matéria de obras de infraestrutura, o governo Dilma está sendo extraordinariamente competente!

    • helveciofilho says:

      por LUCENA
      .
      .
      É pouco, ou quer mais!
      .
      .
      Livro que relata envolvimento de FHC com a CIA esgota edição
      .
      Está esgotado nas duas maiores livrarias do Rio o livro da escritora Frances Stonor Saunders Quem pagou a conta? A CIA na Guerra Fria da cultura, no qual o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso é acusado, frontalmente, de receber dinheiro da agência norte-americana de espionagem, para ajudar os EUA a “venderem melhor sua cultura aos povos nativos da América do Sul”.
      .
      .
      (*)Fonte: [ .vermelho.org.br/noticia.php?id_noticia=233170&id_secao=1 ]
      .
      .
      O exemplar, cujo preço varia de R$ 72 a R$ 75,00, leva entre 35 e 60 dias para chegar ao leitor, mesmo assim, de acordo com a disponibilidade no estoque. O interesse sobre a obra da escritora e ex-editora de Artes da revista britânica The New Statesman, no Brasil, pode ser avaliado ao longo dos cinco anos de seu lançamento.
      .
      Quem pagou a conta?, segundo os editores, recebeu “uma ampla cobertura pela mídia quando foi lançado no exterior”, em 1999. Na obra,
      .
      Frances Stonor Saunders narra em detalhes como e por que a CIA, durante a Guerra Fria, financiou artistas, publicações e intelectuais de centro e centro-esquerda, num esforço para mantê-los distantes da ideologia comunista. Cheia de personagens instigantes e memoráveis, entre eles o ex-presidente brasileiro, “esta é uma das maiores histórias de corrupção intelectual e artística pelo poder”.
      .
      “Não é segredo para ninguém que, com o término da Segunda Guerra Mundial, a CIA passou a financiar artistas e intelectuais de direita; o que poucos sabem é que ela também cortejou personalidades de centro e de esquerda, num esforço para afastar a intelligentsia do comunismo e aproximá-la do American way of life. No livro, Saunders detalha como e por que a CIA promoveu congressos culturais, exposições e concertos, bem como as razões que a levaram a publicar e traduzir nos Estados Unidos autores alinhados com o governo norte-americano e a patrocinar a arte abstrata, como tentativa de reduzir o espaço para qualquer arte com conteúdo social.
      .
      Além disso, por todo o mundo, subsidiou jornais críticos do marxismo, do comunismo e de políticas revolucionárias. Com esta política, foi capaz de angariar o apoio de alguns dos maiores expoentes do mundo ocidental, a ponto de muitos passarem a fazer parte de sua folha de pagamentos”.
      .
      As publicações Partisan Review, Kenyon Review, New Leader e Encounter foram algumas das publicações que receberam apoio direto ou indireto dos cofres da CIA. Entre os intelectuais patrocinados ou promovidos pela CIA, além de FHC, estavam Irving Kristol, Melvin Lasky, Isaiah Berlin, Stephen Spender, Sidney Hook, Daniel Bell, Dwight MacDonald, Robert Lowell e Mary McCarthy, entre outros. Na Europa, havia um interesse especial na Esquerda Democrática e em ex-esquerdistas, como Ignacio Silone, Arthur Koestler, Raymond Aron, Michael Josselson e George Orwell.
      .
      .
      O jornalista Sebastião Nery, em 1999, quando o diário conservador carioca Tribuna da Imprensa ainda circulava em sua versão impressa, comentou em sua coluna que não seria possível resumir a obra em tão pouco espaço: “São 550 páginas documentadas, minuciosa e magistralmente escritas”, afirmou.
      .
      .
      Dinheiro para FHC
      .
      “Numa noite de inverno do ano de 1969, nos escritórios da Fundação Ford, no Rio, Fernando Henrique teve uma conversa com Peter Bell, o representante da Fundação Ford no Brasil. Peter Bell se entusiasma e lhe oferece uma ajuda financeira de US$ 145 mil. Nasce o Cebrap (Centro Brasileiro de Análise e Planejamento)”. Esta história, que reforça as afirmações de Saunders, está contada na página 154 do livro Fernando Henrique Cardoso, o Brasil do possível, da jornalista francesa Brigitte Hersant Leoni (Editora Nova Fronteira, Rio, 1997, tradução de Dora Rocha). O “inverno do ano de 1969″ era fevereiro daquele ano.
      .
      Há menos de 60 dias, em 13 de dezembro, a ditadura militar havia lançado o AI-5 e elevado ao máximo o estado de terror após o golpe de 64, “desde o início financiado, comandado e sustentado pelos Estados Unidos”, como afirma a autora. Centenas de novas cassações e suspensões de direitos políticos estavam sendo assinadas. As prisões, lotadas. O ex-presidente Juscelino Kubitcheck e o ex-governador Carlos Lacerda tinham sido presos. Enquanto isso, Fernando Henrique recebia da poderosa e notória Fundação Ford uma primeira parcela para fundar o Cebrap. O total do financiamento nunca foi revelado. Na Universidade de São Paulo, por onde passou FHC, era voz corrente que o compromisso final dos norte-americanos girava em torno de US$ 800 mil a US$ 1 milhão.
      .
      Segundo reportagem publicada no diário russo Pravda, um ano após o lançamento do livro no Brasil, os norte-americanos “não estavam jogando dinheiro pela janela”.
      .
      “Fernando Henrique já tinha serviços prestados. Eles sabiam em quem estavam aplicando (os dólares)”. Na época, FHC lançara com o economista chileno Faletto o livro Dependência e desenvolvimento na América Latina, em que ambos defendiam a tese de que países em desenvolvimento ou mais atrasados poderiam desenvolver-se mantendo-se dependentes de outros países mais ricos. Como os Estados Unidos”. A cantilena foi repetida por FHC, em entrevista concedida ao diário conservador paulistano Folha de S. Paulo, na edição da última terça-feira, a última de 2013.
      .
      Com a cobertura e o dinheiro dos norte-americanos, FHC tornou-se, segundo o Pravda, “uma ‘personalidade internacional’ e passou a dar ‘aulas’ e fazer ‘conferências’ em universidades norte-americanas e européias. Era ‘um homem da Fundação Ford’. E o que era a Fundação Ford? Uma agente da CIA, um dos braços da CIA, o serviço secreto dos EUA”.
      .
      Principais trechos da pesquisa de Saunders:
      .
      1 – “A Fundação Farfield era uma fundação da CIA… As fundações autênticas, como a Ford, a Rockfeller, a Carnegie, eram consideradas o tipo melhor e mais plausível de disfarce para os financiamentos… permitiu que a CIA financiasse um leque aparentemente ilimitado de programas secretos de ação que afetavam grupos de jovens, sindicatos de trabalhadores, universidades, editoras e outras instituições privadas” (pág. 153).
      .
      2 – “O uso de fundações filantrópicas era a maneira mais conveniente de transferir grandes somas para projetos da CIA, sem alertar para sua origem. Em meados da década de 50, a intromissão no campo das fundações foi maciça…” (pág. 152). “A CIA e a Fundação Ford, entre outras agências, haviam montado e financiado um aparelho de intelectuais escolhidos por sua postura correta na guerra fria” (pág. 443).
      .
      3 – “A liberdade cultural não foi barata. A CIA bombeou dezenas de milhões de dólares… Ela funcionava, na verdade, como o ministério da Cultura dos Estados Unidos… com a organização sistemática de uma rede de grupos ou amigos, que trabalhavam de mãos dadas com a CIA, para proporcionar o financiamento de seus programas secretos” (pág. 147).
      .
      4 – “Não conseguíamos gastar tudo. Lembro-me de ter encontrado o tesoureiro. Santo Deus, disse eu, como podemos gastar isso? Não havia limites, ninguém tinha que prestar contas. Era impressionante” (pág. 123).
      .
      5 – “Surgiu uma profusão de sucursais, não apenas na Europa (havia escritorios na Alemanha Ocidental, na Grã-Bretanha, na Suécia, na Dinamarca e na Islândia), mas também noutras regiões: no Japão, na Índia, na Argentina, no Chile, na Austrália, no Líbano, no México, no Peru, no Uruguai, na Colômbia, no Paquistão e no Brasil” (pág. 119).
      .
      6 – “A ajuda financeira teria de ser complementada por um programa concentrado de guerra cultural, numa das mais ambiciosas operações secretas da guerra fria: conquistar a intelectualidade ocidental para a proposta norte-americana” (pág. 45).
      .
      Espionagem e dólares
      .
      Não há registros imediatos de que o ex-presidente tenha negado ou admitido as denúncias constantes nos livros de Sauders e Leoni. Em julho do ano passado, no entanto, o jornalista Bob Fernandes, apresentador da TV Gazeta, de São Paulo, publicou artigo no qual repassa o envolvimento do ex-presidente com os serviços de espionagem dos EUA, sem que tivesse precisado, posteriormente, negar uma só palavra do que disse. Segundo Fernandes, “o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso diz que ‘nunca soube de espionagem da CIA’ no Brasil. O governo atual cobra explicações dos Estados Unidos”.
      .
      “Vamos aos fatos. Entre março de 1999 e abril de 2004, publiquei 15 longas e detalhadas reportagens na revista CartaCapital. Documentos, nomes, endereços, histórias provavam como os Estados Unidos espionavam o Brasil.Documentos bancários mostravam como, no governo FHC, a DEA, agência norte-americana de combate ao tráfico de drogas, pagava operações da Polícia Federal. Chegava inclusive a depositar na conta de delegados. Porque aquele era um tempo em que a PF não tinha orçamento para bancar todas operações e a DEA bancava as de maiores dimensão e urgência”, garante Fernandes.
      .
      Ainda segundo o jornalista, o mínimo de “16 serviços secretos dos EUA operavam no Brasil. Às segundas-feiras, essas agências realizavam a ‘Reunião da Nação’, na embaixada, em Brasília”.
      .
      Bob Fernandes, que foi redator-chefe de CartaCapital, trabalhou nas revistas IstoÉ (BSB e EUA) e Veja, foi repórter da Folha de S.Paulo e do Jornal do Brasil, afirma ainda que “tudo isso foi revelado com riqueza de detalhes: datas, nomes, endereços, documentos, fatos. Em abril de 2004, com a reportagem de capa, publicamos os nomes daqueles que, disfarçados de diplomatas, como é habitual, chefiavam CIA, DEA, NSA e demais agências no Brasil. Vicente Chellotti, diretor da PF, caiu depois da reportagem de capa Os Porões do Brasil, de 3 de março de 1999. Isso no governo de FHC, que agora, na sua página no Facerbook, disse desconhecer ações da CIA no país”.
      .
      .
      ************************ .
      É por isso que sempre digo;
      .
      Político safado e americanófilo,é tudo farinha do mesmo saco !! 😉
      .
      .
      (*) fonte: [ vermelho.org.br/noticia.php?id_noticia=233170&id_secao=1 ]

      • Blue Eyes, Na Resistência says:

        Com essa fonte vc não convence NINGUÉM intelectualmente sério… e o tema aqui é “governo investe fora do Brasil dinheiro público enquanto precisamos de dinheiro para infraestrutura interna… capiche ???… e não esse amontoado de distorções que vc postou tentando tirar o foco da questão…

      • Nascimento says:

        Aí Lucena!

        A gente tá falando desse Príncipe da Sourbone (o esporro segundo Bill Clinton)

        http://www.youtube.com/watch?v=JhCQfsH-R9Q

        Ou esse FHC se enrolando gaguejando no hard talk da BBC

        http://www.youtube.com/watch?v=cmAKMby2B0M

        Mas também esse da privataria tucana

        http://www.youtube.com/watch?v=V14fyWK9Cnc

        PS: Enquanto isso Demóstenes Torres passa as férias na Itália.

      • caio says:

        lunático o eterno pastel de vento. vamos ler o livro do romeu tuma filho “Assassinato de Reputações – Um Crime de Estado” deve falar, também, das espionagem feito por lula ao ministro de STF.

      • Nascimento says:

        TUMA NO DOPS É A PRIMEIRA MENTIRA DO “LIVRO-BOMBA”

        Romeu Tuma Jr. afirma no livro promovido pela revista Veja que acompanhou pessoalmente depoimentos do ex-presidente Lula em colaboração com o regime militar; isso é falso; quando Lula foi preso, em 19 de abril de 1980, Tuminha tinha apenas 16 anos e seis meses de idade, o que impede qualquer pessoa de ter cargo público, quanto mais o de “investigador subordinado”; antes, quando Lula se tornou sindicalista, em 1972, o policial que perdeu o cargo de Secretario Nacional de Justiça por comprovadas ligações com o contrabandista Li Kwok Kwen, contava nove anos de idade; seus amiguinhos brincavam de polícia e bandido e ele já saia em diligências políticas com o pai, o delegado Romeu Tuma, é isso?, acredita quem quiser, mas a verdade é que a vendeta de Tuminha contra Lula não se sustenta; mais uma vez, o pequeno Tuma mentiu.

        http://www.brasil247.com/pt/247/poder/123432/Tuma-no-Dops-%C3%A9-a-primeira-mentira-do-%E2%80%9Clivro-bomba%E2%80%9D.htm

        PS: Dê férias para a língua, trabalhe com a cabeça!

    • helveciofilho says:

      por LUCENA
      .
      .
      Com esse tipo de oposição como alternativa ao poder,realmente a reeleição da Dilminha está garantido…srsrsr
      .
      Há a terceira via, a ditadura,e entre nós,a democracia em que estamos, com todo os seus defeitos,ainda é muito melhor que a ditadura;só boçais cretinos que faz opção a ditadura;sabemos o grande mal que é a ditadura e mesmo com defeitos do poder nas mãos dos civis,nada é tão pior do que fora a ditadura militar de 64.

      .
      .
      Eu vi falar que estavam vendendo junto com o livro,“quem pagou a conta ?”,estava também vendendo o livro,“Privataria Tucana “ e quem comprasse os dois,levava de brinde outro livro,” O CHEFE “,falando das peripécias do governo Lulinha.

      • Blue Eyes, Na Resistência says:

        Como cuba é democrática !!!… é por isso então que a poste se espelha tanto na política dos castros ???…

      • helveciofilho says:

        por LUCENA
        .
        A Cuba é hoje,a mesma Cuba que fora na época quando no Brasil vivia uma ditadura militar;a de 64 através de um golpe estado,jogo sujo ;que o patetão só vive suspirando de saudades e fazendo apologia aqui.
        .
        Esse seu recalque para cima da Cuba é pura inveja,pois lá eles praticam aquilo que você sempre quis para o Brasil;a DITADURA.. 😉
        .
        Esse seu papo de democracia,só quem cai são os tontos; como o pulguento do nazistazinho do capa-preta e o tonho do Caio…hahahahah
        .
        O tu é chegado a uma DITADURA ! …patetão..hahahahah

      • caio says:

        viuvá do comunismo, fazendo jus ao bolsa internet.
        o brasil viveu uma revolução militar, não sou imbecil como você, que idolatra corruptos e seus complacentes, nem aplaudo os pequenos feitos, irrelevantes, tentando justificar os grande erros, relevantes.

      • CAPA PRETA says:

        Nazista? negativo Lucenático, eu abomino qualquer tipo de coletivismo fanático e socialismo, entre eles o NACIONAL SOCIALISMO.
        mas já saquei qual é a sua; “acuse-os do que vc é”

      • caio says:

        você e sua cretinice, seu querido líder cachaça, financia o comunismo na América latina. é melhor ser agente da cia do que de cuba (Dirceu) se toca escroto.

      • helveciofilho says:

        por LUCENA
        .
        .
        Hahahahahah….pegou ar foi…hahahhaahh…vai explodir homem bomba ?…hahahahah

      • Nascimento says:

        Muito Boa!

      • Nascimento says:

        Livro que relata envolvimento de FHC com a CIA esgota edição

        Está esgotado nas duas maiores livrarias do Rio o livro da escritora Frances Stonor Saunders

        Quem pagou a conta? A CIA na Guerra Fria da cultura, no qual o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso é acusado, frontalmente, de receber dinheiro da agência norte-americana de espionagem, para ajudar os EUA a “venderem melhor sua cultura aos povos nativos da América do Sul”.

        kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk!

        PS: Se acupuntura adiantasse, porco-Espinho viveria para sempre.

  2. Toe Alves says:

    É muita má fé pra não dizer outra coisa. O Brasil não deu dinheiro a ninguém, houve foi um empréstimo feito do BNDS a esse País, e essa construção está sendo feito por empresa brasileira. Quem tem a mínima noção de geopolítica, sabe que este tipo de ação trás benesses futuros, como o que ocorreu com há ultima reunião da OMC. Nunca foi petista, mas essa politicagem, manipulação de informação, já ultrapassou o ridículo.

    • PÉ DE CÃO says:

      correto Alves !!!
      os cães ladram mas a caravana não para .
      o brasil hoje tem condições geopolíticas para fazer isso e fazer empréstimos a juros , e vamos fazer muito mais por isso elegemos esse governo federal
      mas os vira-latas de gringo gostavam de quando o brasil apenas servia para o FMI ficar ditando as regras do nosso pais
      e esses vira-latas ainda tentam comparar nossas exportações com as de cuba para ganhar coro contra o projeto vai ser ridículo assim apenas na nossa imprensa sionista e aliada a interesses estrangeiros

    • HMS_TIRELESS says:

      Se o governo cubano pagasse o empréstimo tudobem. mAs a ditadura castrista é mestra no calote.

      • Blue Eyes, Na Resistência says:

        É claro e cristalino que o povo brasileiro foi ludibriado… quais garantias o governo cubano deu ao BNDES ???… as cuecas vermelhas usadas do fidel para os esquerdopatas brasileiros tarados pela esquerdopatia cheirarem e terem orgasmos ???…

    • Wolfpack says:

      Quero estes investimentos em portos no meu país, onde pago impostos dos mais altos do mundo, não em republiqueta de banana bolchevique parada há 50 anos na história. Se Cuba é tão boa assim pra se viver porque seu povo foge de lá como o diabo da cruz? Este dinheiro foi doado a uma ditadura familiar, que somente teve objetivo se perpetuar no poder. Se vocês morassem nesta ilha não poderiam se expressar desta forma, via internet nem pensar.

  3. Pasmem Caros Comentaristas do Blog Plano Brasil, isso de fato ocorrerá, mas não nos EUA, e sim, adivinhem onde? Quem arriscou a Cuba dos irmãos Castro acertou em cheio! Mais! A nossa “Presidenta” está incontida em si mesma até a data da inauguração, talvez como um, ou o marco da sua realização à frente do Governo Brasileiro no seu primeiro mandato. ==== Que droga.Seria + empregos e menor fila de caminhões c soja e outros. Que beneficios e ganhos o n país terá de tal investimentos? Bolivia, Paraguai, Equador e bom ñ nos eskecermos …tem alguns loucos n país…trágico.Sds.

  4. Julio Brasileiro says:

    Hipócritas e hipocrisias, dessas fontes claramente alinhadas com interesses próprios, particulares. Ainda que sejam verdades, dois pesos duas medidas, aonde essas fontes criticaram os mesmo BNDES aplicar bilhões, dos propalados e verdadeiros recursos públicos, quando financiava a telefônica, ou mesmo a FIAT? nenhuma linha, mutismo, eu fui contra, mas naquele momento as vozes hoje criticas defendiam o negocio, que muitos cidadãos que tiveram conhecimento, como eu, chiaram, O recursos, diziam, iriam regressar aos cofres públicos por se tratarem empréstimos e estarem sujeitos a correção pois haviam juros neles. Hora agora não é mais? a proposito foi a fundo perdido? Só mesmo muita má fé e enganação podem levar má informação aos ignorantes. E sabido que o BNDES a muito tempo vem atuando (ainda que eu particularmente seja contra, preferindo que atuassem nos moldes antigos, só para atender a cidadania nacional), extra fronteiras. Mas o que me incomoda mesmo é que essa turma critica, antes, em seus governos alinhados, sequer pensaram em utilizar o BNDES para beneficio da maioria da cidadania. Sempre foi um banco publico utilizado para fins de suprir alguns grupos restritos do poder nacional com moeda farta e a baixo custo. Sejamos sinceros, nos indignemos sim, mas não vamos cair no conto do vigaristas colocando-nos para trabalhar em seus favores. Eu não caio mais nesse conto de oligarcas vigaristas que usam a cidadania para trabalhar apenas e somente a seu favor.

    • PÉ DE CÃO says:

      julio os vira-latas querem que o fmi dite as regras novamente o aebrio never já esta sentado no colo do titu pedofila sam

    • Wolfpack says:

      O BNDES financia com o meu dinheiro sem minha autorização projetos nestes países medíocres bolivarianos e nesta ilha atrasada bolchevique, comandada por uma família que adora o poder e a repressão. Vocês pseudos socialistas de araque, pois acredito que vestem Levis, bebem Coca-Cola, e postam mensagens em um PC ou MAC, além de utilizer a rede criada pelo Departamento de Defesa Americano para vomitar estas teses ultrapassadas de socialismo com o dinheiro dos outros. Porque vcs não doam seus salários, o que sobrar depois destes larápios roubarem os impostos, para instituições de caridade ou o próximo mendigo que aparecer? Gostam de fazer socialismo nas redes sociais, na labia, como bom companheiro que são, mas colocar a mão no bolso nada. De boas intenções o Presídio da Papuda está cheio.

      • Blue Eyes, Na Resistência says:

        BRAVO !!!

  5. HMS_TIRELESS says:

    O que esperar desse governo e de sua política externa ideologizada? Sem falar no mau hábito dos petralhas em fazer cortesia com o chapéu alheio. Não bastasse o farsesco programa mais médicos, embuste pelo qual os petralhas financiam a ditadura cubana e tentam colocar o poste do Padilha como candidato viável ao governo de SP, ainda somos obrigados a ver esses que o ínclito Ministro do STF Celso de Mello cunhou como “usurpadores da República”finaciarem obras de infraestrutura na referida ditadura ao mesmo tempo em que nossos portos estão caindo aos pedaços.

  6. Julio Brasileiro says:

    Voltei ao tema por acho interessante a forma como procedem os adversários da maioria, quando um governo, qualquer deles atua de forma que fuja aos padrões de atuação que eles estabeleceram para seus próprios benefícios. São claramente, mentirosos até no tocante a sua ideologia capitalista, já que a única e verdadeira pretensão é tutelar governos para atender a seus interesses. Por que? é evidente que a ação do PT está dentro dos padrões estritamente capitalistas de atuação ainda, que eu não aprove, mas o fato do capital nacional estar prestando serviços a um país que politicamente não segue as normas para propiciar ao capital a liberdade para especular, criar vícios, entre tantos males que o capitalismo desenfreado cria a maioria das cidadania no mundo, vira um mal a ser combatido, ainda que este governo faça isso conforme faz e fez com outros governos que se quer parceiros, evidentemente mirando retorno a esse capital, ainda assim são contra. Esse discurso bipolar só encontra eco, em mentes doutrinadas para enxergar só o lado pejorativo das construções politicas que poderiam beneficiar a mais longo prazo nosso país. O States, tão pragmáticos, fazem isso o tempo todo. Lá essas vozes exultam, é geopolítica dizem, aqui são atos de governo irresponsável esquerdopata. Nesse interim tenho que admitir muitos preferem a boa intenção do vigarista no conto.

    • Wolfpack says:

      São crianças mimadas, que vivem testando o sistema, e sabem os seus limites. Morrem de medo e no primeiro sinal de reação correm feito ratos com o rabo entre as pernas como a totalidade dos socialistas de araque, o bolcheviques pós-modernos que devem ter posters do Che, mas ao mesmo tempo desfilam em um Ford, ou Chevrolet, além de adoraram uma banda larga e HDTV. São pobres de espírito e ideologia. Pensam que pode que esta porcaria socialista é o meio para se perpetuarem no poder, e adoram e como adoram fazer milagre com o dinheiro do próximo. Trabalhar que é bom, nada, adoram se escorar no poder público, atrás das garantias da estabilidade no emprego. São mediocres como seres humanos, que cogitam não colocar airbag e ABS nos carros, algo que salva vidas e trás benefícios econômicos incalculáveis quando deixam no posto de trabalho um homem ou mulher que poderia estar morto ou internado em um hospital. São imbecis em sua maioria.

  7. Nascimento says:

    KKKKKKKKKKKKKKKKK!

    Adoro esses finais de mundo! Os coxinhas não sabem mais o que fazer…

    Comento depois.

  8. César Pereira says:

    Se o BRASIL, esta investindo tanto em Cuba é bom que tenha uma boa resposta para tudo isso,ou seja uma forma de retorno que justifique tanto investimento.

    Agora isso não se deu por debaixo dos panos como a matéria sugere,a mídia já veicula essa notícia há anos !
    Inclusive deixo links para que os comentaristas possam saber coisas que não se encontram na matéria acima.
    http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2012/01/120131_cuba_porto_jf_is.shtml
    http://www.redebrasilatual.com.br/mundo/2012/02/exportacoes-brasileiras-para-cuba-cresceram-seis-vezes-desde-2003

    Agora analisando o prefácio dessa matéria eu queria fazer a seguinte indagação, o que as pessoas desse país intendem de esquerda?
    Um cidadão que entrega a pátria aos seus congeneres internacionais ?
    Se for isso o BRASIL,sempre foi esquerda,essa prática infelizmente não é nova em nosso país !
    Se tal fato se deu como a matéria diz, é realmente lastimável, e cabe a justiça do país investigar !
    Devemos analisar tudo com cuidado pois a direita tem se valido do uso da verborragia em demasia , muitas vezes chegando a sugerir até golpes de estado, para que a mesma retorne ao poder, poder esse, que ela vem perdendo nas urnas ano após anos de modo democrático !

    • RobertoCR says:

      Isto nunca foi feito por baixo dos panos César Pereira. Mesmo porque é dinheiro do BNDES. A notícia sobre o financiamento do porto em Cuba é bem velhinha.

      Abaixo segue link do jornal “O Estado de São Paulo”, de 31/12/2012 (a quase 2 anos!!!), sobre o assunto.

      Texto de introdução ao artigo: “Além de financiar a maior parte do porto de Mariel, em Cuba, o governo brasileiro também deve investir na primeira empresa a se instalar na zona livre de exportação (empresa de medicamentos – RobertoCR) que será criada junto com a construção do porto.”

      http://www.estadao.com.br/noticias/nacional,brasil-vai-investir-em-zona-livre-de-exportacao-de-cuba,829683,0.htm

    • Blue Eyes, Na Resistência says:

      Esquerdopata burro… achas mesmo que tiraremos alguma vantagem prática do fato de termos pago toda a construção de um porto em terras alienígenas confiscada por uma elite militarista ???… só vcs, burros da esquerda caviar acham vantagem termos tomado no olho cego ao emprestarmos sem NENHUMA garantia BILHÕES ao regime dos castros… vai tentar receber agora… vai receber, na verdade, um sorriso amarelo e uma pequena frase em ingles: sorry, your shit…

      • PÉ DE CÃO says:

        um fio da barba do fidel tem mais valor que documentos de 1000 paginas assinado por qualquer presidente americano rsrsrsrs

      • PÉ DE CÃO says:

        o fio da barba do fidel tem mais valor que documentos de 1000 paginas assinados por presidentes americanos rsrsrs
        chupaque é de uva vira-lata de gringo .

  9. Quanto será a mesada que os jornalistas e proprietários de grandes jornais recebem da CIA ou da embaixada americana no Brasil?

    • Wolfpack says:

      A CIA também colocou dolares (porque socialista gosta tanto de dolares?) na cueco de alguns bolcheviques de araque. Hoje choram para cumprir uma pena em regime semi aberto. Bando de facros.

  10. RobertoCR says:

    Toe Alves, muito obrigado!

    É realmente ridículo o que se está fazendo no Brasil pra colar a pecha de comunista.

    E Gérson Mutti, eu quero é muito mais disso aí.
    Talvez você possa nos brindar com um post sobre os motivos do porque o porto de Santos esta “eternamente” assoriado. Talvez uma boa resposta seja perguntado a CODESP (Cia. Docas do Estado de São Paulo), que é a responsável pela administração do porto, e que se reporta a Secretaria dos Portos da Presidência porque é instalação estratégica.

    Vai o link do estatuto da CODESP PRA AJUDAR
    http://201.33.127.41/down/estatuto_codesp_02-10-2013.pdf

  11. Wolfpack says:

    17 de novembro de 2013
    O toque de Midas brasileiro
    Rodrigo M. Pereira

    Glover Teixeira, estrela em ascensão no mundo das artes marciais mistas (MMA), foi embora do Brasil para treinar nos Estados Unidos. Quando perguntado por uma repórter sobre o porquê da mudança, ele disse que precisava de um pneu de trator, para treinar, que custa R$ 2 mil no Brasil. Nos Estados Unidos, o mesmo pneu custa cento e poucos dólares, e rapidamente estava à disposição dele para treinos.
    Todo mundo sabe que tudo custa muito caro no Brasil, muito mais caro que no resto do mundo. Mas o que a história do Glover deixa claro é o custo social de se viver num país com essa condição. Imagine a quantidade de atletas que param de treinar ou não tornam competitivos porque os equipamentos são caros demais; a de meninos que não viram grandes pianistas, porque piano no Brasil custa três vezes o preço cobrado no resto do mundo; a de Airton Sennas que não passam de promessas, porque, no Brasil, um kart e seus custos de manutenção são 2,5 vezes maiores, e por aí vai.
    Mas esse custo social invisível não se restringe a isso, há também um efeito toque de Midas muito ruim para a produtividade do país: quando alguém consegue fazer um produto entrar nas fronteiras do país, ele, instantaneamente, tem o valor de mercado duplicado ou triplicado. O contrabando torna-se extremamente lucrativo, e uma larga parcela da população deixa de usar seu potencial criativo e produtivo na produção de bens e serviços para tentar achar brechas no curral imposto pela Receita Federal, e lucrar com o efeito toque de Midas. Quem conhece a Feira dos Importados em Brasília sabe do que eu estou falando.
    O fato é que não é por acaso que tudo no Brasil custa muito caro. Há toda uma arquitetura econômica deliberadamente construída que é responsável por isso. Do sistema tributário ao tamanho do setor público, da falta de concorrência em muitos setores à herança de uma mentalidade pró-substituição de importações (em que importar é intrinsecamente errado, e quem insistir no erro deve ser punido), tudo contribui para que o Brasil seja um país muito caro.
    O Brasil tem quase que por tradição um imenso setor público, e uma pretensão de ter um Estado de bem-estar social à la países nórdicos, com saúde pública e educação universais, larga rede de proteção social etc. Tudo isso custa caro e tem que ser pago com impostos.
    Com uma razão arrecadação/PNB se aproximando dos 40%, o Brasil fica bem acima de países como Chile (18,4%), México (17,4%) e Estados Unidos (24,1%) e bem próximo das vedetes mundiais de proteção social, como Noruega (42,9%) e Suécia (46,7%).
    Mas, diferentemente desses países, que concentram a tributação em impostos diretos, sobretudo no Imposto de Renda, nosso sistema tributário ainda é típico de país terceiro-mundista, com altíssimo percentual de impostos indiretos no total da arrecadação. No Brasil, 48,4% do total arrecadado vem na forma de impostos indiretos, contra 27,5% na Noruega.
    Mas se os impostos indiretos, como o IPI ou o ICMS, são exatamente aqueles que fazem os bens ficarem mais caros, e se há um enorme custo social no convívio com preços tão altos, por que, então, o Brasil não faz como o mundo desenvolvido e tributa mais a renda e menos os bens? Porque tributar os consumo de bens é muito mais fácil do que tributar a renda.
    No Brasil, quase a metade do mercado de trabalho é informal. Uma maior tributação sobre a renda seguramente levaria a uma informalidade ainda maior. Mas, além disso, boa parte da metade que é formal não paga um único centavo de Imposto de Renda, porque cai na faixa de isenção, que vai de zero a aproximadamente R$ 1.600 mensais. Como esse é também o valor de nossa renda per capita, o indivíduo mediano simplesmente não paga IR no Brasil.
    De um grupo selecionado de 100 países com alguma estrutura tributária civilizada, 45 não têm faixa de isenção alguma do Imposto de Renda. Dos 55 que têm isenção, o Brasil é um dos mais generosos, com uma razão limite de isenção do IR/renda per capita de 100%. Para efeito de comparação, na Noruega essa razão fica em torno de 6%; ou seja, quem ganha 6% da renda per capita já começa a pagar Imposto de Renda.
    Então, como é possível sustentar um governo que gasta quase 40% do PNB, com uma arrecadação de tributos diretos insuficiente? Basta enfiar impostos indiretos nos bens que a população compra. Mas que fique tudo nebuloso, porque se ela souber o quanto paga de impostos quando vai às compras, seria capaz de sair às ruas revoltada em passeatas de protesto.
    Enquanto isso, o efeito toque de Midas corre solto. Um borracheiro estava me dizendo que quem tem carros grandes, como picapes Hilux, S10 etc., tem ido até o Paraguai na hora de trocar os pneus. Um jogo custa R$ 4 mil no Brasil, contra R$ 1,7 mil no Paraguai. “Mas tem que cortar os cabelinhos do pneu, doutor, senão a Receita descobre que o pneu é novo e aí já era.”
    FONTE: Correio Braziliense – 16/11/2013

    ESTE É O BRASIL BOLIVARIANO QUE ESTAMOS NOS TORNANDO
    COMO É BOM DOAR ESMOLA COM DINHEIRO DOS OUTROS NÃO É MESMO?

    • Blue Eyes, Na Resistência says:

      Assim os bolivarianos de boutique vão rasgar as calcinhas de tanto desencanto… 🙂

    • Nascimento says:

      Olá! Olha como o mundo da voltas

      E os cubanos não fugiram…

      Segundo o correspondente em Havana do jornal espanhol Publico.es, Cuba está encerrando seu primeiro ano de liberdade para viagens ao exterior sem registrar a fuga em massa de cubanos que seus políticos temiam e seus adversários desejavam.

      Durante décadas, o regime cubano impôs restrições de viagem a seus cidadãos. A justificativa para tal medida era que consistia numa defesa estratégica do patrimônio intelectual cubano, visto que os EUA, principalmente, e outros países, patrocinavam campanhas para que profissionais cubanos saíssem do país. Pouco tempo após a revolução cubana, por exemplo, o país perdeu a metade de seus médicos, que emigraram para os Estados Unidos.

      Mas a roda da história girou, e este ano Cuba removeu as restrições de viagem. Os principais dissidentes cubanos, como a blogueira Yoani Sanchez, viajaram o mundo como bem quiseram.

      Segundo o Chefe do Serviço de Emigração, Coronel Lamberto Fraga, 250 mil cubanos viajaram ao exterior em 2013, 35% a mais que no ano anterior, e isto apesar dos EUA ter quase duplicado o número de visas concedidos em Cuba. A maioria desses viajantes já voltou a Cuba e alguns já saíram e entraram do país várias vezes. Não houve fuga massiva de cérebros, como temiam setores do governo. Os médicos, por exemplo, continuam participando, aos milhares, de programas de cooperação das missões cubanas em outros países, apesar de que hoje podem emigrar legalmente com toda a família.

      Mais interessante ainda: há cubanos vivendo em outros países que estão voltando a Cuba. Só este ano, 3.500 cubanos se repatriaram. Segundo a reportagem, o número de solicitações é de dezenas de milhares, mas as autoridades demoram meses para aprovar cada caso.

      É quase inacreditável constatar isso. Mas aquela ilhazinha frágil, quase colada na Flórida, para delírio de seus adversários, ainda resiste!

      http://tijolaco.com.br/blog/?p=11996

      • Wolfpack says:

        O SALÁRIO MÉDIO DO CUBANO É DE $20,00 POR MÊS E O PREÇO DO PASSAPORTE É DE $100,00. O CARA PRECISA DE 5 MESES DE TRABALHO PARA RETIRAR UM PASSAPORTE, E ALÉM DISSO PRECISA ENTRA NA BUROCRACIA DO GOVERNO. MILITARES, CIENTISTAS, TÉCNICOS PRECISAM DE AUTORIZAÇÃO ESPECIAL. PORQUE SERÁ? ESTA ILHA ESTÁ FALIDA. O GOVERNO DE LÁ ESTÁ IMITANDO O DE CÁ, COM MEDIDAS PALIATIVAS COMO AUMENTO DE IMPOSTOS COMO O IOF, E REDUÇÃO DE IPI A TODA A HORA. DESCONTROLE SOBRE A GESTÃO. PERDIDOS, PORQUE SÃO AMADORES.

        ===================================
        Janaina Lage

        Publicado:
        13/01/13 – 7h00
        Mulher mostra passaporte na saída do Departamento de Imigração: nova lei eleva de 11 para 24 meses o prazo de permanência no exterior Ramon Espinosa/AP
        O ano começou de forma diferente para o jornalista Carlos Alberto Pérez e seus amigos em Havana. No lugar de tradições como o lançamento de baldes de água na rua para afastar o mal ou a queima do boneco que representa o ano velho no dia 31, os amigos resolveram iniciar 2013 ateando fogo a um avião construído com papelão e jornais. A brincadeira se tornou um rito simbólico para marcar o fim do trauma vivido por gerações de cubanos: as restrições impostas pelo governo para sair da ilha nos últimos 54 anos.

        — O avião se tornou um tabu para muitos cubanos. E queimá-lo significa deixar esse sentimento para trás. Neste ano não precisaremos mais disso — afirma Pérez, autor do blog “La Chiringa de Cuba”, onde um vídeo mostra jovens saltando sobre o avião em chamas ao som da música “100% Cubano”, de Pedro Luis Ferrer.

        Veja também
        Raúl Castro manifesta apoio a Maduro e Chávez
        Cuba ainda tem forte influência política na Venezuela
        Cubanos confiam na recuperação de Chávez mas temem sua ausência

        O jornalista, que sonha em conhecer o mundo, mas ainda não tem passaporte, não é o único em clima de expectativa. A partir de amanhã entra em vigor uma reforma migratória, que aposentará as famosas tarjetas blancas, as permissões de saída concedidas pelo governo, que representavam um caro e longo trâmite burocrático para os que pretendem atravessar fronteiras. A medida faz parte do pacote de políticas anunciadas pelo presidente Raúl Castro para “modernizar” o modelo econômico do país. Segundo Pérez, este é um caminho sem volta e o fluxo de cubanos em viagens deve aumentar, com a reunião de familiares e amigos que vivem no exterior.

        Cinco meses de trabalho

        Os custos, no entanto, ainda representam um entrave para a maior parte da população. Desde o fim do ano passado, milhares de cubanos enfrentam filas para tirar o passaporte no Departamento de Imigração e aproveitar o preço promocional. O valor sobe neste mês de US$ 50 para US$ 100. Com salário médio na faixa dos US$ 20, seria necessário trabalhar cinco meses somente para pagar por um documento. Ainda assim, é bem inferior aos custos atuais da burocracia para viajar ao exterior, da ordem de US$ 300 ou mais. A lei também eleva de 11 para 24 meses o prazo de permanência no exterior, com possibilidade de prorrogação.

        Com a procura elevada, a emissão de passaportes deve se converter em nova fonte de arrecadação para o governo, nos 195 escritórios responsáveis pelo trâmite no país.

        — Isso se converteu num grande negócio para o governo. Não é somente a taxa para o documento. Ele controla os serviços fotográficos exigidos para o passaporte e cobra caro. É um cenário triste, milhares de cubanos sonham em escapar para outro país — afirma Elizardo Sánchez, da Comissão Cubana de Direitos Humanos e Reconciliação Nacional.

        Apesar da data fixada pelo governo, há dúvidas sobre como a lei será implementada na prática. Para evitar uma “fuga de cérebros”, funcionários do governo, oficiais das Forças Armadas, profissionais e atletas estarão sujeitos a uma avaliação mais detalhada e rigorosa e podem ter o pedido negado por razões de defesa e segurança nacional. Inicialmente, os médicos faziam parte deste grupo, mas segundo informações de agências, o Ministério da Saúde os excluiu desta lista.

        A escolha entre quem pode ou não viajar é alvo de críticas nas redes sociais. “Incrível que um atleta, um técnico ou um dirigente seja mais importantes que um médico. Quem te atenderá se você precisar? Que médico ficará na ilha?”, escreveu em sua conta no Twitter a artesã Rebeca Monzó.

        Os opositores temem que o governo continue a impedir a saída de dissidentes. Com brechas legais para negar o documento, alegam que o passaporte passaria a funcionar como instrumento de controle, no lugar da autorização de saída. No Twitter, a blogueira Yoani Sánchez tem feito uma contagem regressiva. No ano passado, ela chegou a gravar um vídeo pedindo a ajuda da presidente Dilma Rousseff para visitar o país. Apesar de ter obtido o visto brasileiro, não obteve o aval do regime cubano. “Minha mala está pronta para viajar COM RETORNO! Poderei ir?”, escreveu, afirmando estar entre a esperança e o ceticismo.

        Ainda assim, em Washington, congressistas estão atentos à possibilidade de aumento do fluxo de cubanos. A deputada Ileana Ros-Lehtinen, da Flórida, defensora do embargo à ilha, disse ser a favor de uma revisão da Lei de Ajuste Cubano, que concede residência definitiva aos que chegam aos EUA de forma legal ou ilegal. Segundo ela, não é possível se dizer perseguido por razões políticas e regressar periodicamente para visitas — amanhã também entram em vigor novas regras que permitem que cubanos que vivem no exílio visitem legalmente a ilha.

        Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/mundo/novas-regras-de-viagens-em-cuba-entram-em-vigor-sob-desconfianca-7280359#ixzz2ppIWpuP6
        © 1996 – 2014. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

      • Nascimento says:

        Caro Wofpack!

        Até bem pouco tempo aqui no Brasil poucas pessoas podiam pagar uma passagem de avião. Uma viagem de cruzeiro então nem se fala.
        E o único problema que você aponta: a falta do vil metal para viajar. Existe em boa parte do mundo.

        Com isso não estou dizendo que não existam problemas em Cuba. Existem sim.

      • Blue Eyes, Na Resistência says:

        Lá só existem problemas, otário… não há soluções… aliás, há… meter uma bala na cabeça de cada chefe comunista e começar um regime capitalista nos moldes da Coreia do sul… se isso acontecer, cuba se tornará em pouco tempo um paraíso… do inferno ao céu em uma geração…

  12. Wolfpack says:

    A ESPERANÇA TEM QUE TER A AUDÁCIA DO DESESPERO (MILLÔR FERNANDES)
    domingo, 5 de janeiro de 2014

    Eu Quase Falei Mal do Eike Batista

    Sentei aqui para escrever um artigo falando mal do Eike Batista. Motivos não faltam: o cara montou um conglomerado onde uma empresa era cliente da outra, fazia planos megalomaníacos e colocava a letra X nos nomes dos negócios. Mas aí lembrei que moro no Brasil.

    Moro em um país em que o sonho de 9 entre 10 dos nossos jovens mais talentosos é ser funcionário público, de preferência Auditor Fiscal da Receita Federal. “Esse é o Brasil”, dizia o motorista do táxi que peguei semana passada, e que tinha acabado de passar em concurso para policial no interior do estado XYZ. “Todos os meus colegas já estão brigando pelos cargos”, anunciava ele, “é Roubos e Furtos, é Anti-Sequestro. Eu quero ser motorista do IML, trabalhar só oito horas a cada quatro dias”.

    Vivo em um país onde um funcionário público que chefia 100 outros funcionários é um servidor da nação, mas um empresário que emprega 100 pessoas é um explorador do trabalho alheio. Vivo em um país em que ser capitalista – gerar empregos e pagar os impostos que alimentam o Estado – é pecado grave. É o que ensinamos há décadas em nossas escolas e universidades.

    Um país em que membros de um dos poderes da República que prefiro não nomear (dica: não é o Executivo nem o Legislativo) receberam, para fazer um curso de uma semana em Miami, o valor de R$ 7.275,00 (sete mil duzentos e setenta e cinco reais ) de diária (você leu certo, mais de sete mil reais por dia). Esse é um país onde sindicatos de empregados e empresas são financiados com tributos, onde associações estudantis recebem verbas do governo, onde artistas famosos fazem shows milionários pagos pelo Estado.

    É claro que a história do Eike também tem financiamento do BNDES, dinheiro de fundos de pensão estatais e envolvimento de poderosos. Mas, lembrem-se, esse é um país onde se fazem leis para determinar o tamanho padrão das mesas de sinuca dos botecos (pensam que estou brincando ? dá um Google aí – foi em São Paulo) e obrigar os pescadores de beira de praia a usar “colete flutuante com apito acoplado e tênis com sola de borracha” (no Rio de Janeiro). Enquanto isso uma obra orçada em R$ 80 milhões acaba custando quase R$ 500 milhões (Cidade da Música, no Rio), emissários submarinos jogam ao mar bilhões de litros de esgoto in natura e 50 mil pessoas são assassinadas por ano (para comparação: na Índia são 3 mil, na China 9 mil, nos Estados Unidos 12 mil).

    E eu quase falei mal do Eike – um sujeito que, bem ou mal, teve a energia e a coragem para criar empresas, empregar pessoas, sonhar sonhos de produção, de criação, de enriquecimento. Pode não ter dado certo, e ele pode ter feito coisas erradas, mas assim é o capitalismo: ele deve pagar por seus erros e dívidas e sair do caminho, outros vão continuar de onde ele parou, dar um reboot nos seus sonhos. Serão minas, portos, usinas e hotéis que continuarão existindo, gerando empregos e pagando impostos.

    O capitalismo não é feito só de sucesso. Ele é feito de tentativa e erro, de muitas apostas que são perdidas e algumas poucas que dão muito certo. Deixar de entender isso, e de incentivar os poucos corajosos que ainda se dispõem a empreender, é a loucura do Brasil – uma loucura que impede o progresso e eterniza no poder uma pequena casta de privilegiados, sob o manto de um Estado que pode tudo.

    Eu quase falei mal do Eike Batista.

    ISSO AI É UM TAPA NA CARA DESTA JUVENTUDE FOLGADA, DEPENDENTE DE UM ESTADO FALIDO MORALMENTE, QUE É AVESSA AO TRABALHO, A INOVAÇÃO. A MAIORIA SOCIALISTA, POIS DEPENDEM DO PAPAI OU DO ESTADO PARA TOCAR SUA VIDINHA E COMPRAR SEU CIGARRO DE MACONHA. O SOCIALISTA GOSTA DE ESCONDER POR TRÁS DO COLETIVO, ODEIA O INDIVIDUALISMO, E MAIS AINDA O MÉRITO, GOSTA DO EMPREGO PÚBLICO, ONDE A EFICIÊNCIA NÃO É O NORTE E SIM A ESTABILIDADE.

    • Blue Eyes, Na Resistência says:

      Esse texto tem que ser tema de post… merece ser emoldurado… parabéns Wolf… feliz demonstração de percepção do que realmente estamos perdendo na ESQUERDOPATIA doentia que alguns BURROS teimam em defender… burros, não… maus caráteres… pois tem interesses pessoais que a realidade social brasileira continue em péssimo estado como está…

  13. Nascimento says:

    Desde sua concepção, o projeto Mariel foi desenvolvido conjuntamente com parceiros estrangeiros. A obra de construção do porto e instalações associadas, que começou em 2010, é administrada pela Odebrecht, um grupo brasileiro, por meio de sua subsidiária, Compañía de Obras en Infraestructura (COI). O banco de desenvolvimento estatal do Brasil, BNDES, está fornecendo 80% das finanças em quatro etapas. Os últimos relatórios sugerem que o primeiro cais entrará em operação em janeiro de 2014, a tempo de ser inaugurado pela presidente do Brasil, Dilma Rousseff, quando ela fizer uma visita oficial a Cuba para participar da cúpula da Comunidade de Estados Latino-Americanos e do Caribe (Celac) – seu antecessor, Luiz Inácio Lula da Silva, percorreu a obra com o presidente cubano, Raúl Castro, em janeiro deste ano. A China está fornecendo grande parte do equipamento de transporte de cargas, parte do qual chegou nas últimas semanas. A empresa de Cingapura PSA International vai administrar o porto sob um acordo assinado em 2011.

    Comunicados de impressa citaram várias companhias brasileiras que manifestaram interesse em montar fábricas em joint-ventures em uma zona especial de desenvolvimento de 500 quilômetros quadrados que está sendo criada ao redor do porto. Elas incluem duas fábricas de ônibus, Marcopolo e Busscar (a última já monta ônibus em Cuba desde os anos 1990), assim como a Fanavid, uma fábrica de vidro que espera se instalar para atender os mercados cubano, brasileiro e caribenhos.

    • HMS_TIRELESS says:

      Os mesmos nomes de sempre – BNDES, que sob a gestão petista têm feito muita generosidade com o chapéu alheio tal como os 15 bilhões de reais emprestados ao farsante do mundo x, e Odebrecht, que é a maior doadora de campanha para o PT além de emprestar de forma contumaz seu jatinho para o Iluminado de Garanhuns passear por aí. Ou seja, o seu press-release apenas confirma a promiscuidade petista no trato com a coisa pública.

      • Nascimento says:

        Lula e as empreiteiras, FHC e a Sabesp

        Por Eduardo Guimarães, no Blog da Cidadania:

        A Folha de São Paulo publicou com grande destaque em sua primeira página, na edição desta sexta-feira, 22 de março de 2013, manchete que parece anunciar um grande escândalo. Diz o jornal, em tom grandiloquente, que “Empreiteiras patrocinam 13 viagens de Lula ao exterior”.

        Na linha fina que segue a espalhafatosa manchete, outra “acusação”: “Ex-presidente foi a países onde empresas têm interesses; todos negam lobby”.

        No primeiro caderno, o de política, três grandes matérias sobre a manchete escandalizadora:

        – Quase metade das viagens de Lula é paga por empreiteiras

        – No exterior, petista promete repassar pedidos para Dilma

        – Outro lado: Instituto Lula diz que objetivo é o interesse da nação

        Devido ao tom da manchete em letras garrafais, colocada em destaque principal na primeira página, bem como devido à redação confusa das matérias vinculadas, têm-se a impressão de que o ex-presidente Lula foi pago com dinheiro público brasileiro para vender facilidades para empreiteiras brasileiras junto ao governo brasileiro.

        http://altamiroborges.blogspot.com.br/2013/03/lula-e-as-empreiteiras-fhc-e-sabesp.html

        Não era nem pra me dar ao trabalho, mas…….

  14. Nascimento says:

    Agora é só juntar o tico com teco…

    A construção na Nicarágua de um polêmico novo canal como o do Panamá, entre os oceanos Pacífico e Atlântico, deve fortalecer economicamente e geopoliticamente a China, disseram analistas ouvidos pela BBC.

    Analistas acreditam que um canal deste tipo poderia beneficiar a China da mesma forma que o Canal do Panamá beneficiou os Estados Unidos no início do século 20, em um momento em que a potência asiática lança uma agressiva expansão comercial e política a nível global.

    Atualmente, 5% do comércio mundial circula pelo canal panamenho.
    Se for construído, o canal nicaraguense vai cortar o Lago da Nicarágua e terá três vezes a extensão do Canal do Panamá, que mede cerca de 80 quilômetros.

    A perspectiva é que, economicamente, o canal possa ampliar a competitividade dos produtos chineses na América devido à diminuição dos custos de transporte. Isso é especialmente atraente dado o tamanho do mercado consumidor nos EUA.

    “Para a China, é um golaço geopolítico nos Estados Unidos.”

    América Latina

    Para os países da região, a perspectiva é de que o novo canal possa também ter um impacto econômico positivo.

    “Náo é útil apenas para a China, é uma demanda antiga de longa data do comércio que passa pela América Central. Faz muitos anos que o Canal do Panamá está saturado”, diz José Luis León Martínez, pesquisador do departamento de Política e Cultura da UAM.

    “Uma das razões de a Venezuela não ter ampliado a venda de petróleo à China é porque os venezuelanos não tem costa no Pacífico. Com um canal pelo qual esse tipo de produto possa ser transportado, certamente vai cair muito o custo de transporte das matérias-primas produzidas na América Latina para a China”, afirmou.

    Por si só, já é uma ótima razão investir no porto de Mariel

    • PÉ DE CÃO says:

      parabéns nascimento ,esta correto ,além de estratégico vai ser muito lucrativo
      é por isso que não podemos deixar essa imprensa sionista contar mentiras pelos cotovelos
      LEI DOS MEDIOS JÁ
      o governo federal tem que parar de agenda puritanista e parar de ser humildona e por a lei dos médios para funcionar fora outras revindicaçoes da sociedade, que essa elite ainda segura na câmara

      • Blue Eyes, Na Resistência says:

        Defendendo a DITADURA pé de cachorro ???…

      • helveciofilho says:

        por LUCENA
        .
        .
        ´pé de cão,
        .
        Não pode pois, o cargo de dinossauro de propaganda para ditadura no Brasil, já está ocupado pelo puxa-saco Mó do PB… 😀

      • Nascimento says:

        É PÉ DE CÃO!

        Vamos Pedir para o Gérsio Mutti trazer matérias sobre as rádios cariocas das décadas de 80. Ou então falar sobre noite paulista que é show de bola.

        Porque essa agora…. não colou…

        kkkkk!

    • HMS_TIRELESS says:

      Isso apenas prova que, ao invés de ser brasileiro, você é um mero lacaio chinês…

      • Nascimento says:

        Quando eu não qquiser mais ouvir reclamações, irei trabalhar no SAC da empresa que fabrica paraquedas

  15. luizduarte says:

    Esquerdista ou direitista sei la o que sou, mas sou um trabalhador brasileiro, que exerce a sua cidadania e fica triste vendo o meu governo fazendo investimentos no estrangeiro, e aqui no meu pais brasileiros morrendo por falta de investimento na saude, estradas matando, por falta de investimentos, fico triste de ver um governo o qual eu com o meu voto o coloquei la em Brasilia. viver de fazer propaganda mentindo que não tem inflação, é so ir ao super mercado todo dia para ver a inflação comer o nosso salario, tudo isso é muito triste.

    • Blue Eyes, Na Resistência says:

      Sinto muito amigo, mas se não mudarmos esse governo que ai está a coisa não vai melhorar… vai ficar só na propaganda… depende de nós também… na hora do voto, pense bem antes de apoiar qualquer um…

  16. Ilya Ehrenburg says:

    Gérsio Mutti e os seus amiguinhos de VEJA, ou será amiguinho Gérsio Mutti da VEJA;;; Tanto faz. Ambos não enxergam um palmo à frente do nariz…

    Eu vou dizer em alto e bom som: A plataforma continental envolta de Cuba, bem como aquela que se estende ao Golfo do México, está repleta de depósitos de petróleo… Petróleo!

    Pergunta: empresas das nações que geram e embargam Cuba, serão aquelas agraciadas com as concessões de exploração?
    Ou, serão privilegiadas as empresas das nações que foram solidárias à ilha?

    Quanto aos portos nacionais: quanto foi investido nestes últimos anos? Santos ficou 30 anos sem ganhar uma simples reforma de cais, hoje o porto está ampliado em mais de 100% na capacidade de carregar e descarregar containers!
    Gérsio, você sabia disso?

    Acho uma piada, pois Lula e Dilma foram os governantes que passaram a investir em infraestrutura, após 30 anos de abandono, mas a Veja, e Gérsio, costuma convenientemente esquecer desta dado…

    É cada uma…

    • Ilya Ehrenburg says:

      Erros: *…, * em volta…

    • Ilya Ehrenburg says:

      * costumam…

    • HMS_TIRELESS says:

      Estamos vendo as obras do PAC inacabadas por todo o país, enquanto alguns privilegiados empreiteiros fazem a festa…..como sempre o “Brasil PuTênfia” não condiz com a realidade dos fatos…

      E quanto ao pretenso Pré-sal cubano, pode esquecer! Embora a petrobrás eventualmente participe por ter tecnologia, quem vai realmente lucrar com isso será a sua segunda (ou seria primeira?) pátria Ilya, a China…..

      • caio says:

        meu caro hms_tireless o llya é mais um dos bolsa intenet, incumbido de fazer propaganda politica. ele e o pastel de vento sempre tentam ludibriar, mas os fatos provam por si mesmo.

      • Ilya Ehrenburg says:

        Bolsa intenet é você, Caio, que apareceu agora, e não sabe de nada.

      • Blue Eyes, Na Resistência says:

        Ele só constatou o óbvio, caro petralha… todos vcs, esquerdalhas que defendem o indefensível nestas páginas tem interesses escusos em dar os seus pitacos… quem sabe um carguinho no governo federal ???… mais um incompetente para engrossar o coro dos 500.000 ineptos que ocupam cargos no governo do partidão… pendurados nas tetas do estado nação brasileiro…

      • Ilya Ehrenburg says:

        Obras inacabadas não, e sim em andamento. Apesar do posicionamento golpista do TCU, que vive a embargar obras ao ver pelos crescerem em casca de ovos…
        E para quem duvida, aí está o MPU, que mesmo sendo tucano, não compactua com o jogo político do TCU…

        E quem tem pátria alheia por aqui é você, caro submarino enferrujado: Israel.

        😉

      • HMS_TIRELESS says:

        Deixa eu ver: Quer dizer que quando um órgão de fiscalização cumpre a sua função ele é golpista é? Qual é a lógica meu caro? Você vai usar o mesmo argumento que os petralhas usaram na AP 470?

        Quanto à Israel, dispa-se de seu preconceito contra o aguerrido Estado Judeu. Sei que é frustrante saber que quando estavam a se defender de injustas agressões os bravos soldados da estrela de davi derrotaram seus ídolos da juventude, mas é preciso superar esses traumas…hehehehe

  17. helveciofilho says:

    por LUCENA
    .
    .
    A arrogância dos ignorantes virtuais
    .
    (*)por:MARÍLIA MOSCHKOVICH/outraspalavras
    .
    .

    Imaginem a seguinte cena: uma pessoa que se formou, digamos, em administração de empresas, mas já foi ao médico muitas vezes na vida. Numa mesa de debate, à sua frente, médicos e agentes de saúde pública discutem a forma como certo vírus é transmitido para populações distintas. O administrador se levanta e, gentilmente, faz uma colocação:
    .
    – Os senhores me perdoem, não sou médico, claro, mas também não concordo com isso que estão dizendo.
    .
    Os médicos e agentes se entreolham e pergunta ao administrador com o que ele não concorda.
    .
    – Ora, está claro pra mim que o vírus é transmitido mais frequentemente para populações brancas. Eu sou branco e conheço muitas pessoas brancas, e várias delas tiveram esse vírus.
    .
    Os números apresentados pelos agentes de saúde pública nos cinco minutos anteriores à colocação do administrador mostram o oposto: devido a certas condições de moradia em comunidades negras, o tal vírus era mesmo mais frequente entre pessoas negras. Os agentes pacientemente explicam os números novamente ao administrador, que se levanta e, saindo da sala, grita:

    – Ditadores! Vocês não sabem dialogar! Vocês só querem ouvir quem concorda com vocês!
    .
    A cena que descrevi acima é frequente em praticamente qualquer debate político, especialmente na internet, em que as pessoas parecem mais confortáveis com a própria ignorância, sobretudo quando ela rende reações positivas de leitores. Quer dizer, na internet é muito fácil encontrarmos quem pensa exatamente como pensamos, e isso dá uma sensação (falsa) de que o que pensamos realmente deve ser verdade. A experiência pessoal, individual, sem qualquer reflexão ou informação crítica sobre ela, é reivindicada por grande parte das pessoas como um dado. Como se devesse, de fato, ser tratada da mesma maneira que um dado ou informação construídos por meio de anos ou décadas de trabalho de pesquisa, investigação, etc.
    .
    No caso dos debates que estão ligado a áreas técnicas – meio ambiente, saúde, saúde pública, etc. – essas atitudes parecem ser menos comuns, embora ocorram. Quando se trata de debates sobre política, cultura, sociedade, porém, a coisa é ainda mais feia. Troquem a cena descrita acima por um debate sobre a questão indígena, com antropólogos e lideranças indígenas discutindo e um mergulhador que não tem qualquer formação ou experiência na área fazendo a colocação. Parece familiar?
    .
    Enquanto socióloga, encontro embates desse tipo todo o tempo, seja na discussão política de esquerda, seja no feminismo. Ser feminista ou ser de esquerda realmente não é difícil. Basta propósito e ações comuns. Nos identificamos com elas, acompanhamos debates, nos envolvemos de várias maneiras – todas válidas. No entanto, se desejamos crescer como movimento ou como ativistas, é preciso mais do que meia dúzia de textos de internet (ainda que textos de internet sejam, sim, um excelente começo).
    .
    Tanto o pensamento feminista quanto o pensamento de esquerda são recheados de conflitos e contradições internas, claro. A diferença é que, ao ler autores que dedicaram décadas e formular explicações, investigar questões empíricas, filosóficas ou teóricas sobre o assunto que nos interessa, não estamos lendo uma discussão de comentários em Facebook. Estamos lendo um debate construído sobre dados e pensamentos consolidados, que não se baseiam em experiência pessoal, individual ou em “opinião”. Esses textos, ainda por cima, costumam nos situar em relação aos posicionamentos que tomamos: de onde vêm certas percepções e posições que temos, enquanto militantes e ativistas, sobre a causa, as estratégias, o mundo? Já dizia Marx: somos seres tributários de nossa história. Enquanto militantes não é diferente.
    .
    Ao mesmo tempo é importante avisar aos navegantes dessa onda que ninguém, mas ninguém mesmo, tem a obrigação de ser professor particular voluntário e te explicar o pensamento de autores, as teorias, os conceitos e os textos que talvez se esteja com preguiça de ler. A informação hoje está disponível com muita facilidade; com poucos segundos de Google Acadêmico é possível encontrar textos, boas análises sobre eles, apresentações de autores, entre outros. É só se dar o trabalho de procurar, ler e conversar com outras pessoas sobre aquilo. Assim crescemos.
    .
    Para facilitar esse caminho das pedras – de encontrar leituras, compreender a relação entre elas, conhecer autores e discutir com quem também está lendo ou leu aquele material – há alguns sites e cursos, online e presenciais, que se propõem a fazer esse tipo de introdução (sem falar em coleçõezinhas que várias editoras têm, apresentando autores, temas ou perspectivas teóricas de diversas áreas das ciências humanas e sociais). A Universidade Livre Feminista, ou o Arquivo Marxista da Internet.
    .
    Foi justamente com esse propósito também que criei, no finzinho de 2013, alguns cursos introdutórios sobre feminismo – e gostaria de convidar brevemente as leitoras e leitores a conhecê-los. Neste mês de janeiro, em São Paulo, haverá quatro encontros temáticos para quem quer saber um pouquinho mais sobre feminismo antes de entrar em leituras e estudos. Um beabá geral, para o qual vocês podem se inscrever aqui. Em fevereiro, na modalidade à distância, ofereço um curso de teoria de gênero (saiba mais e se inscreva, aqui). Além de tudo isso, pra quem já conhece um pouco de feminismo e deseja aprofundar seus estudos de maneira constante, lendo de debatendo com outr@s interessad@s, comecei um grupo de estudos permanente, online (veja aqui).
    .
    Essa é minha maneira de responder a uma necessidade que aparece em quase todo debate. Há sempre muita gente que não está interessada, claro, e sempre haverá. Mas também há muita gente que se perde em meio a tanta informação disponível (afinal, buscar no Google não é sempre algo fácil de óbvio como eu mesma fiz supor ainda há pouco) – e que realmente deseja estudar e entender a coisa de forma mais estruturada.
    .
    Aproveitemos o ânimo de ano-novo para pensarmos, em 2014, um ciberativismo feminista novo: com um debate menos baseado em desafetos pessoais, experiências individuais e achismos, e mais baseado no que existe de conhecimento feminista acumulado sobre o mundo (e não é pouco!). No ano que passou conseguimos atenção e ampliação da participação online sobre uma série de questões caras a nossas lutas. Agora temos a opotunidade única de promover um crescimento qualitativo do nosso movimento!
    .
    Seja mais que bem-vindo, 2014. Meu otimismo me diz que será um ano bom para o feminismo na internet (e, espero, fora dela também).
    .
    Um feliz ano, feministas de todo o mundo!
    .
    .
    (*)fonte: [ http://outraspalavras.net/destaques/a-arrogancia-dos-ignorantes-virtuais/ ]

  18. Wolfpack says:

    Será que a primeira obra entregue por estes 12 anos de PT no poder será um porto em Cuba?
    – nenhuma estrada;
    – nenhum porto;
    – nenhum quilômetro de via férrea;
    – nenhum quilômetro de hidrovia;
    – nenhuma hidroelétrica;
    – nenhum aeroporto em que o ar condicionado funcione;
    – nenhuma prisão federal para evitar decapitações barbaras de presos ou dar morada aos mensaleiros de colarinho branco;
    – nenhuma refinaria para craquear o petróleo do pré-sal;
    – nenhum alivio a famosa seca do nordeste com a obra nunca finalizada da transposição do Rio São Francisco;
    – nenhum silo para armazenar as super safras;
    – nenhuma usina de álcool a mais, nem mesmo sistemas de reservar de etanol (por sinal além de destruirem a Petrobras, destruiram também o pro-alcool).
    Onde estão as realizações deste Governo? Onde estão as metas cumpridas? O que vimos foram as amaldiçoadas privatizações (do passado, hoje não mais)
    do pré-sal, estradas, aeroportos, e do sistema de saúde a médicos cubanos.
    Conseguiram destruir uma credibilidade nos números de inflação e crescimento, balança comercial com a economia criativa, para não dizer economia da enganação como a Argentina e Venezuela.

  19. CAPA PRETA says:

    A cumpanheirada esta devolvendo a “matriz” o dinheiro de financiamento de campanha, emprestado via “cueca Leasing”
    Corja imunda….

  20. Alvez8O says:

    Nada mais pretensioso do que um caolho com sua visão de um olho só, querer guiar quem tem dois…

    • Blue Eyes, Na Resistência says:

      As únicas coisas em pares que funcionam em um PETRALHA são as mãos ávidas para ROUBAR dinheiro público… melhor seria para nós se ao invés de enxergar fossem cegos… diminuiria a tentação em se locupletar com o erário público…

  21. Alvez8O says:

    Todo este falatório de golpistas e papagaios repetidores do discurso midiático , nada significa diante da queda do desemprego no Brasil a apenas 4,6%.

    Menor que o da admirada Alemanha.

    Em referência ao mesmo novembro (últimos dados disponíveis a respeito), sobre o EUA: vimos as manchetes consagradoras “EUA têm o menor desemprego em 5 anos: cai de 7,3% para 7%”.

    O índice brasileiro, o menor já registrado em nossa história, excelência no mundo, não mereceu manchetes da mídia corporativa a serviço do “norte”, ficou só em uns poucos títulos e textos mixurucas.

  22. Alvez8O says:

    “Porém no EUA dos alegados 7% de desemprego, manobras estatísticas escondem mais de 18% da totalidade dos trabalhadores desempregados…

    O verdadeiro índice de desemprego norte-americano está em torno de 23%, de acordo com levantamento do economista John Williams, publicado em seu site “Shadow Government Statistics”.

    Seu trabalho põe em cheque os números oficiais divulgados pelo governo norte-americano.

    Primeiramente o número divulgado oficialmente é o obtido pela tabela U3 – do BLS, Bureau of Labour Statistics – e esta taxa seria de 7%.

    Esta tabela exclui do número dos desempregados aqueles que estão há mais de quatro semanas sem procurar emprego e os que estão ocupados em serviços temporários e em horários parciais (ou seja, os que fazem bicos estariam, na tabela U3, empregados).

    Aproxima-se um pouco mais da realidade a tabela U6 do mesmo BLS, que trata como desempregados os que estão a mais de 4 semanas sem buscar emprego e os que fazem bico e este número já é quase o dobro do divulgado pelo governo e a mídia corporativa que reproduz as suas manipulações: chega a 13,2%.

    Mas essa tabela deixa de fora os que desistiram de buscar serviço há mais de um ano (os chamados desempregados de longo prazo, fenômeno que se amplia muito nos períodos de estagnação prolongada como aquele em que os EUA vegeta desde 2008). Ao incluir este setor é que o economista John Williams chega aos 23,2% reais.”
    —————————
    http://www.shadowstats.com/
    ———————————

    Sugestão para quem crê no Apocalipse econômico marketado pelas corporações midiáticas implantadas no Brasil:

    Vá para o EUA! E tente arrumar emprego por lá!

  23. Nascimento says:

    Justiça à brasileira: Demóstenes Torres curte Ano Novo na Itália

    Dois homens, duas acusações, dois pesos e duas medidas.

    O ex-senador Demóstenes Torres foi flagrado mantendo relações com um chefe do crime organizado de Goiás. Há fartas provas materiais contra ele, inclusive gravações em que aparece se corrompendo.

    Demóstenes foi flagrado por uma fonte deste blog desfrutando das delícias que o dinheiro pode comprar. A foto que o leitor vê acima foi tirada na cidade italiana de Firenze no primeiro dia deste ano.

    (Com direito a fotos)

    http://www.blogdacidadania.com.br/2014/01/justica-a-brasileira-demostenes-torres-curte-ano-novo-na-italia/

    Lista de Furnas e o Caixa-2 do PSDB

    Por Lúcia Rodrigues, no blog Viomundo:

    Quem pensa que o mensalão do PSDB é o único esquema de corrupção do partido que está impune, se engana. A sigla está envolvida em pelo menos outro escândalo de desvio de recursos que não foi julgado até agora, apesar de a Polícia Federal ter atestado a autenticidade do documento-chave para a denúncia.

    O mensalão tucano, recorde-se, ajudou a financiar a campanha de 1998, quando Fernando Henrique Cardoso se reelegeu ao Planalto e Eduardo Azeredo, do PSDB, foi derrotado na disputa pelo governo de Minas Gerais por Itamar Franco.

    http://altamiroborges.blogspot.com.br/2014/01/lista-de-furnas-e-o-caixa-2-do-psdb.html

    PS: Tá faltando falar sobre um certo CHEIROCOPTERO que sumiu do noticiário.

    Como diria um certo político: VAMOS CONVERSAR?

    • HMS_TIRELESS says:

      EU prefiro essa notícia aqui:

      STF determina prisão de João Paulo Cunha

      Deputado mensaleiro foi condenado a nove anos e quatro meses de prisão pelos crimes de peculato, corrupção passiva e lavagem de dinheiro

      Laryssa Borges, de Brasília
      O deputado federal João Paulo Cunha (PT-SP) em 2003, quando presidia a Câmara
      O deputado federal João Paulo Cunha (PT-SP) em 2003, quando presidia a Câmara (Fernando Pilatos/Futurapress)

      O presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, determinou a prisão imediata do deputado federal João Paulo Cunha (PT-SP), condenado no julgamento do mensalão. A decisão do magistrado, tomada de forma individual, data do dia 2 de janeiro, mas só foi tornada pública nesta segunda-feira.

      De acordo com Barbosa, parte da sentença de condenação imposta pelo STF a João Paulo – pelos crimes de peculato e corrupção passiva – já pode começar a ser cumprida, já que ele não tem direito a apresentar novos recursos. Com isso, é esperado que a carta de sentença confirme que o mensaleiro deve cumprir pena inicial de seis anos e quatro meses em regime semiaberto. Em sua manifestação sobre os pedidos do parlamentar, Barbosa considerou que parte dos apelos eram “meramente protelatórios” e tinham o objetivo de evitar o fim do processo judicial.

      “Nego seguimento ao recurso do embargante quanto aos crimes de corrupção passiva e peculato relativo à contratação da empresa SMP&B por faltar-lhe requisito objetivo essencial de admissibilidade e por considerá-lo meramente protelatório. Determino, como consequência, a imediata certificação do trânsito em julgado quanto a essas condenações e o início da execução do acórdão condenatório”, diz trecho do despacho do presidente do Supremo.

      A assessoria do parlamentar informou que ele deve se entregar em Brasília nesta terça-feira. Em seguida, João Paulo deverá fazer exames no Instituto de Medicina Legal (IML) e será levado para o Complexo Penitenciário da Papuda, no Distrito Federal. A Câmara dos Deputados, que deve decidir o destino político do mensaleiro, ainda não foi notificada da prisão.

      Crimes – O petista foi condenado a nove anos e quatro meses de prisão em regime fechado pelos crimes de lavagem de dinheiro, peculato e corrupção passiva, mas ainda recorre da condenação de lavagem por meio dos chamados embargos infringentes. Ele teve cinco votos favoráveis neste quesito, um a mais do que o mínimo necessário para apresentar o recurso.

      Conforme denúncia do Ministério Público sobre o esquema do mensalão, Cunha aceitou 50 000 reais do publicitário Marcos Valério para favorecer a agência de publicidade SMP&B em um contrato da Câmara dos Deputados. Na época do escândalo, confrontado com a descoberta do pagamento, o congressista disse em um primeiro momento que o PT enviou recursos para que fosse paga uma fatura de TV a cabo. Em juízo, mudou a versão e afirmou que petistas encaminharam o dinheiro para realizar pesquisas pré-eleitorais na região de Osasco (SP). Para o STF, porém, o recurso era propina.

      Na tentativa de despistar o recebimento do dinheiro do valerioduto, João Paulo chegou a enviar a esposa para buscar os 50 000 reais em uma agência do Banco Rural. “Logrou-se impedir a identificação da origem, localização e propriedade do dinheiro. Ciente de que o dinheiro tinha origem ilícita em crime contra a administração pública e de que não haveria a identificação formal do verdadeiro portador ou destinatário, João Paulo se usou de pessoa de sua confiança, que não revelaria o procedimento a terceiros”, disse Barbosa no voto que condenou o petista.

      http://veja.abril.com.br/noticia/brasil/stf-determina-prisao-de-joao-paulo-cunha

      Como se vê, cada vez mais o PT é um partido de políticos presos com trânsito em julgado. Onde foi parar mesmo aquele papinho de que “O PT é o partido da ética na política?”….rs!

      Para fechar com chave de ouro o calvário petralha, nada como a pena irônica e sarcástica de Reinaldo Azevedo.

      João Paulo, o mais estridente e falastrão dos petistas condenados, vai para a cadeia

      O ainda deputado federal João Paulo Cunha (PT-SP) vai, finalmente, para a cadeia. O ministro Joaquim Barbosa recusou os embargos infringentes contra duas das três condenações que pesam contra ele: corrupção passiva e peculato. Por esses dois crimes, ele foi condenado por nove votos, com apenas duas absolvições. O Regimento Interno do STF exige um mínimo de quatro votos favoráveis para que a condenação seja reexaminada.

      A pena total de Cunha soma 9 anos e 4 meses, o que lhe renderia regime fechado, assim distribuídos: 3 anos e 4 meses por peculato, 3 anos por corrupção passiva e 3 anos por lavagem de dinheiro. Nesse terceiro caso, no entanto, ele obteve cinco votos de absolvição: Ricardo Lewandowski, Rosa Weber, Dias Toffoli, Cezar Peluso e Marco Aurélio. Nesse caso, então, cabem os infringentes. Ele começará a cumprir os 6 anos e 4 meses restantes em regime semiaberto.

      Embora não seja o mais poderoso, João Paulo se mostrou o mais agressivo e mais arrogante dos mensaleiros condenados. Ninguém, como ele, vituperou tanto contra o Supremo Tribunal Federal e contra o ministro Joaquim Barbosa, a quem acusou, explicitamente, de conduzir o processo com viés político.

      João Paulo foi mais longe. Chegou a sugerir que Joaquim Barbosa era um ingrato. Disse: “Ele Chegou [ao Supremo] porque era compromisso nosso, do PT e do Lula, de reparar um pedaço da injustiça histórica com os negros”. Ou por outra: o petista achava que o ministro deveria, num gesto de gratidão, ter absolvido os petistas.

      Quando percebeu que a pressão era inútil, perdeu a compostura de vez. Numa entrevista, mandou brasa: “Para mim não importa se ele [Barbosa] vai ser ou não vai ser [candidato]. Mas ele não pode ficar, da cadeira de presidente do Supremo, falando bobagem, sem dar direito ao réu de ir se defender lá. (…) Eu estou pronto para qualquer dia ir lá no Supremo e pedir para ele deixar eu falar lá da tribuna dele, para responder ao que ele fala no microfone, não nos autos. Justiça tem dois pratos. A balança do ministro Joaquim Barbosa tem um prato só, o da condenação. Então, ele não é juiz. Ele é promotor.”

      Na cadeia, João Paulo terá tempo de refletir um pouquinho.

      Por Reinaldo Azevedo

      http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/joao-paulo-o-mais-estridente-e-falastrao-dos-petistas-condenados-vai-para-a-cadeia/

      • Nascimento says:

        O a veja ainda existe!

        kkkkkkkkkkkkk!

  24. Deagol says:

    Apesar de não concordar com governo cubano, desejo muita sorte ao seu povo que pelo que sei é muito humilde e gentil.
    Eu, por mim, gostaria muito que acabassem os embargos e que Cuba possa se desenvolver como todos os outros países. Claro, que sem aquela estória de servir de base para os russos, pois isso só traria mais confusão.

    Boa sorte ao povo Cubano!

shared on wplocker.com