Defesa & Geopolítica

Brasil fica em penúltimo lugar em ranking global de qualidade de educação

Posted by

images

O Brasil ficou em penúltimo lugar em um ranking global de educação que comparou 40 países levando em conta notas de testes e qualidade de professores, dentre outros fatores.

A pesquisa foi encomendada à consultoria britânica Economist Intelligence Unit (EIU), pela Pearson, empresa que fabrica sistemas de aprendizado e vende seus produtos a vários países.

Em primeiro lugar está a Finlândia, seguida da Coreia do Sul e de Hong Kong.

Os 40 países foram divididos em cinco grandes grupos de acordo com os resultados. Ao lado do Brasil, mais seis nações foram incluídas na lista dos piores sistemas de educação do mundo: Turquia, Argentina, Colômbia, Tailândia, México e Indonésia, país do sudeste asiático que figura na última posição.

Os resultados foram compilados a partir de notas de testes efetuados por estudantes desses países entre 2006 e 2010. Além disso, critérios como a quantidade de alunos que ingressam na universidade também foram empregados.

Ranking Pearson-EIU

  1. Finlândia
  2. Coreia do Sul
  3. Hong Kong
  4. Japão
  5. Cingapura
  6. Grã-Bretanha
  7. Holanda
  8. Nova Zelândia
  9. Suíça
  10. Canadá
  11. Irlanda
  12. Dinamarca
  13. Austrália
  14. Polônia
  15. Alemanha
  16. Bélgica
  17. Estados Unidos
  18. Hungria
  19. Eslováquia
  20. Rússia
  21. Suécia
  22. República Tcheca
  23. Áustria
  24. Itália
  25. França
  26. Noruega
  27. Portugal
  28. Espanha
  29. Israel
  30. Bulgária
  31. Grécia
  32. Romênia
  33. Chile
  34. Turquia
  35. Argentina
  36. Colômbia
  37. Tailândia
  38. México
  39. Brasil
  40. Indonésia

Para Michael Barber, consultor-chefe da Pearson, as nações que figuram no topo da lista valorizam seus professores e colocam em prática uma cultura de boa educação.

Ele diz que no passado muitos países temiam os rankings internacionais de comparação e que alguns líderes se preocupavam mais com o impacto negativo das pesquisas na mídia, deixando de lado a oportunidade de introduzir novas políticas a partir dos resultados.

Dez anos atrás, no entanto, quando pesquisas do tipo começaram a ser divulgadas sistematicamente, esta cultura mudou, avalia Barber.

“A Alemanha, por exemplo, se viu muito mais abaixo nos primeiros rankings Pisa [sistema de avaliação europeu] do que esperava. O resultado foi um profundo debate nacional sobre o sistema educacional, sérias análises das falhas e aí políticas novas em resposta aos desafios que foram identificados. Uma década depois, o progresso da Alemanha rumo ao topo dos rankings é visível para todos”.

No ranking da EIU-Person, por exemplo, os alemães figuram em 15º lugar. Em comparação, a Grã-Bretanha fica em 6º, seguida da Holanda, Nova Zelândia, Suíça, Canadá, Irlanda, Dinamarca, Austrália e Polônia.

Cultura e impactos econômicos

Tidas como “super potências” da educação, a Finlândia e a Coreia do Sul dominam o ranking, e na sequência figura uma lista de destaques asiáticos, como Hong Kong, Japão e Cingapura.

Alemanha, Estados Unidos e França estão em grupo intermediário, e Brasil, México e Indonésia integram os mais baixos.

O ranking é baseado em testes efetuados em áreas como matemática, ciências e habilidades linguísticas a cada três ou quatro anos, e por isso apresentam um cenário com um atraso estatístico frente à realidade atual.

Mas o objetivo é fornecer uma visão multidimensional do desempenho escolar nessas nações, e criar um banco de dados que a Pearson chama de “Curva do Aprendizado”.

Ao analisar os sistemas educacionais bem-sucedidos, o estudo concluiu que investimentos são importantes, mas não tanto quanto manter uma verdadeira “cultura” nacional de aprendizado, que valoriza professores, escolas e a educação como um todo.

Daí o alto desempenho das nações asiáticas no ranking.

Nesses países o estudo tem um distinto grau de importância na sociedade e as expectativas que os pais têm dos filhos são muito altas.

Comparando a Finlândia e a Coreia do Sul, por exemplo, vê-se enormes diferenças entre os dois países, mas um “valor moral” concedido à educação muito parecido.

O relatório destaca ainda a importância de empregar professores de alta qualidade, a necessidade de encontrar maneiras de recrutá-los e o pagamento de bons salários.

Há ainda menções às consequências econômicas diretas dos sistemas educacionais de alto e baixo desempenho, sobretudo em uma economia globalizada baseada em habilidades profissionais.

Fonte: BBC Brasil

34 Comments

  1. Walfredo says:

    Robô feito por estudantes brasileiros é campeão mundial de dança

    25/04/2013 – Ciência sem Fronteiras deve superar o total de 45 mil bolsas concedidas este ano
    Principal programa do governo federal de mobilidade acadêmica no exterior, o Ciência sem Fronteiras atingiu o expressivo número de 41.133 bolsas de estudos concedidas desde sua criação, em 2011. Desse total, 23.851 estudantes foram aprovados no ano passado, sendo que mais de 19 mil já estão no exterior. Outros 17.282 candidatos foram selecionados em chamadas este ano.

    O Prouni já atendeu, desde sua criação até o processo seletivo do segundo semestre de 2012, mais de 1 milhão de estudantes, sendo 67% com bolsas integrais.

    • HMS TIRELESS says:

      É apenas um caso isolado meu caro! Ademais, para que serve um robô dançarino?

      • Alvez8O says:

        Sobre a pesquisa:

        “…o ranking compôs-se de quarenta países. Não se menciona alguma pesquisa feita com os mesmos critérios, que tenha sido feita,por exemplo, , há dez anos (refletindo a situação anterior), com os mesmos países. Assim, não há como inferir piora, estabilidade ou melhora da qualidade do ensino do Brasil – quer em termos relativos quer em termos absolutos.”

      • Alvez8O says:

        Um vídeo enviado mesma “Pearson Foundation”, que fez o ranking acima desta matéria…

        Vídeo produzido pela Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).
        ——————————-
        “A Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) lançou documentário sobre o expressivo crescimento dos índices brasileiros no Programa Internacional de Avaliação de Alunos (Pisa). O vídeo Strong Performers and Successful Reformers in Education — Brazil (Desempenho consistente e reformas bem-sucedidas na educação brasileira) traz entrevistas com o ministro da Educação, Fernando Haddad, com especialistas e secretários de educação do país.”

        “Documentário OCDE – Crescimento do Brasil no PISA”

        http://www.youtube.com/watch?v=J09MoqRY5Eg

    • Henrique Senna says:

      Aguardo uma visão mais pragmática do Walfredo. Todos seus posts defendem a situação. Meu caro, existe algo que não vai bem neste governo?

      • HMS TIRELESS says:

        Algo que não vai bem “nestepaiz”? tudo meu amigo..rs!

      • Alvez8O says:

        Mais um pouco sobre a pesquisa:

        “…de acordo com Mekler Nunes, diretor superintendente de Educação Básica da Pearson (autora da Pesquisa) no País, o 39.o lugar não é de todo ruim.

        Isso porque os 40 países que compõem o ranking são os únicos entre as 193 nações a ter dados históricos e estatísticos comparáveis sobre a qualidade da educação.”

        Ele também afirma, segundo a notícia, que “estar nessa relação de países já é, por si só, um destaque. É sinal de que já fizemos o dever de casa mais básico.”

      • Alvez8O says:

        Se formos dividir este “ranking da Pearson” em percentuais, então a posição do Brasil é inferior em “apenas” 25% à do incensado e e endeusado Israel.

        E é bem mias fácil gerir a educação em Israel com 7,5 milhões de habitantes do que em país como o Brasil, com 200 milhões…

        O Brasil está em uma posição inferior a tecnologicamente avançada França em 35% e em relação ao tão elogiado (por alguns) Chile, em 15% e por aí vai…

        Isto segundo esta pesquisa, que como já disse , não creio que prove alguma coisa…

        “E por que há tanta gente contra destinar para a educação os royalties do Pré-Sal?”

    • Francisco José says:

      Nunca faço comentários, só os leio, pois minha opinião é irrelevante e não creio que faça diferença alguma, mas ler alguém defendendo o sistema educacional do Brasil por ideologia é forçar demais a barra. Bolsas de estudo no exterior (bom lembrar que o indíce de alunos que acabam ficando por lá é bem alto), Prouni, tudo porcaria. Só se criam faculdades de fachada, com péssimo nível de ensino. A situação está cada vez pior, basta ver a quantidade de “bacharéis” de direito que não conseguem se tornar advogados, porque existe um exame da ordem. Alunos dos cursos de medicina, odontologia, engenharia, e muitos outros, protestam e esperneam quando se discute a criação de exames semelhantes em sua respectivas classes. Mas o pior não são os cursos superiores, talvez tenhamos alguns de qualidade razoável, mas não graças a esse governo que está aí e para ser justo, nem aos governos anteriores. A tristeza nesse país é ver jovens com 17, 18 anos que não são alfabetizados, não sabem somar, não sabem multiplicar, usam a gíria para disfarçar uma profunda ignorância. Sabem aquela história preconceituosa do caipira ignorante e iletrado? Pois é, em uma cidade como São Paulo, onde com certeza não existem caipiras, a grande maioria desses jovens não consegue sequer preencher um formulário para emprego. Como sei disso? Trabalho analisando esses formulários, recrutando esses jovens. Aqueles que são selecionados tem que ser treinados a exaustão para cumprir uma tarefa, que Deus me perdoe por isso, um macaco poderia desempenhar. E aqueles que não conseguem? É bem provável que sigam pelo caminho bem mais fácil de roubar e matar, e NÃO são pobres coitados que não tiveram oportunidade, NÃO! Estudaram, vêm de famílias estruturadas, só não aprenderam NADA! E para completar ainda leio alguém comentar sobre o exemplo “EDIFICANTE” de nosso ex-presidente que ganha 300 mil reais por palestra. Esse sujeito (o Lula) se gabar, num país onde a carência de educação é um cancêr que vai nos destruir, se gabar de não ter “diproma”, contar vantagem sobre sua “esperteza” é um absurdo tão enorme que não mereceria se comentar, pois, mesmo que por seus méritos uma pessoa atinja sucesso em sua vida, sendo desprovido de educação formal, isso de forma alguma deveria servir de exemplo ou argumento para se defender a posição ridícula desse país nesse ranking. O sr. Lula dá palestras para empresários ávidos por obter informações privilegiadas, favores do govêrno e esses 300 mil são apenas a prata que recebe pelos seus serviços de intermediário entre a fonte dos recursos e aqueles que querem se apropriar dela seja de forma legal ou não. Ingênuo daquele que não crê nisso. Todos aqui deveriam estar envergonhados e exigir providências. E é bom lembrar que nem todos são o Lula, nem todos tem o dom de enganar, mentir descaradamente (não sabia de nada!), de rir de nossa cara e na nossa cara e ainda ganhar dinheiro para isso. Gente que não estuda, como traficantes ganham isso também, assaltantes, assassinos, corruptos de colarinho branco. Na verdade não sendo talentoso na arte de enganar, o desprovido de educação vai se tornar um desses exemplos, vai usar a força de sua violência para ganhar o que o Lula ganha – “se ele não tem diproma e pode, eu também posso” vai pensar o ignorante – e quando descobrir que as portas do mercado estão fechadas para ele, com certeza vai querer o que o Lula teve, de um jeito ou de outro. Basta ver nas entrevistas, os criminosos se acham “no direito” de nos roubar, matar, ficam irados quando reagimos e nos matam. É isso que a falta de educação causa. Não é só a vergonha de viver em um país assim, mas o medo que me causa ver o país que meus netos irão herdar. Me sinto responsável, porque um dia defendi esse senhor, me sinto mau, pois a vergonha de ser enganado é muito grande, mas o pior é ver aquele cego que insiste em não ver, ou então aquele que recebe sua prata para escrever em benefício de um governo corrupto, imoral e incompetente. Antes de difamar ou defender, qualquer pesquisa é melhor pensar e realmente enxergar para onde estamos indo. Não importa a ideologia que segue, não importa que Deus (PT) você venera, não importa mesmo, você deveria pensar que defender o indefensável não vai melhorar esse país e se minha opinião não tem valor algum para ninguém, talvez alguém aqui o ouça, já que está sempre opinando e você deveria pensar na sua responsabilidade com o futuro. E se quer saber não precisamos de pesquisas para saber como vai nossa educação, basta conversar 2 minutos com qualquer garoto(a) e verá o quanto são ignorantes. Só para esclarecer, ignorante é aquele que ignora, é aquele que não tem educação e provavelmente tem outra qualidade de ignorante, é rude, pois aos imbecis e ignorantes só resta a violência. Triste país que não se envergpnha de uma notícia dessas. Triste país…

      • Francisco José says:

        E se alguém disser que a culpa por jovens de 18 anos serem analfabetos, é de governos anteriores, é bom fazer as contas e lembrar que esses jovens tinham 6/7 anos quando o PT assumiu (8 anos do arrogante e ignorante Lula e 3 de sua cria). Simples matemática. Poderiam, se quisessem salvar uma geração inteira, mas preferiram só ficar na retórica, ou quiseram mesmo criar uma geração inteira de dependentes do bolsa esmola.

      • Sayd_Jarrad says:

        Seu comentário foi perfeito

    • Lucas Senna says:

      O estudo se refere ao que aqui chamamos de ensino fundamental e médio. Não sobre universidades.

  2. ViventtBR says:

    Nenhuma surpresa e a tendência é estarmos na rabeta por muitos e muitos anos.
    Este side é uma comprovação disto… pois em mais de 190 milhões de almas brasileiras apenas um grupinho se dispõem a colocar e fazer suas reflexões e análises sobre as matérias aqui colocadas.
    Fico espantado com isso, será que só nós poucos, e de alguns outros sides, pensamos e nos preocupamos neste país? E o resto da população? Naõ opina por que não quer, tem mais o que fazer, ou simplesmente são o produto dessa péssima educação?

  3. matheus says:

    A questão é: Será que o Prouni vai surtir verdadeiramente efeito?
    Porque se esses cursos que estão sendo financiados pelo governo forem de péssima qualidade (como acredito que em sua maioria são, bastas ver o gigantesco aumento de faculdade de fundo de quintal) não adiantará nada.
    O pior e que poucos tem dado valor é o ensino fundamental e médio, não adianta colocar alunos a qualquer custo na faculdade se estes não sabem o básico. Em alguns estados existe progressão continuada (mudar o aluno de série sem ele ter passado de ano. Ou pegar aquele aluno que esta há três anos repetindo e jogar ele três anos afrente), isso é terrível, se o “cara” não deu conta de passar de série, como ele vai se sair em uma mais avançada ainda, além do desestimulo ao estudo (vou passar de qualquer jeito mesmo!).

    • HMS TIRELESS says:

      Você foi direto na jugular Matheus! O governo financia faculdades e universidades privadas através do PROUNI quando deveria utilizar os recursos do programa para melhorar as universidade públicas existentes.

      • Lucas Senna says:

        Meu caro o dinheiro do Prouni nem ia fazer tanta diferença assim para as UF, e a idéia por trás do projeto é boa, o problema é o fato do MEC não garantir a qualidade das faculdades particulares. Se você for em qualquer universidade pública, o que mais tem são bons projetos que nunca vão a frente por falta de incentivo. Hoje nem é nem tanto falta de verba, mas falta de incentivo mesmo, o governo pois dinheiro pra caramba mas é uma burocracia infernal e extremamente confusa, que acaba desincentivando, além do fato da profissão pesquisador não ser valorizada. Professor aqui é chamado de vagabundo(sério, aqui em Juiz de Fora os professores públicos estavam de greve porque o novo prefeito prometeu pagar o piso e não cumpriu, e advinha quem a população apoio? Chamaram os caras de vagabundos…) É mais uma questão de cultura do que de dinheiro.

    • Lucas Senna says:

      Concordo plenamente. E o efeito mais nefasto do Prouni é que por não exigir qualidade das faculdades que podem receber alunos(a avaliação do MEC é simplesmente patética, nem digna de ser considerada avaliação é) as faculdades particulares antigas que eram de exelente qualidade estão tendo que reduzir a qualidade de seus cursos para poder cobrar menos e atrair mais alunos, frente a competição desleal dessas faculdades de fundo de quintal que tem surgido graças aos incentivos do governo e que não tem qualquer compromisso com a qualidade do ensino.

  4. HMS TIRELESS says:

    Não surpreende em um país que tem um ex-presidente que se jacta de não gostar de ler e o deputado mais votado ser um analfabeto. E viva o “Brasil – PuTênfia”

  5. PÉ DE CÃO says:

    para podermos estar melhor classificado nesse ranking dos ingleses ,teremos que começar a falar ingles e ser mais cordeirinhos para com os anglos saxiao pode ver a tabela é só quem é bem servisal dos caras

    • _RR_ says:

      Pé de Cão,

      A diferença está em quem investe pesado desde o inicio… Coréia do Sul e Japão, por exemplo, arrasados após as continuas disputas no início do século XX, passaram a investir pesado em educação já a partir dos anos 50, sendo essa a prioridade máxima dos governos, em detrimento de outras áreas, inclusive. Lá, educação não política de governo; é política de Estado! Observe que mesmo países saídos do pacto de Varsóvia possuem uma educação em excelente nível, prova de que o fato de um país ter sido do bloco pró-Russia ou pró-EUA não se constitui em diferença significativa nesse caso. O fato é que o Brasil está com pelo menos algumas décadas de atraso no que diz respeito a investimento em educação… É evidente que o Brasil tem tudo para recuperar esse atraso e se tornar algo melhor, mas não será da noite para o dia…

    • Francisco José says:

      Não é a primeira pesquisa que indica que o Brasil é sempre muito mal colocado no ranking dos paises de todo mundo e pesquisas feitas pela ONU, Universidades de vários paises, sempre vemos essa notícia, ela é recorrente. Não acha que onde a fumaça há fogo? Amo o Brasil e defender o indefensável não me torna “serviçal” dos “anglo-saxões”. A educação nesse país é uma calamidade e a culpa é sim desse governo que aí está. Tiveram 11 anos para trazer resultados e perderam uma geração toda. E sobre a lista, Hong Kong e Cingapura eram colônias inglesas e tenho certeza não são “serviçais” dos ingleses, muito pelo contrário.

  6. Alvez8O says:

    Educação nunca é demais e sempre é útil ao país cobrar melhorias no sistema.

    Só que estas pesquisas são muito relativas, alguns anos atrás saiu uma pesquisa, onde o Brasil entre 100 países se situava mais ou menos ( não lembro exatamente) lá pela 60ª posição…

    Agora fazem uma pesquisa somente entre os 40 melhores e porque neste ranking, MAIS RESTRITO, o país parece em penúltimo, parece que o Brasil piorou, quando na verdade melhorou!

    Isto claro, se formos acreditar nestas pesquisas…
    Há!Pegadinha do malandro!

  7. Wolf says:

    Um pais de ignorantes caminha, a passos largos, para se tornar a quinta potência econômica do planeta. Também, mesmo sem estudar somos “o cara” e ganhamos 300 mil dólares por palestra. Êta povo porrete heim sô!

    • Francisco José says:

      Como disse é um país de ignorantes, nisso concordo. E quinta potência é uma ilusão criada por políticos interessados em nos lobotomizar, assim como fizeram os militares com “esse é um país que vai prá frente” ao mais recente “nunca na história desse país”. Você não acredita numa pesquisa feita por paises lá “de cima”, mas acredita quando eles nos afagam e dizem que somos uma “putênfia”. Esse “cara” que mesmo sem estudar, ri na sua cara e ganha esse dinheiro para ensinar empresários a fraudar o governo. Essa é grande formação desse sindicalista, escola do crime.
      A propósito, se o crescimento da China cair para menos de 4% por cento ao ano, vamos cair nesse ranking, feito coquinhos na ladeira. É só commodities amigo. Nosso povo é porreta sim, só precisa estudar mais, ler mais e aprender a reconhecer mentirosos como “o cara”.

  8. lucena says:

    Quando iremos ter uma boa notícia sobre a nossa educação;
    .
    Quando viremos um dia que os nossos governantes, o nosso sistema de governo,o “stabeleshment” brasileiro criaram vergonha na cara para levarem a sério a educação brasileira.
    .
    Nos 10 primeiros países da listra;a grande maioria destes países,a educação de base a maioria são pública e os professores se orgulham da sua profissão pois, são respeitados dentro e fora da sala de aula.
    .
    Nas escolas destes 10 países,os alunos não divide o espaço com o traficante e nem com as gangues aliás,os seus estudantes não sabem nem o que seja isso.
    .
    Nós evemos ser mais exigentes com aqueles que colocamos lá para nós representar;nas câmaras municipais,assembleias legislativas,nos palácios dos governos más é difícil isso se fazer; com a mentalidade que tem a sociedade brasileira,quer da classe mais alta,supostamente a mais esclarecidas;como a mais baixa,que é a mais penalizada pela essa péssima qualidade de educação…isso se tiver acesso a ela!

  9. Nascimento says:

    Já que todos nós concordamos em alguma medida. Leiam parte da matéria extraída do “Carta Capital e veículada em rede nacional”

    Apesar da má vontade do Congresso, a presidenta Dilma Rousseff vai insistir na tentativa de canalizar para a educação todos os recursos que a exploração do petróleo da camada do pré-sal vai gerar para os cofres públicos na forma de royalties. O Palácio do Planalto mandará ao Congresso nesta quinta-feira 2 um projeto de lei com a mesma proposta que formulara em dezembro em uma medida provisória (MP). O envio será publicado em edição extra do Diário Oficial da União.

    Que cada um de nós em seus respectivos estados pressione e monitore seus senadores.

    • Francisco José says:

      O Brasil tem uma das maiores verbas para educação entre os paises ocidentais. Pode pesquisar, verá que é verdade. Não é falta de recurso, é falta de uma política séria.

  10. PÉ DE CÃO says:

    acho engraçado ver que se o vizinho de voces avaliar qual a situaçao da sua casa ,e falasse que voces estao pior que o pingaiado da esquina ,aposto que voces nao acreditariam nele ,
    Mas como foi a super inglaterra em parceria com um grupo ingles que VENDEM METODOS DE ENSINO PARA O RESTO DO MUNDO frisa ai resto do mundo ,ai sim voces acreditam
    Não acho que o ensino seja mil maravilhas no brasil ,mas tambem em um pais com varias faculdades varios colegios e com 200 milhoes de habitantes ,pode competir com qualquer pais do mundo ,
    Mas acredito que o nascimento esta correto a presidente quer passar o valor pago pela petrobras para os estudos ,porque voces seticos nao cobram seus deputados senadores governadores
    Na verdade eu percebi que muitos defendem que o seu estado de origem continue recebendo o valorpago pela petrobras sumindo na neblida da corrupção.

    • Francisco José says:

      Você deveria ficar preocupado que uma empresa que vende sistemas de educação, tenha chegado a conclusão que o Brasil é excelente mercado. Os “céticos” não cobram porque, talvez o sr. não saiba, o problema aqui não é falta de dinheiro. Somos o pais que tem a maior verba na América Latina para educação e perdemos no ranking para todos os vizinhos, o dinheiro do Pré-Sal só seria torrado, como tem sido a verba destinada a educação, de forma irresponsável e corrupta. O problema sr. Pé de Cão, são as políticas adotadas. É a complacência, é a péssima aplicação de ideologias, pois paises socialistas tem uma educação de qualidade, apesar da falta de liberdade. E corrupção por corrupção, qual a diferença de se levar toda a verba para a esfera federal? É simples não é? Quem irá definir, onde, quanto e quando será o governo do PT, com os mensalões sendo pagos, como acha que o governo PT não gostaria de botar a mão nessa dinheirama? E todos levamos em conta o que os vizinhos dizem do Brasil sim. Pesquisas feitas por universidades na Argentina, Chile, México, Uruguai e publicadas em nosso país já tiveram repercussão, e estas já indicaram a péssima qualidade de nosso ensino.

    • matheus says:

      Não acho, o método de ensino finlandês (dê uma olhada depois) é muito diferente dos praticado na maior parte dos países, então se as sua afirmação fosse verdadeira, ele não seria o primeiro colocado. Acho que dá para percebermos bem o nível e a qualidade da educação no Brasil olhando só para produtividade:
      1 Estadunidense é 5 vezes mais produtivo que 1 Brasileiro, isso se reflete na produtividade econômica.
      Provas de vestibular de universidades públicas Federais, se o ensino fundamental e médio Público fossem tão bons, não haveria necessidade de cotas. Cotas (política que defendo no curto prazo) devem ser seguidas por uma melhora do ensino, como não ocorre da noite para o dia, são necessárias. Mas com cuidado de se evitar uma piora do ensino superior público. Acho que o maior problema das universidades federais é falta de horários, você passa o dia lá, o que é bom, para quem não tem que ajudar nas despesas da casa, só isso já é um grande inibidor do pobre.

  11. _RR_ says:

    Pessoal,

    Só jogar dinheiro em cima não resolve… Trabalhar com educação é um processo delicado, que envolve dificuldades diversas. É um grande trabalho, que depende de uma capacidade organizacional como poucos tem… É um processo naturalmente lento, que leva gerações para apresentar resultados.

    • Francisco José says:

      Corretíssimo. A desculpa da educação para se colocar a mão no dinheiro do petróleo é só para deixar aqueles que se opõe de calças curtas.

    • matheus says:

      Concordo _RR_

  12. Nascimento says:

    Obrigado Pé de Cão!

    Acho que nós devemos anotar os nomes dos politicos em que votamos e procurar acompanhar a trajetória deles. Só depois que passei a fazer isso (anotações), é que passei a não reeleger políticos que votassem contra os interesses sociais.

    E agora com a internet, fica ainda mais fácil. Control +C e Control V, e arquivar.

    Boa pedida para por em prática na próxima eleição.

shared on wplocker.com