'Vamos ganhar de novo licitação nos EUA'

O presidente da Embraer Defesa e Segurança, Luiz Carlos Aguiar disse que a empresa não trabalha com a hipótese de que a Força Aérea dos Estados Unidos (USAF) irá mudar os requisitos do programa LAS (Light Air Support), no novo processo de seleção que pretende abrir para a compra de aeronaves na categoria do Super Tucano.

“A posição da Embraer é clara. Vamos completar o que está faltando e ganhar de novo, porque não existe nenhum outro concorrente no mundo com a especificação que foi pedida”, afirmou.Segundo Aguiar, se houve falhas no processo, a Embraer não teve nada a ver com isso. “O problema foi interno e a própria Força Aérea americana admitiu isso e fez questão de inocentar a Embraer”.

Para ele, no requisito feito pela USAF para o programa LAS, está bem claro que o projeto não pode ter custos não recorrentes de desenvolvimento. “Isso significa que eles não querem um avião protótipo e sim um produto já testado e em operação, como é o caso do Super Tucano”, explicou.

O concorrente da Embraer no programa LAS, conhecido como AT6B, é uma nova versão do anterior AT6, e ainda está em fase de desenvolvimento. O Super Tucano está em operação há mais de sete anos e é empregado por Forças Aéreas de cinco países.

Além disso, já foi testado com sucesso e em combate real, não só no Brasil, como também na Colômbia. No total, segundo a Embraer, o Super Tucano acumula 130 mil horas de voo e 18 mil horas de combate sem nenhuma perda.

Segundo a Embraer, somente na América Latina, o mercado potencial para o Super Tucano é estimado em 81 aeronaves até 2025, um negócio que pode superar a cifra de US$ 1 bilhão. A empresa acumula 182 encomendas, das quais 158 já foram entregues.

As vendas do modelo somam até agora US$ 1,6 bilhão. A Embraer projeta um mercado potencial de US$ 3,5 bilhões para a classe do Super Tucano (300 aeronaves). O avião já foi vendido para Colômbia, Equador, Chile, República Dominicana, Guatemala, Indonésia e dois clientes na África. O foco da Embraer com essa aeronave são as regiões do sudeste da Ásia, África e América Latina.

Para a Colômbia, onde a Embraer entregou um total de 25 Super Tucano, a Embraer está fazendo o primeiro contrato de exportação de serviços de modernização de aeronaves militares. “Estamos modernizando a frota de 14 aeronaves T-27 da Colômbia, uma versão anterior ao Super Tucano”, revelou Aguiar.

Fonte: Valor Econômico via Notimp

9 Comentários

  1. senhores essa concorencia não tem nada a ver com o FX, nem os numeros, valores, nem os equipamentos condizem com tal comparação, e como comparar a compra de uma moto com a de um apartamento, por favor !!!

  2. Dudu disse: 27/03/2012 às 00:29 Se a Embraer ganhar e a Boing perder os americanos vão ficar muito p. da vida.

    creio que ha que fazer uma retificacão. ha militares altas patentes da usaf e especialistas yanques que querem a aeronave da embraer..pois como o texto diz é o unico que se enquadra pelo especificado pela usaf. o AT6B que ainda esta em desenvolvimento nao passa de uma má copia do super tucano. e acima de tudo o super tucano tem provas dadas. o problema e “os lobis” instalado na usaf e politicos ligados a boing e lockheed martin que tentam deixar cair a concorrencia.

  3. Eu posso estar enganado….
    Mas, o meu medo é eles pegarem algumas poucas unidades do ST e DESTRINCHAREM ele.. Analisando seus pontos fortes e seus pontos fracos e repassar um relatorio completo pra concorrente americana…
    Isso eles tem capacidade.. sem falar o fato de que a sierra nevada pode dar um “kick off” no “ass” da embraer

  4. Se ganhar de novo, não vai levar de novo. Nesses novos tempos bicudos os Yankes farão de tudo para atender ao mercado interno, inclusive sentar em cima da venda de um vencedor externo. Principalmente se for brasileiro, que alguns neuroticos de lá já imaginam ser um potencial inimigo. Se fosse ingles ou canadense o vencedor ainda poderia ser diferente.

  5. Até podemos ganhar, levar é outra coisa,,,Mt bom, Afinal, são protecionistas,o q estão mt certos. Errado somo nós q deixamos td venderem livremente dentro do BRASIL e fazendo dumping. sds.

  6. Eu ainda acho que a concorrente da EMBRAER vai ganhar mesmo com protótipos, que o contrato foi cancelado só para fazer o concorrente vencer e ficar por isso mesmo, infelizmente vai ser assim !

  7. O Brasil ganhou e não levou, isso não foi a primeira vez que acontece, deveria não participar da nova concorrência, assim na próxima vez, isso talvez não ocorra.

Comentários não permitidos.