Defesa & Geopolítica

Novas informações e imagens do projeto do futuro porta-aviões Russo

Posted by
Futuro porta aviões russo

O modelo apresentado na semana passada no salão IMDS (© FLOTPROM)

Tradução e adaptação: E.M.Pinto

Durante a próxima década, a Marinha Russa pretende operar pelo menos dois porta-aviões e contar com a disponibilidade contínua de pelo menos um grupo de batalha capaz de ser implantado em qualquer lugar do mundo. Com a contratação de novos equipamentos, navios de escolta e submarinos, esta ferramenta permitirá a frota russa abranger todos os aspectos do poder naval. Por enquanto, a Marinha possui apenas o porta-aviões Kuznetsov certamente grande (304 metros de comprimento e 58,6 mil toneladas de deslocamento), mas que começa a envelhecer. Seu design remonta ao final dos anos 70 e seu comissionamento em 1991. Convém, no entanto, informar que o Kuznetsov passa por um amplo programa de atualização, a fim de receber os mais modernos sistemas de armas, contra medidas, comando controle e acomodações.

portaaviões russo

Os novos Porta Aviões

A Rússia  está trabalhando em navios maiores, o que faz com que se aproximam dos modelos de porta-aviões norte-americanos. Moscou planeja que suas unidades sejam bem maiores que o Kznetsov, com aproximadamente 80.000 toneladas, e capacidade para acomodar cinquenta aeronaves. Por ocasião da Internacional IMDS naval show, que teve lugar na semana passada, em São Petersburgo, o modelo de um novo projeto de porta-aviões russo foi revelado, tendo imagens divulgadas por Flotprom. O que é apresentado como um projecto foi desenvolvido pela Krylov engenharia. O modelo apresentado possui particularmente um grande convés de vôo, com duas ilhas separadas, claramente uma arquitetura dos novos porta-aviões britânicos da classe rainha Elizabeth. Com três elevadores, dois na partes traseiras de cada lado e uma na frente à estibordo, o Navio possui uma rampa tipo Sky Jump e catapulta lateral. Quatro pontos de lançamento podem ser observados devido aos defletores de gases de escape dos motores dos aviões. Dois apontam para a rampa e as outros dois na parte final da pista oblíqua. Estes podem ser equipados com catapultas (mostrado em projetos anteriores por causa do desejo da Rússia de operar aeronaves de comando e controle aéreo tipo Hawkeye, mas isso não parece óbvio no momento.

Não há certezas sobre o uso de propulsão nuclear nos navios. Chama a tenção que o avião mostrado no modelo é o caça T-50 da Sukhoi, o novo caça russo de  5 ª geração, que fez seu primeiro vôo em janeiro de 2010,e que começa a ser entregue a Força Aérea Russa a partir de 2016.

 Primeiro navio esperado de 2027

Segundo as informações disponibilizadas a idéia é começar a trabalhar no primeiro navio em 2020, e o seu comissionamento é esperado para o ano de 2027. A construção do navio será provavelmente executada nos moldes dos BPC Vladivostok e Sevastopol. Estes BPC são montados em grandes blocos em Saint-Nazaire, na França, mas a metade de trás é feita por OSK em São Petersburgo através de uma transferência de tecnologia feita pelos franceses. Este apoio técnico deve permitir que os estaleiros russos modernizem seus processos e ferramentas de produção, hoje obsoletos.

Uma atualização necessária se quisermos julgar pelos muitos atrasos enfrentados pelos últimos programas navais no país. E imperativo concluir no tempo previsto, a criação de uma grande e complexa construção de um porta-aviões, o que vai exigir também uma fase importante de desenvolvimento e testes antes de estar operacional.

Em relação aos grupamentos aéreos embarcados, deve-se também analisar as escolhas a serem feitas. A Rússia operará o Mig-29K ou  vai optar, como sugerido pelo modelo apresentado no salão IMDS, o T-50? Se esta opção for feita, espera-se que os russos deverão modificar os eu projeto d eforma a suportar os impactos com a pista e reforçar a sua estrutura para pousos em convés. O problema de fora parece um pouco menos delicado, as partes dianteiras reforçadas para catapulta-lançamentos não serão necessárias se o lançamento do porta-aviões for conseguido por meio de um rampa sky jump. Fica claro em todos os casos, que se a marinha russa conseguir produzir apenas um navio que seja, com 80.000 toneladas e equipado com dezenas de caças T-50, esta disporá de uma ferramenta de projeção naval cerca de 10 vezes superior ao atual poder que desfruta.

 Aumento do grupamento aéreo do Kuznetsov

O grupamento aéreo embarcado no Kuznetsov é relativamente limitado,  30 aeronaves  Su-33 com capacidade restrita à defesa aérea. Uma situação que vai mudar, a Marinha russa ordenou 24 novos caças multi-função Fulkrum, MiG-29K. Estas aeronaves devem ser entregues entre 2013 e 2015, são aeronaves multi-propósito com capacidade de defesa aérea e ataque. Os Mig 29K complementam, ou melhor, substituem as armas ofensivas do navio Kuznetsov, que herdou no momento da construção do conceito de construção híbrida dos ex-porta-aviões tips Kiev / Baku. Assim, ele tem, além de seus meios de auto-defesa (mísseis superfície-ar  SA-N-9, sistemas CADS-N-1 canhões artilharia), 12 mísseis anti-navio SS-N-19, com um alcance estimado em mais de 500 km. Estas armas são enormes, 10 m de comprimento, disparados dos tubos  podem transportar uma ogiva convencional ou nuclear. Com areforma, os SS-N-19 serão removidos, ampliando o espaço do hangar e, assim, aumentam a capacidade de transporte de aeronaves.

  Fonte: Mer et Marine

 

shared on wplocker.com