Defesa & Geopolítica

DEIXA PRA LÁ??? NÃO HÁ COMO!!!

Posted by

1000816_458196447613077_1265360409_n

 

Preâmbulo, por Gérsio Mutti

Caros Editores e Comentaristas do Blog Plano Brasil, “agora é oficial que o Congresso Nacional tem ladrão! 

Não custa lembrar que no período do regime militar (1964 a 1985) a máxima na economia consistia de que primeiro deveriamos crescer o bolo para depois dividí-lo; dividí-lo e não roubá-lo como estão fazendo hoje em dia, 28 anos após a saída do último Presidente-Militar do Brasil; vide que todos os cinco Presidentes-Militares não enrriqueceram no Poder, e nem tão pouco os inúmeros militares que exerceram as funções de Ministros-de-Estado, tiveram que se apresentar à Polícia Federal em Brasíla (DF) para aguardar em quarentena e fazer, no mínimo, um exame de consciência.

Hoje já é praxe um Ministro-de-Estado da República deixar as suas funções ministeriais e ir direto para um dos cubículos disponíveis da Polícia Federal em Brasília (DF) para marcar o ponto e, no jargão militar naval, “guarnecer postos de combate”.

Bem lembrado pela leitora de Veja (edição 2338, ano 46, nº 37, página 26, “Leitor”, nas bancas de 08/09/2013 a 14/09/2013), Lúcia Reis, “de que “agora é oficial que o Congresso Nacional tem ladrão”, referente ao deputado Federal Natan Donadon, condenado pelo STF à prisão por formação de quadrilha e peculato, e que teve o seu mandato mantido e assim virou uma entidade inédita na política brasileira, pois o caso com contornos constrangedores, dá margem para a criação da “bancada da penitenciária” no Congresso Nacional”.

Recomendo aos senhores Comentarista do Blog Plano Brasil, a leitura complementar, ignorada há vários meses pela imprensa brasileira.

Com a Palavra os senhores Comentarista do Blog Plano Brasil.

 Deixa pra lá?

papiro

Presidente da Comissão de Ética da Presidência da República disse que o uso indevido dos aviões da FAB por ministros “não significa nada”.

Por, Luiz Flávio Gomes

Sobre o uso indevido dos aviões da FAB por ministros, que foram assistir ao jogo do Brasil no RJ, o presidente da Comissão de Ética da Presidência da República disse que “o caso não foi ‘muito grave’ nem houve ‘agressão ao patrimônio’. Ele reconhece que, na prática, isso “não significa nada”. “O Garibaldi foi advertido pelo uso do avião para ir para o Rio, mas não houve recomendação de demissão coisa nenhuma, porque não foi também uma coisa assim muito grave. Mas foi advertido para não fazer mais, levou um puxão de orelha”. “Não houve agressão ao patrimônio público, nada disso. Simplesmente uma imprudência, né, acho que foi advertido”, completou”.

É muito grave o embotamento moral de toda sociedade parasitária. Vivendo parasitamente (dizia M. Bomfim, em 1903, A América Latina),“uma sociedade passa a viver às custas de iniquidades e extorsões; em vez de apurar os sentimentos de moralidade, que apertam os laços de sociabilidade, ela passa a praticar uma cultura intensiva dos sentimentos egoísticos e perversos”. É de estarrecer a que ponto de degeneração chegou a classe dominante parasitária no Brasil!

NOTA DO EDITOR DO PODER AÉREO: Ao dizer que o uso indevido de jatos da FAB “não significa nada”, o presidente da Comissão de Ética da Presidência da República passa a seguinte mensagem para mim, para você e para todos os contribuintes brasileiros: o uso indevido do dinheiro público, fruto dos altos impostos que você paga, não significa nada.

Fonte: SantaCatarina24h via Poder Aéreo 

 

Leia também:

ALERTA À NAÇÃO BRASILEIRA: MANIFESTO À NAÇÃO ASSINADO POR 2963 BRASILEIROS

Cento e trinta (130) Oficiais Generais se manifestam contra a Presidente Dilma (de um total de 2963 brasileiros). A imprensa permanece até hoje calada em relação ao assunto.

Este é um alerta à Nação brasileira, assinado por homens cuja existência foi marcada por servir à Pátria, tendo como guia o seu juramento de por ela, se preciso for, dar a própria vida. São homens que representam o Exército das gerações passadas e são os responsáveis pelos fundamentos em que se alicerça o Exército do presente.

Há de se considerar que se tão grande número de oficiais generais se opõe às ações da Presidência da República isso pode significar que há realmente algo a corrigir. Se é que existe realmente uma situação conflituosa entre Governo e Forças armadas isso tem que ser reparado com urgência. Além dos 130 oficiais generais que assinaram o documento há ainda centenas de outros oficiais, juizes, civis e políticos que opoiaram o manifesto.

Cento e trinta (130) Oficiais Generais se manifestam contra a Presidente Dilma (de um total de 2963 brasileiros). A imprensa permanece até hoje calada em relação ao assunto.

CENTO E TRINTA (130) OFICIAIS GENERAIS se manifestaram publicamente contra a presidente DILMA (de um total de 2963 brasileiros). A mobilização ocorreu ha pouco mais de um ano, e o documento permanece ecoando na internet, mostrando que ha gente disposta a lutar pela verdadeira democracia. Os oficiais de alta patente dizem que o governo agiu de forma REVANCHISTA e INCONSEQUENTE, e que governa somente para parcelas diferenciadas da sociedade brasileira. A mídia, com muito medo de que a questão, que já é grave, alcance proporções estratosféricas, depois de vários meses ainda se mantém calada sobre o assunto.

Os oficiais signatários implicitamente avisam que têm influência sobre a tropa, deixando bem claro que são os responsáveis pelos pilares que fundamentam as forças armadas da atualidade. Avisam que as associações não se intimidarão frente aos acontecimentos e que o atual Ministro da Defesa não tem autoridade para censurar atos de entidades como clubes militares.

“O Clube Militar não se intimida e continuará atento e vigilante, propugnando comportamento ético para nossos homens públicos, envolvidos em chocantes escândalos em série, defendendo a dignidade dos militares, hoje ferida e constrangida com salários aviltados e cortes orçamentários, estes últimos impedindo que tenhamos Forças Armadas ...”

Entre os signatários destacam-se oficiais que ocuparam altíssimos cargos na hierarquia militar, como Zenildo de Lucena e Valdésio Guilherme de Figueiredo, destaca-se também o General Rui Leal Campello, herói da Força Expedicionária – Monte Castello. Em qualquer país sério essa movimentação seria manchete em todos os jornais e motivo de preocupação extrema. Afinal, se a nata das forças armadas está insatisfeita e se predispõe a colocar seu nome em um documento público, alguma coisa realmente importante está acontecendo. São homens sérios, que não “jogam conversa fora”, e que têm muita informação e conhecimento sobre o Brasil, além de formação em altos estudos militares, política, estratégia e gestão. O mínimo que se poderia fazer seria ouvi-los oficialmente.

“Este é um alerta à Nação brasileira, assinado por homens cuja existência foi marcada por servir à Pátria, tendo como guia o seu juramento de por ela, se preciso for, dar a própria vida. São homens que representam o Exército das gerações passadas e são os responsáveis pelos fundamentos em que se alicerça o Exército do presente.”

Desde meados de 2012 o manifesto dos militares vem sendo divulgado em vários sites e blogs, principalmente os considerados de direita. Apesar da importância que têm seus signatários, parece que o documento ainda não conseguiu vencer as barreiras que separam o virtual do real. O manifesto tramita pela internet, e de site em site vai crescendo. A grande mídia parece que evita o assunto. Ha algum tempo o governo se ressentiu, e falou-se de ameaças de punições disciplinares contra os signatários, por parte do Ministério da defesa. Mas a verdade é que o manifesto continuou ganhando força.

Há de se considerar que se tão grande número de oficiais generais se opõe às ações da Presidência da República isso pode significar que há realmente algo a corrigir. Se é que existe realmente uma situação conflituosa entre Governo e Forças armadas isso tem que ser reparado com urgência. Além dos 130 oficiais generais que assinaram o documento há ainda centenas de outros oficiais, juízes, civis e políticos que opoiaram o manifesto.

Veja abaixo a lista dos oficiais Generais, divulgada pelo Site http://averdadesufocada.com

MANIFESTO – OFICIAIS GENERAIS

EXÉRCITO

Generais de Exército

Pedro Luiz De Araujo Braga

Armando Luiz Malan De Paiva Chaves

Angelo Baratta Filho

Luiz Guilherme De Freitas Coutinho

José Carlos Leite Filho

Zenildo De Lucena

Domingos Miguel Antônio Gazzineo

José Luis Lopes Da Silva

Luiz De Góis Nogueira Filho

Valdésio Guilherme De Figueiredo

Gilberto Barbosa De Figueiredo

Luiz Edmundo Montedônio Rêgo

Luiz Edmundo Maia De Carvalho

Antônio Araújo De Medeiros

Domingos Carlos Campos Curado

Ivan De Mendonça Bastos

Rui Alves Catão

Cláudio Barbosa De Figueiredo

Carlos Alberto Pinto Silva

Luiz Cesário Da Silveira Filho

Maynard Marques De Santa Rosa

Geise Ferrari

Marius Luiz Carvalho Teixeira Neto

Francisco Batista Torres De Melo

AERONÁUTICA

Tenentes Brigadeiros do Ar

Ivan Frota

Enir De Souza Pinto

EXÉRCITO

Generais de Divisão

Francisco Batista Torres De Melo

Amaury Sá Freire De Lima

Leone Da Silveira Lee

Cássio Rodrigues Da Cunha

Aloísio Rodrigues Dos Santos

Roberto Viana Maciel Dos Santos

Marcio Rosendo De Melo

Luiz Carlos Minussi

Gilberto Rodrigues Pimentel

Ulisses Lisboa Perazzo Lannes

Luiz Wilson Marques Daudt

Sylvio Lucas Imbuzeiro

Archias Alves de Almeida Neto

Clóvis Puper Bandeira

Roberto Schifer Bernadi

Remy De Almeida Escalante

Sérgio Ruschell Bergamaschi

Cândido Vargas De Freire

Sérgio Pedro Coelho Lima

Victor José Schlobach Fortuna

Marco Antonio Tischer Saraiva

Mario Ivan Araujo Bezerra

Hélio Covas Pereira Filho

Sérgio Henrique Carneiro Tavares

Nelson Beust

Gilberto Cesar Barbosa

AERONÁUTICA

Major Brigadeiro do Ar

Edilberto Telles Shirotheau Corrêa

Luiz Antonio Cruz

Cezar Ney Britto De Mello

Irineu Rodrigues Neto

Carlos Oscar Cruz Ferreira

Guido Resende Souza

Tarso Magnus Da Cunha Frota

Major Brigadeiro

Ademir Siqueira Viana

Luiz Fernando Barbedo

EXÉRCITO

General de Brigada – Detentor do Bastão da FEB

Rui Leal Campello

AERONÁUTICA

Brigadeiro do Ar

Leci Oliveira Peres

EXÉRCITO

Generais de Brigada

Dickens Ferraz

Paulo Ricardo Naumann

Gilberto Serra

Aricildes De Moraes Motta

Durval A. M. P. De Andrade Nery

Carlos Augusto Fernandes Dos Santos

Miguel Monori Filho

Iberê Mariano Da Silva

Mauro Patrício Barroso

Marcos Miranda Guimarães

Zamir Meis Veloso

Carlos Eduardo Jansen

Mario Luiz Monteiro Muzzi

Paulo Roberto Correa Assis

Iram Carvalho

Paulo Meirelles

Vilson Kuyvem

João Cosenza

José Saldanha Fábrega Loureiro

José Batista Queiroz

Luiz Antônio Rodrigues Mendes Ribeiro

José Vilhena Bittencourt

Fernando Cardoso

Ayrton José Lermen

Paulo Chagas

Paulo Dornelles Da Silva

Bartholomeu Da Silva Filho

José De Oliveira Souza

Eduardo Cunha Da Cunha

Tirteu Frota

César Augusto Nicodemus De Souza

Geraldo Luiz Nery Da Silva

Marco Antonio Felício Da Silva

Newton Mousinho De Albuquerque

Paulo César Lima De Siqueira

Manoel Theóphilo Gaspar De Oliveira

Hamilton Bonat

Elieser Girão Monteiro

Pedro Fernando Malta

José Alberto Leal

José Luiz Gameiro Sarahyba

Sady Guilherme Schmidt

Ultemir De Lima Dutra

Valmir Fonseca Azevedo

Marco Antônio Sávio Costa

Ruthenio Ferreira Do Valle

Paulo Fabiano Do Prado Soares

José Ramos De Alencar

José Gualter Pinho

Mário Cesar Azevedo Da Silveira

Nilton Albuquerque Cerqueira

Valter Da Costa

Antonio Carlos Nascimento Krieger

José De Oliveira Sousa

Ivan Da Costa Garcez Sobrinho

Sergio Roberto Dentino Morgado

AERONÁUTICA

Brigadeiro do Ar

Sérgio Luiz Millon

Danilo Paiva Alvares

Valter Carrocino Filho

MARINHA

Contra-Almirante Médico

Luiz Roberto Martins Dias

MARINHA

Contra-Almirante

Tarcísio Jorge Caldas Pereira

Magnus Da Cunha Frota

Celso Melo de Figueiredo

Paulo Cesar de Paiva Bastos

Joel Rodrigues Da Silva

Roberto De Lorenzi

Paulo Lafayette Pinto

AERONÁUTICA

Brigadeiro do Ar

Luiz Carlos Baginski Filho

 Fonte: Revista Sociedade Militar 

57 Comments

shared on wplocker.com