KFx Atualização e conceitos

KFX flagrado no Seul Air Show 2011 (todas as fotos: Stephen Trimble)

Texto: E.M.Pinto, Plano Brasil

As imagens e informações postadas aqui nesta matéria são de autoria de Stephen Trimble e referem-se as  apresentações no Air Show de Seul (ASS), envento no qual as autoridades sul-coreanas delinearam a estratégia e os planos para o programa KF-X, um caça stealth bimotor.

Segundo a fonte, o KFX não seria tão somente um caça destinado a substituir os ATuais Lockeed/KAI KF 16 nem o s F-5E da sua força aérea, mas sim, este novo caça está sendo projetado para alcançar as metas de desempenho de um caça posicionado entre um Lockheed Martin F-16 e um Boeing F-15.

A Coreia do Sul quer desenvolver o KF-X ao longo dos próximos nove anos, e espera que o início da produção em massa se dê a partir de 2020. A Coréia do Sul busca no mercado internacional potenciais clientes para o seu caça tendo já confirmado o interesse da Indonésia que já aderiu ao programa, porém segundo constatado no evento, embora por vezes negado, as conversações com a Turquia ainda continuam, sendo este um potencial cliente estrangeiro para o KFX.


Se o desenvolvimento de um caça stealth totalmente novo já não fosse suficientemente desafiador, a Coreia do Sul abraçou aind aoutros grandes desafios, as autoridades Sul Coreanas pretendem equipar o seu novo caça com um conjunto de  novas armas, desenvolvidas e produzidas localmente, isto inclui mísseis (em desenvolvimento) que pretendem bater as metas e desempenhos dos atuais Raytheon AIM-9X e AIM-120 AMRAAM-C7, bombas guiadas e  míssil anti-navio (já desenvolvido).

As autoridades sul-coreanas estimaram um orçamento de desenvolvimento de cerca de US $ 5 bilhões, o que parece bastante otimista (bastante).


O KF-X já havia sido retratado em algumas imagens, com a configuração delta com canards, este modelo inclusive e dito como sendo uma proposta da SAAB  paar o programa. Porém o que se viu na ASS foi outor modelo, o KF-X apresentado na feira, aparecia com uma configuração mais convencional, semelhante a uma variante de dois motores do Lockheed F-35. Informações colhidas na feira dão conta de que este modelo  seria de fato um Set up proposto pelo grupo europeu Eurofighter(dúvidas).


Aparentemente o formato delta canard foi abandonado e caça sul coreano será um modelo mais “ortodoxo”.


Escondido em um canto do estande da Samsung/Thales encontravam-se os  “Aircraft Display of Next Generation”, com cockpit de demonstração, e uma pista para uma das peças-chave do do caça stealth K-FX da Sul Coréia.

Um dos expositores que pouco quis informar sobre aquele cockpit, supôs que aquele moderno sistema fora desenvolvido para os KF-16 novos, (dúvidas no ar). Mas a imagem apresentava um caça com canards e uma cauda inclinada, que denunciava a veracidade desta informação. Certamente este era o conceito conceito de cabine desenvolvida localmente para o caça da Coréia do Sul que espera-se, estará em operação por volta de 2020.


Informações: DEWline-FlightGlobal

8 Comentários

  1. Brasil não precisa de parceiro nenhum, e essa história de que não temos conhecimento e tecnologia para desenvolver nossos próprios caças só acredita que foi na DISNEY…somos altamente capazes de desenvolver as melhores tecnologias existentes…BASTA parar o entreguismo generalizado…precisamos de pessoal formado em PHD ocupando as pastas do governo e não essa gentalha que só pensa no BOLSO…

  2. A Embraer tinha um projeto já feito e esperava aval do governo para testes e o desenvolvimento isso já entre a década de 80 e 90, mas como o governo não acha interessante desenvolver nada, deu pra trás e o projeto foi engavetado, outro foi o teste de um caça feito entre argentina e Brasil no inicio da década de 90 até foi noticiado e a globo fez uma reportagem, pois na época o caça usava conceitos de ultima geração inclusive tinha design diferente do normal, mas não sei o que aconteceu que não foi a frente tambem !

  3. KF-X coreano…F-X turco de 5ª geração…. AMCA Indiano…. FS2020 sueco…. várias possibilidades, várias oportunidades que estão passando na frente do Brasil, dando a chance de não sermos mais compradores de prateleira.

    Vamos aproveitar ou vamos lamentar daqui 40 anos, quando os caças do FX-2 estiverem dando baixa na FAB?

    []’s

  4. a Coreia do Sul e um gigante, basta ver as empresas que eles tem, sao os maiores produtores mundiais de navios, muito dificil nao obterem sucesso nessa mais nova empreitada, as suas atuais geracoes estao entre os alunos mais bem preparados no mundo(enquanto seus pais e avos eram plantadores de arroz). Se o Brasil for querer fazer parceria, nao temos nada a oferecer, somos um pais agricola em excencia, uma velha fazenda que exporta graos e minerais…

  5. Eis aí uma oportunidade de ouro para o Brasil.

    Vivo dizendo, mas não custa repetir.

    Quem quer ter tecnologia avançada, ou faz tudo sozinho ou se junta com alguém pra fazer algo novo, do ZERO.

    Entrar em um projeto como esse permitiria as empresas brasileiras do ramo terem acesso a tecnologias essenciais para defesa, podendo no futuro fazer outras parcerias de acordo com os interesses nacionais, gerando divisas e verdadeira mão de obra especializada.

  6. Antes de ficarem especulando, por que vocês não fazem a coisa certa antes de comentar?? Leiam a página 31 da Estratégia Nacional de Defesa.
    Quem quiser se aprofundar mais nos planos da Força aérea,tem o PEMAER – Plano Estratégico Militar da Aeronáutica 2010-2031.

    Abraço.

Comentários não permitidos.