Defesa & Geopolítica

S 400, Su 35 e Submarinos Lada para a China?

Posted by
S400

Imagem:  S400 Tryumph por Turbosquid

Texto: E.M.Pinto 07/07/13

Informações: Red Dragon, China.

O site Huanqiu.com em sua versão em chinês publicou um artigo intitulado “A Rússia decidiu vender S-400 para a China”, De acordo com a edição de julho do periódico canadense Kanwa Defense Review, uma fonte autorizada da indústria militar russa afirmou que a Rússia decidiu exportar os sistemas de mísseis anti aéreos S-400 para a China.

Esta informação ao se confirmar, atesta o crescente interesse russo em abrir mais uma concessão qua venda de armas de última geração ao governo da China, o feito viria logo seguindo as exportações de caças Su-35 e a versão chinesa de submarinos da classe Lada.

Alegadamente a Rússia autorizou a venda de caças 4,5G Su 35S para a China, após diversos embates diplomáticos e comerciais com o governo de Pequin

Alegadamente a Rússia autorizou a venda de caças 4,5G Su 35S para a China, após diversos embates diplomáticos e comerciais com o governo de Pequin

A espera pelo S 400 é parte da ambição chinesa que vem a alguns anos  tendo reuniões anuais frequentes entre os dois governos, mas que, devido ao medo de que a China possa copiá-lo e por razões diplomáticas com Washington, o governo russo não vinha concordando em exportar-lhes estes sistemas, bem como outras armas sofisticadas dos seus arsenais.  Washington vê com extrema preocupação a venda para a China de armas de elevado nível tecnológico como os caças Su 35, os submarinos Lada e os mísseis S 400.

A preocupação baseia-se em função dos problemas geoestratégicos envolvendo o mar meridional da China, as disputas com o Japão e mais espcificamente ao avanço do poder naval Chinês no Pacífico. Após inúmeras conversações e acordos de salvaguardas tecnológicas, bem como acordos extratégicos de defesa mútua, no final de 2012, a Rússia pela primeira vez concordou em ceder a China os tão sonhados sistemas S-400. Porém até o momento, não se tem notícias de nenhum acordo formal celebrado, ao contrário, as negociações sobre isso estão agora incluídos na ordem do dia.

Os subarinos  disel elétricos russos da classe Lada em sua versão chinesa, serão produzidos sobre licença pela china e completam a lista de armas de última geração liberadas para exportação para a China

Os subarinos disel elétricos russos da classe Lada em sua versão chinesa, serão produzidos sobre licença pela china e completam a lista de armas de última geração liberadas para exportação para a China

A Rússia decidiu que poderia vender China os sistemas de S-400,  radar e de comando e controle, porém ao que parece, o tipo de sistemas de mísseis que serão exportados são a chave para tanta negociação. Não é claro qual sistema equiparia estas baterias, provavelmente uma versão chinesa desenvolvida localmente.

Uma coisa é clara: as versões permitidas para serem vendidas incluem os mísseis de interceptação com um alcance de 380 km. No entanto, nenhuma decisão final foi tomada a respeito do  conjunto que seria fornecido a China se este seria completo, parcial ou uma variante desenvolvida em conjunto para atender as necidades chinesa, hipótese esta mais provável segundo analistas locais.

A China quer obter o melhor das tecnologias russas de modo a  melhorar os seus sistemas terra ar HQ-9 Hongqi com alcance numa faixa de 125 km. Os novos radares e sistema ampliariam a sua eficiencia e alcance. A  China deseja e precisa desenvolver uma nova geração de motores e melhor os sistemas de guiagem comando dos mísseis especialmente no que se refere às contra-medidas defensivas dos  atuais sistemas. Os 380 km de alcance a efiiência dos  sistemas S-400 é a mais longa e eftiva arma de defesa aérea do planeta e por conseguinte, é também extremamente atraente para a China.

S4002

Imagem: S400 Tryumph por Turbosquid

Além disso, os S 400 foram construídos em sistemas modulares altamente intercambiáveis com as baterias de S300 das quais a china recentemente improtou alguns lotes, isto daria a China um incremento na sua capacidade defensiva, aproveitando os sistemas já existentes.

Acredita-se que as necessidades políticas, além do inegável montante de investimentos na indústria Russa, são as  principais razões que forçaram a Rússia a ceder tais tecnologias a China, porém, outras razões  estratégicas também potencializam esta decisão. Recentemente EUA e Japão têm intensificado sistemáticamente o desenvolvimento de um sistema de defesa contra mísseis balísticos. Como resultado, a China e a Rússia têm intensificado as discussões e cooperaçõesno desenvolvimento de seus sistemas de defesa contra mísseis balísticos.
Embora o mundo não acredite uma nova Guerra Fria, ao que parece ela está de volta, ainda que hipócritamente disfaçada por ambos os lados dos jogadores, a cedência de sistemas avançados de armas para China é inegávelmente questionada, e demonstra o interesse de Moscou de força um equilíbrio militar, diplomático e geopolítico freando os interesses de Washington naquela região do planeta.

 

shared on wplocker.com