Defesa & Geopolítica

Turquia continua importando petróleo iraniano apesar das sanções americanas

Posted by

iran-turkey

Por Alexandre Arns

Turquia alcançou o marco de importação de petróleo de 140.000 barril por dia do Irão, apesar das sanções comerciais lançadas pelos EUA em dezembro de 2012.

As sanções americanas devem-se por causa da suspeita da intenção “não-civil” do programa nuclear iraniano. Irã nega tal intenção, alegando ser signatário do Tratado de Não-Proliferação e membro Agência de Energia Atômica.

 

Fonte: PressTV via ISAPE, 03/05/2013                        

 

Leia também:

Bancos iraquianos enviam dólares ao Irã para amenizar efeitos de sanções

Elaf Islamic acabou em lista negra do sistema financeiro dos EUA por conta de auxílio

“David Cohen, subsecretário do Departamento do Tesouro dos Estados Unidos, encarregado dos assuntos de terrorismo e inteligência financeira, disse ao jornal (The New York Times) que os esforços para impedir que o Irã “evite as sanções norte-americanas ou de instituições financeiras internacionais vão continuar no Iraque ou em qualquer outro lugar”.”

Por Felipe Mauro, Da Redação, 19/08/2012 (*)

O banco iraquiano Elaf Islamic, ao lado de outras instituições financeiras, está enviando remessas na casa dos milhões de dólares para o Irã para auxiliar o governo de Mahmoud Ahmadinejad a superar os efeitos das sanções impostas pelos Estados Unidos.

De acordo com o jornal The New York Times, o Elaf Islamic “é só uma parte de uma rede de instituições financeiras” que ajudam o Irã. A publicação consultou antigos funcionários e membros do governo dos Estados Unidos e do Iraque, assim como especialistas no setor bancário iraquiano.

No último dia 31 de julho de 2012, o governo norte-americano sancionou o banco sob a premissa de que foram realizadas “grandes transações e serviços financeiros a bancos iranianos”. Em seguida, seu nome foi incluído em uma lista negra devido a seus supostos vínculos com o financiamento do programa nuclear iraniano.

A principal hipótese é de que o Elaf estaria participando de leilões diários do Banco Central Iraquiano, onde troca dinares iraquianos por dólares, e os envia ao Irã. O New York Times diz que, oito meses após as tropas norte-americanas se retirarem de Bagdá e em pleno contexto eleitoral, o governo de Barack Obama não quer um enfrentamento público com o primeiro-ministro iraquiano Nouri al-Maliki.

No entanto, membros do governo americano participaram de reuniões privadas com autoridades iraquianas e manifestaram seu descontentamento pelo apoio financeiro e logístico entre ambos os países.

David Cohen, subsecretário do Departamento do Tesouro dos Estados Unidos, encarregado dos assuntos de terrorismo e inteligência financeira, disse ao jornal que os esforços para impedir que o Irã “evite as sanções norte-americanas ou de instituições financeiras internacionais vão continuar no Iraque ou em qualquer outro lugar”.

Ex-funcionários iraquianos e norte-americanos, assim como analistas do setor de petróleo, disseram que o governo iraquiano faz “vista grossa” ao grande fluxo financeiro, o contrabando e o comércio com o Irã, já que em alguns casos membros do Executivo, incluídas pessoas próximas a Maliki, estão se beneficiando.

(*) Com informações da Agência Efe e do portal Voice of America

Fonte: Opera Mundi  

 

shared on wplocker.com