Defesa & Geopolítica

O BRASIL É MAIOR DO QUE A SOLIDARIEDADE DA PRESIDENTE DILMA ROUSSEFF A EVO MORALES

Posted by

Brasil-e-Bolívia

Preâmbulo, por Gérsio Mutti

Caros Editores e Comentaristas do blog Plano Brasil, o título da matéria acima e a chamada de texto baixo, foram extraídos de quatro cartas publicadas no O Globo, Coluna “Dos Leitores”, Quarta-Feira, 28/08/2013, Página 19, e que se encontram postadas abaixo.

As cartas versam sobre as crises internas e externas que afligem o Brasil.

Boa leitura!  

Em tempo 1, acesse também:

HISTÓRIA CONTEMPORÂNEA: CHILE DE EDUARDO FREI MONTALVA, ONTEM, E BRASIL DO PT, HOJE? CABE ANÁLISE DE SEMELHANÇAS ENTRE ESSAS DUAS REALIDADES POLÍTICAS? ; e

Em tempo 2, acesse também:

O BRASIL ESTÁ SEM BANDEIRAS NA POLÍTICA EXTERNA 

O BRASIL É MAIOR DO QUE A SOLIDARIEDADE DA PRESIDENTE DILMA ROUSSEFF A EVO MORALES

O povo brasileiro foi pego de surpresa neste imbróglio com o senador boliviano, mas o governo Dilma, não!

O  nosso” Rasputin diplomático, Marco Aurélio Garcia, certamente esteve mergulhado até o pescoço nesse imbróglio boliviano. E o sentimento de culpa do Planalto fez com que premiasse o Ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, com um posto nas Nações Unidas.

No entender do Ministro da Fazenda, Guido Mantega, trata-se de uma minicrise (cambial), que (assim mesmo) fez a Argentina dar um aperto no comércio com o Brasil, alegando que a forte desvalorização do real prejudicou as exportações do seu país. Um sintoma que será sentido (por nós brasileiros) em breve, pois os “muy” amigos vizinhos só querem tirar do Brasil.”  

Cartas dos leitores de O Globo:

Crise no Itamaraty:

“Quando Evo Morales ocupou com tropas militares a refinaria da Petrobras na Bolívia, Lula e seus companheiros nada fizeram. Agora, quando resgatam o senador boliviano, prisioneiro político, numa ação humanitária e com respaldo do Direito Internacional, o governo petista rapidamente demite o ministro Patriota, para dar satisfação a Evo. Acho que o Brasil é maior do que esta solidariedade a Evo.” Flavio Ainsworth Barcalla, Rio de Janeiro, RJ ;

O povo brasileiro foi pego de surpresa neste imbróglio com o senador boliviano, mas o governo Dilma, não. Diferentemente de outras ocasiões delicadas, o governo petista sabia de grande parte dos fatos. Há seis meses, já havia conversado com Evo Morales sobre a saída de Roger Pinto pela fronteira. …” (Para ler toda a carta acesse O Globo) Maria Lúcia de Souza Gutierrez, Rio de Janeiro, RJ;

“Diplomata aposentado, conheço bem a rígida hierarquia do Itamaraty e não creio que tenha sido surpresa para a cúpula do Ministério das Relações Exteriores (MRE), muito menos para o Planalto, a ação digna do jovem colega Saboia. Nosso Rasputin diplomático, Marco Aurélio Garcia, certamente esteve mergulhado até o pescoço nesse imbróglio boliviano. E o sentimento de culpa do Planalto fez com que premiasse o Patriota com um posto nas Nações Unidas. Agora, cumpre premiar também o jovem diplomata (que dificilmente teria agido por conta própria, dada a disciplina paramilitar do Itamaraty) com algum posto glamouroso eixo Elizabeth Arden.” Victor Manzolillo, Tegucigalpa, Honduras; e

Minicrise (cambial):

“Vamos muito mal com as declarações do Ministro da Fazenda, Guido Mantega. Quando Presidente da República, Lula chamou a crise de marolinha, agora no entender de Mantega é uma minicrise, tão pequena que fez a Argentina dar um aperto no comércio como Brasil, alegando que a forte desvalorização do real prejudicou as exportações do seu país. Um sintoma que será sentido em breve, pois os “muy” amigos vizinhos só querem tirar do Brasil. Outro sintoma é o bolso de quem vai ao mercado. O descontrole do dólar desarruma a casa. Mantega disse que a alta do dólar é passageira, no entanto, há economistas prevendo que até o fim do ano ele bata R$ 2,70. Passageira é quem viaja de ônibus.” Izabel Avallone, São Paulo, SP

11 Comments

shared on wplocker.com