Defesa & Geopolítica

Deu no CAVOK: Novo bombardeiro da USAF está “em andamento” mas sob quase total segredo

Posted by

Uma proposta de 2008 da Northrop Grumman do futuro Bombardeiro de Ataque de Longa Distância para USAF.

O programa do novo bombardeiro de longo alcance dos EUA está “em andamento”, e vai envolver em determinado momento entre 80 e 100 aviões, e será entregue em algum momento em meados da década de 2020.

“E isso é tudo que estamos dizendo”, informou o secretário da Força Aérea Mike Donley, a repórteres. É sabido há algum tempo que os bombardeiros serão tripulados, mas irá ser parte de uma família de sistemas que pode incluir UAVs e outros sistemas aéreos.

A parte realmente interessante de tudo isso é o segredo, e por isso que ainda não está tão claro. Isso parece indicar várias coisas: que os EUA não querem que os potenciais concorrentes como a China ou a Rússia saibam como um sistema avançado será entregue ou exatamente quais capacidades ele vai possuir, e que a Força Aérea ainda está colocando a maior arquitetura conjunta, decidindo quais recursos estarão disponíveis.

O bombardeiro tripulado certamente incluirá um recurso de ser não-tripulado, mas ninguém tomou uma decisão formal ainda, disse uma fonte da Força Aérea. Muitos dos subsistemas importantes não foram ainda escolhidos, conforme esta fonte. Mesmo presumindo que os US$ 4 bilhões para o bombardeiro na apresentação do orçamento 2013 se espalhe ao longo de cinco anos, é complementada por mais alguns bilhões no orçamento negor que não é muito dinheiro para construir 80 a 100 aviões, que devem custar pelo menos 550 milhões dólares cada. Mesmo que isso seja o custo flyaway – que exclui os custos de pesquisa e desenvolvimento – a construção de um bombardeiro capaz de penetrar no espaço aéreo inimigo e voar milhares de quilômetros nessa missão sem necessidade de reabastecimento, nunca foi barato.

E depois há os detalhes secretos sobre o que estamos falando quando se trata do Bombardeiro de Ataque de Longa Distância, como o chefe da Força Aérea de Ataque Global, o tenente-general James Kowalski, o chama. Por um lado, Kowalksi disse a jornalistas que existe uma família que compreende: o míssil de longo alcance (ogiva nuclear para atingir alvos no interior de um país); uma força de Ataque Global Imediato Convencional, projetado para atingir qualquer alvo no mundo dentro de uma hora, e o sucessor no solo para o Minuteman ICBM, que ele chamou de dissuasão estratégica no solo.

Mas o novo bombardeiro também inclui uma família de sistemas, pensado para incluir uma série de sensores altamente capacitados, um míssil de longo alcance, algum tipo de abordagem furtiva e as suites usuais de comunicação. Supõe-se também que possa incluir um conjunto altamente capaz de inteligência, vigilância e reconhecimento – algo como um sucessor para aqueles a bordo do F-35. Houve uma ideia forte dos UAVs que voam com o bombardeiro ou complementá-lo, mas os detalhes quase não são conhecidos.

E sabe-se que a Pratt & Whitney está fazendo o trabalho de desenvolvimento – por enquanto – dos motores do avião.

Então, nós temos um sistema que está “em andamento”, é segredo e sobre o qual sabe-se muito pouco, embora vai ser incrível e ser relativamente barato, de alguma forma.

Fonte: Colin Clark, AOL Defense via, Cavok – Tradução: Cavok

25 Comments

shared on wplocker.com