Defesa & Geopolítica

CREDN discutirá o aporte de recursos para o Projeto Proteger do Exército

Posted by

proteger_angra_EB

Roberto Valadares Caiafa

O PROTEGER visa a defesa de infraestruturas críticas nacionais como as usinas nucleares de Angra dos Reis (Foto: EB)

A Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional da Câmara dos Deputados irá discutir o aporte de recursos para o Projeto Proteger do Exército Brasileiro, um dos principais programas do Sistema Integrado de Proteção de Estruturas Estratégicas Terrestres, desenvolvido pela Força. O assunto foi tema de encontro entre o presidente da CREDN, Nelson Pellegrino, e o gerente do Proteger, general José Fernando Iasbech, nesta terça-feira, 16.

CREDN_iasbech_proteger

O presidente da CREDN, Nelson Pellegrino, e o gerente do Proteger, general José Fernando Iasbech (Foto: Marcelo Rech)

_DSC0067

O Proteger pressupõe um amplo trabalho interagências governamentais de caráter multidisciplinar (fotos slides: Roberto Caiafa)

De acordo com o militar, “o Proteger vai ampliar as capacidades do Exército para a proteção da sociedade. Vamos trabalhar não apenas na crise, mas preventivamente para diminuir a vulnerabilidade das instalações estratégicas do país”.

O Exército considera estratégicas instalações, serviços, bens e sistemas cuja interrupção ou destruição, total ou parcial, provocará sério impacto social, ambiental, econômico, político, internacional ou à segurança nacional. Uma das grandes vantagens do Proteger, segundo Iasbech, é a forma interligada com que todos os órgãos responsáveis pela segurança do país atuarão.

Ao longo de 12 anos, deverão ser investidos R$ 9,9 bilhões na aquisição de equipamentos individuais, coletivos e de engenharia, tecnologia da informação, embarcações, viaturas especiais, sistema logístico e capacitação. Segundo Iasbech, “as nossas tropas precisam de condições de prontidão, o que requer tanto aquisições materiais quanto investimentos em gerenciamento, inteligência e treinamento”.

proteger

O PROTEGER envolverá investimentos de mais de 9 bilhões de reais ao longo de 12 anos

proteger

Somente para a aquisição de equipamentos individuais e coletivos, serão necessários mais de 2 bilhões de reais

proteger

Outros 870 milhões de reais serão destinados a compra de viaturas especiais para a implementação do PROTEGER

proteger2

Uma das estruturas do PROTEGER é o CCOTI (acima), cuja central nacional ficará localizada no QG do Exército em Brasília (abaixo)

proteger3 proteger4

 

Em conjunto com o Gabinete de Segurança Institucional (GSI), o Exército listou 644 pontos críticos e indispensáveis para a proteção. São instalações de infraestrutura de transportes (227), energia (222), comunicações (80), água (80), nuclear (6) e outras (29), como Itaipu Binacional, subestações e linhas de transmissão de energia, refinarias e as usinas nucleares de Angra dos Reis (RJ).

Segundo Nelson Pellegrino, “o nosso principal papel neste momento é assegurar que os recursos necessários à implementação do Proteger sejam liberados para que o cronograma definido não seja comprometido. O programa está pensado para uma área que não admite improvisações”.

Fonte: Tecnologia & Defesa

4 Comments

shared on wplocker.com