Defesa & Geopolítica

Comparações Brasil/ Venezuela, uma revisão dos últimos cinco anos: MSTA-S x M109A5

Posted by

Começaremos no Plano Brasil, uma seção que visa demonstrar ao leitor o atual estado das forças armadas do Brasil em relação aso seus vizinhos e para tal faremos um comparativo, segundo a opinião do editor (E.M.Pinto), tal como no Brasil se conhece por “Super Trunfo”.

Nesta seção serão apresentadas as armas que dispõe  o aparato militar Brasileiro e as armas dos países vizinhos.

Começando pela Venezuela e Brasil, faremos o primeiro comparativo.

 

Autor: Rustam, Moscou

Tradução e adaptação: E.M.Pinto

Sistemas autopropulsados de artilharia, MSTA-S x M109A5

M109 (1)Exército Brasileiro

M109 A5

A série dos obuseiros autopropulsados aerotransportado de 155 mm M109 A5, são armas de apoio de combate altamente móveis, são de fato derivados de uma família de veículos de várias versões, das quais o exército Brasileiro já possui cerca de 40 veículos da versão “A3”.

O M109A5 é quiapado com um motor de 405 ou 440 cv (302 ou 328 kw) 8V71T turbo diesel e possuem autonomia média de 350 km a uma velocidade de até 35 quilômetros por hora.A massa do veículo totalmente carregado é de 27,5 toneladas.

Clique para ver O M109A3 em maior resolução via Turbosquid

Os veículos M109A2/A3/A4 são equipados com canhões M185 com alcance de 23.500 metros. A substituição do cano longo de calibre 23 pelo M284 de calibre 39 que equipa as variantes M109A5/A6, esta adoção aumentou a capacidade de alcance da arma para 30,00 metros. O carro tranporta 511 munições na sua torre, e possui capacidade para operar em ambiente NBQ.

M-109-DR

O M109A5 é uma versão modificada da M109A4 que surgiu nos anos 90 com duas melhorias principais: um novo canhão M284 e uma nova montagem da arma M182. Estes melhoramentos proporcionam o M109A5 maior amplitude e sustentação de fogo por períodos mais prolongados.

Exército Venezuelano

MSTA-S

MSTAS (4)

Em 1989, uma nova arma propulsada passou a ser desenvolvida pela então URSS sob designação 2S19MSTA-S. A arma seria usada para destruição de armas táticas nucleares, artilharia,  baterias de morteiros, carros de combate, tropas, veículos blindados, armas anti-tanque, anti-aérea, defesa de mísseis, comando e controle, fortificações de campo e obstruções para manobras e reservas inimigas em profundidade.

Comparativo, além da alta taxa de precisão e disparo pro minutos (Não dispomos da taxa de tiros por minuto do M019A5) os 8 a 10 disparos do MSTA-S não está disponível para qualquer outro veículo da categoria no mundo.

Clique para ver O MSTA-S em maior resolução via Turbosquid

A arma foi convcebida para atacar alvos além do alcance visual incluindo opoerações em campos fechados, florestas e montanhas. Equipado com um Motor-grade B-84A, V12 de alta velocidade de 4 tempos com refrigeração líquida do motor diesel de 840 cv, capazes de funcionar com seis tipos de combustível. Sua caixa de câmbio tem sete marchas à frente e uma à ré.

MSTAS (1)

O equipamento elétrico inclui quatro baterias de 27 V . A arma principal de alma Raiada de 152 mm modelo 2A64com carregamento. Toda munição está localizado na torre. O carro é armado com 50 recargas de munições guiadas ou não de 152 mm.

O sistema de recarga pode disparar em qualquer ângulo apontando na direção e elevação das armas de fogo alimentadas automaticamente. O alcance máximdas munições é de 24.700 m porém há munições especiais que possuem acionamento por foguetes que podem atingir até 28.900 m), a taxa de disparo é de 8 disparos por minuto.

Novas munições estão em desenvolvimento para melhorar a precisão e alcance o que melhorará ainda mais a eficiencia do sistema de artilharia.

MSTAS (3)

Em desenvolvimento encontra-se uma nova variante, o 2S35 “Koalitsiya-SV” que projeta  um novo sistema de artilharia para o exército russo, cujo protótipo é composto por um chassis do 2S19 com uma arma modificada, equipada com dois canos do obuseiro 152 milímetros autorecarregado.

Segundo o Ministério da Defesa cada veículo 2S19, custa por volta de US$ 1,6 milhões. A partir de 2010 o exército russo tinha em operação nada menos que 550 obuses “MSTA-S”. Além disso, esses canhões autopropulsados estão em serviço nas forças armadas da Ucrânia, Bielorusssia, Venezuela e Zimbábue.

A Venezuela encomendou cerca de 47 sistemas autopropulsados 2S19 MSTA-S

shared on wplocker.com