Categories
Defesa Sistemas de Armas

Afinamento do desenho das Fragatas Type 26

20130913095851_t26

Novo design do T26, introduzido em setembro de 2013

Tradução: E.M.Pinto

Como dizem, “elas estão realmente começando a parecer algo”. A Marinha Real Britânica revelou os últimos afinamentos das  futura fragatas Type 26. O projeto continua a refinar as linhas e segue rumo à construção com um desenho mais harmonioso do que nos dois primeiros projetos, apresentados em 2010 e 2012.

O navio do programa Combate Global Ship (GCS), deve ser lançado a partir de 2015 com a entrega da primeira Type 26 em 2020, os engenheiros britânicos estão reformulado pontos, o mastro principal, equipados com um sistema de monitorização e detecção, bem como um radar tridimensional Artisan 3D.

Um novo cantilever foi adicionado em cada lado da parte central da superestrutura para mudar, em cada extremidade, um sistema de Falange multitubular, o equipamento a ser preparado antes da frente, para a porta de entrada, e a traseira, acima do hangar de helicóptero. Os nichos abrigam barcos, que por sua vez, foram transferidos para o hangar, enquanto estruturas de suporte  de armas de 30 milímetros  operadas remotamente são menos proeminentes, permitindo sem dúvida a  melhoria da assinatura da plataforma.

 Vídeo da futura Type 26 (© BAE Systems)

[embedplusvideo height=”395″ width=”650″ editlink=”http://bit.ly/1blVFP8″ standard=”http://www.youtube.com/v/s30JF4pYbTw?fs=1″ vars=”ytid=s30JF4pYbTw&width=650&height=395&start=&stop=&rs=w&hd=0&autoplay=0&react=1&chapters=&notes=” id=”ep8083″ /]

Para substituir as 13 fragatas Type 23 atualmente em serviço na Royal Navy, as type 26 serão maiores, com um comprimento de 148 metros (contra 133) e um deslocamento de carga de 5.400 toneladas (contra 4900) .

As fragatas são projetadas para atingir a velocidade de 28 nós e cruzar sete mil milhas à 15 nós, a sua tripulação será de 118 marinheiros, com capacidade para acomodar outros72 passageiros.

As fragatas poderão ser equipada com 24 células de lançamento verticais para mísseis superfície-ar Aster e, possivelmente, mísseis de cruzeiro. Adicionados ao sistema de curto alcance Sea Ceptor superfície-ar com mísseis CAMM (até 48 munições). Além da falange e pistolas de 30 milímetros, a artilharia de cano  inclue um canhão 127 milímetros. Haverá também a bordo, torpedos, o que pode ser implementado por um helicóptero AW101 Merlin. Isto incluirá missões luta anti-submarino. As futuras fragatas terão um sonar no domo e um sonar rebocado.

Vídeo do futuro T26 (© BAE Systems)

Novo design do Type 26, em setembro de 2013 (© BAE Systems)

 

Novo design do T26, em setembro de 2013 (© BAE Systems)

Primeira mudança importante para o projeto em 2012 (© BAE Systems)

 

Primeira mudança importante para o projeto em 2012 (© BAE Systems)

Projeto inicial do Type 26, que foi revelado em 2010 (© BAE SYSTEMS)

Note-se que o Reino Unido e BAE Systems, que abrange projeto industrial focam no potencial de exportação das fragatas. Em janeiro deste ano, um acordo foi assinado com a Austrália a fim de estudar a possibilidade de utilizar as Type 26 como substitutas das quatro fragatas Australianas tipo OH Perry.

Fonte: Mer et Marine

 

10 replies on “Afinamento do desenho das Fragatas Type 26”

“o Reino Unido e BAE Systems, que abrange projeto industrial focam no potencial de exportação das fragatas.”

Tá na hora de tirar o LIVRO BRANCO da estante!!

Pode ter certeza que a MB não ignora a Type 26, inclusive uns 2,5 anos atrás se especulou bastante, más nada se concretizou…Talvez por causa do arrefecimento do crescimento económico + gastos com Copa e ‘Olim_piádas’…

Inclusive durante a visita que fez ao Brasil em Setembro/2010, o então ministro britânico da defesa, “Gerald Howarth apresentou às autoridades militares brasileiras uma proposta para a construção conjunta das Type 26 pela Grã Bretanha e pelo Brasil.”

Más pelo visto, este foi mais um ‘cavalo arriado’ que o Brasil deixou passar…

@@ Não brinca!… Que decepção Meu Deus Que decepção…

Mais uma pra a coleção!… =/

MalExGrimmjowsays:

Seria na proporção, fragatas russas com poder de fogo maior, porém, eletrônicos não tão avançados e superior em todos os quesitos as fragatas italianas

MalExGrimmjow,

Não exatamente… O propósito é o que faz o navio, por assim dizer…

Os italianos, tendo seus interesses em um mar fechado como o Mediterrâneo, não precisam essencialmente de unidades extravagantes como as Slavas… Sempre haverá a possibilidade de se contar com apoio aéreo, de modo que os navios são, de certa forma, um complemento desse poder. Basta que esses navios sejam rápidos para chegar a qualquer ponto a ser protegido…

No caso específico dos russos, que necessitam de unidades para desempenhar missões em águas distantes e precisam cruzar meio mundo para ter que ir de um porto a outro de seu próprio território, tem que ter navios maiores e mais pesados, além de bem armados ( para que possam ter alguma chance de defender-se mesmo sem apoio aéreo )… Mesmo os italianos também não se furtam em ter navios maiores, como o Cavour e os destróieres Orizzonte, que teriam condições de cumprir missões fora do Mediterrâneo, se necessário.

Fragatas ( ou qualquer coisa próxima das 5000 toneladas ), a grosso modo, seriam navios destinados a proteção do próprio mar territorial, mas que possuem uma limitada capacidade de desempenhar-se ao longe, levando bandeira a áreas contestadas e integrando forças de paz… E as Type 26 britânicas não seriam muito diferentes…

A bem da verdade, não tem mágica… No meu entender, o combate em alto mar é coisa para destróieres, cruzadores e porta-aviões e submarinos de maior tonelagem ou nucleares…

MalExGrimmjowsays:

Bom, não acredito que essas fragatas sejam como você disse para defesa territorial próxima da Inglaterra, pós-todos sabemos os atritos frequentes que os ingleses têm com os argentinos e creio que esta fragata terá a capacidade de se deslocar até as ilhas Falklands.

MalExGrimmjow,

Exato… Possuem alguma capacidade de desempenhar-se para fora de águas britânicas. Mas se o caldo engrossar, a coisa será com os Type 45…

MalExGrimmjowsays:

Interessante que só é demostrado os sistemas de contra-medidas no modelo de 2010 com duas Phalanx CIWS.
Ou mudou o tipo de doutrina de uso delas deixando essa tarefas para os destroyers type-45, em uma possível formação??????

Comments are closed.