Defesa & Geopolítica

União Europeia questiona política industrial do Brasil na OMC

Posted by

wto

Folha

A União Europeia abriu questionamento na OMC (Organização Mundial de Comércio) contra políticas brasileiras adotadas para beneficiar a indústria nacional e dificultar a entrada de carros importados.

A queixa dá início a um processo de negociações entre as duas partes para solucionar as divergências no caso. Os dois lados terão 60 dias para chegar uma solução que evite um painel de disputa na OMC.

O principal foco é a indústria automotiva e o programa Inovar-Auto, criado pelo governo para incentivar a produção local de veículos. Medidas adotas nos setores de computação, smartphones e semicondutores também são alvo do questionamento.

Em 2011, o governo elevou o IPI (Imposto sobre Produtos Importados) dos carros importados em 30 pontos percentuais, deixando de fora apenas os veículos trazidos do México e do Mercosul. A medida tentava conter sobretudo a importação dos modelos chineses, em franca expansão.

O adicional de impostos aos importados já havia sido tema de reclamação em reuniões da OMC. Além dos europeus, também houve críticas por parte de japoneses e americanos.

O aumento das tarifas foi substituído, em 2012, pelo programa Inovar-Auto, que alivia o adicional do tributo para quem produz no país. Incentivadas pela medida, marcas de luxo como BMW, Audi e Land Rover, hoje importadas da Europa, decidiram instalar fábrica no país.

O governo tentou minimizar as críticas internacionais adotando uma cota de importação de 4.800 carros sem o custo extra para cada empresa.

Para representantes europeus, o Brasil tem usado sistema de tarifas de modo incompatível com os compromissos da OMC, dando vantagens aos produtores nacionais e os protegendo de competição.

“Essas medidas têm um impacto negativo nas exportações da União Europeia, que enfrenta maior tributação do que os competidores locais. As medidas restringem o comércio e resultam em aumento de preços para os consumidores brasileiros, menor oferta e acesso restrito a produtos inovadores”, diz texto dos representantes do bloco na OMC.

ACORDO LIVRE-COMÉRCIO

O questionamento dos europeus acontece no mesmo momento em que o bloco finaliza uma proposta de livre-comércio com o Mercosul. Os termos de ambos os lados devem ser apresentados em janeiro.

O comércio de automóveis será um dos principais temas em pauta na negociação do acordo. Conforme adiantou a Folha, o  Brasil vai propor que a tarifa de importação só seja eliminada em 15 anos, com redução gradual a partir do nono ano. Também oferecerá uma cota de 35 mil unidades isentas por ano enquanto durar a carência.

Com a economia estagnada, os europeus querem elevar suas exportações de carros para o Brasil, que somaram apenas 48 mil unidades no ano passado.

Já as montadoras instaladas no Brasil temem a alta competitividade das fábricas da Alemanha e até da Turquia, que deve se integrar à UE nos próximos anos.

Fonte: Folha 

One Comment

shared on wplocker.com