Defesa & Geopolítica

Acadêmico acusa FHC de plagiar intelectuais banidos pela ditadura

Posted by

FHC

“Exilado durante o período da ditadura militar brasileira (1964), o mineiro Ruy Mauro Marini (1932-1998), presidente da Política Operária (Polop) e autor de Dialética e Dependência, traz em sua obra verdades desconhecidas pela maioria da população brasileira sobre a carreira acadêmica do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

O tido como ‘pai da teoria da dependência’ não adotou a tese por acaso, afirma o professor  do Departamento de Economia e Relações Internacionais da Universidade Federal de Santa Catarina, Nildo Ouriques. Segundo ele, FHC além de ter plagiado os conceitos de Marini, não tem tanto prestígio no meio acadêmico.”

Da Redação Sul21

Exilado durante o período da ditadura militar brasileira (1964), o mineiro Ruy Mauro Marini (1932-1998), presidente da Política Operária (Polop) e autor de Dialética e Dependência, traz em sua obra verdades desconhecidas pela maioria da população brasileira sobre a carreira acadêmica do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

O autor da apresentação de uma das obras censuradas de Marini no Brasil, o professor do Departamento de Economia e Relações Internacionais da Universidade Federal de Santa Catarina Nildo Ouriques afirma que na tentativa de ‘marginalizar radicais’, Fernando Henrique Cardoso e José Serra serviram à hegemonia liberal e, entre outros feitos, adulteraram um famoso texto de Marini.

Na esteira, FHC pegou carona para “formular” a teoria da dependência que o tornou famoso e que, na verdade, nunca foi sua.“Alteraram um conceito fundamental na teoria de Marini: o da economia exportadora.

Marini previa a redução do mercado interno e a apologia da economia exportadora no Brasil. Fernando Henrique e Serra mudaram o conceito de “economia exportadora” e substituíram por “economia agroexportadora” no texto publicado pelo Cebrap (Centro Brasileiro de Análise e Planejamento). FHC e Serra queriam levantar a hipótese de que Marini não previa a possibilidade de o Brasil se industrializar”, disse em entrevista à Revista Carta Capital.

O tido como ‘pai da teoria da dependência’ não adotou a tese por acaso, afirma o professor Nildo Ouriques. Segundo ele, FHC além de ter plagiado os conceitos de Marini, não tem tanto prestígio no meio acadêmico.

“Ele não tem uma obra. Fernando Henrique é no máximo um polemista no interior de um debate acadêmico (dependência) no qual ele não era a figura principal. Mas cumpriu o papel decisivo no sentido de bloquear, coisa que fez com certa eficácia, as correntes mais vitais desse debate.

Teve êxito especialmente com a obra de Marini, mas também com livros muito importantes de Theotonio dos Santos, Imperialismo e Dependência, ou Socialismo ou Fascismo, o Novo Dilema Latino-Americano, este publicado até em chinês, mas jamais no Brasil”, aponta.

Com informações da Carta Capital

Fonte: Sul21 

Leia também:

1) Carta Capital: “FHC plagiou intelectuais banidos pela ditaduira” 

2) Livro de FHC é plágio de “La Somme et le Reste” de Henri Lefebvre 

3) Blog do Ancelmo: Imortalidade – FH é candidato à Academia Brasileira de Letras 

4) Blog do Ancelmo: ABL – Amaury Jr. X FH

14 Comments

shared on wplocker.com