Defesa & Geopolítica

Os hovercrafts e o problema da disputa territorial da China e Japão

Posted by

Hovercraft Zubr

Em maio de 2013, a China recebeu da Ucrânia o primeiro hovercraft para tropas especiais de desembarque do projeto 958 Bizon. No total, segundo o contrato com a parte ucraniana, a Marinha chinesa deve receber quatro navios semelhantes.

O navio Bizon é uma cópia exata do navio para tropas especiais de desembarque do projeto 12322 Zubr. Quando a China começar a ter esses navios devidamente testados, isso terá sérias consequências para a situação nas regiões de disputas territoriais marítimas.

Dos quatro navios, dois serão fabricados na China com licença ucraniana. Pelo que sei, os ucranianos entregaram à parte chinesa toda a documentação técnica desses navios, o que abre caminho para a cópia exata e o fabrico ilimitado nas empresas chinesas sem qualquer participação ucraniana.

Os direitos de autor do navio pertenciam à parte russa, por isso os ucranianos introduziram na construção mudanças insignificantes e declararam que constroem navios segundo um projeto totalmente próprio Bizon.

O Exército e Marinha da Ucrânia não têm praticamente futuro: as despesas com eles constituem menos de 1% do PIB do país. Durante todo o período pós-soviético, eles praticamente não compraram novos equipamentos e não planejam fazê-lo. Em qualquer dos casos, a fábrica More deve sair dos negócios na esfera da construção naval militar, por isso vendeu sem tristeza e barato aos chineses todos os conhecimentos e documentação que dizem respeito à construção desses barcos.

Quando a China começar a ter Zubrs devidamente testados, isso terá consideráveis consequências para a situação nas regiões de disputas territoriais marítimas. O Zubr é o maior hovercraft no mundo com uma capacidade de transporte de 550 toneladas. Ele pode transportar uma quantidade significativa de equipamentos: três tanques ou 10 blindados e mais 140 fuzileiros navais. Se o navio não transportar equipamentos pesados, a quantidade de fuzileiros poderá subir até aos 500.

A distância é o principal problema para os hovercrafts. O Zubr, devido às grandes dimensões, é capaz de cobrir distâncias significativas: dependendo das diversas formas de carregamento de tropas e combustível, a distância de navegação poderá ir de 300 a 1.000 milhas marítimas. Isso permite, quando necessário, realizar marchas desde as bases chinesas equipadas até à maioria das ilhas litigiosas nos mares da China Oriental e da China Meridional a uma velocidade até 110 km/hora e transportar para essas ilhas forças significativas.

O adversário, que utiliza navios-patrulha comuns, que têm uma velocidade máxima duas ou três vezes inferior, não deverão poder reagir atempadamente ao aparecimento de hovercrafts chineses na região litigiosa. A velocidade reduz ao máximo o tempo que o adversário dispõe para a tomada de decisões. De fato, a China passa a ter a possibilidade de ocupar momentaneamente qualquer das ilhas litigiosas que não tenham aí uma guarnição permanente, fazendo desembarcar forças significativas e, em caso de necessidade, armamento e engenhos pesados, incluindo, por exemplo, meios de defesa antiaérea e de defesa costeira e materiais de engenharia.

[embedplusvideo height=”395″ width=”650″ editlink=”http://bit.ly/1lyKumC” standard=”http://www.youtube.com/v/y6iC1TnZDqs?fs=1″ vars=”ytid=y6iC1TnZDqs&width=650&height=395&start=&stop=&rs=w&hd=0&autoplay=0&react=1&chapters=&notes=” id=”ep5968″ /]

Daí não se conclui de forma alguma que a China recorrerá a essas possibilidades técnicas. O mais provável é que os navios de desembarque sejam mais um fator que aumentará a pressão psicológica nos adversários da China e obrigá-los-á a fazer esforços suplementares para a procura de compromisso com Pequim perante a face da evidente superioridade chinesa. Pode-se supor que, para atingir este efeito, a China irá realizar, no futuro, manobras com a participação desses navios nos mares da China Meridional e da China Oriental.

 

Fonte: Voz da Rússia

4 Comments

  1. helveciofilho says:

    por LUCENA
    .
    .
    .
    A China esta se espelhado na marinha americana para construir de uma maneira quântica, a sua marinha.
    .
    A marinha americana,como todo império expansionista que se prese,procura formatar a sua força armada pensando em invadir e se apropriar daquilo que é dos outros.
    .
    O governo chines não está investindo maciçamente na sua força armada só para se proteger…não,pelo o contrário,os outros que fique esperto com os chineses,com certeza eles irão fazer com o resto do mundo,aquilo que os EUA sempre fazem hoje……sacanagem !!!!

  2. helveciofilho
    1 de janeiro de 2014 at 8:17

    por LUCENA
    .
    .
    .
    A China esta se espelhado na marinha americana para construir de uma maneira quântica, a sua marinha.
    .
    A marinha americana,como todo império expansionista que se prese,procura formatar a sua força armada pensando em invadir e se apropriar daquilo que é dos outros.
    .
    O governo chines não está investindo maciçamente na sua força armada só para se proteger…não,pelo o contrário,os outros que fique esperto com os chineses,com certeza eles irão fazer com o resto do mundo,aquilo que os EUA sempre fazem hoje……sacanagem !!!! === Tiawuan q fike 10x esperta, será o 1º grd ato do Dragão…depois será o japãp c iankss e td…afinal c a política de (2) filhos , terão mt soldados .. serão a > populção do planeta, seguido pela Índia, c castas, dalits e seus intócaveis…isso é p depois de 2025….Quem viver verá.Sds.

  3. BrunoFN says:

    Acho espetacular esse projeto …mais n vejo utilidade desse tipo de meio independente pra MB … e uma embarcação de ”assalto” pra curtas distancias (velocidade e o seu diferencial .. n autonomia )…..e perfeito pra China … seu raio de ação cobre praticamente todos os seus ”vizinhos’ .. principalmente Taiwan e Japão …. seu possivel uso na MB so se ele for baseado num LHD da vida ….. a MB pretende ter ”4” …..se pensar q cada LHD teria como capacidade receber 2 desses por navio….. fora uns possíveis ”reservas” … seu numero ideal pro Brasil seriam ”12” …. bem bacana

  4. BrunoFN
    1 de janeiro de 2014 at 12:45

    Acho espetacular esse projeto …mais n vejo utilidade desse tipo de meio independente pra MB … e uma embarcação de ”assalto” pra curtas distancias (velocidade e o seu diferencial .. n autonomia )…..e perfeito pra China … seu raio de ação cobre praticamente todos os seus ”vizinhos’ .. principalmente Taiwan e Japão …. seu possivel uso na MB so se ele for baseado num LHD da vida ….. a MB pretende ter ”4” …..se pensar q cada LHD teria como capacidade receber 2 desses por navio….. fora uns possíveis ”reservas” … seu numero ideal pro Brasil seriam ”12” …. bem bacana… ===== E podem ser locomover até em terra e bem armados, n MB vai ter um bom poder de fogo, de se forem os 12 ou +….quem viver verá.Sds.

shared on wplocker.com