Defesa & Geopolítica

Quão perigosas são para Israel as baterias Anti Aéreas S-300 Sírias?

Posted by

S300pmu1L3

Tradução e Adaptação E.M.Pinto

Quais são as implicações da entrega por Moscou dos sistemas de defesa aérea S 300 PMU para a Síria? o sistema de armas poderia decidir o resultado da luta pelo poder na região? O sistema de  mísseis russo é realemente invencível como é descrito?
Alexey Eremenko da agência de notícias russa RIA Novosti fornece algumas respostas que segundo ele. 

“As baterias de mísseis dariam ao regime do presidente sírio, Bashar al-Assad uma arma poderosa contra as ações e ataques aéreos vindos do exterior, esta seria uma das opções para frear uma possível intervenção internacional e pode sim desbalancear o frágil acordo costurado entre Moscou e Washington, que esperam obter  a negociação de ambos os lados do conflito. “

s300_rian

De acordo com Eremenko, as “informações verificáveis ​​sobre o sistema S 300 Sírios são desesperadamente escassas: Houve um acordo? O que ele cobre? Algo dele foi implementado? Por enquanto, o que sabemos sobre o S-300, desde as suas origens até suas implicações, tem sido baseada em documentos provenientes de fontes anônimas e boatos, achismos e desinformações. “

s-300pmu-battery-ll

Existe realmente um acordo para vender sistemas russos S-300 para a Síria?

Tecnicamente, é tudo boato, de acordo com Eremenko. A única evidência era um relatório anual de 2011 cedido pelo fabricante dos sistemas S-300, a Nizhny Novgorod que mencionou um contrato para esses mísseis para a Síria. No entanto, o relatório, desde então, desapareceu do site da empresa. O diário de negócios Vedomosti que comentou sobre essa história disse que o contrato foi estimado no valor de US $105 milhões de dólares e que um número indeterminado de sistemas S-300 foram programados para entrega entre 2012 e início de 2013. Com base na cotação, o alegado contrato cobriria a infra-estrutura necessária para uma bateria apenas, orçada em cerca de US $ 115 milhões, o custo de cada míssil é de mais de um milhão de  dólares.

Outros relatórios comumente atribuem a menção “fontes de inteligência ocidentais” de que a Síria ordenou quatro baterias de S-300 e 144 mísseis, comprometendo, assim os cerca de US$ 900 milhões  para tal, o que destoa drasticamente do referido relatório. As entregas dos sistemas, alegadamente teriam início no final do verão. Outras fontes de mídia relataram que remessas foram feitas em dezembro de 2012. Fontes oficiais russas afirmaram que um contrato que cobre o fornecimento de sistemas de defesa aérea avançados para a Síria foi assinado há dois anos.

[embedplusvideo height=”515″ width=”650″ standard=”http://www.youtube.com/v/7Am9UYI4qVA?fs=1″ vars=”ytid=7Am9UYI4qVA&width=650&height=515&start=&stop=&rs=w&hd=0&autoplay=0&react=1&chapters=&notes=” id=”ep4808″ /]

Este fornecimento de armas pode afetar a comunidade internacional ou quaisquer terceiros específicos?

“O negócio é estritamente entre Moscou e Damasco – o que quer dizer, está tudo nas mãos do presidente russo, Vladimir Putin,” Segundo Eremenko “todas as tentativas de proibir a venda de armas para a Síria, através do Conselho de Segurança da ONU foram bloqueadas pela Rússia. É claro que há por trás das cenas regatear e a tradicional queda de braço, mas isso é não oficial “.

Por que o S-300 é perigoso? Eles estão na linha de produção desde 1978 – eles não estão desatualizados?

Os sistemas S-300 foram modernizados repetidamente para manter state-of-the-art- na capacidade de destruição de aviões, foguetes, mísseis, UAVs e todos os tipos de máquinas de destruição. A Favorit S-300PMU2 pode lançar seis mísseis de uma só vez e envolver 12 alvos simultaneamente, tanto em alta  quanto baixa altitude. O míssil interceptor (efetores) usado pelo S-300 PMU2 supera em manobra qualquer aeronave atualmente existente, seja ela  um F-16, F-15, F-18 e F-22, estes mísseis também podem efetivamente atingir mísseis de cruzeiro em intervalos de 40 à 70 km. A mesma unidade também pode empregar as mais recentes variantes do míssil de defesa o 48N6E2 capacitado a  interceptar mísseis à curto e médio alcance, os mísseis balísticos em trajetória descendente. Este míssil tem um alcance máximo de 195 km é o que faz do sistema uma arma “estratégica”. Quando coberto por sistemas de mísseis de defesa de ponto, como o SA-15 e SA-Tor 22 e Pantsir S1, um S-300 PMU2 seria praticamente imune aos ataques de armas guiadas de precisão. O sistema também foi projetado para operar de forma eficaz, mesmo quando submetido a severas medidas defensivas e de ataque eletrônico, o que o torna especialmente difícil de reprimir.

Quem são os alvos?

Além de se engajar caças, mísseis de cruzeiro e mísseis balísticos, o sistema S-300 também pode representar um perigo adicional aos sistemas estratégicos como os UAV de vigilância que voam muito além da fronteira com a Síria, incluindo aviões israelenses ou de uma provável coligação de apoio, aeronaves de alerta aéreo antecipado, guerra eletrônica e monitoramento, ou mesmo de reabastecimento aéreo e de inteligência e vigilância seriam alvos do sistema. “Todas as tentativas das potências estrangeiras de impor uma zona de exclusão aérea sobre a Síria, como foi feito na Líbia em 2011, seriam ineficazes segundo Eremenko.

Qual é o período de tempo possível? Quanto tempo até que Assad possa disparar contra caças e aviões de combate estrangeiras no céu?

O sistema S-300 desdobra em cinco minutos, uma vez que seja operado por pessoal bem treinado. Segundo Eremenko, a entrada em operação dos sistemas no efetivo do exército sírio, estaria apenas condicionado ao pagamento, entrega e treinamento das tripulações, porém, existem alguns problemas que atrasam a entrega. É improvável o fabricante  possua sistemas S-300 em suas prateleiras: O que houve de sobras de um acordo com o Irã, desfeito em 2010, foram há muito tempo, arrebatado por outros clientes como a Argélia. De acordo com Ruslan Pukhov do Centro de Análise de Estratégias e Tecnologias, um grupo de pesquisa sem fins lucrativos, em Moscou. Isto significa que os sistemas teriam de ser produzidos e testados, um trabalho que levaria cerca de um ano.

Pukhov disse. “Além disso, dezenas ou mesmo centenas de funcionários teriam que ser treinado para operar a maquinaria complicada, que deve levar cerca de seis meses. Isso elevaria o prazo mais otimista de Assad de possuir totalmente operáveis ​​S-300 em novembro na melhor das hipóteses, com a primavera de 2014 sendo uma estimativa mais realista “.

Fonte: Defesa-Update via i-hls

 

shared on wplocker.com