ESQUEMA DE SEGURANÇA DE TERCEIRO MUNDO

papa-segurancaPaulo Ricardo da Rocha Paiva

Acredite quem quiser, o governo quer porque quer que o Brasil passe a membro permanente do CS/ONU. Valha-me Deus! O Papa Francisco que o diga, quanta temeridade! Vai segurar o que?  De repente Sua Santidade se viu envolvida por uma multidão que, se não fosse contida, teria entrado no carro para sentar no santo colo e adormecer ao som de uma canção de ninar. De improviso em cima de improviso, uma verdadeira “via crucis” de incompetência do governo que, apostando em notório ditado de que “Deus é brasileiro”, abriu uma guarda sem precedentes na segurança de um chefe de estado, nada mais nada menos do que o representante de Cristo na Terra.
Imaginem se vândalos estivessem resolvidos a “brindar” Sua Santidade com algum mimo vandálico. Quem sabe, uma casca de banana, uma bomba caseira ou mesmo um tiro no peito? Ah! Mas brasileiros não fazem isto! Somos um povo de paz! Isto é verdade, porém, até no trigo se encontra joio. Dona Dilma e o Senhor Sérgio Cabral sabem disto muito bem! Aliás, é de se perguntar: por que estas autoridades nos últimos dias estariam tão arredias ao contato com a população? Imaginem se fosse o governador que estivesse naquele trajeto ou, mesmo, se a presidenta estivesse inaugurando a estação do metrô de Fortaleza a céu aberto!
A furada foi tão acintosa que, de imediato, a assessoria papal reuniu-se com um ministro da justiça “pisando em ovos”. Afinal de contas, seria o Senhor José Eduardo Cardoso, a quem está subordinada a Polícia Federal, a autoridade maior na coordenação do esquema de segurança para a visita do Sumo Pontífice? Esta responsabilidade não ficaria melhor se a cargo do Ministério da Defesa? Que se diga, nas visitas de chefes de estado a Brasília, o dito esquema (inteligência militar, PF, PM, Corpo de Bombeiros, Polícia Civil, etc.), inclusive a proteção das autoridades, era tudo coordenado pelo comandante militar de área, nunca tendo ocorrido nenhuma falha sequer na história da capital federal.
unidade de comando, aliás, um dos 10 (dez) princípios de guerra já consagrados ao longo da história, teria sido novamente olvidada pela presidenta? Sim porque se não definiu a autoridade maior na coordenação dos três ministérios (Justiça, Defesa e GSI), envolvidos na missão de tão grande relevância, com certeza, esta omissão deixou os mandatários daquelas pastas em “papos de aranha” nos momentos em que a decisão, para fazer frente às situações de conduta, se fez urgente e emergencial. Enfim, Deus em última instância teve que proteger o Papa!  Que bom que isto aconteceu!
 
                                                                                                        Paulo Ricardo da Rocha Paiva
                                                                                                                        Coronel de Infantaria e Estado-Maior

10 Comentários

  1. o texto até que é engraçado ,mas quem errou o caminho foi os seguranças do papa ,
    do outro lado ,aonde ele tinha que estar, uma avenida larga vazia esperando a passagem dele
    ele foi para o transito feito justamente para a avenida que estava vazia tivesse a passagem segura
    e o ministro ,quando disse que a segurança do papa seria feita pelo povo brasileiro ,acertou rsrsrs
    resumo quem acompanho a visita pela tv percebe que o comboio do papa erra o caminho e se dirige para o transito ,
    a chamada guarda suíça que comeu bola ,porque não continuou atras dos batedores ,quis fazer o seu próprio caminho ,e depois quem fica com a culpa é o brasil
    resumindo 72 por cento dos jovens que estavam na jornada mundial da juventude aprovaram a organização .

  2. “….a chamada guarda suíça que comeu bola ,porque não continuou atras dos batedores ,quis fazer o seu próprio caminho ,e depois quem fica com a culpa é o brasil….”
    ——————————–
    PÉ DE CÃO,
    comentário altamente esclarecedor, não estava a par destes detalhes…Que simplesmente desmontam o texto do coronel.

    • Apesar de que, os batedores de moto da Policia rodoviária, durante a arapuca do congestionamento, falharam quando foram mais necessários, por não estarem escoltando a lateral do carro do Papa…

  3. Sobre o “engarrafamento” na chegada do Papa que a “GloboNews”, logo na saída do aeroporto, tratou de transformar num motivo para condenar a Dilma e seu Governo. O próprio Papa na entrevista, se disse um indisciplinado, que não obedece a segurança e quis, desde a escolha do tipo do papamóvel, aproximar-se o povo. Foram ele e seu motorista os responsáveis pelo engarrafamento.

    • Como sou morador aqui do Rio de Janeiro… Fui perguntar a amigos que trabalharam no evento…

      E a resposta foi que houve uma barbeiragem na seguinte questão: em vez de escalarem os batedores da PM-RJ (Policia Militar – Rio de Janeiro), escalaram PRFs (Polícia Rodoviaria Federal) de outro estado.

      Deram mole!

  4. Porta-voz do Vaticano nega risco à segurança do papa no Rio
    23/07/2013 – 17h34

    Renata Giraldi*
    Agência Brasil

    Brasília – O porta-voz do Vaticano, padre Federico Lombardi, negou que o papa Francisco tenha sofrido ameaça ou se exposto a riscos por ter circulado pelas ruas do centro do Rio ontem (22) com o vidro do carro aberto. Segundo ele, a intenção do pontífice foi estar mais próximo das pessoas. O porta-voz negou falhas no esquema de segurança. “O papa quis deixar sua marca”, ressaltou ele. A comitiva do papa hoje (23) enfrentou um engarrafamento no Rio de Janeiro.

    “Foi a primeira experiência, ele acabou de chegar. Vimos o entusiasmo das pessoas. Isso é algo novo, talvez uma lição para os próximos dias. Temos que achar a maneira correta”, acrescentou o porta-voz.

    Lombardi ressaltou que o papa, que é argentino, está feliz por “voltar para sua amada América Latina”. Ele lembrou que o acesso às pessoas começa pelo coração, por isso Francisco quis estar próximo todo o tempo dos fiéis.

    Em relação às eventuais mudanças na agenda do papa, Lombardi foi categórico: “Se o papa quiser encontrar algum conhecido, receber alguém em audiência, o fará livremente, mas não creio que haverá eventos importantes, à parte a missa de abertura da JMJ [Jornada Mundial da Juventude], que será celebrada pelo arcebispo do Rio, dom Orani [Tempesta]”.

    Perguntado sobre a descoberta de uma bomba no banheiro do Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida (a 180 quilômetros de São Paulo), Lombardi negou preocupações. Para ele, a bomba não tem relação alguma com o papa. Francisco celebrará amanhã (24) missa às 10h30 no santuário.

    *Com informações da Rádio Vaticano

    Agência Brasil

  5. Não acredito no erro de segurança, assisti uma entrevista dele e ele se confessou indisciplinado, disse literalmente que o peru não morre de véspera … fica difícil trabalhar assim, o cara quer fazer o que quer do jeito dele com liberdade total … aí só milagre mesmo.

  6. Vamo fazer justiça,a ideia de potencia super banana caturrona foi do moluscu,a constante etilica causava estas viagens na maionese, o cara sonhava em ser algo relevante, nao aceita a condiçao genis de calango !!!

  7. A paranóia do cel Paiva contrasta com a postura do próprio Papa que mostrou que quer renovar a igreja e não quer manter a relação com os fiéis católicos numa redoma de vidro blindada. Do que o Papa deveria ter medo? Do povo? Se ele “representa” deus na terra por quê não pode se aproximar das suas criaturas e passar mas humanismo para as pessoas? Parece que o Papa quer alterar profundamente a relação das autoridades da igreja católica, dando-lhe um sentido mais republicano e mais cheiro de povo. Esse cel está precisando se reciclar. Não consegue ver nada de novo com o atual Papa que até ressuscitou o bordão da Teologia da Libertação que é a “igreja com ação preferencial para os pobres” Foi tudo muito bem e o cel de bico tucano, como sempre, falando abobrinha sobre coisas que ele nunca entendeu depois de 1985 pois o seu “64” já passou.

Comentários não permitidos.