Defesa & Geopolítica

JIMMY CARTER CONFIRMA: ESTADOS UNIDOS NÃO QUERIAM QUE REGIME MILITAR BRASILEIRO FABRICASSE ARMA ATÔMICA

Posted by

Sugestão: Mineirinho

SABADO, 19/11/11por Geneton Moraes Neto Entrevistas

Carter: pressão para que o Brasil não tivesse arma atômica

A Globonews leva ao ar neste sábado, às 19:05, com reprise no domingo,às 17:05, uma entrevista exclusiva com dois ganhadores do Prêmio Nobel da Paz : o ex-presidente americano Jimmy Carter e o arcebispo Desmond Tutu, herói da luta contra a discriminação racial. A entrevista dos dois ao DOSSIÊ GLOBONEWS foi a única que eles gravaram para a televisão durante a passagem pelo Rio de Janeiro – onde participaram da reunião do The Elders. Fundada por Nelson Mandela, o grupo The Elders reúne ex-governantes e ex-líderes políticos que tentam solucionar conflitos internacionais e influenciar na luta contra a desigualdade e a opressão.

Durante a gravação, o ex-presidente americano confirmou que interferiu pessoalmente, junto ao chefe de governo da Alemanha Federal, para evitar que o Brasil fabricasse uma arma atômica. O governo Carter via com preocupação uma “corrida armamentista” entre o Brasil e a Argentina. Hoje, Carter defende o fim de todas as armas atômicas.

Um trecho da entrevista:

Para efeito the registro histórico : O senhor pressionou a Alemanha a não vender tecnologia nuclear para o Brasil, nos anos setenta. A pergunta é: o que é que o senhor disse ao chefe do governo alemão, Helmut Schmidt, sobre o presidente brasileiro, o general Ernesto Geisel ?

Carter: “Quando fui eleito presidente, havia uma corrida nuclear entre a Argentina e o Brasil para desenvolver a capacidade de produzir armas nucleares. Mas o Tratado de Tlatelolco bane as armas nucleares em toda a América Latina. O Brasil e a Argentina estavam violando esse tratado. Vim ao Brasil. Falei com o presidente Geisel. Depois, minha mulher veio e conversou com o presidente. A Alemanha estava fornecendo a tecnologia ao Brasil. A Suíça a estava fornecendo à Argentina. Fui à Suíça e à Alemanha. Falei com Helmut Schmidt, que era chanceler, na época. Pedi que ele parasse de fornecer a tecnologia ao Brasil, para evitar que o Brasil conseguisse produzir armas nucleares. E, finalmente, por causa disso e de outras coisas, o Brasil tomou a decisão correta de não desenvolver a capacidade de fabricar armas nucleares”.

Alguém não muito simpático aos Estados Unidos poderia argumentar: por que os Estados Unidos podem ter toda a capacidade nuclear do mundo mas outros países não podem ?

Carter : “Como você sabe, ao final da Segunda Guerra Mundial cinco nações se tornaram potências nucleares: Estados Unidos, União Soviética, França, Reino Unido e China. Minha esperança, meu discurso público, minha crença e meu compromisso, desde quando eu era presidente, era banir todas as armas nucleares. A política do Elders é tentar trabalhar para o fim das armas nucleares. Mas, desde aquela época, outros países desenvolveram armas nucleares. Israel tem um grande arsenal, como você deve saber. A Coreia do Norte, que visitamos no começo do ano, tem uma pequena quantidade de armas nucleares. Nós acreditamos que todas as armas nucleares deveriam ser eliminadas da face da Terra. E eu acredito que os EUA e a Rússia devem ser os primeiros”.

Fonte: G1

shared on wplocker.com