Defesa & Geopolítica

Rompendo o Silêncio

Posted by

004 Comissão

Hiram Reis e Silva, Bagé, RS, 13 de maio de 2013

O Estatuto do Índio merece ser apreciado pelo Poder Legislativo e fixado em Lei, que defina os limites entre o impositivo de integração e o princípio da autonomia indígena. A criação de reservas indígenas na Faixa de Fronteira compromete a segurança nacional e deveria ser submetida à aprovação do Congresso.

General Maynard Marques de Santa Rosa

 004 Comissão 1

Continuo totalmente voltado para a consolidação dos trabalhos de Reconhecimento do Rio Juruá. A compilação dos dados coletados no trabalho de campo exige uma análise criteriosa e confirmação em diversas fontes, muitas vezes perdidas nas estantes empoeiradas do tempo. Desde que aportei nas abençoadas plagas do meu gaúcho torrão tenho dedicado de dez a doze horas diárias nesse “affaire”. Permito-me relaxar apenas nos finais de semana aproveitando para percorrer a bela região de Bagé e Caçapava do Sul que possuem recantos formidáveis e pouco visitados como o Rincão do Inferno, Bacia do Camaquã, Minas do Camaquã e Guaritas. De vez em quanto, inconformado com os desmandos, omissões e ilícitos de toda a ordem sou forçado a me afastar de minhas pesquisas e reportar o artigo de um ou outro amigo. Desta feita repercuto o Comentário 166 de meu dileto amigo e mestre Gelio Fregapani um patriota extremado sempre atento às questões que tanto afligem ao nosso país, fruto, principalmente, da falta de visão estratégica e compromisso com a nação de nossos mandatários e a alienação que tomou conta de nosso povo inerte que só se preocupa com futebol e músicas de baixíssima categoria.

 004 Q Indígena 2

O Coronel Gelio Fregapani e todos aqueles que como eu conhecem profundamente a Questão Indígena sabem que o crescimento populacional de comunidades indígenas isoladas colocará, em futuro próximo, em risco a soberania nacional. As reservas só são pertinentes às comunidades indígenas na fase de aculturação. Depois de completado o processo elas prejudicam a atividade produtiva e impedem o desenvolvimento econômico. A segregação do índio é discriminatória, ao contrariar o princípio de que todos têm o direito de evoluir e auferir os benefícios do progresso. O artigo “Redoma Fatal”, publicado no jornal O Globo, por ocasião da demarcação da Reserva Ianomâmi, é muito feliz ao afirmar que: “A preservação de grupos étnicos em redomas que os mantenham distantes de contatos humanos não passa de uma tentativa de fazer parar o tempo, como se isso fosse possível, em zonas cujas dimensões e natureza tornam impossível um policiamento protetor. O artificialismo condena esse equívoco, e o resultado final ameaça ser a contaminação dos grupos primitivos pela ação clandestina do que há de pior na sociedade moderna, enquanto o que há de melhor é mantido à distância pelo respeito à lei”.

 004 Comissão Ustra

Outra abordagem de meu caro Mestre Fregapani foi a respeito da Comissão da “Meia Verdade” após o corajoso pronunciamento do Brilhante Coronel Ustra. Uma Comissão que pretende rever a conduta exclusivamente de agentes públicos deixando de lado as ações daqueles que roubaram, assassinaram e mutilaram inocentes é uma piada de mau gosto e atende aos anseios dos verdadeiros inimigos externos do Brasil.

Como o heróico Coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra disse já há algum tempo: “Excessos em toda guerra existem, podem ter existido, mas a prática de tortura como eles falam não ocorreu. Eu efetivamente não cometi excesso contra ninguém. A minha missão como comandante não era de estar ali junto, interrogando preso. Eu não torturei ninguém

clique aqui para saber

A Oligarquia Financeira Transnacional lançou sementes em terra fértil provocando a cizânia e os alienados da esquerda festiva seduzidos pela sedutora cantilena da “justiça” foram cooptados justamente por aqueles a quem condenam.

COMENTÁRIO 166 de 12 de maio de 2013

Assuntos: A Questão Indígena e a Comissão da “Verdade”

– Questão Indígena


004 Q IndígenaA questão indígena – no caminho da solução.

O problema começou com o Collor, com a homologação da área ianomâmi, em obediência à exigência do Congresso norte-americano e se agravou no governo FHC, chegando ao ápice no governo Lula, que além de criar novas e imensas reservas empenhou-se em expulsar donos de propriedades centenárias na Raposa para entregá-las a índios que nem sempre as queriam, na verdade nem seria para os índios, mas para ONGs estrangeiras, decididas a dividir o País em etnias hostis, novamente por pressão do Congresso dos EUA.

Na medida em que a Funai, agindo com um super-poder de criar nações, extrapolava o limite do razoável o País iniciou a tomar consciência. As novas reivindicações da Funai no Mato Grosso do Sul poderiam repetir, em escala agora ampliada, a tragédia de Raposa Serra do Sol. A economia seria severamente agredida e dezenas de milhares de famílias se revoltariam. E os índios, tal como na Raposa seriam reduzidos a miséria, sustentados pela bolsa família. A Funai começava a ser detestada juntamente com o Ibama e não somente pela população rural. Se para retirar apenas seis fazendeiros e poucas centenas de cordatos pequenos proprietários o governo Lula teve de montar uma operação de guerra, vencendo com dificuldade, para retirar milhares de fazendeiros do Mato Grosso do Sul, do Paraná e do Rio Grande do Sul, talvez não houvesse força, e isto se o Exército não se insurgisse contra a entrega às ONGs que manipulam os índios.

O Estado Brasileiro iniciava a se dar conta do perigo da reação e das previsíveis consequencias, que poderiam ir desde a drástica redução da produção rural até a independência das áreas indígenas, ensejando intervenção internacional em nome do “dever de ingerência”, estando em jogo os interesses dos países hegemônicos.

Naturalmente, foi a reação não só dos produtores rurais, que incentivou o Governo  a  interromper a criação de reservas indígenas em regiões de conflito, mas outros fatores tiveram sua influência:

 004 Q Indígena 1

1-   Um relatório da Embrapa desmentiu os laudos da Funai nas demarcações do Centro Oeste. Anteriormente o Grupo de Trabalho da Amazônia, coordenado pela ABIN, já havia exposto as fraudes do laudo antropológico em que a Funai usou como pretexto para a traiçoeira demarcação da Raposa-Serra do Sol;

2-   Depois, a Dilma não é como o Lula, que recua quando a pressão toma vulto. Diferente do Collor e do FHC que criaram reservas por ideologia, e mesmo do Lula que as criou por covardia, Dilma já não demonstrara entusiasmo por novas reservas, contrariando tanto a pressão internacional como a parcela indianista (do PT, dos ambientalistas e dos gays). Desta vez determinou à Casa Civil que resolvesse a questão. Se Dilma deu instruções a respeito, apenas podemos inferir, mas o fato é que a Ministra Gleisi Hoffmann, de imediato, instruiu o Ministério da Justiça (a quem está subordinada a Funai) que interrompesse as demarcações até novos estudos, onde os elaborados pela Funai serão confrontados com os feitos pela Embrapa e outras instâncias do governo, e que os Ministérios do Desenvolvimento Agrário e da Agricultura serão consultados sobre os impactos das demarcações. A suspensão deve se estender também a áreas do Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Rio Grande do Sul.

 004 Comissão 2A ministra Gleisi mostrou que pensa no Brasil, acima dos interesses partidários. Começou declarando que não se corrige uma injustiça com outra injustiça. Parabéns! Esperemos que não seja demagogia e parece que não é, pois há informações que a Embrapa já fez reanálise de estudos demarcatórios da Funai em 15 locais do oeste paranaense. A Funai, como sempre, alega tratar-se de territórios tradicionais indígenas, mesmo em regiões de grande produtividade rural, onde  a presença de índios  seja recente ou até mesmo inexistente. A Ministra demonstra ser firme.Nesta questão, estamos no caminho da solução.

– A Comissão da “Verdade”

Comissão da Verdade – Os antigos terroristas que buscam a vingança ainda se arrependerão de ter criado essa frente, pois seus crimes foram muito mais cruéis. Só os inconsequentes não sabiam que se eles forçassem muito a barra haveria uma rebelião militar. O que não esperavam é que seus crimes viessem a público, como começou a acontecer com o depoimento do Cel. Ustra.

Só lamentamos que a exposição dos fatos ainda não tenha atingido os principais terroristas que ainda nos hostilizam, mas sim à Presidente, que tem se redimido parcialmente dos erros da juventude O quer que ela tenha feito de errado já foi anistiado, e não se toca mais no assunto, desde que seja assim para os dois lados. Ela também tem motivo de se arrepender de ter deixado funcionar essa Comissão, pois ela foi atingida pessoalmente , além de existir um potencial explosivo de desunião. Preferiu não responder e fez muito bem.

Se unidos já temos dificuldades, desunidos estaremos pior. O ideal é deixar o passado onde deve estar, ou seja, na História.

Que Deus guarde a todos nós e que nos ajude a manter a união

Gelio Fregapani

 

Coronel de Engenharia Hiram Reis e Silva

Professor do Colégio Militar de Porto Alegre (CMPA);

Presidente da Sociedade de Amigos da Amazônia Brasileira (SAMBRAS);

Membro da Academia de História Militar Terrestre do Brasil – RS (AHIMTB – RS);

Membro do Instituto de História e Tradições do Rio Grande do Sul (IHTRGS);

Colaborador Emérito da Liga de Defesa Nacional.

E-mail: hiramrsilva@gmail.com

Blog: http://www.desafiandooriomar.blogspot.com

31 Comments

  1. Ilya Ehrenburg says:

    Gelio Fregapani escreve muitas besteiras, ele alucina por vezes…
    Chamar Ustra de “Herói da Democracia” é forçar muito a barra.

    Mais uma vez: A Comissão da Verdade visa investigar os crimes cometidos pelo Estado em um determinado período de tempo. Os crimes perpetrados por guerrilheiros, que agiam contra o Regime Militar, já foram investigados pelo Estado, na forma de IPM – Inquérito Policial Militar, e mesmo julgados pelo Estado.
    Ponto.

    O Blog Plano Brasil só faz perder credibilidade com estes testos desmedidos e descompensados, sem sentido algum e eivado de saudades de uma ditadura medíocre.

    • Carlos Alberto says:

      Ilya,
      é impressão minha ou você está legitimando o governo militar?
      Só foi apurado por IPM quem cometeu ou havia indícios de ter cometido crime militar, uma vez que IPM nada mais é que um inquérito policial para averiguar crimes militares.
      Você está coberta de razão, o regime militar foi realmente uma ditadura medíocre, profissional mesmo, só as ditaduras cubana e norte coreana, oxalá nós fossemos cubanos …..

      • Ilya Ehrenburg says:

        Chamei o período de Ditadura Medíocre…
        Não legitimo o período em questão.

      • Carlos Alberto says:

        Que você tenha chamado de ditadura medíocre, não só vi, como concordei.
        A minha pergunta quanto a legitimidade do sistema, refere-se a afirmação de validade da estrutura judicial, uma vez que ao concordar com a investigação feita, deduzo que haveria um sistema judicial em funcionamento capaz de investigar, denunciar e julgar crimes.
        Todos sabemos que a característica marcante de uma ditadura é falta de autonomia dos seus poderes. Um ditador por excelência, acumula em si as funções do executivo, legislativo e judiciário.
        Isso por si só torna todo e qualquer ato administrativo, tomado pelo ditador, inválido.
        É por este motivo que é incoerente você não legitimar o governo mas concordar seus processos jurídicos.

    • CAPA PRETA says:

      O Plano Brasil não perde credibilidade alguma, pelo contrario, cita com clareza suas fontes, e não segue comportamentos de manada, e nem cartilhas panfletárias de ocasião.

      • Ilya Ehrenburg says:

        Perde credibilidade ao colocar textos alucinados; cabe perguntar, inclusive, se o blog se tornou uma sucursal do Instituto Millenium, pois daí vira uma piada, ruim…

      • Blue Eyes, Na Resistência says:

        Ah, caro comunista, se nos fiassemos em texticulos do Carta ou do Santayanna, ai teriamos respaldo, não é mesmo?… poupe-nos… até mesmo uma rapoza vermelha velha como tu ha de aceitar que toda historia tem dois lados, exceto a maneta comissão da inverdade… saudações…

    • Walfredo says:

      Fato. Um governo popular, que deu sequencia as ideias de melhor distribuição de riqueza, que foram barradas pelos golpistas em 1964, multiplicou o PIB da nação por cinco, saindo de 540 milhões para 2,6 trilhões de dólares.

      Ninguém pode defender torturadores, nem mesmo quem já tenha sido torturado.

      Não confundir militares com golpistas. Militares não perpetram golpes de estado, eles respeitam a hierarquia. Se participou de golpe deixou de ser militar para ser apenas golpista.

      Se uma facção toma o poder, é direito e obrigação legítima de todo cidadão, civil ou militar, de lutar contra os golpistas, sejam de direita ou de esquerda.

      Democracia pressupõe a vontade da maioria, quem não tem votos, ou argumentos para convencer seus compatriotas de seu caminho ideológico, deve se curvar a decisão dos demais.

      Se o povo brasileiro quiser criar um sistema econômico comunista, sua vontade deve prevalecer. Do mesmo jeito, se a maioria votar por um sistema de extrema direita, sem qualquer ressalva social, os demais também devem se curvar.

      Essas são as regras do jogo democrático, quebrá-las é trair a nação, seu povo, sua soberania.

  2. NovoBrazuk says:

    Acho que é muito interessante o blog mastrar os dois lados da mesma moeda.Não podemos deixar que apenas um lado seja o dono da verdade, isso seria muito stalista pro meu gosto,se por um lado Gelio Fregapani alucina gente da esquerda força muita a barra e tem um ódio alucinado contra tudo e contra todos.
    No fundo o que estes grupos de esquerda queriam não era a democracia como se diz hoje,mas sim a ditadura do proletariado foram movidos pelos discursos de Fidel e Guevara e tinham muita disposição mas pouco preparo para tal empreitada.
    Segue abaixo o discurso que arrebatou corações vermelhos.

    http://www.youtube.com/watch?v=OfMvvGw4lIs

    • Carl says:

      Verdade, os guerrilheiros também procuravam um meio de nos trancar em suas mãos. Mas o regime militar além de caçar essa gente (seus iguais) também torturaram, roubaram e mataram gente inocente. Seja jornalistas, artistas, trabalhadores em busca de condições salariais melhores e até simples manifestantes. É por essa gente que eu detesto a ditadura, quanto aos guerrilheiros simplesmente tiveram o que procuravam, guerra é guerra.

  3. Carl says:

    Penso que o colega, Ilya disse muito bem, quando lembrou que os crimes cometidos pelos guerrilheiros (lembrando sempre que como o governo era ilegal, “terrorista” não é a palavra mais apropriada), já foram investigados através de Inquérito Policial Militar da época. O que essas múmias miseráveis querem é bagunçar a investigação daquilo que nunca foi investigado, ou seja seus próprios crimes. Poucos lugares no mundo genocidas tem tanta liberdade, além de não pagarem pelo seus crimes bárbaros ainda tem a falta de vergonha na cara de reclamar das investigações que infelizmente só vão revelar os nomes, nada mais. Muito pouco se comparado com o tratamento dado por outros países (sérios) que viveram sobre ditaduras. Esse é o Brasil o país da impunidade!

    Agora, sobre os índios, até concordo em parte com o texto. É fato que todos queremos gozar das facilidades da modernidade, eramos homens das cavernas e ninguém mais quer ser. Por que raios querem então deixar os índios em situação igual a nossa de milhares de anos atrás? Sem falar que criar reservas gigantescas logo vizinhas as fronteiras não foi algo muito inteligente do governo passado, na verdade foi uma estupidez enorme.

    • Carlos Alberto says:

      É impressionante como a falta de coerência domina certas pessoas. Em determinado momento afirma que o governo era ilegal, logo em seguida considera legítima as investigações realizadas pelo governo. Eu fico na dúvida em qual das dupla personalidades de Carl eu devo confiar.

      • Carl says:

        Por favor caro colega não tente se passar por um abobalhado desse que encontramos nos blogs da vida.

        Vou tentar ilustrar pra você, talvez assim você entenda.
        Todos os crimes e atendados eram investigados menos, é claro, os cometidos pelo governo. Acho que isso não é muito difícil de se entender, mesma pra você. Pois bem, uma vez que o que falta são as investigações sobre os atos do governo militar e seus agentes, nada mais logico que investigar o que está faltando. Agora se o caro colega assim como aquelas múmias querem é puxar uma investigação completa, onde provavelmente os guerrilheiros seriam os primeiros investigados dando tempo para os agentes da ditadura morrerem em paz, vão cai do cavalo. A comissão entende diferente de vocês, pra eles não existe a necessidade de perder tempo com algo que já foi investigado, assim como crimes comuns ou sugere investigar esses também para ganhar mais tempo? Mas não se preocupe, se você ou alguém próximo for um dos canalhas que participou das torturas e assassinatos, nada vai acontecer além do esclarecimento dos fatos. Infelizmente não será presso ou mesmo devidamente enforcado!

        Agora já sabe em quem confiar? Não?

      • Carl says:

        correção
        presso = preso

      • Carlos Alberto says:

        Até ontem, pensava que seu problema se resolveria na área psiquiátrica, errei. Hoje, porém, vejo que seu problema é intelectual.
        Não há dúvidas que os crimes cometidos por agentes do estado devem ser investigados, aliás, isso já vem ocorrendo há décadas. Basta analisar o milagre do crescimento das indenizações por vítimas de tortura. O número está próximo de alcançar o da população da época, até eu estou pensando em dar uma bocadinha nessa (é brincadeira hein…).
        Agora, é uma tremenda cara de pau sua afirmar que os terroristas – apelidados na langue de bois de “militantes políticos” ou “perseguidos políticos” – “foram processados, julgados e condenados . A legislação em vigor, dos governos militares, não alcançou todos os esquerdistas envolvidos em assassinatos e atentados terroristas. Durante o período de exceção, muitos crimes não foram elucidados; portanto, criminosos não foram presos.
        Cito um: Edson Luís, assassinado no Rio de Janeiro, em 1968, no Restaurante Calabouço.
        O fato da comixão entender diferente não a torna legítima, mesmo porque, ela contraria a própria lei de criação.
        Na Lei nº 12.528, de 18 de novembro de 2011, em seu Artigo 1º, consta o seguinte: “É criada, no âmbito da Casa Civil da Presidência da República, a Comissão Nacional da Verdade, com a finalidade de examinar e esclarecer as graves violações de direitos humanos praticadas no período fixado no art. 8o do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias, a fim de efetivar o direito à memória e à verdade histórica e promover a reconciliação nacional.”

      • Carlos Alberto says:

        Você disse: “Mas não se preocupe, se você ou alguém próximo for um dos canalhas que participou das torturas e assassinatos, nada vai acontecer além do esclarecimento dos fatos. Infelizmente não será presso ou mesmo devidamente enforcado!”

        Não se preocupe, aqueles que labutam ao meu lado sabem conviver com a diferença de opinião, por mais que saibamos o quão esdrúxulas elas podem ser. Nós só não admitimos que esses idiotas imponham como padrão de mundo sua mediocridade, usando-a para julgar e avaliar as condutas alheias.

        “o homem é o homem e sua circunstância”, no dizer de Ortega y Gasset.

      • Carl says:

        Até imagino seu nível de tolerância e de seus amiguinhos.

        O que me lembra aquele refrão do Bezerra da Silva.

        “Você com revólver na mão é um bicho feroz (Feroz)
        Sem ele anda rebolando e até muda de voz
        ( Isso aqui…cá pra nós )”

  4. HMS TIRELESS says:

    Meu caros amigos:

    Acho que vocês estão perdendo tempo ao tecer qualquer sobre a comissão da verdade. Resta muito evidente que a referida comissão da verdade foi feita desde o início para dar errado.

    • Blue Eyes, Na Resistência says:

      Discordo… ela jamais foi mau utilizada… ela esta cumprindo fielmente a função para qual foi criada… CALUNIAR… nada mais… REESCREVER MENTIROSAMENTE a historia de uma epoca… a grande maioria de nós não eramos tão criança qndo esses fatos aconteceram e sabemos muito bem quem são os herois e quem são os BANDIDOS travestidos de libertadores da suposta “opressão” de então… os mesmos que querem nos libertar agora, colocando-nos em uma ditadura civil socialista… DIAS PIORES VIRÃO… podem acreditar… armem-se, pois teremos que defender nossas familias em um futuro não tão distante…

  5. jnpnhr says:

    E nos dias atuais vivemos a ditadura da corrupção e do crime. O cidadão sufocado por ondas de crimes e corrupção, legitimados pela constituição, procura por distrações e se deixa vender pela bouça família. O passado não pode ser mudado, e mesmo se pudesse ser, eu não o mudaria. A cadeia de eventos, que desencadeou a criação do governo militar em 64, levou ao meu nascimento. Se uma outra realidade sem o governo militar se passasse, essa cadeia de eventos que levou a minha existência não existiria e não estaria falando aqui agora. Todos que tem menos de 40 como eu podem se considerar filhotes da ditadura.

  6. CAPA PRETA says:

    os indios não são nossos inimigos, são brasileiros como todos nos, e a maioria de nossos soldados de fronteira, e de origem indigena.
    o que acontece, e que o internacionalismo e os esquerdistas vendidos, sabem que a melhor tatica para consquistar, e dividir.

  7. CAPA PRETA says:

    Podem maquiar seus terroristas o quanto quiserem, por baixo da mascara de palhaços ideológicos baratos, pode-se ver claramente a forma dantesca marxista, e seu terror revolucionario.
    O que os incautos que acreditam neste movimento falido do seculo passado foram levados a acreditar ( lavagem cerebral marxista) e que sua ideologia e o unico caminho, a crença de que a única alternativa para purgar a corrupção e a decadência da sociedade atual é reduzi-la a pó de modo a construir uma nova sociedade, baseada em um novo homem. Esse processo de “destruição criativa” se dá através da violência tanto física quanto simbólica e moral: não basta explodir prédios, sequestrar, roubar ou agredir quem se opoe, mas é imprescindível disseminar o caos, solapar as instituições, denegrir a familia e e inocular profundamente nos indivíduos o veneno revolucionário. O agente principal desta ideologia neo marxista não e feito de carne, mas de ideias; não é um corpo, mas um espírito: o espírito da revolução.
    O terror revolucionário e sua perigosa obsessão pela “destruição criativa” são mais fortes do que os valores tradicionais sobre os quais a sociedade se erigiu, representados pelo dito “patriarcado” que nada mais e que a demonização de tudo que conquistamos enquanto civilização, como seres racionais, O marxismo cultural se manifesta na ausência de amarras da velha moral e no seu esforço de pulverizar a sociedade. No entanto, a própria situação criada pela chamada ” nova ordem marxista( desconstrução social pura) torna-se, com o passar do tempo, insustentável; os absurdos brotam, as máscaras caem, as verdadeiras intenções ficam expostas à incômoda luz da verdade.

    Obvio que e preciso sempre evoluir,não estacionar sem reflexões de conceitos, mas de forma coerente, e não “revoltada” a revolta escurece a a razão, e nos tona aquilo que mais odiamos sem percebermos.Os valores que nos deram a vida que temos merecem que nos dediquemos à sua preservação, ainda que isso custe nossas próprias vidas. Não é uma decisão fácil, mas é inelutavelmente necessária. Não devemos fazê-lo apenas por nós mesmos: devemos fazê-lo por aqueles que deram seu sangue para que cheguemos até aqui, honrando sua memória e sua luta, e por aqueles que ainda virão, de modo que o mundo que herdem de nós seja menos perigoso, menos venenoso e mais afastado de diabólicos anseios revolucionários.

  8. Nascimento says:

    Militares explodem bomba no Riocentro
    Por Assis Brasil 01/05/2008 às 00:44

    Mililtares “patriotas” fracassam em matar inocentes, num show de música popular no Rio Centro.
    Havia no Riocentro uma multidão de 18.000 pessoas, assistindo a um show artístico em homenagem ao Dia do Trabalhador. No momento da eclosão – 21 h20m – cantava Elba Ramalho.

    Sargento terrorista morto pelo própio veneno

    Bombas no Riocentro
    Para não esquecer
    Vimos que no caso Para-Sar se planejaram ações criminosas cuja execução previa atentados a bomba e outras práticas terroristas que “propiciariam um clima de pânico e histeria coletiva”, consoante as palavras do Brigadeiro Eduardo Gomes. Assim, toda vez que se fala no plano macabro de Bumier há que se lembrar da bomba explodida no Riocentro, .ampla área de estacionamento na Tijuca, no Rio. A explosão ocorreu dentro de um automóvel puma, na noite de 30 de abril de 1981, com a bomba no colo do Sargento do Exército Guilherme Pereira do Rosário, cuja morte foi instantânea. Ao lado do sargento, no volante, estava o Capitão Wilson Luiz Chaves Machado, o qual, ato contínuo, sai do Puma segurando vísceras à altura do estômago.
    Havia no Riocentro uma multidão de 18.000 pessoas, assistindo a um show artístico em homenagem ao Dia do Trabalhador. No momento da eclosão – 21 h20m – cantava Elba Ramalho.
    Somente, pois, não aconteceram o pânico e a histeria coletivos porque o explosivo estourou no colo do sargento. O plano visava exatamente a multidão. Tanto que uma segunda bomba explodiu alguns minutos depois na casa de força do Riocentro. Sua carga não foi suficiente para afetar os dispositivos produto¬res da iluminação e o show continuou, sem o público ficar sabendo do que se passara. :É oportuno lembrar, a propósito, que os planos de Burnier, no caso Para-Sar, também incluíam destruição de instalações de força e luz.

  9. Nascimento says:

    Nem preciso dizer que o golpe não foi só militar, foi civil-militar. Nós a sociedade, que votamos queremos ter nossa vontade respeitada e que isso nunca mais se repita.Quantos aos indios deviamos proceder como os russos contra essas malditas ONGs que infestam a Amazônia.

  10. PÉ DE CÃO says:

    esse pessoal da direita são uns revanchistas mesmos ,a direita que viveu de quatro para os anglos saxioes, tiveram 20 anos no governo cade as bombas atômicas ? era aliado dos grigos que são os que mais tem ,mas não conseguiram nenhuma ? cade os submarinos nucleares ? não fizeram !! cade um exercito forte não fizeram cade o mais nescessario que é a nação do seu lado ,vocês da direita conseguiram dividir o brasileiro em direita e esquerda sendo que quem não concordava com o entreguismo era esquerda
    A direita foi tao ruim ,péssima e entreguista que quando os governos civis assumiram tiveram que continuar a obedecer os anglos saxioes até bem pouco tempo ,
    Então sem maldade ,mas vocês apenas atrazaramo desenvolvimento da pátria com a sua covardia e com a sua obediência a uma raça que odeia nos latinos
    eu sempre quis e sonhei com uma pátria esparta ,um militarismo ,mas os que passaram queimou o filme do exercito por muito tempo esta sendo limpo agora então entreguistas cai fora brasil para quem ama o brasil e não para quem quer servir gringo
    agora que o EB esta ficando limpo vem de novo esse papo furado de direita é melhor ,melhor em que no tempo da direita as crianças morriam como na etiopia ,soldado que não amam seu povo sua nação para mim tem que ser é fuzilado
    sobre índio nos somos decendentes alias como a sua elite gosta de nos chamar mestiço de índio negro e português , católicos então nos somos a maioria ,pronto emprego quem não for para mim não faz a menor diferença
    talvez um dia com o EB limpo dessa raça que infestou os quarteis poderemos ter um regime militar ,mas militar de verdade ,porque esse que teve eu tenho vergonha. fracos demais

    • Lucas Senna says:

      Meu caro, durante o Governo Militar foram produzido no total duas bombas de urânio, sendo que muitas outras foram detonadas durante os testes. Não se constroi ogivas nucleares como se fazem estalinhos, é uma física muito complexa, que exige centenas de coloboradores todos mestres e doutores, é um equipamente intricado, não se faz de um dia para o outro. 20 anos para concluir tudo como aconteceu foi algo bem rapido e surpreendente. Quem acabou com o projeto militar foi o covarde e traidor do Collor, ele desmobilizou o projeto e jogou no lixo decadas de pesquisa e avaços na área. O projeto do submario sofreu muito devido as inconstancias dos orçamentos brasileiros, mas principalmente devido aos bloqueios e pressões norte-americanas, que nos levaram a ter que desenvolver a tecnologia nós mesmos. Quando ele voltou a tona, durante o governo Lula, todo o projeto teve que ser remodelado e atualizado, basicamente só ficou mesmo o reator, porque a tecnologia não mudou muito no período. E a propósito, a direita não está no poder desde o fim do governo militar(oficialmente), na prática desde o fim do governo Sarney. Desde então tivemos governos de esquerda(PT) e de centro-esquerda(PSDB). O PMDB não possui posicionamento claro, ou seja, fisiologista(no popular puta do poder).

      • Lucas Senna says:

        Correção: não foram duas ogivas, e sim modelos, esqueletos baseados num modelo norte-americano(W80 se não me engano). Inclusive, o começo da pressão norte-americana contra nosso projeto nuclear(não sei daonde você tirou que eramos aliados deles) começou quando eles tiveram conhecimento que no IME os alunos estudavam física de explosivos nucleares.

      • Carl says:

        Na verdade o governo militar foi ridículo quando o assunto é capacidade bélica. Lembra dos tanques com canhões 105 mm ao invés dos 120 mm. Ou ainda dos poucos M-III e dos F-5, vamos encarar os fatos nem os militares se preocuparam com a defesa quando chegaram ao poder.

  11. PÉ DE CÃO says:

    é realmente as pessoas não sabem como é o exercito ,uma frase que se ouve muito é que no exercito pobre ou rico é a mesma coisa MENTIRAAAAAAAAA,
    Desvio de alimento nos ranchos ,eu passei fome ,Fernando Henrique foi fraco não fez nada pelo EB ,mas é sabido que desvio de alimento verbas É MAIS DE DECADAS eu nasci numa vila guerreiro ,infelismente tem gente que usa a farda como seguro
    na época do regime não fizeram nada para a nação ,
    se hoje aparece corrupção você tem que ter em mente que a federal investiga e abre processo contra todas as camadas ,antes não se ouvia nada POR MEDO!!!!!
    Cade as bombas que voce falou , o colllor foi fracote também .mas com o eb daquele jeito fazer o que ,qualquer entreguista se sente no direito de ser entreguista
    SEM MALDADE ,mas o governo que vocês chamam de esquerda e eu acho apenas um governo que nasceu em são bernado do campo de metarlugicos de peao ,ESTA SIM INVESTINDO NAS NOSSAS FORÇAS ARMADAS COMO NENHUM OUTRO COMEDIA INVESTIU
    Essa é a raiva dos revanchistas alias oposição!!
    tem que ter uma reforma nas forças armadas para quem for os mais guerreiros e patrióticos conseguirem promoção ,pois antigamente o cara ganhava promoção pois era amigo de ciclano beltrano
    mais poder para os sargentos ,pois eles são o elo da tropa sargento tem que chegar ao topo ai vocês vao ver o que é um eb forte
    mas la acontece a contrario o sargento feito nas armas so pode enganjar três vezes
    sem maladade mas se eu ficar contand as patifarias que existe eu vou ficar muito tempo
    hoje esta melhor não so para o exercito ,mas também para a nação em que o eb faz parte, simples assim !!!
    mas ,a contagem esta fraca ELA PODE MELHORAR ,
    NOS QUEREMOS MAIS ATE SUA ALMA !!!

  12. X-tudo says:

    O Brasil podendo avançar, e a canalhada atrasando. Vide a PEC dos portos. Cambada de comuna safado, e tambem cambada de entreguistas safados.

    Vou perguntar. Será que é comissão da verdade?… A quem interessa a verdade?… Pra quê?…

    Eu lí aí coréia do norte.. cuba, tão de brincadeira! O problema está em importar o “american life” e regimes “socialistas” pra cá… De qualquer forma se continuar por esta linha o Brasil continuará sem nome!

    Reviver os tempos da ditadura/revolução pra quê?… Temos uma presidente (ex-guerrilheira) torturada, teve hemorragia interna nos orgãos genitais e querendo esquecer isto… pra o Brasil ir pra frente mas teimam em continuar com esta palhaçada… fumando seus charutos cubanos!… lendo livros russos!… Vivemos uma ditadura hoje! A do proletariado. Nunca antes banco lucrou tanto e a classe média foi tão refém dos impostos como hoje. Quero ver a longo como vai ficar a situação!… Mas melhor do que o entreguismo de 15 anos atrás.

  13. William says:

    Toda esta estória envolvendo indios… isto tudo me dá nauseas… casa da mãe Joana é pouco.

shared on wplocker.com