Defesa & Geopolítica

Embraer consulta cliente para definir seu novo jato comercial

Posted by

POR ARTHUR COSTA

A Embraer, de São José, iniciou conversas com cerca de 65 empresas do setor aéreo para definir o futuro do seu segmento comercial.
O ‘business case’, como é chamado o procedimento, também inclui as fabricantes de motores GE, Pratt & Whitney e Rolls Royce.
“Estamos falando com as empresas para saber qual é exatamente o avião performance que eles querem. Vamos definir a questão dos motores e enviar o projeto para aprovação do Conselho (de Administração)”, disse o presidente de aviação comercial da Embraer, Paulo Cesar de Souza e Silva .
A estimativa do executivo é que o conselho da empresa decida até o final do ano o futuro da família de E-Jets, segmento comercial da empresa, que deve representar em 2012 receita de US$ 3,7 bilhões a US$ 3,85 bilhões.
Em pauta, estão ainda dois projetos paralelos: a remotorização das aeronaves e o alongamento do E-195, avião de maior porte da família de E-Jets que, com a mudança, passaria a abrigar até 130 passageiros.
De acordo com Silva, uma proposta independe da outra. “O que anunciamos foi que abandonamos por ora a ideia de olhar uma aeronave de 130 e 150 passageiros. Nosso foco está na aprovação desse pacote de investimentos”, disse o executivo.

Projetos

A remotorização dos E-Jets, denominada de ‘Evolution’, foi anunciada em dezembro, durante almoço dos executivos da empresa com a imprensa.
O projeto prevê ainda mudanças nas asas, que podem crescer a eficiência das aeronaves em até 15%.
Já o alongamento do E-195 fará com que a capacidade do avião passe de 120 para 130 passageiros.

Lançamento

Caso as mudanças sejam aprovadas pelo conselho, a expectativa é que o primeiro voo teste do EV aconteça em 2016. As novas aeronaves devem entrar em operação no mercado em 2018.
Apesar de as mudanças serem implantadas em aviões já existentes, as alterações farão que os novos modelos necessitem de certificados de voo da Anac (Agência Nacional e Aviação Civil) e demais agências internacionais reguladoras.
Segundo o presidente de aviação comercial da Embraer, a atualização dos E-Jets é uma das medidas para combater a chegada de novos concorrentes, como empresas russas e chinesas, que focam o crescimento da aviação regional em países emergentes.
“Existem novos entrantes (no mercado), mas vamos tomar medidas para continuar competitivos. Essas melhorias devem trazer uma redução no custo operacional entre 4% e 7%”, disse Silva.

Mercado

Balanço divulgado no início do mês mostra que a Embraer espera entregar em 2012 de 105 a 110 jatos comerciais, de 75 a 85 jatos executivos leves e de 15 a 20 jatos executivos grandes.
A previsão da empresa é que, em 20 anos, 7.000 aeronaves sejam adquiridas no segmento de até 120 lugares.
A Embraer, atual líder desse mercado, pretende manter sua participação de 43% nesse nicho, o que representaria a venda de cerca de 3.000 aeronaves no período.

Previsão

Em 2012, o investimento total da Embraer deve totalizar US$ 650 milhões, ante os US$ 500 milhões de 2011, aumento de 30%.
Deste total, despesas com pesquisa pré-competitiva devem atingir US$ 100 milhões, despesas com desenvolvimento de produtos, US$ 350 milhões, e o total de Capex (para finalizar a co nstrução das plantas de Évora, em Portugal), mais US$200 milhões.

Fonte: O Vale

7 Comments

shared on wplocker.com