Deu no Cavok: Beechcraft AT-6 excluído da competição da USAF

http://www.lockheedmartin.com/data/assets/ms2/images/AT-6-640.jpg

A Hawker Beechcraft Corp emitiu o seguinte comunicado na sexta-feira, dia 18 de novembro, depois de receber a notificação oficial da Força Aérea dos Estados Unidos, que seu Beechcraft AT-6 foi excluído de continuar no processo de licitação do programa Apoio Aéreo Leve (LAS) da USAF.

“Fomos notificados pela Força Aérea dos Estados Unidos através de uma carta que a aeronave Beechcraft AT-6 foi excluída da competição Apoio Aéreo Leve. A carta não fornece nenhuma base para a exclusão.

“Nós estamos confusos e preocupados com esta decisão, já que temos estado trabalhando em estreita colaboração com a Força Aérea por dois anos e com nossos parceiros (Lockheed Martin, CMC Esterline, Pratt & Whitney Canada, L-3 WESCAM e CAE), e investimos mais de 100 milhões dólares nos preparando para cumprir os requisitos específicos da Força Aérea. Além disso, o AT-6 foi avaliado e comprovou sua capacidade através de um programa de demonstração plurianual, financiado pelo Congresso, e conduzido pela Guarda Aérea Nacional.

“Nós temos seguido a orientação da Força Aérea de perto e, com base no que vimos, continuamos a acreditar que estamos oferecendo a aeronave de ataque leve mais capaz, acessível e sustentável, medido segundo a solicitação da Força Aérea para a proposta. Solicitamos um esclarecimento da Força Aérea e isso será explorado em todas as opções possíveis nos próximos dias.”

A Embraer é a concorrente do AT-6 com a aeronave Super Tucano. O Programa LAS é uma competição onde a aeronave vencedora deve levar um contrato avaliado em US$ 950 milhões do Departamento de Defesa dos EUA, fornecendo um lote inicial de 35 aeronaves, podendo chegar a 55 unidades.

http://rodrigo.cadoni.vilabol.uol.com.br/1670.jpgSuper Tucano

Super Tucano da Embraer foi construído especificamente para este tipo de missão, enquanto o AT-6 é uma adaptação que não ficou perfeita. A Embraer tem lutado para vender as aeronaves e por isso está oferecendo o Super Tucano de forma muito agressiva.

Pelo comunicado da Hawker, que corria como favorita na competição por ser uma empresa já estabelecida no país e ter um lobby mais forte junto ao Congresso, ainda espera reverter essa decisão, após solicitar a revisão e a explicação do motivo que causou a exclusão.

A empresa ainda disse que ganhar o contrato teria mantido sua linha de produção do T-6 aberta até depois de 2015. Cerca de 1.400 funcionários em 20 estados – incluindo 800 na Hawker Beechcraft em Wichita – trabalhariam nos programas AT-6 e T-6 para Beechcraft e seus fornecedores dos EUA e parceiros.

Fonte: Cavok

37 Comentários

  1. SEI NÃO HENNNNNNNNN
    Agora a pergunta;será que essa venda já não estaria casada com o SH, a outra é, continua a mesma quantidade estimada de 200Un, ou com essa decisão a quantidade deverá cair e pra qual quantidade. ta muito estranho essa noticia, ou os gringos estão abrindo a guarda e é claro pro que é melhor esperemos e veremos o resultado

  2. NAO ESQUECAO QUE O Super Tucano E 70& MADE USA
    .
    BRASILEIRO QUEM SABE SEJA 30%
    .
    PENSE BEM SE ISSO E VITORIA NACIONAL
    .
    SO ESPERO QUE ISSO NAO SEJA UMA TROCA PELO SUPER
    .
    DINO F 18 PRO FX-2
    .
    AI SERIA CUMULO DO ATRASO NACIONAL
    .
    NAO IRIAMOS PRA FRENTE OU PATRAS
    .
    CONTINUARIMOS NO MESMO DOOR STEPS DA DEPENDENCIA
    .
    TECNOLOGICA YANKE QUE NOS LET ON HOLD POR SECULOS
    .
    RESULTADO DISSO E LIMPO E CLARO 70% MADE YANKE .
    .
    SDS

  3. O Super Tucano vai vencer porque foi PROJETADO para sua missão.
    Com a abertura do processo na SEC americana a USAF foi obrigada a encerrar o processo LAS rapidamente para não perder a sua capacidade de escolha por medida externa. Sinal que já nas avaliações iniciais o ST já se mostrava muito superior…

    Quanto ao FX-2 o Super Tijolo aqui é o Texan adaptado desta competição.

    Baseado no protótipo perdedor para o F-16 Falcon graças a teimosia da US Navy virou o caça low naval F/A-18 Hornet (o High era o F-14 Tomcat). Com a sábia desistência da marinha americana de participar do projeto Raptor (imagine um avião naval que teme a água!!!) foi anabolizado as pressas e virou o todo poderoso e gostosão Tijolão Voador… Um projeto remendado do início ao fim…

    Prefiro o bem projetado Rafale a qualquer custo…

  4. Se o Super Tucano vencer, será exelente para a Embraer. Isso abriria muitos outros mercados para os ST no mundo. Veriamnos os ST daEmbraer, participando de ãções reais de combate por decadas, nas mãos dos americanos.
    Qualquer que seja o vencedor do FX2 (SH F-18, Rafale ou Gripen NG). Veriamos + ou – a mesma proporção, 70% dos componentes seriam importados e 30% fabricados no Brasil.

  5. Eu mesmo achava impossível isso ocorrer, apesar de considerar o ST bem melhor em todos os aspectos que se queira avaliar, mas vejamos o que ocorre mais adiante. Americano não leva desaforo assim de graça e quem sabe isso seja o empurrão que faltava aqui no FX-2 (apesar de que eu estou como São Tomé neste caso, ainda que ache irrelevante hoje ter ou não um caça G-3 ou G-4).

  6. Só vendo para acreditar. Venda feita é aquela em que se tem o dinheiro na mão. Até lá é apenas expectativa de venda.

  7. Quem sobrou para continuar: Super Tucano, M-346 Aermachi, Pilatus e…
    Não se pode ainda dar como favas contadas.
    Mas a estrada está boa…

  8. Muita hora nessa calma 🙂

    Não vamos fazer como os franceses e contar com os ovos dentro da galinha….

    Quando estiver assinado ae sim vamos comemorar. Seria uma belíssima vitória, que poderá trazer dividendos na forma de novas encomendas de aliados dus americanus.

    []’s

  9. Para mim este terá o mesmo fim de um JPATS, truco no segundo dam, mão de ferro.
    Cheira a cancelamento justificado pelo corte de orçamento, a pirotecnia ai é só pra deixar os meninos animadinhos.
    Espero a definição, ou melhor as entregas das aeronaves, pois a EMBRAER venceu o AGS e depois o vento mudou de direção.
    Sds
    E.M.Pinto

  10. Gilberto Rezende, boa analise. E para completar os EUA nao transferem technologia nem pra mae. Eu moro aqui a 35 anos mas o Presidente nao tem nada a falar, e o Congresso, que tem p poder de aprovar a venda, promete mas nao faz.
    Que situacao apertada se encontra o Brasil. Concordo que deveriamos apertar a Franca no preco mas se a Embraer leva o LAS nao vai ter jeito.

  11. BOA NOTICIA QUE PODE REALMENTE VIRAR REALIDADE, MAS … NAO VEJO NENHUMA VINCULACAO COM O SH. BOEING E NORTHROP CREIO QUE O ST E O SH NAO TEM NENHUMA VINCULACAO. ADEMAIS OS VALORES DE CADA AERONAVE SAO BASTANTE ASSIMETRICOS OU SEJA UM ST VALE UNS US$12 MILHOES E UM SH VALERIA 6-7 VEZES MAIS ! OS USA TERIAM DE COMPRAR MAIS DE 200 ST PARA CORRESPONDER A UM VALR SIMILAR. A NAO SER QUE … COMPREM TAMBEM OU QUE A BOEING SE ASSOCIE COMO PARCEIRA AO PROGRAMA DO KC-390.

  12. “Pelo comunicado da Hawker, que corria como favorita na competição por ser uma empresa já estabelecida no país e ter um lobby mais forte junto ao Congresso, ainda espera reverter essa decisão, após solicitar a revisão e a explicação do motivo que causou a exclusão.”
    Ou seja ela vai dar propina para os Senadores Americanos é ai pronto Adeus ST.

  13. Honestamente,

    Não sei por qual motivo tanta crítica ao Super Hornet. Mais barato que o rafale, mesmo motor, radar, dependendo do caso, superior, avionicos, etc. No mais, a dassault produz peças para 130 aviões. A Boing para mais de 1000. Aí pergunto: qual manutenção vai ser mais barata. Além do preço do SH que é muito menor. Que venha então a venda casada!!!!!!!

  14. Sei que o que vou falar agora está meio que off-tópic , mas como estamos falando de MONTAER ( EMBRAER).
    Srá que no meio dessa empresas nacionais ( a maioria delas ) , não tinha nenhuma que tem competências e qualificações para desenvolverem ou fabricarem componentes ” ESTRATÉGICOS ” para os projetos ALX ,KC-390 etc…
    ????
    Com a resposta os sr,s do MD/FAB/EMB

    link 🙁 http://www.aiab.org.br/portugues/index.php?option=com_content&task=view&id=20&Itemid=29 )

  15. Os empregos que serao extintos com a desclassificaçao da Hanker B, serao criados na fabricacion do vencedor,entao esta choradeira nao vai colar.Ou da ST ou vao cancelar esta disputa ! O Governo federal deveria encochar os americanos e fazer um LOBY de governo para governo,a USAF e´vitrine,fara´uma propaganda positiva para os ST,se o ST levar esta,chovera´pedidos de outras naçoes !

  16. Nao sei nao mas, tem pessoas que so acreditam que o tucano vence esta disputa ,caso o brasil se comprometa a comprar o melhor e experiente SH,ja pararam pra pensar na qualidade muitissima superior do ST em relaçao aos outros,incluindo ter muitos equipamentos mad usa e,tambem na possibilidade de ser o Brasil que esta fazendo pressao a favor do ST ? O sentimento antiamericano destes bem informados chega ser patetico,sao os primeiros a nao botar fe´no brasil,nao se distraia ,o mundo tera´um novo PLAYER !(QUE O UNIVERSO CONSPIRE A FAVOR)

  17. Tempo nao esta do nosso lado ou do AT-6.
    Uma rapida pesquisa revela que a USAF esfriou a vontade de ter um aviao destes, nas quantidades originais. De olho na politica do Afghnistao indica que os EUA estao planejando uma retirada grande do pais em 2014, de uma maneira ou outra. Significa que a Forca Aerea Afghani seriam os verdadeiros destinos deste aviao. Eles querem F-16 mas nem tem Forca Aerea, muito menos estrutura para suporta-los. Os EUA estao mostrando a eles que a realidade e um turbo prop por enquanto. De uma quantidade enorme na encomenda original agora estamos falando de 20 nada mais.

    http://defensetech.org/2011/11/11/did-libya-show-the-need-for-light-attack-planes/

    E o Congresso Americano recusa em aprovar o envio deste tipo de caca ao campo de batalha no Afghanistao para testes. Miseros $17 milhoes de dolares de custo e recusaram.

    http://www.airforcetimes.com/news/2011/10/defense-lawmakers-nix-light-attack-aircraft-proposal-101411/

  18. Como sabemos o produto da Embraer é tecnicamente muito superior o concorrente, as dúvidas eram com relação aos lobbys dos bastidores da competição. Vamos aguardar os próximos dias pode ser que a licitação tenha sido cancelada, ou uma jogada da Boeing para tenta saber o resultado do FX2, venda casada não, Está muito estranho.

  19. É a última cartada antes da decisão do FX forever ,quem engolir o doce engoliu.Se saírem do Afeganistão e do Iraque não há porque comprarem nosso ST.
    E se comprarmos o SH estaremos dando fim na nossa independência no setor aeroespacial,que é a principal proposta do FX “furebis”.
    Acho o nosso ST perfeito para nossa realidade operacional, ele pode ser um bom destruidor de tanques e oferecer um ótimo suporte as forças terrestres.
    Mas uma andorinha não faz verão,é necessário um caça de Superioridade aérea nato,projetado para esta função e não um caça naval que não cumpre o requisito de air dominance.

  20. Quanto tempo vai levar para os EUA anunciar que não vão mais precisar de um avião tipo ST, vão só esperar que o Brasil assine querendo comprar o “Super Tijolo” (F-18). Bom essa história eu já conheço, só estão nos oferecendo porque é um avião já defasado.

  21. Caramba nem os malditos lobis segura mais ninguem! vejo assim o que aconteceu com a Hawker Beechcraft Corp.
    E é um bom passo para o Super Tucano nessa.
    Se o Tucano levar essa podem contar que é por causa do Super Hornet…Veja que os dois tem super no nome rsrsrsr
    E vamos ver investimentos em caças de baixos custos por aí, pois esses modelos novos ficarao muito caros para serem operados nos novos palcos de guerras.

  22. Vamos considerar alguns fatos:
    – O AT-6 não é apenas inferior ao ST, como à maioria dos similares de outros países;
    – Sim, o ST é tecnicamente o melhor em sua categoria;
    – Ele é repleto de tecnologia americana embarcada (eletrônica, mecânica, e software);
    – A Embraer possui fábrica lá nos EUA, com engenheiros (alguns ex-NASA) e mecânicos americanos;
    – A tal ‘investigação’ é charminho pra não dar muito na vista do congresso de que o DoD facilitou pra nós;
    – Existem outros modelos ou protótipos que poderiam entrar na concorrência, italianos, russos (porque não?), etc., mas não foram convidados;
    – Não se compra equipamento desse nível, e na quantidade sugerida, para guerras em curso. Isso vem de um planejamento para longo prazo.
    Sinceramente, para mim essa concorrência já estava ganha antes mesmo da apresentação das propostas!
    Parece até licitação no Brasil!

Comentários não permitidos.