Defesa & Geopolítica

Incorporação da Fragata “União” à Força-Tarefa Marítima

Posted by

A chegada da Fragata “União” (F-45) ao Líbano e sua cerimônia de incorporação à Força-Tarefa Marítima (FTM) da Força Interina das Nações Unidas no Líbano (UNIFIL), no dia 14 de novembro de 2011, foram o tema da capa da edição de dezembro da revista Litani, que é publicada pela UNIFIL.

O Rio Litani, que representa o limite norte da Área de Operações da UNIFIL, localizada ao sul do Líbano junto à fronteira com Israel, dá nome à revista editada para o público interno da Missão. Ela é uma publicação mensal de fotos e pequenos artigos que tem como propósito divulgar as atividades e eventos realizados pelos contingentes dos 35 países integrantes de tropas que compõem a Missão.

A capa da edição de dezembro retrata o navio e a tripulação formada, durante a realização da cerimônia de incorporação, que foi realizada no Porto de Beirute e presidida pelo Comandante da FTM, Contra-Almirante Luiz Henrique Caroli. O evento contou com a presença do Embaixador do Brasil em Beirute, Paulo Roberto Campos Tarrisse da Fontoura, acompanhado de diplomatas e funcionários da Embaixada do Brasil.

Além da capa, a edição de dezembro da Litani registrou outras atividades da FTM, como a visita do Comandante da FTM à Corveta “Sultan Iskandar Muda” (Indonésia), o exercício de busca e salvamento (SAR) “SEAGUL”, que envolveu toda a UNIFIL, o adestramento de chegada da Corveta “Bafra” (Turquia), dentre outros.

A incorporação da F-45 contribuiu de forma significativa para o cumprimento das duas principais tarefas da FTM, que são: evitar a entrada pelo mar de armamento não autorizado pelo Governo Libanês, por meio de Operações de Interdição Marítima; e auxiliar a Marinha Libanesa no treinamento de seu pessoal para que ela seja capaz de controlar suas águas territoriais no futuro.

A Fragata “União”, que é o Capitânia da Força, ampliou a capacidade operacional da FTM por ser um navio de maior porte e, consequentemente, com maiores recursos em termos de permanência, sensores e sistemas de armas. Além disso, o navio está equipado com uma aeronave AH-11A – Super Linx –, um Grupo de Mergulhadores de Combate (GruMeC) e um Destacamento de Fuzileiros Navais.

A Fragata “União” tem se destacado no cumprimento de suas tarefas, sendo, em muitas oportunidades, o único navio a permanecer em operação, devido às condições adversas de tempo e de mar, que normalmente ocorrem durante o inverno no Mediterrâneo Oriental, e que obrigam os navios menores a buscar abrigo. Cabe, ainda, destacar que, graças aos seus sensores, o número de detecções de violações ao espaço aéreo libanês aumentou expressivamente.

Fonte: Nomar Online

10 Comments

shared on wplocker.com