Categories
Conflitos Geopolítica Opinião

Acabou o tempo para negociações com Irã

Ministro de Assuntos Estratégicos, Yuval Steinitz

O Irã está a caminho de desenvolver uma bomba nuclear dentro de seis meses, e o tempo acabou para a realização de novas negociações, disse um ministro israelense nesta sexta-feira. O ministro de Assuntos Estratégicos, Yuval Steinitz, disse que o Irã ainda acredita que tem espaço para manobras nas negociações com as potências mundiais, e que a República Islâmica só vai encerrar suas atividades nucleares se enfrentar uma ameaça firme de ação militar dos EUA.

“Não há mais tempo para realizar negociações”, disse Steinitz, que é próximo ao premiê Benjamin Netanyahu, em entrevista ao jornal israelense Hayom, publicada nesta sexta-feira.

Os Estados Unidos e seus aliados suspeitam que Teerã esteja trabalhando em busca de construir armas nucleares, mas o Irã insiste que seu programa atômico tem apenas fins pacíficos.

Durante os quatro anos de negociações sobre o programa nuclear iraniano, nos quais sanções da ONU atingiram a economia do país, o Irã avançou em suas capacidades atômicas, segundo Steinitz. “Se os iranianos continuarem correndo, em mais meio ano eles terão a capacidade para uma bomba”, disse.

Israel tem minimizado a busca do novo presidente iraniano, Hassan Rouhani, de engajar-se com o Ocidente. Em entrevista a uma emissora de TV dos EUA, Rouhani inclusive afirmou que o Irã nunca vai desenvolver armas nucleares. Em resposta, o gabinete de Netanyahu disse na quinta-feira: “Ninguém deve ser enganado pelas palavras fraudulentas do presidente iraniano. Os iranianos estão girando na mídia para que as centrífugas possam continuar girando”.

REUTERS

 

Fonte: Terra

Categories
Defesa Destaques História Sistemas de Armas Tecnologia Vídeo

Ekranoplano A-90 Orlyonok

02

Embora se assemelhe um pouco à primeira vista, não é um hidroavião nem um hovercraft.

É de fato um tipo de “barco voador”, que explora um princípio da aerodinâmica chamado efeito solo.

A fuselagem e estrutura das asas têm características de aeronaves convencionais e a maior parte do equipamento e instrumentos de bordo se originam destas.

Contudo, o efeito solo, ou asa-na-terra, se refere ao denso colchão de ar que se cria entre as asas e uma superfície de água ou terra. Porém, a nave asa-na-terra não pode ser uma aeronave.

A tecnologia asa-na-terra tem uma atração em particular para os militares.

Naves asa-na-terra podem transportar cargas pesadas por terra e mar com rapidez – desde uma praia rudimentar ou terra adentro – e podem voar sob difíceis condições atmosféricas.

Quando um avião acelera em voo rasante muito próximo a uma superfície lisa, como a de um lago, o ar que passa sob suas asas cria um colchão de ar que dá maior sustentação à aeronave. Assim, ela gasta menos combustível para permanecer em voo e, por tabela, tem maior autonomia.

A pesquisa sobre o efeito asa-na-terra começou nos anos 20 e em 1935 a primeira nave asa-na-terra foi patenteada na Finlândia, mesmo ano em que o engenheiro finlandês T. Kaario construiu o que chamou de nave wing-ram.

Depois do finlandês, surgiram entre os principais desenvolvedores das naves asa-na-terra o russo Rostislav Alexeiev considerado o pai dos Ekranoplanos, e o alemão Alexander Lippisch, mais conhecido como o pai da asa delta.

Informações: DefesaBR

 

[embedplusvideo height=”395″ width=”650″ editlink=”http://bit.ly/16MlGnp” standard=”http://www.youtube.com/v/6QejKQoMNeQ?fs=1″ vars=”ytid=6QejKQoMNeQ&width=650&height=395&start=&stop=&rs=w&hd=0&autoplay=0&react=1&chapters=&notes=” id=”ep6868″ /]

 

 

 

Categories
Defesa Sistemas de Armas Vídeo

Vídeo – Supersonic Lead-in Fighter Trainer (LIFT) Chinês Hongdu L-15 Falcon

Engine Contract for L-15 Supersonic Lead-In Fighter Trainer (LIFT) Signed with Ukraine AI-222-25F features afterburner (2)

Hongdu L-15 é um bimotor lead-in fighter trainer (LIFT), projetado para prover treinamento avançado para pilotos de caça de geração 4 e 5, projetado e fabricado pela Hongdu Aviation Industry Group (HAIG) da China.

Foi fabricado para rivalizar com o Guizhou JL-9/FTC-2000 Mountain Eagle.

O L-15 será usado como um lead-in fighter trainer (LIFT) pela Força Aérea chinesa (PLAAF) e a Força Aérea Naval chinesa (PLANAF).

Originalmente foi fabricado algo entorno de cinco protótipos por HAIG.

Em seu desenvolvimento colaborou a Yakovlev Design Bureau da Rússia, daí a semelhança com o lead-in fighter trainer (LIFT) Yak-130.

[embedplusvideo height=”395″ width=”650″ editlink=”http://bit.ly/16MkO1S” standard=”http://www.youtube.com/v/wzsGBg_ktHk?fs=1″ vars=”ytid=wzsGBg_ktHk&width=650&height=395&start=&stop=&rs=w&hd=0&autoplay=0&react=1&chapters=&notes=” id=”ep5446″ /]

 

Categories
Defesa Defesa em Arte EVENTOS Negócios e serviços Patrulheiros Sistemas de Armas Vídeo

Vídeo – Eurosatory: Panhard and Renault

1340250360_Sphinx-de-Panhard-photo-Guillaume-Belan-

Veículo blindado de reconhecimento SPHINX by Panhard

[embedplusvideo height=”395″ width=”650″ editlink=”http://bit.ly/16MijwE” standard=”http://www.youtube.com/v/4sWUks7pLME?fs=1″ vars=”ytid=4sWUks7pLME&width=650&height=395&start=&stop=&rs=w&hd=0&autoplay=0&react=1&chapters=&notes=” id=”ep8929″ /]

Categories
Defesa Sistemas de Armas Vídeo

Vídeo – Renault VAB Mark3 Mk3

vab3lat2_1

[embedplusvideo height=”395″ width=”650″ editlink=”http://bit.ly/16MhNig” standard=”http://www.youtube.com/v/AU3DltG6kXU?fs=1″ vars=”ytid=AU3DltG6kXU&width=650&height=395&start=&stop=&rs=w&hd=0&autoplay=0&react=1&chapters=&notes=” id=”ep7716″ /]

Categories
Brasil Defesa Defesa em Arte Sistemas de Armas Vídeo

Vídeo – Nas asas do A-29 Super Tucano

[embedplusvideo height=”395″ width=”650″ editlink=”http://bit.ly/16MfN9I” standard=”http://www.youtube.com/v/dzm41Y6ZrzU?fs=1″ vars=”ytid=dzm41Y6ZrzU&width=650&height=395&start=&stop=&rs=w&hd=0&autoplay=0&react=1&chapters=&notes=” id=”ep6790″ /]

Categories
Brasil Geopolítica

Comissão brasileira pode se encontrar com Snowden na Rússia

Nos últimos dias, os meios de comunicação social brasileiros noticiaram que os serviços secretos norte-americanos mantiverem controle sobre mensagens telefônicas e correspondência eletrônica trocada entre a presidente Dilma Rousseff e seu homólogo mexicano, Enrique Pena Nieto, bem como nos círculos próximos às duas autoridades.

Por esse motivo, o deputado Ivan Valente teve a iniciativa de solicitar à Rússia que faça o intermedio entre uma comissão especial do Brasil e Edward Snowden, ex-funcionário da CIA que está foragido na Rússia, após ter revelado um amplo programa de espionagem do governo americano. De acordo com a Agência Brasil, representantes da Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional estiveram nesta terça-feira (17) com o embaixador russo no Brasil, Serguêi Okopov, para tratar de uma possível ida de missão parlamentar brasileira a Moscou. 

“Snowden é responsável pela denúncia de um dos maiores esquemas de espionagem na história. A informação por ele difundida é muito grave e (…) é importante ouvir diretamente dele como funcionam esses programas”, declarou Valente em entrevista à rádio Voz da Rússia.

Em sua opinião, a maior quantidade possível de informação concedida pessoalmente por Edward Snowden poderia ser aproveitada como o melhor meio de defesa.

“Não pretendemos fazer declarações nem divulgar nada na Rússia. Simplesmente queremos questionar Snowden sobre os pormenores e obter o máximo de informação relacionada diretamente com Brasil. Essa informação será difundida e publicada só no Brasil”, acrescentou o deputado.

Após a divulgação do caso de espionagem, o governo brasileiro declarou que a visita da presidente Dilma Rousseff aos EUA, em fase de preparativos, poderia ser cancelada.

Publicado originalmente pela RIA Nóvosti

Fonte: Gazeta Russa

Categories
Conflitos Geopolítica Opinião

Vladimir Putin ataca tentativas de reconstrução de um mundo unipolarizado

O Presidente da Rússia, Vladimir Putin, condenou na quinta-feira, 19, no fórum de debates internacionais Clube Valdai, o que classificou como tentativas de reavivamento do mundo unipolar. “Presenciamos tentativas de reanimar de alguma forma um modelo do mundo unificado, unipolar, corroer o direito internacional e a soberania das nações”, discursou o chefe de Estado, acrescentando que “o mundo unipolar precisa de vassalos, e não de Estados soberanos”.

Putin disse ainda que “a Rússia está do lado daqueles que defendem a tomada de decisões sobre uma base coletiva, e não sobre os benefícios de determinados países ou grupos de nações”. Em seguida, afirmou que “o direito internacional não pode ser regido pelo direito do mais forte”, e que “cada nação e cada povo, embora não sejam exclusivos, são de fato autóctones, únicos, e têm os mesmos direitos, em particular, o de determinar por conta própria seu autodesenvolvimento”. O líder ressaltou que a Rússia chegou a esta abordagem graças ao seu contexto histórico e seu papel na política global.

Com relação ao conflito na Síria, recordou que o possível uso da força está sendo debatido no Congresso dos Estados Unidos “quando é uma questão a ser discutida no Conselho de Segurança da ONU” e concluiu: “a ameaça da força e o uso dela não são uma panaceia para resolver os problemas internacionais”.

Fonte: Diário da Rússia

Categories
Brasil Defesa Destaques Sistemas de Armas Vídeo

Aeronaves da FAB em ‘disparo real’

Konner: Peço a todos desculpas.

Quanto a este post dos disparos de mísseis da FAB, o vídeo estava disponível no YouTub até ir ao ar no blog.

Eu mesmo tive a oportunidade de vê-lo varias vezes, com vinheta de abertura da operação Laçador 2013.

Quero reproduzir aqui nota do Defesa Aérea & Naval– Link http://www.defesaaereanaval.com.br/?p=28721:

  NOTA DO EDITOR – Sr. Luiz Padilha do Defesa Aérea & Naval: As imagens coletadas neste vídeo, não foram realizadas durante a operação Laçador 2013 e sim há 2 meses, durante treinamento contra Flares para avaliação. FONTE: FAB

Devido a esta informação sobre o vídeo em questão, foi alterado o titulo do post, porém, não removido para que constasse o devido podido de desculpas bem como esta informação.

[embedplusvideo height=”395″ width=”650″ editlink=”http://bit.ly/16MdW4L” standard=”http://www.youtube.com/v/otbLppnSLWY?fs=1″ vars=”ytid=otbLppnSLWY&width=650&height=395&start=&stop=&rs=w&hd=0&autoplay=0&react=1&chapters=&notes=” id=”ep8532″ /]

Categories
Defesa Defesa em Arte Sistemas de Armas

Imagens do provável porta aviões russo

PA RUSSoSugestão: Rustam

Lei também

Novas informações e imagens do projeto do futuro porta-aviões Russo

 

Categories
Conflitos Geopolítica Opinião

Evo Morales acusa Obama de crimes contra humanidade

O governo boliviano promoverá uma ação judicial internacional contra o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, por crimes contra a humanidade, anunciou nesta quinta-feira o presidente Evo Morales.

Em entrevista coletiva, Morales disse que acusará Obama por “espionagem, políticas de amedrontamento e intimidação, e por proibir o voo sobre Porto Rico” do avião presidencial do líder venezuelano, Nicolás Maduro, durante a viagem que fará à China.

“Quero comunicar que, agora, com mais força, vamos preparar uma ação internacional nos tribunais para que Obama e seu governo sejam julgados por crimes contra a humanidade”, disse Morales.

“Este será o melhor instrumento legal para defender os direitos dos povos e dos Estados, porque, lamentavelmente, ele exagera com sua soberba e prepotência em seguir humilhando não apenas os presidentes e governos anti-imperialistas, mas também seus aliados, com espionagem”.

“Quando não respeitam as leis internacionais, lamentavelmente devo dizer que o presidente Obama e seu governo são criminosos que atentam contra a vida, contra os direitos e contra as normas internacionais”.

Mais cedo, Morales pediu “uma reunião de emergência” da Celac para abordar a decisão de Washington de fechar seu espaço aéreo a Maduro.

O presidente boliviano afirmou que defenderá na Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos (Celac) “a saída imediata dos embaixadores dos EUA”.

Em julho passado, o próprio Morales foi alvo de uma decisão semelhante quando Espanha, Portugal, França e Itália negaram ao presidente boliviano a passagem por seu espaço aéreo, em sua volta da Rússia.

Os quatro países europeus bloquearam seu espaço aéreo ao avião presidencial de Morales, devido às suspeitas de que ele levava o ex-consultor de inteligência americano Edward Snowden, acusado de espionagem e considerado foragido por Washington.

AFP

Fonte: Terra

Morales pede que Alba boicote Assembleia da ONU em NY

O presidente da Bolívia, Evo Morales, vai propor aos líderes dos países da Alba que não compareçam à Assembleia Geral da ONU, que acontece na próxima semana em Nova York, em protesto pela negativa dos Estados Unidos de permitir o sobrevoo do avião presidencial venezuelano por Porto Rico.

Em entrevista coletiva convocada imediatamente após ter tomado conhecimento da decisão dos EUA, Morales também pediu uma reunião urgente da Celac e adiantou que vai pedir no encontro “a retirada imediata” dos embaixadores americanos nos países que fazem parte desse organismo.

“Pedimos aos presidentes da Celac uma reunião de emergência para tratar seriamente a soberba do governo dos Estados Unidos”, afirmou o líder.

Morales expressou sua solidariedade com Maduro “e todo o povo venezuelano”, e acusou o governo de Barack Obama de violar quatro tratados internacionais e os direitos “de toda a América Latina” com sua decisão.

O chanceler venezuelano, Elías Jaua, denunciou nesta quinta-feira que os EUA negaram a permissão de sobrevoo por seu território para o avião de Maduro, que deveria atravessar o espaço aéreo desse país, especificamente Porto Rico, para viajar à China neste fim de semana.

“Não se pode permitir que esse governo continue com suas políticas de amedrontamento, soberba e proibição de voo para aviões presidenciais”, criticou Morales.

Diante do caso, o governante boliviano anunciou que pedirá uma reunião de emergência da Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos (Celac) para tratar do ocorrido, e que a Bolívia pedirá “a retirada imediata” dos embaixadores americanos dos países que formam esse bloco.

Bolívia e EUA não mantêm relações no nível de embaixadores desde 2008, quando Morales expulsou o então chefe da missão diplomática americana sob a acusação de conspiração contra seu governo, e os Estados Unidos responderam com a retirada do embaixador boliviano.

Além disso, Morales antecipou que vai consultar os presidentes dos países da Aliança Bolivariana para as Américas (Alba) sobre a possibilidade deles não comparecerem à Assembleia Geral da ONU que será realizada na semana que vem em Nova York.

“Nós, os presidentes anticapitalistas e anti-imperialistas, não nos sentimos seguros em território americano”, afirmou, e acrescentou que, para a Assembleia Geral da ONU, “ou vamos todos, ou nenhum”. Por esse motivo, também reivindicará que a sede das Nações Unidas seja transferida de Nova York.

Morales também garantiu que seu país vai fazer um requerimento diante de instâncias internacionais “para que Obama e seu governo sejam julgados por crimes de lesa-humanidade”. O fato de não respeitar as normas internacionais transforma o presidente americano, de acordo com Morales, em “um criminoso que atenta contra os direitos humanos”.

Morales cumprimentou a decisão de Dilma Rousseff de adiar sua viagem oficial aos Estados Unidos pelas acusações de espionagem por parte do governo americano a empresas e integrantes do governo brasileiro.

“O governo dos EUA está espantando os presidentes e presidentas com suas políticas de amedrontamento”, acrescentou.

A recusa dos EUA de permitirem o sobrevoo do avião presidencial venezuelano acontece três meses depois que três países europeus fecharam seus espaços aéreos para a aeronave de Evo Morales pela suspeita de que o ex-técnico da CIA Edward Snowden estivesse a bordo da mesma.

Morales, que retornava de uma conferência sobre energia na Rússia, teve que fazer uma aterrissagem de emergência em Viena e ficou preso nessa cidade por 13 horas à espera de uma nova rota para retornar à Bolívia.

O governo boliviano denunciou então que os vetos de França, Itália e Portugal tinham ocorrido por uma ordem dos Estados Unidos.

EFE

Fonte: Terra

Categories
Defesa Sistemas de Armas

A-10 Thunderbold II e Boeing F-15C devem ser retirados de serviço na USAF

A United States Air Force (USAF, Força Aérea norte-americana) terá que retirar de serviço frotas inteiras de aeronaves de combate para atender se adequar as leis orçamentárias. Na lista, o jato de ataque Fairchild A-10 Thunderbold II remonta como um dos mais prováveis.

Segundo o General Mike Hostage, comandante do Comando de Combate Aéreo da USAF, a única forma da Força continuar atendendo as demandas operacionais é retirar de serviço as aeronaves que cumprem um único tipo de missão, preservando os jatos de multiemprego.

Ao retirar o A-10 de serviço, por exemplo, uma cadeia logística, de suporte, manutenção e treinamento também deixam de existir junto com a aeronave, reduzindo drasticamente os custos para a USAF e ampliando a operação de outros aviões de combate.

Os F-15C poderão ser mantidos, em menor quantidade, devido a falta de aeronaves de superioridade aérea na USAF, mesmo considerando os 184 F/A-22 Raptor em serviço. Os Lockheed Martin F-35 serão capazes de suprir a tarefa dos F-15C quando operarem em conjunto com o F/A-22.

A USAF também precisa olhar com mais atenção para os programas de modernização da sua frota, pois caso contrário poderá enfrentar no futuro desvantagens com os seus caças de 4ª geração com 45 anos de idade. Ainda segundo o General Hostage, seriam necessários 350 novos F/A-22 até 2030 se o programa do F-35 fosse cancelado.

O F-35 será capaz de substituir o A-10 em missões de apoio aéreo aproximado, entretanto o custo de operação comparado ao A-10 será ainda maior.

Fonte: C & R